A eficácia da reeducação postural global (RPG) no tratamento da lombalgia

Saúde

Lombalgia e a eficácia da reabilitação postural global (RPG), protocolo de tratamento utilizando a técnica e a importância da fisioterapia.

índice

1. RESUMO

A dor lombar é considerada distúrbio comum na população em gera. A lombalgia, também pode ser definida como sendo um sintoma referido na altura da cintura pélvica, podendo ocasionar proporções grandiosas. Diversos são os fatores de risco relacionados ao desencadeamento da lombalgia. A sobrecarga na coluna vertebral, evidenciada principalmente no segmento lombar, interfere na postura, no equilíbrio e na locomoção. A RPG pode dar uma importante contribuição no tratamento da dor lombar. A Reeducação Postural Global (RPG) pode ser uma alternativa terapêutica para tratar a dor lombar. Criada na França, em 1980, pelo fisioterapeuta Philippe Souchard, a RPG trata as desarmonias dos sistemas muscular, sensitivo e esquelético, considerando a individualidade e a globalidade do indivíduo, procurando detectar a origem do sintoma e não apenas suas manifestações. 

Palavras-chave:  Lombalgia, Fisioterapia, RPG, dor lombar. 

ABSTRACT

Lumbar pain is considered a common disorder in the general population. Low back pain may also be defined as a symptom referred to at the pelvic girdle, which can cause great proportions. There are several risk factors related to the onset of low back pain. The overload in the vertebral column, evidenced mainly in the lumbar segment, interferes in the posture, the balance and the locomotion. RPG can make an important contribution to the treatment of low back pain. Global Postural Reeducation (RPG) may be a therapeutic alternative to treat low back pain. Created in France in 1980 by the physiotherapist Philippe Souchard, RPG treats the disharmonies of the muscular, sensory and skeletal systems, considering the individuality and the globality of the individual, trying to detect the origin of the symptom and not only its manifestations.

Key-Words:  Back pain, Physical therapy, RPG, low back pain.

2. INTRODUÇÃO     

A lombalgia é definida como uma dor na lombar entre a parte mais baixa do dorso, popularmente conhecida como dor nas costas, de etiologia idiopática e características mecânica representando dor, aumento de temperatura, espasmo muscular na região lombar, diminuição da mobilidade e incapacidade funcional.

A lombalgia se constitui em uma grande causa de morbidade e incapacidade, sendo apenas superada pela cefaleia, na escala de distúrbios dolorosos que afetam o homem custando milhões em dias perdidos de trabalho, seguros e tratamentos de saúde. O tema foi escolhido em função dessa ampla incidência de quadros dolorosos definida como uma dor na região lombar entre a parte mais baixa do dorso, popularmente conhecida como ‘dor nas costas’. A reabilitação postural global (RPG) é uma técnica com uma série de exercícios de alongamentos e fortalecimento muscular para trazer de volta a postura alinhada do paciente e a capacidade funcional baseando-se em três princípios: individualidade: cada ser humano é único e reage de forma diferente. Causalidade: a causa do problema pode estar distante do sintoma (causa\ consequência). Globalidade: deve-se tratar o corpo como um todo.

Devido a prevalência alta de lombalgias, esse estudo se justifica por meio de pesquisa e uma análise das causas geradas por esse tipo de dor na qualidade de vida dos pacientes, tendo como benefícios, mostrar a importância da reabilitação postural global na promoção de saúde desses indivíduos.

Desta forma, o presente estudo buscou reunir informações com o propósito de responder ao seguinte problema de pesquisa: quais são os objetivos da reeducação postural global na vida do indivíduo com lombalgia?

O objetivo deste estudo é falar sobre a lombalgia e a eficácia da reabilitação postural global (RPG), além de relatar um protocolo de tratamento utilizando a técnica, esse assunto é orientar o paciente sobre a importância da fisioterapia e a necessidade de cada paciente por profissional com formação adequada e conhecimento biomecânico tão importantes para a saúde física e mental. A fisioterapia tem comprovada efetividade no tratamento da lombalgia, onde vários estudos demonstram que seu início logo após o aparecimento dos sintomas previne a evolução para um quadro crônico e de recidivas (recaídas) frequentes. As terapias posturais são técnicas que buscam reequilibrar a postura corporal como um todo, fortalecendo músculos enfraquecidos e alongando músculos contraturados. No tratamento das lombalgias especialmente quando a origem é mecânica e existem alterações na dinâmica postural, são recursos importantes. Existem diversas técnicas desenvolvidas com esta finalidade e a reeducação postural global (RPG) é uma delas. A proposta de tratamento da RPG se baseia no princípio de que os problemas posturais e musculoesqueléticos são desencadeados pelo encurtamento das cadeias musculares, principalmente as posteriores. A técnica atua de forma globalizada, alongando as cadeias musculares encurtadas, através de posturas de estiramento ativo usando a modalidade de musculação isotônica excêntrica, que alonga o grupo muscular a ser tratado e, ao mesmo tempo, aumenta a força muscular.

Para fundamentar este trabalho, foi adotado o método de revisão de literatura bibliográfica, analisando diferentes artigos científicos, revistas cientificas, livros e site de bancos de dados que abordasse diferentes conceitos de diferentes autores sobre o tema deste trabalho. Com estas informações torna-se notável a relevância da contribuição terapêutica da eficácia da reeducação postural global no tratamento da lombalgia.

Os critérios de inclusão serão pesquisas que abordem os tratamentos de reeducação postural nas lombalgias em geral e especifica da coluna lombar. Levando em consideração trabalhos publicados, pesquisando os seguintes descritos: lombalgia, dor lombar, reabilitação, postura.   

3. A LOMBALGIA

É considerada lombalgia a condição de dor localizada na região lombar e constitui em uma grande morbidade e incapacidade, sendo apenas superada pela cefaleia, na escala de distúrbios dolorosos que afetam o homem, sendo responsável por grandes dias perdidos de trabalho, seguros e tratamentos de saúde (CECIN, 2000). 

Cerca de três a quatro adultos vão ter dor nas costas durante a sua vida e esses números podem subir, devido ao aumento do número da população mais idosa. 90% da população terá pelo menos uma crise de lombalgia na vida.

A lombalgia não é uma doença, é um tipo de dor que pode ter diferentes causas, algumas complexas. Algumas vezes, a dor se irradia para as pernas com ou sem dormência. A história profissional e os hábitos de vida podem revelar fatores de risco importantes, tais como trabalhos com cargas pesadas, atividades físicas intensas ou práticas esportivas violentas 

A lombalgia pode ser conceituada como uma dor de característica mecânica, localizada entre a parte mais baixa do dorso (ultima costela) e a prega glútea, que aparece após força física excessiva em estruturas normais ou após força física normal em estruturas lesadas. A lombociatalgia surge quando esta dor se irradia para as nádegas em um ou ambos os membros inferiores. A ciatalgia ou ciática é a dor originada na raiz da coxa, uni ou bilateralmente, ultrapassando o joelho, dependendo da raiz nervosa acometida (FREIRE, 2004). As lombalgias e lombociatalgias são classificadas em: primária, secundária, aguda, subaguda e crônica.

Muitas pessoas confundem qualquer dor nas costas com lombalgia, mas nem toda dor nessa região implica a existência do problema. A lombalgia normalmente, requer maior atenção e acarreta sintomas que sem tratamento correto podem ser permanentes, prejudicando a qualidade de vida do paciente.     

3.1. INCIDÊNCIA E FATORES CAUSAIS

A dor lombar apresenta alta prevalência. Cerca de 70 por cento da população apresenta pelo menos um episódio de lombalgia durante a vida, na maioria das nações industrializadas. A população economicamente ativa é a faixa de maior incidência dessa patologia, que se tornou a primeira causa de afastamento de trabalho entre os segurados do instituto nacional de seguridade social (INSS) e a segunda maior causa mundial de procura por serviços médicos (ANTÔNIO, 2002).

Estudos atuais indicam que há uma correlação positiva entre aparecimento das lombalgias e fatores de risco como sedentarismo, o carregamento incorreto de pesos ou o levantamento de cargas excessivas, hábitos posturais inadequados e obesidade (FREIRE, 2004).

As lombalgias, em geral, possuem mais de um fator desencadeador. Como já foi dito anteriormente, inúmeras circunstancias contribuem para o desencadeamento e a realização das síndromes dolorosa lombares como insatisfação laboral, obesidade, realização de trabalhos pesados, sedentarismo, síndromes depressivas e hábitos posturais. Condições emocionais podem levar a dor lombar ou agravar as queixas resultantes de outras causas orgânicas preexistentes (CECIN, 2000).

As lombalgias também podem ser desencadeadas por causas extrínsecas à coluna, por sobrecarga excessiva ou por disfunções posturais. Entre as causas extrínsecas estão: doenças gastrointestinais, gênito-urinárias e vasculares: os mecanismos são desconhecidos, inicia-se com dor lombar e podem estar relacionados a proximidade anatômica, inervação ou origem embrionária.

Doenças metabólicas como a diabetes mellitus: possivelmente relacionada a diminuição da integridade dos tecidos dos discos das facetas articulares. Além disso o diabético pode simular uma radiculopatia compressiva devido a neuropatia periférica metabólica.

Fatores psicossomáticos: em estados crônicos de dor, o sistema nervoso central cria um circuito de padrão gerador que mantem a dor mesmo na ausência de um estimulo lesivo, influenciado pelas emoções em período de instabilidade emocional associada a depressão, ansiedade e alcoolismo.

Sobrecarga excessiva de peso: afeta a coluna de três modos (VALIATI, 2001):

Esforço anormal em uma coluna normal: a coluna normal suporta peso durante certo período de tempo, porém, se o objeto for pesado demais, a contração muscular pode ser insuficiente. Segurar um peso razoável a uma distância razoável do corpo, por um tempo longo, também causará fadiga ou exaustão.

Esforço normal numa coluna anormal; gera efeitos lesivos, uma vez que as estruturas ósseas e cartilagens não estão preparadas para suportar nenhum tipo de sobrecarga, as vezes nem mesmo a movimentação normal sem carga adicional.

Esforço normal numa coluna normal, porém despreparada para este esforço: se a coluna não está preparada para o esforço imposto. Um movimento súbito pode exceder a amplitude de movimento (ADM) normal da articulação, e resultando em lesão articular e de tecidos.

São fatores de esforços excessivos causadores de lombalgias (FREIRE,2004):

  • Manuseio, levantamento e carregamento de cargas excessivamente pesadas.
  • Manuseio de cargas que não sejam tão pesadas, mas estejam em posição biomecanicâmente desfavorável. 
  • Manutenção de posturas incorretas durante o dia, com o consequente tensionamento da musculatura e dor, além da possibilidade de ocorrência de lesões em longo prazo dos discos da coluna.

Efeitos direto da vibração de todo corpo sobre o indivíduo em atividades laborativas como o trabalho em tratores por exemplo.

Quadro 1- Distribuição aproximada das causas de lombalgias

Causas de dor lombar Distribuição percentual do total de lombalgias
Disfunções degenerativas 45%
Disfunções metabólicas 25%
Desordens metabólicas 10%
Transtornos miofasciais 10%
Patologias inflamatórias 4%
Causas viscerais 4%
Causas infecciosas e neoplásicas  1%
Outras causas 5%

Fonte: adaptado de Meirelles, 2000.

De acordo com o sexo, há uma prevalência especifica de dor lombar causada por um tipo de fator desencadeador especifico. Há um predomínio de dor lombar no sexo masculino decorrentes de espondiloartropatias, ostemielite, neoplasias, doença de Paget e desordens mecânicas profissionais. O predomínio é feminino para lombalgias decorrentes de fibromialgias e disfunções miofaciais, osteoporose e disfunções paratireoidianas. A prevalência é igual para ambos os sexos nas doenças infecciosas da coluna lombar (ANTÔNIO, 2002).

A principal alteração postural desencadeadora de dores lombares é a entorse lombossacra. Sua fisiopatologia é explicada pelos desvios da atitude postural ereta, causando alterações em estruturas ligamentares e articulares, responsáveis pelos quadros dolorosos. Esses efeitos podem acarretar: hiperlordose lombar, curvas de compensação, contraturas de paravertebrais e limitação dos movimentos da coluna lombar (FREIRE, 2004).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Tabela 2- Fatores causais

Causas mecânicas e estruturais

-Entorse ou distensão lombossacra 

-Alterações discais (hérnia de disco\discopatias)

Causas degenerativas

-Osteoporose

-Síndrome de compressão medular ou radicular

-Síndrome do desfiladeiro cervical

-Arteriosclerose pélvica

-Síndrome da calda equina

Causas posturais

-Escoliose idiopática 

-Hiperlordose lombar

-Sobrecarga posturais gestacionais

Causas reumáticas 

-Artrite reumatóide

-Espondilite anquilosante

-Psoríase 

Causas traumáticas 

-Fraturas

-Luxações e contusões

Causas congênitas 

-Vértebras de transição lombar

-Espinha bífida

 

 

-Fusões vertebrais

Assimetrias ou agenesias articulares

- Estenose de canal vertebral

-Espondilólise ou espondilolistese

-Doença de Paget

Causas infecciosas

-Osteomielite

-Tuberculose

-Brucelose

-Síndrome de Grizel

-Infecções por fungos

Causas viscerais

-Vasculares (aneurisma da aorta abdominal\ obstruções vasculares)

-Genitourinárias (endometriose, gravidez tubária, cálculos renais, pielonefrite, nefrolitíase, prostatite, doença inflamatória intrapélvica, disminorréia, prolapso ou retroversão uterina)

-Gastrointestinais (pancreatite, úlceras pépticas)

Causas neoplásicas

-Osteoma e osteoblastoma

-Tumores primários de ossos e tecidos moles

-Tumores primários de calda equina, medula e canal medular

-Tumores metatásticos de mama, próstata, pulmão, rim, tireóide e intestino

-Leocemias e linfomas

Doenças metabólicas

-Hiperparatireoidismo

-Hipercortisonismo

-Diabetes

Disfunções psicossociais

-Ansiedade crônica

-Estados depressivos

Causas miofasciais

-Fibromialgia

-Dor miofascial e pontos gatilhos no glúteo médio, quadrado lombar, piriforme

--Desiquilíbrios musculares 

Fonte: baseada em Meirelles, 2000.

A dor lombar pode ter origem no disco intervertebral, no corpo vertebral, nas facetas articulares ou nos músculos lombares. Cada local de origem da dor tem características específicas (FREIRE, 2004).

Disco intervertebral: é o local mais comum de dor lombar. A degeneração iniciase após a segunda década de vida característico do envelhecimento intrínseco. Leva a diminuição do espaço discal, formação de esteófitos vertebrais com sobrecarga secundária nas articulações. A sobrecarga nas articulações facetarias resulta em desgaste da cartilagem articular, formação de esteófitos, hipertrofia capsuloligamentar e instabilidade. Durante a ocorrência desses eventos pode haver aparecimento de sintomas decorrentes da inflamação das estruturas degeneradas ou da compressão nervosa (LEAL, 2009).

Facetas articulares: são o segundo local mais frequente da dor lombar crônica. Alterações como hipertrofia sinovial e capsular, formação de tecidos cicatriciais, desgaste articular facetário e esclerose do osso adjacente podem gerar inflamação e dor. Essas alterações podem estreitar o canal vertebral e o forame intervertebral, resultando em compressão nervosa. Nos níveis da coluna lombar, a progressão da degeneração pode resultar em instabilidade, com deslizamento de uma vértebra sobre a outra. Esse fenômeno é mais comum em L3-L4 e principalmente L4-L5. Quando o deslizamento ocorre anteriormente (espondilolistese degenerativa).

Músculos lombares: quando ocorre hiperatividade do sistema nervoso simpático, os fusos musculares entram em espasmos resultando em tensão muscular e aparecimento de nódulos desencadeando a dor. Em pessoas com distúrbios emocionais, são comuns dores musculares de múltiplas localizações e nódulos reativos (LEAL, 2009).

As disfunções mecânicas constituem a forma mais comum de lombalgias. Neste tipo de alteração normalmente o quadro de dor é desencadeado por desiquilíbrios musculares e há hipertonia e espasmos musculares presentes (ANTÔNIO,2002)

Geralmente a dor fica limitada a região lombar, raramente se irradiando para as coxas. Pode se manifestar subitamente pela manhã, quando o paciente levanta-se da cama, dando a sensação de que a coluna “saiu do lugar” ou surgir após movimentos bruscos da coluna, sobretudo em flexão (CECIN, 2000).

O episódio doloroso é agudo e dura entre cinco e sete dias. Após esse período, os sintomas desparecem. Em alguns casos, as crises se repetem em períodos de tempos alternados e quando os fatores precipitantes persistem a lombalgia pode tornar-se crônica (CECIN,2000).

4. REEDUCAÇÃO POSTURAL GLOBAL

A terapia de Reeducação Postural Global – RPG, que tem como objetivo avaliar e tratar o indivíduo globalmente, e sua função é de tratar os problemas músculoarticulares. SOUCHARD (2001) preconiza que toda agressão física, ou psíquica, que afeta a forma, a função, ou diretamente a estrutura, terá uma repercussão no conjunto do indivíduo, produzindo desta forma uma sintomatologia somática. A RPG emprega postura de alongamento muscular baseada na normalização da morfologia, agindo dessa forma sobre a estrutura do músculo estriado, sobre as tensões neuromusculares, introduzindo um trabalho essencialmente mais ativo, mais global e mais qualitativo. Uma abordagem correta do individuo, propicia ao terapeuta desatar o gatilho de defesa muscular que sucederam as compensações derivadas de uma agressão, independente de sua origem.

A técnica da antiginástica é um método considerado holístico, ou seja, que considera o todo e não somente uma junção de partes, que foi introduzido por Françoise Mésières (1909-1991), no sul da França, é baseado na teoria das cadeias musculares, por volta da metade do século XX, na década de 50, entende-se que quando se fala em cadeias musculares, envolvemos também o diafragma e os músculos rotadores internos dos membros. Para Françoise Mézières quando a musculatura lombar é alongada automaticamente ocorre o encurtamento da musculatura da cifose, denominado: compensação, chegando a conclusão que todo o encurtamento parcial da musculatura posterior leva a um encurtamento de todo o conjunto desta musculatura (COELHO, 2008).

A técnica da antiginástica, assim denominada pela Mésières, foi repassada aos colaboradores e Phillippe Souchard foi um dos seus seguidores, por mais de 10 anos no centro Mésiérès e aprimorou seus conhecimentos e como um bom observador, fundamentou o que hoje conhecemos como reeducação postural global (TEODORI, 2011). As cadeias musculares são as cadeias inspiratórias, posterior, anterior interna da bacia, anterior do braço e a anterior interna do ombro (SOUCHARD, 2001). A técnica da Reeducação Postural Global tem por finalidade alongar os músculos tônicos, que são menos flexíveis, mais densos com a ajuda dos músculos expiratórios e inspiratórios para que recuperem o comprimento, melhorando também a capacidade respiratória (SOUCHARD, 2003).

A RPG melhora a postura visando solucionar os problemas e as consequências da patologia se utilizam de posturas ativas e simultâneas, isotônicas excêntricas dos músculos da estática e com manutenção dos músculos dinâmicos, sempre em decoaptação articular e progressivamente cada vez mais global (SOUCHARD, 2001). A técnica da RPG deve ser embasada na anamnese, fotos, exames de retrações, pontos de reequilíbrios e por último a escolha da postura que irá trabalhar com o paciente, por exemplo, se o problema for lombalgia deve-se saber em que momento a dor aumenta ou incomoda mais (SOUCHARD, 1998).

A técnica de Reeducação Postural Global (RPG) parte do pressuposto de que um músculo encurtado cria compensações em músculos proximais ou distais e fundamenta--se em gerar um alongamento ativo simultâneo dos músculos pertencentes à mesma cadeia muscular (LAWAND et al.,2013). Para isso, o criador do método, Philippe Emmanuel Souchard descreveu a utilização de posturas específicas para o alongamento global, proporcionando o posicionamento correto das articulações e o fortalecimento dos músculos, visando o restabelecimento do equilíbrio na tensão miofascial das cadeias musculares (SOUCHARD, 1996). 

A técnica de RPG recomenda a utilização de posturas específicas para o alongamento de músculos organizados em cadeias musculares, proporcionando o posicionamento correto das articulações e o fortalecimento dos músculos, os quais corrigem disfunções, não só da coluna vertebral, como também de outras articulações(SOUCHARD,1996). 

As posturas de RPG foram assim descritas: “rã no chão com braços abertos e fechados, rã no ar com braços abertos e fecha dos, em pé contra a parede, em pé no centro, postura sentada e postura em pé com inclinação anterior” (Souchard,1986). A postura “rã no chão” tem como objetivo o alongamento dos músculos e fáscias da cadeia anterior, tais como o sistema suspensor do diafragma e das vísceras, músculos esternocleidomastoideo (ECM), reto anterior maior e menor do pescoço e escalenos, tendão do diafragma, músculo iliopsoas, trato ílio-tibial, músculos adutores e o músculo tibial anterior (VANTI, 2007).

A RPG requer do paciente uma participação ativa promovendo o relaxamento das cadeias musculares encurtadas, ao desbloqueio respiratório e ao reequilíbrio do tônus postural. Durante cada atendimento, o fisioterapeuta emprega microajustes em alongamento numa série de posturas suaves e progressivas (de pé, sentado ou deitado) (STROTTMAN; SANTANA, 2011). A tensão global não pode ser obtida imediatamente, já que alguns pacientes apresentam um quadro doloroso ou são muito frágeis. Ou seja, as correções não podem ser impostas rapidamente e devem respeitar o limite de cada paciente, enfatizando então o caráter progressivo das trações manuais e a lentidão da progressão angular dos segmentos. As posturas a serem utilizadas serão escolhidas após o fisioterapeuta realizar a anamnese do paciente, de um exame aprofundado da morfologia, de testes de mobilidade articular, de amplitude de movimento e da palpação (SOUCHARD, 2011)

5. REFERÊNCIAS

ANTÔNIO, SF. Abordagem diagnostica e terapêutica das dores lombares. Rev. bras. Med, n.59 p.449-61, 2002

CECIN, HÁ et al. 1° Conselho brasileiro sobre lombalgia e lombociatalgias. Sociedade brasileira de reumatologia: comitê da coluna vertebral. São Paulo, 2000.

COSTA. C. SEMIOLOGIA DA DOR. Obtido via internet. Disponível em: www.damadpel.com acesso em: agosto de 2018

FREIRE, M. LOMBALGIA E LOMBOCIATALGIA. In: NATOUR, J. Coluna vertebral: conhecimentos básicos. São Paulo: editora etecetera, 2004

MEIRELLES, ES. Como diagnosticar e tratar as lombalgias. Rev. Bras. med. 2000. N.57 v10. P.1089-102.

MONTENEGRO, H. LOMBALGIA- DOR LOMBAR. Obtido via internet. Disponível em: www.itcvertebral.com.br  ITC vertebral acesso em: agosto 2018 às 11:33

OLIVEIRA. LF. Atualização em mecanismos e fisiopatologia da dor. disponível via internet em: www.simposio-dolor.com.ar\contenidos\archivos\sdc001p.pdf. 

SBED- Sociedade brasileira para o estudo da dor. Ministério da saúde. Obtido via internet. Disponível em: www.sbed.org.br. Acesso em: agosto de 2018 às 11:53 

VANTI, C. Rééducation Posturale Globale in musculoskeletal diseases: scientific. 2007.

STROTTMANN, I. B.; SANTANA, R. R. Postura corporal e a reeducação postural global: Definições Teóricas. In: ENCONTRO LATINO AMERICANO DE PÓS GRADUAÇÃO, 7., 2011, São José dos Campos. São José dos Campos: Universidade do Vale do Paraíba, 2011.

SOUCHARD, P. E. RPG: reeducação postural global: o método. Rio de Janeiro: Elsevier, 2011. 

 

SOUZA, Jucilene Guia de. A EFICÁCIA DA REEDUCAÇÃO POSTURAL GLOBAL (RPG) NO TRATAMENTO DA LOMBALGIA. 2018. 24 folhas. Trabalho de conclusão de curso (Bacharel em fisioterapia) – Universidade de Cuiabá, 2018.


Publicado por: jucilene guia de souza

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Monografias. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.