A UTILIZAÇÃO DA RECREAÇÃO NO FUTSAL SOCIAL NOS BAIRROS DA PERIFERIA DE TABOÃO DA SERRA

Educação

Apresentação de métodos e ferramentas que o autor utilizou em núcleos esportivo-sociais do município de Taboão da Serra (SP) no ano de 2004.

índice

1. Resumo

Este trabalho tem por objetivo a apresentação de métodos e ferramentas que o autor utilizou em núcleos esportivo-sociais do município de Taboão da Serra (SP) no ano de 2004 quando da atuação do mesmo na função de supervisor de técnicas esportivas da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer. A aplicação do trabalho se deu nos núcleos do Inocoop e do Jardim Saporito. A faixa atendida foram de jovens de 07 a 16 anos do sexo masculino e feminino. Trabalho desenvolvido na modalidade futsal onde além dos fundamentos, a recreação foi elemento determinante para a melhoria da motricidade e trabalho em grupo, conforme pretende-se ser apresentado neste trabalho.

Palavras-chave: Futsal. Recreação. Experiência.

2. INTRODUÇÃO

O futsal apresenta-se como uma das modalidades mais praticadas do país, com cerca de 11 milhões de praticantes, segundo o Atlas Brasileiro do Esporte.

A facilidade da prática da modalidade em espaços reduzidos e áreas cobertas torna sua popularização e compreensão por parte do usuário muito simples e rápido.

O futsal, dada sua complexidade, exige uma gama de conhecimentos como menciona Carlos Alberto Tenroller (2004). Problemas psicológicos, estresse, ansiedade, desmotivação, motivação, rejeição ao esporte, pressão dos pais, bulling dos colegas, torcida, regras e arbitragem são elementos presentes no processo de ensino ou prática do futsal.

Tenroller ainda cita a importância do conhecimento em psicologia, fisiologia, anatomia e pedagogia como alguns dos elementos importantes que o profissional deva possuir domínio para o correto ensino da modalidade.

Ainda sobre o ensino do futsal tanto em escolas quanto centros esportivos, Rogério da Cunha Voser (2015) cita os problemas da rede pública de ensino onde muitas vezes, professores desanimados com salários, desatualizados, escassez de recursos físicos e materiais, turmas grandes e heterogêneas.

Na didática diária do ensino do futsal, dou grande importância ao aprendizado que obtive com grandes profissionais com que atuei no Clube Atlético Taboão da Serra como Ademir Vaz de Oliveira, onde, na prática foi possível desenvolver técnicas de aplicação de exercícios de tática e técnica.

Mas no que tange o desenvolvimento tático do jovem no futsal, se faz necessário o desenvolvimento do mesmo, a iniciação deste ao futsal.

A iniciação esportiva ao futsal deve abranger alguns aspectos, não somente a questão técnica, mas ao lidar com jovens, a importância de saber preparar este para as frustações, pressão e demais sentimentos e perspectivas que norteiam a modalidade é importantíssimo para que o pleno desenvolvimento seja atingido.

Muitas vezes os atribuídos trabalhos técnicos para o futsal podem desestimular o jovem, em algum momento fazendo com que o mesmo se afaste da prática da modalidade.

E é a recreação interessante para diversificar e valorizar o desenvolvimento do trabalho com o jovem. O direcionamento de atividades recreativas podem ajudar o jovem a incorporar valores como trabalho em equipe, hierarquia, organização, planejamento e melhora da autoestima.

Haetinger (2009) explana a importância do jogo e afirma como os jogos desportivos são uma mania nacional (vôlei, futebol, basquete, handebol e futsal)

Às vezes, esses jogos perdem o seu valor como atividade que desenvolve o indivíduo quando a competição passa a ser mais importante do que a vivência. E é justamente esse o fator mais relevante para que o jogo seja valorizado pelo educador infantil. Os jogos desportivos entre crianças devem valorizar as atividades físicas, motoras e emocionais, e não a competição, sob pena de serem excludentes e não inclusivos.

O fato de que alguns conteúdos de atividades são bastante difundidos entre a população em geral, dá-nos apenas uma visão muito particularizada da apropriação do lazer. É preciso que sejam considerados aspectos importantes, verificados na situação, que restringem quantitativa e, sobretudo, qualitativamente o acesso à produção cultural.

As pesquisas de que dispomos nessa área, no Brasil, são poucas e restritas ao uso de determinados equipamentos, como cinemas, teatros, bibliotecas, parques, etc., e não fornecem muitos indicadores que permitam caracterizar, com precisão, os participantes. A despeito disso, podemos distinguir, em linhas bastante gerais, um público marcadamente jovem, com grau de instrução e condições econômicas acima da média da população.

O fator econômico é determinante desde a distribuição do tempo disponível entre as classes sociais até as oportunidades de acesso à escola, e contribui para uma apropriação desigual do lazer. São as barreiras interclasses sociais.

Sempre tendo como pano de fundo esse fator econômico, podemos distinguir uma série de fatores que inibem e dificultam a prática do lazer, fazendo com que ela se constitua em privilégio. São as barreiras intraclasses sociais.

O lazer muitas vezes visto como algo intangível ou inacessível a muitas classes sociais através do esporte se torna uma ferramenta importante na difusão deste e valorização do ser humano.

A prática esportiva não competitiva, onde a recreação se torna parte do trabalho de desenvolvimento e integração vem a enaltecer a prática do futsal.

3. JUSTIFICATIVA

Na cidade de Taboão da Serra (SP), situada na região sudoeste da região metropolitana de São Paulo, com 20 km² e 287 mil habitantes e 14 mil habitantes por km², segundo o IBGE (2010), o que torna o município com a maior densidade populacional do Brasil.

A prática esportiva em Taboão da Serra é oferecida pelo poder público em todos os bairros através de quadras poliesportivas, ginásios e outras praças esportivas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Em uma delas, a situada no bairro do Jardim Saporito, vivenciei quando assumi a coordenação da mesma, muitas experiências salutares no desenvolvimento do futsal junto a jovens usuários do aparelho esportivo.

Dado o simplório espaço físico, logo identifiquei que muitos alunos do núcleo se mostravam entediados com a prática tradicional da modalidade.

4. OBJETIVO

Dar aos jovens a possibilidade de ganho de qualidade na prática do futsal, além de embutir neles valores como trabalho em equipe.

5. MÉTODO

Ao trabalhar com futsal de base, a maior parte dos jovens tem influências autoritárias, resquício de uma educação física militarizada e a censura a livre expressão por que passou a país até 1985.

Observando este modelo de treinamento, é nítida a percepção prática de que conceitos como união, trabalho em equipe e desenvolvimento motor são desenvolvimentos de forma muito superficial.

O autoritarismo no esporte causa redução de comprometimento e reprime a criatividade e possibilidade de desenvolvimento do jovem.

Vários jovens com que trabalhei tinham dificuldade, justamente por conta de medo ao erro, por serem tão cobrados em uma fase tão crucial no desenvolvimento cognitivo e motor.

Haetinger, Daniela (2009) cita que devemos inserir o jovem em um processo de jogos educativos a fim de desenvolver e aprimorar suas habilidades motoras.

Às vezes, esses jogos perdem o seu valor como atividade que desenvolve o indivíduo quando a competição passa a ser mais importante do que a vivência. E é justamente esse o fator mais relevante para que o jogo seja valorizado pelo educador infantil. Os jogos desportivos entre crianças devem valorizar as atividades físicas, motoras e emocionais, e não a competição, sob pena de serem excludentes e não inclusivas

A partir da premissa da autora, comecei a refletir sobre a realidade a qual estes jovens do Núcleo Esportivo Jardim Saporito, em Taboão da Serra (SP), estavam inseridos, muitos deles em situação social muito grave e com o direcionamento de trabalho esportivo equivocado.

A primeira etapa é resgatar valores como trabalho em equipe, respeito, união. Após trabalhar com alegria, diversão.

Muitas vezes o trabalho de iniciação ao futsal passa por algo que é frustrante para quem esta iniciando sua vida. Só ficar trabalhando passe e tática, são coisas que uma criança ainda consegue absorver com parcimônia.

Colocar jogos, brincadeiras, irão auxiliar na criação de um elo com este jovem, como também a inserção social deste em um contexto com o bairro em que reside.

Com brincadeiras simples como pega-pega, pular corda, jogar bolinhas de gude, pique esconde, corrida de saco, aumentaram o envolvimento dos jovens em decorrência de um objetivo maior: seu desenvolvimento no futsal. Foi como cheguei a aplicação do mesmo, no ano de 2006.

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O desenvolvimento da aplicação das atividades propostas foi recompensadoras dado os resultados atingidos.

Não são palpáveis em questão de dados numéricos, mas sim de condições psicossociais.

Ao aplicar a recreação na sua essência, ou seja, ludicidade plena e total, consegui excluir da mentalidade daqueles jovens, ao menos por instantes, o caráter competitivo e para alguns, desprovidos de condições neuro-motoras mais apuradas, acabaram sendo incluídos na atividade.

O desenvolvimento da atividade junto aos jovens, a aplicação do princípio recreativo como um item do trabalho diário no núcleo esportivo, disseminou-se pelo bairro. Pais de jovens relataram a alegria em perceber a mudança de comportamento do filho(a).

A integração entre família e os alunos do núcleo esportivo foi realizada uma atividade semestral de integração, onde pais e filhos se tornavam um gigantesco grupo. Brincando, sorrindo e interagindo entre si.

Ai então percebi que a minha proposta de amplitude de capacidade neuro-motora com a recreação para os praticantes de futsal, acabou também tornando-se um resgate aos valores e integração familiares, aproximando famílias e reduzindo o distanciamento entre os mesmos, tão comum entre os jovens e pais usuários de internet, começou a mudar. Pais me procuraram semanas após o início das práticas mencionando como a personalidade do filho e o diálogo familiar melhorou.

No que se aplica a questão esportiva, das turmas de treinamento, obtivemos um crescimento no aproveitamento nos trabalhos de fundamento e tático, além de nitidamente, a dedicação de todos com relação a execução do jogo, se tornou bem melhor.

Conceitos aplicados somente no alto rendimento como marcação por zona, tática 2-2, 3-1, tornaram-se algo de fácil compreensão, graças aos jogos, ao desenvolvimento motor e neurológico ocasionados pelo momento de ludicidade da recreação pré-treino.

Enfim, considero que para o desenvolvimento do trabalho no futsal para jovens, a recreação torna-se parte importante e uma ferramenta de auxílio ao trabalho técnico e tático a qual o profissional de educação física propõe aplicar.

7. BIBLIOGRAFIA

BARBANTI, Valdir. O que é esporte? Revista Brasileira de Educação Física. Brasil, 2012. P. 58 a 58.

HAETINGER, Daniela; HAETINGER, Max Günther. Jogos, recreação e lazer. 1ª Ed. Curitiba. IESDE, 2009.

TENROLLER, Carlos Alberto. Futsal: Ensino e Prática. Editora da Ulbra. 2004.

VOSER, Rogério da Cunha; GIUSTI, João Gilberto M. 2ª Edição. Penso Editora. 2015


Publicado por: Fernando Alves Firmino

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Monografias. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.