Realidade Aumentada aplicada em estratégias de Marketing

Comunicação e Marketing

A Realidade Aumentada pode deixar o cliente interagir melhor com o produto, com suas propriedades, modelagem, detalhes de funcionamento, permitindo o maior conhecimento das características de um produto antes de comprá-lo. Assim, a empresa diminui custos com produção e envio de amostras, por exemplo. Além disso, ainda dá ao cliente novas perspectivas.

índice

1. RESUMO

Esta monografia tem como objetivo apresentar de que maneira a tecnologia da Realidade Aumentada tem sido usada em estratégias de Marketing. Apresentando em primeiro lugar, o que é Marketing Digital, como se tornou essencial e faz a integração com novas tecnologias, incluindo redes sociais. Além disso, é apresentado o Inbound Marketing, o chamado Marketing de atração. A Realidade Aumentada é apresentada em seguida, mostrando aplicações dessa tecnologia no Marketing atual e como tem sido cada vez mais essencial aos profissionais de Marketing dentro das empresas. De maneira objetiva, este trabalho mostra que o Marketing está evoluindo e é necessário aprender o que existe de novo para interagir e atrair os consumidores, além de dar destaque às marcas na Era Digital.

Palavras-chave: Marketing Digital, Realidade Aumentada, tecnologia, Inbound Marketing, interação, Era Digital.

ABSTRACT

This monograph aims to present how Augmented Reality technology has been used in Marketing strategies. Showing in the first place, what is Digital Marketing has become essential and makes the integration with new technologies, including social networking. In addition, Inbound Marketing is presented, also called Attraction Marketing. The Augmented Reality then appears, showing applications of this technology on current Marketing and as has been increasingly essential for Marketing professionals within companies. In an objective way, this work shows that Marketing is evolving and it is necessary to learn what is new to interact and attract consumers, besides giving emphasis to brands in the Digital Era.

 Keywords: Digital Marketing, Augmented Reality, technology, Inbound Marketing, interaction, Digital Era.

2. INTRODUÇÃO

As mudanças no Marketing têm sido recorrentes e um dos fatores de tais mudanças tem sido em virtude da Tecnologia. As empresas assistem as mudanças constantes ao redor do mundo e com isso precisam evoluir seus produtos e serviços à medida que o mundo muda. Inovação é a palavra. Não é mais possível seguir uma regra para chegar aonde se deseja. Como toda revolução, o consumidor busca mudanças, transformações que funcionem bem. Os consumidores querem conteúdo, coisas diferentes do comum, querem ser imergidos. As empresas precisam estar prontas para lidar com o constante feedback de seus clientes com as redes sociais, pois até algum tempo atrás, as empresas não se preocupavam em ter conversas francas e diretas com seu público.

A política de troca é cada vez mais forte, acabando com o paradigma de que apenas a empresa ganha algo. Com os avanços tecnológicos, as pessoas passaram a buscar mais comodidade, marcas que se preocupam com sua satisfação, segurança e bons produtos.

A internet é de todos e essa democratização ajudou a revelar novos perfis de consumidores, estes mais atentos aos atributos de um serviço ou produto, sem contar a busca por depoimentos de outros usuários que adquirem os bens na internet. Desta forma, a necessidade de buscar atrair os consumidores mudou e as empresas procuram diferentes maneiras de fazer isso. Novas tendências de comunicação aliadas às novas tecnologias que não param de surgir criam a oportunidade de aprimorar o desenvolvimento da relação de empresa e consumidor.

Esta monografia apresenta dados sobre novas tecnologias e seu uso no Marketing nas empresas, desde a gestão até novas maneiras de atrair consumidores usando tecnologia a seu favor, buscando maior interatividade, criar bons relacionamentos e claro, surpreender os consumidores de maneira diferenciada.

Uma das tecnologias usadas é a Realidade Aumentada (R.A), que ainda em constante evolução, tem sido aplicada no Marketing como uma importante ferramenta. Mesmo em processo de crescimento, este tema tem uma relevância importante e terá cada vez mais espaço no meio de comunicação e por isso, a escolha do tema. Houve nos últimos anos, um aumento significativo no uso da Realidade Aumentada como ferramenta essencial dentro do Marketing, mas ainda é necessário tornar o uso desta tecnologia ainda melhor aplicado.

O futuro do Marketing reserva inúmeras possibilidades, onde será ainda mais necessária a presença da tecnologia em constante avanço.

Integrando informações globais de Marketing Digital e Tecnologias com ênfase na Realidade Aumentada, esta monografia tem como objetivo elucidar sobre os temas citados de maneira a dar suporte a futuros estudos.

3. MARKETING

O Marketing é a ciência que identifica as necessidades e desejos não realizados de um mercado-alvo; definindo, medindo e quantificando o tamanho do mercado identificado e seu potencial lucro, cria e entrega valor para atender as necessidades de clientes.

Marketing é então uma série de estratégias, técnicas e práticas que tem como objetivo principal, agregar valor às marcas e/ou produtos de maneira a atribuir maior importância das mesmas para os consumidores.

O Marketing possui inúmeras vertentes, tais como exemplo: Marketing Direto e Indireto, Marketing Social, Marketing Pessoal e Marketing Digital. No entanto, recentemente é o Marketing Digital que tem sido uma vertente indispensável para as empresas na hora de atingir seus objetivos de forma mais prática.

3.1. Marketing Digital

O Marketing Digital é de maneira sintetizada, promover produtos e/ou marcas por meio de mídias digitais, ou seja, a empresa promove seus produtos online. O objetivo é atrair novos negócios, criar um relacionamento mais sólido com os clientes e atrair novos. Assim é criada uma identidade de marca mais presente e fortalecida.

As empresas crescem e com o pensamento focado em como atrair mais clientes elas sabem que as mídias digitais oferecem vantagens muito maiores, de mais fácil acesso, o retorno sobre investimento é alto e é muito mais simples de mensurar o retorno através de métricas mais claras, oferecidas na maioria das ferramentas, como o Facebook Ads.

Enquanto nas maneiras tradicionais de utilizar o Marketing, onde a empresa oferece seu produto através da TV, rádio, outdoor, onde não há comunicação fácil de empresa para cliente e cliente com empresa, no marketing digital, esta possibilidade de comunicação é grande, às vezes em tempo real, ou seja, existe uma interação muito mais simplificada.

A comunicação deixa de ser unilateral e, além disso, acaba sendo positivo para a empresa e para o cliente. Isso se deve ao feedback constante dos clientes nas redes sociais e assim, as empresas podem oferecer um atendimento mais personalizado. Com essa interação e feedback dos clientes, a empresa ou marca obtém mais informações sobre o cliente, entendendo melhor quem está comprando, quem está buscando o produto e assim, criar ações cada vez mais personalizadas e eficientes.

Com todo o monitoramento das redes onde as marcas criam suas ações de Marketing, todas as informações se tornam dados essenciais para que as marcas se tornem cada vez mais visíveis e memoráveis. Além dessas vantagens, utilizar dados no marketing digital gera economia de tempo e dinheiro, evitando assim campanhas criadas com suposições no que o cliente “pode pensar” ou “pode querer”. A marca fica segura de que sua mensagem será entregue ao público certo através das redes acessadas pelo público em questão, tendo sua segmentação muito mais eficiente, obtendo um retorno muito positivo e sem desperdício de capital financeiro.

As estratégias de Marketing Digital podem ter inúmeras ações e maneiras de serem aplicadas. Podem contar com marketing em redes sociais, em mídias pagas como AdWords e estratégias de SEO, as quais estão crescendo e se tornando cada vez mais usadas pelas marcas e por profissionais de Marketing nas empresas.

4. Inbound Marketing

O Inbound Marketing reúne todas as estratégias de marketing para assim, atrair curiosidade e interesse do público. Pode ser chamado de "Marketing de atração" e com ele, existem os três pilares, incluindo SEO. Os outros dois são o Marketing de Conteúdo e a Estratégia nas Redes Sociais. Seu conteúdo é muito amplo, porém pode-se definir como uma forma de marketing onde as necessidades e desejos do cliente satisfeitos se encaixem da melhor maneira possível.

Criando compartilhamento de conteúdo voltado para um público-alvo, comunicando-se com seus potenciais clientes de forma direta, é criado um relacionamento que pode ser duradouro, dependendo claro, do constante trabalho da equipe de Marketing da empresa.

O Inbound Marketing possui estatísticas das quais o torna muito mais em conta de ser utilizado em relação ao o Marketing Tradicional (Outbound Marketing). Algumas dessas estatísticas são que o Inbound Marketing custa em média, 62% mais barato que o Marketing Tradicional, a média de retorno sobre investimento (ROI) é de 275%, 93% dos processos de compra online começam com uma busca online, 80% dos clientes/consumidores preferem buscar informações de um serviço ou produto em artigos do que em anúncios publicitários no Google e o número de empresas que usam o Inbound Marketing como objetivo estratégico fixo é de 80%.

Marketing com foco no conteúdo, onde oferece informações relevantes, publicar online algo que agregue valor ao cliente em potencial, é considerado Inbound Marketing. Por isso, mesmo de maneira involuntária, esta estratégia vem sendo praticada há bastante tempo por profissionais de marketing. Em paralelo com o Marketing Digital, essa estratégia se torna imprescindível para fazer melhores negócios de Marketing online. Fora da web, o consumidor não tinha controle sobre informações recebidas, de tal maneira que a publicidade tradicional tinha meios livres de interromper a comunicação com seus clientes. Isso não acontece no Inbound Marketing.

Figura 01: Comparação de Inbound e Outbound Marketing


Fonte: (Portal Marketing de Conteúdo, 20151)

No entanto, é importante verificar que o descarte completo do Outbound Marketing não é aconselhável. Ele ainda é capaz de gerar bons resultados se o profissional de Marketing sabe como usá-lo. Misturar estratégias e tirar o melhor proveito de ambos os lados é o ideal.

4.1. SEO

Search Engine Optimization (Otimização para mecanismos de busca) tem como objetivo alcançar as primeiras posições nos mecanismos de busca na internet. Mais voltado para blogs, sites ou e-commerces, o SEO visa esse objetivo procurando sempre aperfeiçoar estas ferramentas para que assim, a marca se destaque sem ajuda de anúncios.

O objetivo principal do SEO é aumentar o volume de tráfego orgânico para garantir visibilidade para páginas de busca na web. O profissional de Marketing deve conhecer as maneiras como o cliente faz suas buscas na internet. Existem três tipos de busca. O tipo de pesquisa "busca navegacional" é quando o usuário sabe qual site gostaria de ir, mas não se recorda da URL completa ou não deseja digitar todo o endereço na barra de endereços do navegador.

Figura 02: Exemplo de “busca navegacional”


Fonte: (Portal PWM, 20162)

A “busca informacional” é quando o cliente está buscando por informações, por meio de artigos, pesquisas científicas, revistas ou o que estiver acessível. Neste tipo de busca, o usuário não sabe em qual site chegará até encontrar o que está buscando, já que não é possível identificar sua intenção real de busca. É nesta ocasião que a busca por resultados orgânicos faz diferença.

Figura 03: Exemplo de “busca informacional”


Fonte: (Portal PWM, 20163)

A “busca transacional” é quando o usuário faz alguma busca visando fazer uma transação, comprar um produto, encontrar uma loja que possua o que procura e esse tipo de busca é a mais valiosa para e-commerces. Também é usada para ver vídeos, fazer download de programas, imagens, entre outros.

Figura 04: Exemplo de “busca transacional”


 Fonte: (Portal PWM, 20164)

Existem inúmeros fatores que impactam em resultados de busca no Google, por exemplo, para obter então os melhores resultados orgânicos. Alguns fatores são considerados para que os resultados orgânicos sejam bem feitos. O "On Page" é onde deve ser trabalho dentro do site ou blog, sendo eles, fundamentais para que os mecanismos de busca possam encontrar o seu conteúdo relacionado aos termos que o usuário busca. A qualidade do conteúdo deve trabalhar em cima do conteúdo. Quanto melhor for o conteúdo, melhores as chances de o usuário encontrar o resultado na primeira página de busca. Então é possível afirmar em resumo, que o SEO se preocupa com a qualidade do conteúdo do site da marca.

4.2. Marketing de Conteúdo

Na década de 1970, o consumidor era exposto em média, a quinhentas mensagens comerciais por dia, entre elas, classificados em jornais, anúncios em revistas, folhetos e comercias de rádio, além é claro, da TV. Nos tempos atuais com toda a tecnologia em avanço, o número de mensagens comerciais pode chegar a cinco mil por dia. Com tudo isso exposto ao consumidor, o mesmo pode tornar-se indiferente ao que vê, lê e assiste em termos de publicidade. Além disso, com todos os avanços, o consumidor se tornou também mais consciente e exigente.

Diante de tantos desafios, é necessário para as empresas descobrir então a melhor forma de merecer a atenção do consumidor e uma dessas maneiras é prestar serviços em forma de conteúdo. Informações úteis, dicas, entretenimento. Chama-se assim, Marketing de Conteúdo.

Sem focar exatamente no produto e na venda, o Marketing de Conteúdo preocupa-se em atender os desejos do público-alvo. O objetivo é envolver o público-alvo e aumentar o número de clientes e potenciais clientes através de criação de bons e relevantes conteúdos, o que gera valor para as pessoas e cria discernimento positivo sobre a marca.

Figura 05: Comparação entre Marketing de Conteúdo e Marketing Tradicional


Fonte: (Portal StalkComunicação, 20175)

O Marketing de Conteúdo, no entanto deve ter consistência, que envolve planejamento, execução e mensuração. Na parte de Planejamento define-se como o conteúdo será usado, para que vai ser usado e o que pode ser usado como critério para obter o sucesso desejado. Mantendo uma frequência do conteúdo de acordo com o planejamento inicial, vem a execução da estratégia. Por fim, a mensuração dos resultados importantes da estratégia do marketing de conteúdo, que pode ser feita através de inúmeras maneiras com métricas.

O Marketing de Conteúdo possui cinco princípios fundamentais. O primeiro é que fazer este tipo de Marketing é saber transformar a marca em fonte de conhecimento relevante para seus consumidores. O segundo é saber o que seu público procura, onde procura e entregar o que o público precisa para assim, conhecer, gostar e escolher a empresa. O terceiro é compreender que inicialmente, o que o consumidor quer é encontrar o produto ou serviço que lhe entregue o que ele deseja de fato, que atinja seus objetivos. E com essa compreensão, o consumidor pode em algum momento perceber melhor a marca. Em quarto, é saber que estar presente no processo de compra do consumidor é essencial, oferecendo a ele exatamente o que ele precisa em cada etapa, inclusive na pós venda e por último, construir um relacionamento de confiança com o consumidor, dando mais visão à marca e oferecer qualquer apoio para resolução de problemas ou caso surja interesse em um novo negócio.

No Livro “Marketing de Conteúdo Épico”, de Joe Pulizzi, o autor cita em um trecho sobre os “Mandamentos” do Marketing de Conteúdo, tornando simples e direta o entendimento do tema, onde se coloca que o conteúdo é mais importante que a oferta. Um relacionamento com o cliente não termina com o pagamento, mas vai muito além, como por exemplo, desde o pedido até a pós-venda é importante gerar a confiança do consumidor e mostrar que está em seu serviço. Outro ponto importante citado é saber que um blog pode e deve ser uma parte central do marketing e da comunicação com seus clientes, não sendo apenas um local que funciona como diário pessoal. A marca deve ser um relacionamento constante com o cliente, já que o mesmo precisa se sentir inspirado com o produto que lhe é oferecido. São os compradores dos produtos que estão no controle, então é sabido que o processo tradicional de vendas mudou e o conteúdo relevante deixa as organizações entrarem no processo de compra. Não pode esquecer-se do cliente nos sites corporativos e apenas falar sobre seus produtos ou como sobre a empresa é grande e diferente das demais.

Um excelente exemplo deste tipo de estratégia foi quando a fabricante de brinquedos Lego investiu em entretenimento. A empresa investiu em um filme de animação, o "Lego Movie" que obviamente, foi inspirado em seus produtos. O filme faturou mais de meio milhão de dólares em bilheteria, e automaticamente, promoveu seus produtos para espectadores em todo o mundo.

Figura 06: Lego Movie


Fonte: (Portal Rogerebert, 20146)

O Marketing de Conteúdo refere-se à criação de informações importantes e interessantes ao público, que faça os clientes se aproximarem aos poucos de uma marca. São maneiras inovadoras de fazer Marketing, possuindo capacidade de estabelecer um relacionamento duradouro com os clientes atuais e futuros sem necessidade de fazer um marketing invasivo que acaba afastando os clientes.

4.3. Estratégia nas Redes Sociais

As Redes Sociais se tornaram estratégias cada vez mais fortes para atrair clientes e mantê-los. Além de uma forte divulgação para marcas e produtos, podem ser utilizadas como uma porta de conteúdos que aproximem as empresas de seus consumidores. Indo além de atrair o público para mais perto, as empresas podem usufruir de ferramentas de métricas, como o Facebook Ads.

Os motivos de uso das redes sociais não podem ser resumidos a postagens feitas a cada longo período de tempo. Para dar certo, existem estratégias, planejamento e análise, além de criatividade e entender bem o público com o qual está se comunicando. Desta forma, a interação com o consumidor vai ser mais adequada.

O Facebook é a maior rede social atualmente, com mais de um bilhão de usuários registrados e no Brasil, é a rede social mais usada e a rede social que as empresas brasileiras mais usam como estratégia de Marketing.

O Facebook é ideal para criar grupos, gerar discussões e engajar o público. O Facebook tem ferramentas ricas para as empresas, incluindo até mesmo a possibilidade de atendimento ao público por meio de mensagem instantânea.

Um grande exemplo de uma boa estratégia usando o Facebook Ads foi a da Motorola no lançamento do Moto G 5. A empresa teve 11 vezes de retorno sobre o investimento em anúncios com as vendas geradas pela campanha através do Facebook. O objetivo da empresa era que o consumidor reconhecesse o produto e até a aquisição do mesmo, estivesse satisfeito. Preparando três anúncios de vídeo diferentes, onde em primeiro momento apresentava o aparelho, destacando características e diferenciais. Os vídeos, cada um com cerca de 30 segundos de duração - de forma a não tornar o anúncio longo, se destacavam pelo ritmo acelerado e as cores características da marca.

Buscando a conversão do usuário a desejar o produto e sua aquisição, a Motorola optou então por links direcionados para seu público-alvo, onde dividido em audiências de acordo com diversos interesses (tais como smartphones e fotografia) e comportamentos. Incluindo o pixel do Facebook para identificar quem acessava e o que o consumidor fazia, a Motorola conseguiu aperfeiçoar a entrega de anúncios para clientes semelhantes àqueles que concluíam a compra.

Figura 07: O sucesso da campanha do Moto G5 da Motorola


Fonte: (Portal Facebook Business7)

O Instagram, a rede social onde são utilizados métodos visuais como imagens e vídeos tem sido usada em maior intensidade. Com mais de 600 milhões de usuários, a rede social é responsável por impulsionar o crescimento de inúmeros empreendimentos. As hashtags são essenciais para aumentar a audiência da publicação. O Instagram Stories é usado como maneira mais direta de comunicação com os seguidores e dura um dia no feed da rede social. O engajamento pode chegar a ser 10 vezes maior se comparado ao Facebook.

Determinando os objetivos da marca na rede, as empresas podem utilizar o Instagram como forte estratégia. Sabendo quem é seu público-alvo e como atingi-lo, o Instagram tem como foco o compartilhamento visual como exposto acima, oferecendo também o poder da mobilidade, dando aos seguidores oportunidades maiores de interação de maneira mais casual e instantânea.

Criando uma maneira única de estilo da marca para o Instagram, a empresa pode tornar a visualização de sua página no Instagram esteticamente mais funcional. Usando uma paleta de cores, o conteúdo e as fotos em si unidas a efeitos de edição e filtros, refletem nos sentidos do consumidor e o faz se interessar na marca.

 Figura 08: Página da "MailChimp" no Instagram. Exemplo de estética bem definida e consistente.


Fonte: (Portal Sprout Social, 20168)

Existem sites específicos que realizam as métricas do Instagram, o que pode dar uma ideia muito mais avançada de como a estratégia desta rede social pode oferecer e como aperfeiçoá-la. O Instagram cresce como rede social e se torna mais relevante para a visibilidade de diversos tipos de negócios, sendo enfim, uma das estratégias mais potentes a serem usadas no Marketing.

Com mais 300 milhões de usuários ativos, o Twitter foi uma grande influência para mudar a forma como o mundo se comunica. Os 140 caracteres limitavam palavras, mas não limitava o conteúdo dos tweets. A rede social é a quarta mais usada por empresas, onde as mesmas falam diretamente com seu público e interage de maneira simples e rápida, resolvendo problemas com alguns tweets.

O marketing nessa rede social é ágil e com isso, o conteúdo deve ser interessante, visto ainda que a concorrência por atenção do usuário na rede é muito grande. As hashtags devem ser usadas estrategicamente, usando ainda a linguagem adequada de acordo com os seus seguidores. No Twitter é fácil perceber quem é o público-alvo das empresas e toda atenção na rede é essencial para o sucesso de uma marca.

O YouTube contém mais de um bilhão de usuários ativos. As empresas começaram a criar anúncios rápidos que vinham antes do vídeo principal - o que o usuário de fato, quer assistir. Os números dessa rede social são extraordinários. São mais de 300 horas de vídeos adicionados por minuto e 6 bilhões de horas de vídeo consumidas por mês. Além dos anúncios, é possível claro, criar um canal para a própria marca, criando conteúdos exclusivos.

O YouTube fornece ao Marketing inúmeros benefícios para todos os tipos de negócio. Vídeos fáceis de serem consumidos com conteúdo inovador, informativo e agradável ao público-alvo.

5. TECNOLOGIA NO MARKETING

A tecnologia surgiu como ferramenta capaz de reduzir custos e, além disso, servindo como facilitadora de processos de informação, cada vez mais aplicada no dia a dia, inclusive no Marketing. A tecnologia é vista como uma arma para obter mais clientes e negócios competitivos, permitindo assim que o Marketing trate as necessidades e desejos de forma personalizada, como já dito. É necessário observar que em um mundo onde a mudança evolui e é constante, os profissionais de Marketing devem estar atentos a buscar e impulsionar a inovação, estratégias e crescimento. Dentro deste contexto tecnológico, é preciso reconhecer que as mudanças organizacionais estão entrelaçadas às estratégias de tecnologia. A gestão de tecnologia deve então, procurar abordar como tais tecnologias podem ser absorvidas pelas empresas e serem aplicadas na cultura dessas organizações. Inspirando as pessoas dentro do processo é também educá-las, treiná-las e fazer com que estejam também sempre informadas. Se a equipe não estiver totalmente focada e disposta a abraçar tais mudanças, as tecnologias não vão ser usadas, o que atrasa em muito a evolução da organização. Mostrando os benefícios e incluindo as tecnologias aos poucos na mente da equipe, se torna mais prático fazer as mudanças acontecerem.

O que, no entanto, em algo que se moderniza a todo o momento, pode fazer a diferença no meio da Comunicação e do Marketing? O surgimento de empresas especializadas em comunicação tecnológica tem sido grande e as organizações que buscam mudanças quase radicais buscam-nas como apoio. Grandes empresas estão lançando campanhas e aplicando a Realidade Aumentada como diferencial.

6. REALIDADE AUMENTADA

A Realidade aumentada é uma tecnologia que permite que o mundo virtual e o real se conectem ao mesmo tempo. No ano de 1968, Ivan Sutherland, Engenheiro Elétrico da Universidade de Haward, criou o primeiro sistema funcional de realidade aumentada. Com as limitações dos computadores da época, só era possível visualizar em tempo real wireframes.

Figura 09: Ivan Sutherland com o HMD – Head Mounted Display em 1968


Fonte: (Site Realidade Aumentada, 20119)

No ano de 1992, Tom Caudell e David Mizell idealizaram o termo "Realidade Aumentada". Caudell trabalhava em uma empresa de aviões, apresentando na época, um projeto baseado em R.A (Realidade Aumentada), que facilitaria o trabalho dos mecânicos, onde um aparelho indicava aonde cada cabo se encaixava nas turbinas de aeronaves, de forma que assim não precisassem desvendar manuais complexos. Ambos, Caudell e Mizell, defendiam que a Realidade Aumentada é que tal tecnologia não exigiria tanto poder de processamento gráfico, já que poucos pixels eram processados em tempo real.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Desde então, ainda assim havia pouco conhecimento sobre R.A. No entanto em 1997, Ronald Azuma lançou o primeiro livro que mostraria uma gama maior de informações, onde os seguimentos eram: Combinação do real e Virtual, Interação em tempo real e Registro em 3D. No mesmo ano, Steve Feiner foi o idealizador do Touring Machine, primeiro sistema móvel de Realidade Aumentada. O sistema era composto por um óculos-display onde havia um rastreador integrado, além de uma mochila com um computador, GPS e um rádio digital conectado via wireless, sem contar um computador de mão, muito similar a um touchpad.

Figura 10: Steve Feiner usando o Touring Machine


Fonte: (Site Realidade Aumentada, 201110)

No ano de 1999, Hirokazu Kato e Mark Billinghurst surpreenderam com o ARToolKit. Era nada mais do que uma biblioteca de rastreamento de posições capaz de viabilizar o desenvolvimento de interfaces de Realidade Aumentada, sendo até hoje muito lembrado. O ARToolKit aplica métodos de visão digital, detectando marcadores na imagem capturada por uma câmera, podendo ajustar posição e orientação do objeto virtual de forma que o mesmo parecesse estar atrelado ao marcador.

Figura 11 e 12: Visualização da aplicação do ARToolKit.

Fonte: (Portal Realidade Aumentada, 201111; Ckirner, 201412)

Foi em 2016, no entanto a Realidade Aumentada ganhou maior repercussão com Pokémon Go. A Nintendo e a Niatic, Inc foram as idealizadoras do projeto. Após muito tempo sem visão no Mercado, a Nintendo planejava o lançamento do jogo que, ao ser lançado, fez suas ações na bolsa de valores subirem em níveis incomensuráveis. A empresa foi colocada de volta no ranking de maiores empresas inovadoras e obviamente, o Marketing da Nintendo aproveitou o sucesso do jogo para fazer sua imagem crescer. O sucesso do jogo unindo geolocalização e R.A estimulava também atividade física dos jogadores e acabava por movimentar negócios locais. A economia mundial sentiu o impacto imediatamente.

Alguns estudos foram feitos acerca do jogo, onde sugeriam que Pokémon Go surtia efeitos positivos tanto na saúde física e mental dos jogadores. Unindo as caminhadas e as estratégias do jogo, os impactos na saúde dos jogadores foram grandes. (NATURE, 2016)

Além disso, ainda em outro estudo, descobriu-se que os entrevistados que jogavam o game, se mostravam mais dispostos a praticarem exercícios, fazer novas amizades e estreitar laços de amizades já existentes. 

Figura 13: Pokémon Go – Unindo a realidade ao virtual


Fonte: (Portal Engadget, 201713)

Não é apenas em jogos que a Realidade Aumentada está presente. Ela tem sido cada vez mais usada no entretenimento, na melhoria de processos de medicina, tais como cirurgias remotas. Além de estar presente na Indústria automobilística e em milhares de alternativas que também ainda serão criadas ao longo dos anos.

A Realidade Aumentada projeta informações baseadas em posições geográficas, além do reconhecimento de objetos reais, feitos a partir de pequenos pontos flutuantes. Quando acontece, projeta informações que podem ser compreendidas pelos sentidos humanos, utilizando desses, a captação necessária dos conteúdos virtuais inseridos no mundo real. A Realidade Aumentada proporciona então um aumento das percepções dos sentidos e mostra as informações em tempo real e tridimensional, por isso é utilizado o termo "Realidade Aumentada".

7. APLICAÇÃO DA REALIDADE AUMENTADA NO MARKETING

Segundo a definição de Kotler e Keller (2006), o Marketing “envolve a identificação e a satisfação das necessidades humanas e sociais”, isto é, entender as necessidades e desejos do cliente e ir além de tudo isso. A maneira de envolver Realidade Aumentada com o Marketing se tem de inúmeras formas, tais como, envolver o público com maior interação com produtos, estimular seus sentidos e sua imaginação em conjunto com o produto ou serviço. Além disso, pode ser usada em treinamentos coorporativos e comunicação de informações da corporação. Ou seja: Ter maior interatividade. O avanço tecnológico acontece a todo segundo, isso é fato. Em 2010, Kotler mencionava a tecnologia como uma transformação a qual teria impacto no comportamento tanto de produtores, quanto dos consumidores:

“Finalmente, a tecnologia está mudando – do mundo mecânico para o mundo digital, Internet, computadores, celulares e redes sociais – e isso tem profundo impacto no comportamento de produtores e consumidores. Esses e outros desafios exigirão que repensemos o marketing. Hoje vemos o marketing transformando-se mais uma vez, em resposta à nova dinâmica do meio. Vemos as empresas expandindo seu foco dos produtos para os consumidores, e para as questões humanas.” (KOTLER, 2010).

A Realidade Aumentada pode deixar o cliente interagir melhor com o produto, com suas propriedades, modelagem, embalagem, com detalhes de funcionamento, permitindo o maior conhecimento das características de um produto antes de comprá-lo. Assim, a empresa diminui custos com produção e envio de amostras, por exemplo. Além disso, ainda dá ao cliente novas perspectivas.

Outra vantagem é poder demonstrar produtos em tempo real, usando parâmetros dos quais o usuário define de maneira personalizada. Assim as empresas podem dar atendimento personalizado para cada um de seus clientes. Os anseios de cada cliente são diferentes um do outro, por isso, permitir que ele possa simular a utilização do produto para a finalidade que deseja faz toda a diferença. Por isso, é necessário que a apresentação do produto seja muito rica em termos de interação, de forma que assim, o cliente se sinta uma parte muito importante do que está utilizando. Isso se deve à associação mais estreita entre os usuários e os canais de mídia de uma empresa, se tornando parte dela. Em resumo, os benefícios da Realidade Aumentada associada ao Marketing são: a aproximação do relacionamento entre público e empresa, conquistar novos clientes que possam se interessar em tecnologias e cria uma maior percepção de ser uma empresa inovadora, que foi além do tempo atual.

No entanto, existem as desvantagens da Realidade Aumentada, entre elas existe o fato de que o processo de criação de um produto fundido a essa tecnologia é muito complexo, dependendo de recursos humanos, software e hardware especializados, o que tornam os custos altos. Por isso é importante conhecer a fundo a tecnologia antes de implementá-la. A R.A também funciona melhor quando os produtos requerem interação muito intensa com o usuário/cliente. Produtos que dependem, por exemplo, do olfato, apresentam dificuldade exacerbada para soluções em R.A.

7.1. Exemplos de utilização da Realidade Aumentada em campanhas de Marketing

É possível encontrar inúmeros exemplos do uso da Realidade Aumentada. A tecnologia está cada dia mais presente e é possível ver isso em inúmeros campos da rotina diária das pessoas. Por exemplo, é possível acessar através de smatphones, tablets, entre outros dispositivos, informações de maneira imersiva em mapas 3D, o que permite que o usuário sinta facilidade no manuseio, além de fazê-lo aprender mais fácil como usar a tecnologia. Agências de turismo também utilizam a realidade aumentada como aplicação que dê a seus clientes algumas prévias de como é uma cidade, por exemplo. É possível que o cliente viaje através dessa tecnologia, vendo pontos turísticos, entrar em locais históricos. Enfim, tendo uma prévia do que se pode ver pessoalmente.

Figura 14: Realidade Aumentada – Possibilidade de viajar para lugares históricos através de dispositivos


Fonte: (Portal Flexinterativa14)

A Nike foi uma das marcas que trouxe ainda mais à tona a força da Realidade Aumentada no Marketing de produto. A marca utilizou hologramas em Amsterdã, na Holanda para anunciar na época, o Nike Free 5.0, modelo de tênis voltado para a prática de corrida. Havia um espaço de vidro transparente no centro de Amsterdã, onde era projetado o holograma 3D com imagens do produto, o que o fazia ser visto pelas pessoas que passavam por ali, independentemente da posição delas em relação ao espaço de vidro.

Figura 15: Realidade Aumentada usada na campanha da Nike


Fonte: (Portal Mundo do Marketing15)

Ao lançar uma nova linha de esmaltes em 2012, a Maybelline lançou um aplicativo onde o mesmo tirava uma foto da mão do usuário e após isso, simulava como ficariam as cores dos esmaltes nas unhas. Este é um dos exemplos acima citados onde a empresa não tem gastos extras com amostras.

Figura 16: Aplicativo de realidade aumentada dos esmaltes da linha Maybelline


Fonte: (Portal Agência TNT, 201216)

Para usuários de smartphones com iOS 11, o Pixie, aplicativo que ajuda o usuário a encontrar objetos, como chaves, carteira, óculos, e outros. O Pixie funciona quando o usuário cola pequenos adesivos nos objetos que julga importante não perder. Abrindo o aplicativo, o Pixie mostra na tela onde estão os itens, levando o usuário à localização dos mesmos. Os Pixie points (os adesivos) duram em média um ano e são minúsculos. Além disso, eles possuem alcance externo de 45 metros e 9 a 12 metros em ambientes internos.

Figura 17: Pixie ao localizar o objeto


Fonte: (Portal Phonearena, 201717)

A famosa marca de brinquedos “LEGO” existe há muitos anos e sempre apresenta maneiras novas de se reinventar. Ao lançar a linha "Lego Fusion", a empresa integrou o mundo real ao virtual. O usuário pode transportar o que for criado nos blocos para o mundo virtual ao abrir os aplicativos (Que podem ser 4 opções - Town Master, Create & Racer, Battle Towers e Resort Designer), mirar a câmera do mesmo para a construção e em poucos segundos o aplicativo transporta tudo ao criar uma cidade virtual e personagens interagindo com a obra criada pelo usuário.

Figura 18: LEGO reinventa-se unindo o clássico à tecnologia de R.A


Fonte: (Portal Tecmundo, 201418)

Um outro forte exemplo é o Swivel, um sistema que simula um provador de roupas com o uso da webcam do computador. Assim, quem compra roupas online, pode experimentar as roupas antes, saber os tamanhos corretos e o que mais agrada os consumidores. A empresa Facecake, que criou o Swivel foi pioneira do avanço com a realidade aumentada. Atualmente, algumas lojas até mesmo físicas possuem o provador virtual como ferramenta diferencial para se aproximar de seu público. A tendência é que pouco a pouco, esta tecnologia se torne cada vez melhor e atenda cada vez mais as necessidades do consumidor.

Figura 19: Swivel – Simulador de troca de roupas online


Fonte: (Portal TechTudo19)

8. FUTURO DA REALIDADE AUMENTADA NO MARKETING

A tecnologia da Realidade Aumentada já está dentro do cotidiano das pessoas e a tendência é que se torne ainda mais presente do que se pode pensar. As melhorias acontecem a cada dia e certamente vai ser capaz de mudar a vida de inúmeras pessoas ao redor do mundo. Assim como essa tecnologia, o Marketing está presente e cada vez mais potente no dia-a-dia. As duas coisas unidas então hão de exercer um grande impacto no mundo. 

As empresas que se conectam com seu público têm um retorno sobre seu investimento muito mais forte do que empresas que ficam estagnadas. A Realidade Aumentada vem sendo usada de diversas maneiras no ramo do Marketing. Produtos, amostras, campanhas publicitárias, jogos, interação táctil e tecnologia multissensorial, além de outras inúmeras maneiras de aplicar tal tecnologia, tudo para fazer diferente e marcar presença na mente do consumidor. 

E qual é a tendência de uma tecnologia que já está sendo tão usada? Ela provavelmente vai se mostrar ainda mais forte e abrangente do que já é nos próximos anos, o que faz todos os profissionais de Marketing sempre estarem atentos às novas tecnologias. É importante pensar que com o mundo digitalizado e o mercado mais competitivo a cada dia é necessário saber como chamar a atenção do público de maneira diferenciada e saber usar as tecnologias ao favor das marcas, podendo então se destacar no mercado.

Um forte exemplo de empresa que tem aproveitado a Realidade Aumentada a seu favor é a Niantic, criadora de Pokémon Go, conforme citado anteriormente. A empresa pretende continuar tendo sua visibilidade crescente unindo a tecnologia a franquias muito conhecidas de entretenimento. Após o sucesso de Pokémon Go, a Niantic anunciou seu próximo jogo com realidade aumentada: Harry Potter: Wizards Unite. Esta franquia que está sempre presente na mente das pessoas ao redor do mundo vem sendo utilizada em inúmeras marcas de entretenimento para obter um grande número de clientes. A parceria da Niantic é com a Warner Bros, detentora dos direitos de Harry Potter.

Harry Potter: Wizards Unite terá bastante influência de Ingress, o primeiro jogo criado pela Niantic e que também utiliza a realidade aumentada. Isso significa que o jogo terá elementos virtuais espalhados pelo mundo e que devem ser coletados pelos jogadores. (ETHERINGTON, 2017)

Figura 20: Harry Potter: Wizards Unite


Fonte: (Portal de Notícias G120)

A Realidade Aumenta muda a maneira como o consumidor pode ter sua compra efetuada com mais segurança. A tecnologia pode criar interações que antes não existiam entre um cliente e a empresa que vende seu produto.

É possível que em alguns anos, a tecnologia da Realidade Aumentada cresça a ponto de até mesmo em alguns ramos do varejo não seja mais necessária uma estrutura sólida, já que surgirão novas necessidades. Em lojas de roupa onde os provadores virtuais estão ganhando cada vez mais espaço, deixando assim as compras mais rápidas para alguns consumidores adeptos da tecnologia, a tendência é que a Realidade Aumentada torne o setor do varejo mais simplificado e ''futurístico'', com pop-ups flutuantes brilhando nas vitrines e atendentes que ajudam o cliente a escolher as melhores opções de acordo com seu perfil.

Pode-se imaginar também, ao andar nas ruas, paredes com anúncios de diversos produtos e serviços, assim como também pode ser possível ver uma loja até mesmo em papéis. Os varejistas precisam perceber o mundo se tornando mais exigente, sedento por novidades que tornem algo diferente de tudo que já viram. Quanto mais relevante e personalizado, melhor para o consumidor final. É necessário enfim, construir para o consumidor não apenas no varejo, experiências que entreguem uma nova definição de valor.

Existem os óculos de Realidade Aumentada que até então, são grandes e muitas vezes pesados. Mas como toda tecnologia, a tendência é que isso se torne cada vez mais evoluído e os smartphones até mesmo sejam extintos em alguns anos, dando lugar aos óculos ou as lentes de Realidade Aumentada, onde tudo que o consumidor necessita, estará ali. Esta tecnologia em especial trará um novo mundo de possibilidades aos consumidores, que poderão acessar informações sobre o que desejar a qualquer momento, tais como hotéis, lojas, supermercados e assim por diante. Com isso, o mercado terá novas e inúmeras possibilidades de interagir com seu público e dar ainda mais novidade e fazer diferença na vida do consumidor.

Figura 21: Funcionalidade dos óculos de Realidade Aumentada


Fonte: (Portal de CIO from IDG21)

Figura 22: Lentes de contato do futuro com a Realidade Aumentada


Fonte: (Portal de CIO from IDG22)

No futuro teremos a realidade mista, o que produz a fusão do mundo físico e virtual, produzindo novos ambientes, tais onde objetos físicos e virtuais interagem em tempo real. Seria o caso de uma pessoa estar andando em meio a uma calçada e deparar-se com uma vitrine de roupas completamente virtualizada. É possível que em alguns anos, as pessoas possam ver lojas virtuais ao abrirem uma revista, por exemplo. A Realidade Aumentada pode crescer de tal maneira que fará parte da rotina das pessoas, e é dessa forma que o Marketing também vai se tornar mais essencial no dia a dia, o que pode tornar o Mercado ainda mais competitivo. Certamente ainda existe uma gama de possibilidades pela frente para o Marketing.

9. CONCLUSÃO

As inovações tecnológicas são muito populares entre usuários e clientes potenciais. Uma empresa ou marca que escolhe usar a Realidade Aumentada, se arma de uma alavanca de comunicação ganhando, não só em visibilidade, mas também, em imagem.

É muito comum que por exemplo, o consumidor entre em uma loja e continue a utilizar seu smartphone ao passo que escolhe o produto ao qual fora atrás. Isso conota a importância da tecnologia e como ela está tão presente no dia a dia. O cliente que vai à loja, hoje busca informações sobre a mesma antes de visitá-la. Ele pode compartilhar a seguir sua opinião a respeito da decoração da loja, ou o atendimento que obteve. Ou seja, com a tecnologia, o consumidor passou a ter ainda mais poder. Por isso, é necessário que as empresas tenham a mente aberta a novas experiências para apetecer os desejos de seus consumidores, se adaptando às novas tendências e adequar a marca aos novos parâmetros de comportamento do consumidor final.

Estamos caminhando para tecnologias onde o comportamento humano é levado em consideração e trabalhado, personalizando ainda mais o atendimento ao consumidor. Tudo é bem trabalhado em cima do comportamento, desejos e sensitividades.

A forma como os consumidores compram, está em constante mudança. A Realidade Aumentada em meio a isso está sendo revolucionária para o mercado, atraindo cada vez mais clientes e aproximando-os das marcas. Esse pode ser o passo inicial para se chegar no nível de interação sem barreiras e quando isso for percebido, todos já estarão adaptados.

“Os fatores culturais exercem a mais ampla influência sobre o comportamento do consumidor.” (KOTLER, 1993, p.209).

Com o consumidor querendo agilidade nos processos de compra, cada vez mais ansioso pelo novo, o Marketing nas empresas só se torna ainda mais importante e deve ser cuidadoso. O consumidor tem o controle total do que quer e deseja, escolhendo o melhor lugar para adquirir seus produtos e ele certamente vai recordar das marcas que lhe proporcionou experiências diferentes e inovadoras.

Com a tecnologia atingindo todas as etapas de consumo, desde os meios de produção até a venda dos produtos, gestão e Marketing, acabou sendo criado um círculo de evolução contínua nas relações entre empresa e consumidor.

A Realidade Aumentada certamente já é uma tendência no meio do Marketing e sendo usada cada vez mais pelas empresas, vai tornar o consumo mais prático, mais fácil, rápido e essencial nos próximos anos. Esta tecnologia só impulsiona ainda mais a maneira como o consumidor tem o poder em suas mãos, além de deixa-lo mais propenso a consumir o que deseja.

O uso da tecnologia de Realidade Aumentada certamente causará cada vez mais impacto no Marketing, personalizando a experiência de compra e assim, tornando a possibilidade de manter o cliente fiel a uma marca que mostra saber o que está fazendo e oferecendo. A Realidade Aumentada vem complementar o mercado do Marketing e assim torná-lo mais fascinante.

10. REFERÊNCIAS

BARNCARD, Chris. Study finds Pokemon Go players are happier, friendlier, 2017. Disponível em: <https://news.wisc.edu/study-finds-pokemon-go-players-are-happier-friendlier/>. Acesso em Outubro, 2017.

CASTANHA, Luiz Alexandre. Realidade Virtual e lentes de contato inteligentes: futuro ou realidade?, 2017. Disponível em < http://cio.com.br/opiniao/2017/06/03/realidade-virtual-e-lentes-de-contato-inteligentes-futuro-ou-realidade/>, Acesso em novembro, 2017.

CATARINE, Beatrice. A Origem. 2011; Disponível em: <http://realidadeaumentada2011-2.blogspot.com.br/2011/11/origem.html>; Acesso em setembro, 2017.

COSTA, Carla Cristina. Swivel, um provador de roupas virtual, promete revolucionar o comércio eletrônico. 2011. Disponível em: <http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2011/03/swivel-um-provador-de-roupas-virtual-promete-revolucionar-o-comercio-eletronico.html>. Acesso em: 23 de novembro, 2017.

Etherington, Darrell. Niantic’s follow-up to Pokémon Go will be a Harry Potter AR game launching in 2018. 2017. Disponível em: <https://techcrunch.com/2017/11/08/niantics-follow-up-to-pokemon-go-will-be-a-harry-potter-ar-game-launching-in-2018/>. Acesso em: 19 de novembro, 2017

FUZZATO, Marcio. O impacto da tecnologia nos processos de Marketing, 2016. Disponível em <http://www.automacaodemarketing.com.br/marketing-e-tecnologia/o-impacto-da-tecnologia-nos-processos-do-marketing/>; Acesso em setembro, 2017.

G1, Portal de Notícias. Harry Potter vai virar game de realidade aumentada feito por criadores de 'Pokémon Go'. 2017. Disponível em < https://g1.globo.com/tecnologia/games/noticia/harry-potter-wizards-unite-sera-jogo-de-realidade-aumentada-dos-criadores-de-pokemon-go.ghtml>, Acesso em 19 de novembro, 2017.

GABRIEL, Martha. Marketing na Era Digital: conceitos, plataformas e estratégias. São Paulo: Novatec, 2010.

GONÇALVES, Carlos Alberto; Tecnologia da Informação e Marketing: como obter clientes e mercados. 1995. São Paulo,

GS1BRASIL, Portal. Entenda as mudanças no comportamento do consumidor com a evolução tecnológica, 2017. Disponível em: <http://blog.gs1br.org/entenda-as-mudancas-no-comportamento-do-consumidor-com-a-evolucao-tecnologica/>. Acesso em 23 de novembro, 2017.

HAMANN, Renan. LEGO lança linha que mescla blocos de montar com realidade aumentada, 2014. Disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/lego/58137-lego-lanca-linha-mescla-blocos-montar-realidade-aumentada.htm>. Acesso em Outubro, 2017.

HAUTSCH, Oliver. Como funciona a Realidade Aumentada. 2009. Disponível em: <https://www.mundodomarketing.com.br/ultimas-noticias/36808/3-aplicacoes-de-realidade-aumentada-para-apresentar-novos-produtos.html>; Acesso em novembro, 2017.

JOHNSTON, Alicia. Como criar uma estratégia de marketing para o Instagram, 2016. Disponível em: <https://sproutsocial.com/insights/marketing-para-o-instagram/>, Acesso em Outubro, 2017.

K., Peter. This is what AR was made for - iOS app Pixie helps you locate almost any item in AR, 2017. Disponível em: <https://www.phonearena.com/news/This-is-what-AR-was-made-for---iOS-app-Pixie-helps-you-locate-almost-any-item-in-AR_id98383>. Acesso em Outubro, 2017.

KIRNER, Claudio. Artoolkit. 2010; Disponível em: <http://www.ckirner.com/realidadevirtual/?%26nbsp%3B_ARTOOLKIT>; Acesso em setembro, 2017.

KIRNER, Claudio; SISCOUTTO, Augusto Robson. Realidade Virtual e Aumentada: Conceitos, Projeto e Aplicações. 2007. Livro do Pré-Simpósio.

KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 1993. Editora: Atlas.

KOTLER, Philip. Marketing Essencial 2 ed. 2005. Editora: Pearson Prentice Hall.

KOTLER, Philip; Hermawan, KARTAJAYA; Iwan, SETIAWAN - Marketing 3.0. 2010. Elsevier Editora Ltda

MATHIAS, Vanessa. Realidade Aumentada e o futuro do consumo. 2017. Disponível em: <https://chickenorpasta.com.br/2017/path-2017-realidade-aumentada-e-o-futuro-consumo>. Acesso em 23 de novembro, 2017.

MORAES, Roberta. 3 aplicações de realidade aumentada para apresentar novos produtos. 2016. Disponível em: <https://www.mundodomarketing.com.br/ultimas-noticias/36808/3-aplicacoes-de-realidade-aumentada-para-apresentar-novos-produtos.html>; Acesso em novembro, 2017.

MUNIZ, Lizandra; MESQUITA, Renato. Marketing em Redes Sociais: O Guia da Rock Content – Rock Content, 2016

OLIVEIRA, Joana. Realidade aumentada: a tecnologia que matará seu smartphone. 2017. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2017/05/17/tecnologia/1495034504_368120.html>. Acesso em 23 de novembro, 2017.

PEÇANHA, Vitor. Enciclopédia do Marketing de Conteúdo. - Rock Content, 2015

PEÇANHA, Vitor. O que é Inbound Marketing?, 2015. Disponível em: <https://marketingdeconteudo.com/o-que-e-inbound-marketing/>; Acesso em setembro, 2017.

PEÇANHA, Vitor. O que é Marketing Digital?, 2014. Disponível em: <https://marketingdeconteudo.com/marketing-digital/>; Acesso em setembro, 2017.

PINHEIRO, J Gullo. Comunicação integrada de marketing. 2005. Editora: Atlas.

PULIZZI, Joe. Marketing de Conteúdo Épico - DVS Editora, 2016

RIBEIRO, Marcos Wagner; ZORZAL, Ezequiel Roberto. Realidade Virtual e Aumentada: Aplicações e Tendências. Editora SBC – Sociedade Brasileira de Computação, Uberlândia-MG, 2011.

RIBEIRO, Sara dos Santos. Realidade aumentada aplicada à publicidade: usos e potencialidades. 2012. Monografia (Relatório de Estágio para obtenção de grau Mestre em Ciências da Comunicação) - Universidade do Minho, Braga, Portugal, 2012.

SANTEE, Nelie Rigo. O Ser, o Mundo e a Tecnologia: Reflexões Filosóficas Acerca da Realidade Aumentada. 2012. 119 p. Dissertação (Mestrado em Comunicação) - Universidade Federal de Goiás, Goiania. 2012.

SANTOS, Bruna. Como as inovações em tecnologia mudarão o futuro do marketing. 2017. Disponível em: <http://www.flexinterativa.com.br/blogflex/como-as-inova%C3%A7%C3%B5es-em-tecnologia-mudar%C3%A3o-o-futuro-do-marketing>. Acesso em 25 de novembro, 2017.

TNT, Agência. Cresce a inclusão de Realidade Aumentada em publicidade, 2012. Disponível em: <http://agenciatnt.com.br/realidadeaumentada/>. Acesso em Outubro, 2017.

TORI, Romero; KIRNER, Claudio; SISCOUTTO, Robson Augusto. Fundamentos e Tecnologia de Realidade Virtual e Aumentada. 2006. Editora SBC Sociedade Brasileira de Computação.

VALLINO, James R. Interactive Augmented Reality. 2016. 109.p Dissertação (Doutorado em Filosofia) - University of Rochester Rochester, New York. 1998.

VEZ, Rafael. Marketing de Conteúdo: A Moeda do Século XXI, 2016

WATANABE Kazuhiro, et al. Pokémon GO and psychological distress, physical complaints, and work performance among adult workers: a retrospective cohort study, 2017. Disponível em: <https://www.nature.com/articles/s41598-017-11176-2> Acesso em setembro 2017.

10.1. NOTAS

1 Disponível em: <https://marketingdeconteudo.com/o-que-e-inbound-marketing/>; Acesso em setembro, 2017

2 Disponível em: <http://www.pwm.pt/Webmarketing/SEO/Tiposdepesquisanosmotoresdebusca/tabid/4692/Default.aspx>; Acesso em setembro, 2017

3 Disponível em: <http://www.pwm.pt/Webmarketing/SEO/Tiposdepesquisanosmotoresdebusca/tabid/4692/Default.aspx>; Acesso em setembro, 2017

4 Disponível em: <http://www.pwm.pt/Webmarketing/SEO/Tiposdepesquisanosmotoresdebusca/tabid/4692/Default.aspx>; Acesso em setembro, 2017.

5 Disponível em: <https://www.stalkcomunicacao.com.br/single-post/2017/03/03/6-motivos-para-uma-empresa-investir-em-Marketing-de-Conte%C3%BAdo>; Acesso em setembro, 2017.

6 Disponível em: <http://www.rogerebert.com/reviews/the-lego-movie-2014>; Acesso em setembro, 2017.

7 Disponível em: <https://www.facebook.com/business/success/motorola-brasil-moto>; Acesso em setembro, 2017.

8 Disponível em: <https://sproutsocial.com/insights/marketing-para-o-instagram/>; Acesso em setembro, 2017.

9 Disponível em: <http://realidadeaumentada2011-2.blogspot.com.br/2011/11/origem.html>; Acesso em setembro, 2017.

10 Disponível em: <http://realidadeaumentada2011-2.blogspot.com.br/2011/11/origem.html>; Acesso em setembro, 2017.

11 Disponível em: <http://realidadeaumentada2011-2.blogspot.com.br/2011/11/origem.html>; Acesso em setembro, 2017.

12 Disponível em: http://www.ckirner.com/realidadevirtual/?%26nbsp%3B_ARTOOLKIT>; Acesso em setembro, 2017.

13 Disponível em: <https://www.engadget.com/2017/06/22/pokemon-go-flag-cheaters-creatures/>; Acesso em setembro, 2017.

14 Disponível em: < http://www.flexinterativa.com.br/blogflex/quais-as-melhores-aplicacoes-de-realidade-aumentada>; Acesso em novembro, 2017.

15 Disponível em: <https://www.mundodomarketing.com.br/ultimas-noticias/36808/3-aplicacoes-de-realidade-aumentada-para-apresentar-novos-produtos.html>; Acesso em novembro 2017.

16 Disponível em: <http://agenciatnt.com.br/realidadeaumentada/>; Acesso em outubro, 2017.

17 Disponível em: <https://www.phonearena.com/news/This-is-what-AR-was-made-for---iOS-app-Pixie-helps-you-locate-almost-any-item-in-AR_id98383>; Acesso em outubro, 2017.

18 Disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/lego/58137-lego-lanca-linha-mescla-blocos-montar-realidade-aumentada.htm>; Acesso em outubro, 2017.

19 Disponível em: <http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2011/03/swivel-um-provador-de-roupas-virtual-promete-revolucionar-o-comercio-eletronico.html> Acesso em novembro, 2017.

20 Disponível em < https://g1.globo.com/tecnologia/games/noticia/harry-potter-wizards-unite-sera-jogo-de-realidade-aumentada-dos-criadores-de-pokemon-go.ghtml>, Acesso em novembro, 2017.

21 Disponível em < http://cio.com.br/opiniao/2017/06/03/realidade-virtual-e-lentes-de-contato-inteligentes-futuro-ou-realidade/>, Acesso em novembro, 2017.

22 Disponível em <http://elanormal.com/posts/30115-mitsubishi-trabaja-en-una-pantalla-flotante>, Acesso em novembro, 2017.


Publicado por: Diana Gabrielle Martins Ramos

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Monografias. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.