COOPERAÇÃO, O EQUILIBRIO DAS FUTURAS GERAÇÕES

Agricultura e Pecuária

Propor uma mudança no meio social, o cooperativismo entre as pessoas e a livre negociação de serviços e recompensas materiais e imateriais.

índice

1. RESUMO

O intuito de todo o projeto é colocar em pauta a importância de ajudarmos as pessoas, esquecemos ou fechamos os olhos para questões de que não é importante para nós, corremos atrás dos objetivos e esquecemos que todos nós temos algo que queremos alcançar, o meio ambiente é agredido a todo o momento por diversos fatores, uma delas é a produção em massa do século 21, recursos naturais todas as horas e todo o dia é afetado, as vezes até de forma exagerada, o projeto nasceu de uma vontade de querer ajudar sem precisar de ter capital exuberante para isso, o pensamento futuro pode traçar um novo caminho para as questões sociais, talvez seja uma porta que ainda esta trancada, mas com certeza vamos dar o passo para que as pessoas se inspire e acredite no potencial desde documento.

PALAVRAS-CHAVE: cooperativismo. Aprendizado. Social.

2. INTRODUÇÃO

O trabalho tem como objetivo propor uma mudança no meio social, um projeto que não envolve lucro ou qualquer tipo de troca de capital, o cooperativismo entre as pessoas e a livre negociação de serviços e recompensas materiais e imateriais.

As pessoas podem contribuir para um bem em comum e o trabalho visa ajudar ou até mesmo solucionar o problema das pessoas que hoje se encontra em dificuldades financeiras mas necessitam de prestações de serviços por um tempo determinado entre as partes interessadas.

O desemprego no Brasil é cada vez mais alto, o assunto de destaques nos últimos anos é a falta de oportunidades, nas cidades as chances de empregos hoje são menores e nas áreas rurais são quase impossíveis que uma pessoa consiga trabalho.

O Brasil hoje tem a população com uma idade avançada, muitos agricultores aposentados, pessoas idosas nas grandes metrópoles e esse crescimento visa aumentar, com a idade vem os problemas de saúde e a restrição de atividades que antes era de grande facilidade de execução são deixadas de lado por conta de problemas físicos e psicológicos.

Não é todas as pessoas que conseguem alguém para realizar funções especificas e ter ainda uma boa grana para desembolsar como forma de pagamento, o cooperativismo liga pessoas que caminham em um único proposito, uma ajuda em ordenha as vacas em troca de alojamento e refeições a vontade com uma carga horaria bem flexível e ainda o tempo livre para aproveitar o dia na serra, ou ajudar em pegar lenhas e dar aula de canto nos horários livres com café da manha incluso no projeto é uma boa pedida e uma forma de troca de conhecimentos.

O objetivo é seguir uma cronologia e fundamentos práticos para pessoas que tem uma visão de que se pode construir um futuro melhor na sociedade se darmos a mão de forma que a recompensa maior seja a própria força de vontade e serviços sem uso do capital, mas com o que temos de conhecimento que pode ser compartilhado.

O conhecimento é libertador porque é usado para as pessoas evoluírem profissionalmente e no meio ético, mas ele se esbarra na falta de oportunidades e no alto investimento que precisamos desembolsar para aprender algo, esse trabalho busca o pensamento de que as coisas podem ser mais publicas entre todos nós e menos privadas, podemos abrir as portas para novas oportunidades e conhecer novas culturas, diminuindo os custos a ansiedade, restrições físicas e psicológicas abrindo novos leques de aprendizado, além disso todos nós temos algum conhecimento adquirido ao longo da vida, seja tocar violão ou jogar xadrez, essas habilidades podem ser compartilhadas de forma livre com as pessoas.

O procedimento da pesquisa é explicativa e traz evidencia positiva sobre o cooperativismo.

3. A HISTÓRIA

O cooperativismo vem como uma nova realidade de competir com o capitalismo, é uma organização que esta guardada e pronta pra ser um exemplo a ser seguido pelo mundo em que vivenciamos, e futuramente para as próximas gerações, deixando o capitalismo com sua total importância no mundo, mas voltando os olhos para uma cultura mais sustentável socialmente.

No sertão ou no campo se darmos a volta pelo Brasil veremos que a população se distingue em cidade e meio rural, muito mais concentrados aonde vem o capital, também atrás de uma vida melhor, buscam a cidade para trabalhos e realizações de projetos, mas também tem o outro lado, daqueles que estão no campo, porque sentem bem e conseguem se manter, ou então porque tem grandes projetos e cultivos, nossos alimentos nascem da terra, e há pessoas que estão cuidando e desempenhando seu melhor para que a sustentabilidade não seja escassa.

Segundo dados da Agricultura:

A população rural está envelhecendo e os mais jovens continuam a migrar para centros urbanos de acordo com prévia do censo Agropecuário 2017 que deverá ser divulgado no próximo mês de julho ou agosto pelo IBGE. Pessoas com mais de 65 anos representam 21,4% dos moradores de áreas rurais, sendo que em 2006, quando foi realizado o último levantamento representavam 17,52%.(AGRICULTURA, 2018)

Grande parte dos idosos(a) precisa de ajuda no campo, e as dificuldades para realizações simples de serviços cotidianos vem sendo maior, cuidados em tirar leite da vaca, pegar lenha, realizar plantações, limpeza, podas são feitos com menor frequência do que antigamente.

O projeto cooperativista nasce desta ideia, alocar pessoas das grandes metrópoles para os meios rurais, decidindo ter uma vida mais sustentável e apoiando quem precisa de ajuda por um tempo determinado, é importante frisar que a cooperação tem o tempo de começar e acabar.

A pessoa que se encaixar no projeto pode ajudar os outros com o serviço que melhor convém, decidindo com o hospede os meios, ferramentas e serviços garantidos para que fique alojado com auxilio mantimento, agua e abrigo.

O mundo mudou e precisamos de novos caminhos para uma melhor logística territorial alocando quem quer conhecer uma nova experiência e um novo aprendizado com aquela pessoa que vive no campo, talvez faltasse uma mão de obra especializada no local, não tem pessoas que querem ajudar pelo simples fato de ser um serviço de alto custo e não ter condições de desembolsar por exemplo um dinheiro para alguém varrer aquele terreiro que esta com muitas folhas no chão por causa da flora, ou quem sabe alguém que cuide do rebanho reservando um tempo do dia, de 3 a 6 horas, e o restante poder desfrutar do lugar, conhecer a família que esta hospedado, andar de bicicleta, ou jogar bola nos momentos livre, é uma troca sadia de experiência com um baixo custo para ambos os lados que estão firmes participativos.

Vale ressaltar que o cooperativismo visa a cooperação multa de todas as pessoas, a ideia de que o dono da fazenda vai ficar no sofá enquanto seus ajudantes estão trabalhando é nula, e também este individuo não vai ficar com boa nota na avaliação quando o projeto terminar, então é legal as famílias estar ligada, seja olhando, dando dicas, avaliando, conselhos, e também se estiver com a condição física boa é a mão na massa junto das pessoas, caminhando para um resultado gerado pelo fruto das ações.

locomoção de pessoas Mapa do Brasil ( Paint e Power point 2003)

Um dos benefícios do cooperativismo é a descentralização de pessoas dos grandes centros urbanos, sendo que a grande oportunidade vai estar nos campos e sertões do Brasil, a figura numero 1 mostra que a população é maior em algumas partes do Brasil e menor em outras, e o intuito das setas é indicar a locomoção de quem fizer parte do projeto, claro que não tira a hipótese das pessoas conseguirem algum serviço na sua própria cidade ou estado, mas o conhecimento e a riqueza de experiências que poderiam ter vai ser ainda maior se decidirem ir para outro estado por exemplo.

As dificuldades das pequenas regiões e a conscientização e a ajuda humanitária das pessoas que precisam de uma mão de obra consigam entrar em acordo oferecendo o que tem disponível para aquele momento, nosso Brasil é grande e pouco explorado, quando surge uma ideia de cooperativismo os benefícios são bons tanto para quem mora no lugar quanto para quem esta viajando e enriquecendo com o projeto.

4. PLANEJAMENTO DO PROJETO

O planejamento inicial é definir qual o meio de divulgação do projeto, facilitando e com custo zero, uma das plataformas é a redes sociais, começando com uma comunidade convidando as pessoas para conhecer o trabalho, seguindo os agricultores e pecuaristas, para todo o Brasil vai levar um tempo, mas é necessário que todos entendam que existe um tempo de duração.

Pessoas ligam pessoas, a comunidade em redes sociais vai servir para o proprietário colocar o serviço que precisa naquele determinado momento e lugar, divulgando o seu espaço e esperando que pessoas possam ajudar durante um tempo.

As pessoas que se interessar no serviço vai contatar o proprietário para saber se existe quartos individuais ou em grupos, o tipo de alimentação , quantidade de horas trabalhadas por dia, horas de descanso, a ideia de um serviço não remunerado é a quantidade de horas ser diminuída, podendo ser no máximo 06 horas por dia, o proprietário poderá cobrar uma pequena taxa de serviço, se tratando de um projeto cooperativista, o fruto da taxa vai ser usada para a manutenção do próprio lugar, o projeto vai ficar aberto na comunidade para pequenas taxas para aqueles que quiserem cooperar.

Queremos envolver no projeto muitas pessoas do interior, hoje a internet é nosso ponto de conexão, mas, além disso, vai ser a radio peão que pode ocorrer, o vizinho conhece alguém que precisa de serviços e assim o próprio com autorização divulga aquele lugar e passa as informações para aqueles que vão receber as pessoas, a decisão final sempre é do proprietário que vai conhecer bem quem coloca em sua casa.

Além disso o critério segurança vai ser importante, vamos exigir que o viajante envie um antecedente criminais cópia do RG e CPF, comprovante de residência, comprovante de passagem , e uma carta de conselho de alguém da família.

Todos os dados vão ser registrados, o hospede pode interromper o projeto o quando quiser e o hospede também, o importante é a criação de um novo método social e contribuição entre as pessoas, olhando para um futuro melhor entre as gerações.

As três etapas Power point 2010

5. IMPORTANCIA DO CONHECIMENTO

O conhecimento empírico foi esquecido, muitas pessoas deixaram de lado por conta do cientifico ter prova de que o fato é exatamente aquilo, provado e testado cientificamente,. O integrante que entrar no projeto vai obter informações e conhecer novos saberes por pessoas experientes que conhecem o local na palma da mão, possibilita abrir um mundo que estava esquecido, um grande exemplo é remédios medicinais usados por índios, fazendeiros, e trabalhadores rurais, a cultura dos povos locais são regenerados por meio do projeto.

Um grande exemplo é dos índios, Segundo Carol Castro:

O acúmulo de conhecimento se dá ao prestar atenção nas semelhanças entre formatos e cores das plantas e as doenças que elas combatem. Por exemplo, a madeira amarela de um tipo de abútua, uma trepadeira, e a seiva amarelada da caopiá, árvore também chamada de pau-de-lacre, são usadas para curar doenças no fígado (SUPER ABRIL, 2013 p1)

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O conhecimento é tudo que a pessoa pode ter e não pode ser tirada dela, o seu desenvolvimento vai ser intelectual e a troca de experiência é uma das grandes qualidades para o projeto ser único e diferente na vida das pessoas, transformando um costume de vida que vem da terra, riquezas tiradas da ajuda e recompensas tiradas do esforço de cada pessoa, seu alimento, alojamento , segurança e comodidade.

o processo organizacional Fonte: PowerPoint 2010

O processo é o proprietário de terra que se interessar no projeto cadastrar sua oportunidade nos grupos públicos de rede social ou site do projeto, colocando seu endereço, o que vai oferecer para os integrantes, total de quartos, tipo de serviço e para a segurança também documentação de imóvel, dados pessoais, todos os documentos que comprovar a veracidade da pessoa.

Na segunda etapa a negociação e o primeiro contato a distancia com o futuro integrante é fundamental, saber o tipo ideal de pessoa e para aonde estar se arrumando para viajar, questão de clima, localidade, culinária, tipo de vida, trabalho a ser realizada, quantidade de pessoas na casa, são fatores que precisam ser esclarecidos no começo do contato, uma falta de detalhe pode ser crucial e resultar em chateação para ambas as partes, por isso é importante a comunicação bem antes do projeto.

O terceiro passo é o acolhimento do integrante, os primeiros dias vão ser de paciência para ensinar e precisa ter educação e carisma, explicar as normas da casa, tipo de serviço, escalas de trabalho, e folgas.

A quarta etapa é a execução do serviço, a convivência das pessoas, a troca de experiência, seja em varrer um quintal ou dar comida para os animais, ajudar em pegar lenha, o cooperativismo é o trabalho para um bem comum, todos ajudam e todos ganham.

A ultima etapa é o enceramento e o feedback, quando as pessoas gostam elas normalmente vão querer voltar em fazer parte do projeto, a nota no site vai ser importante, porque as pessoas quando for viajar vai ver aquele lugar como mais seguro, com o aumento de oportunidades e expansão em todo o Brasil, vai ganhar força e nome, sendo necessário para a continuação, aplicando melhorias e sempre ouvindo a opinião das pessoas.

6. TEMPO DO PROJETO

Corresponde ao tempo de inicio e encerramento, começando quando o cliente chega na estadia e desenvolve o projeto cooperativista, com o encerramento, sendo sua chegada na residência e preenchimento de ficha virtual de qualidade e pontos a melhorar do receptor (residente).

Tempo máximo: 3 meses.

Tempo mínimo: a qualquer momento.

O Projeto tem duração de 1 ano, podendo ser renovada se tiver recursos e pequenas taxas se tratando de um cooperativismo, onde a pessoa vai poder contribuir com valor para melhorarmos o escritório, onde vai ficar a sala de atendimento e saber como esta o andamento do processo, tirando qualquer duvida que o integrante tiver, além de melhorias de design do site.

7. RECURSOS

Os recursos Físicos vai ser a alocação do espaço, um pequeno escritório, com equipe máxima de 5 pessoas, participando da cooperativa pelo menos 20 pessoas obedecendo a seguinte ordem Judicial Lei 5.764 de 16 de dezembro de 1971:

Cooperativa é uma associação de, no mínimo, 20 (vinte) pessoas com interesses comuns, economica­mente organizada de forma democrática, isto é, contando com a participação livre de todos e respeitando direitos e deveres de cada um de seus cooperados, aos quais presta serviços, sem fins lucrativos.(SOCIEDADE COOPERATIVA, 2013, S/P)

As pessoas que vão contar na associação vai ser os proprietários que se sentirem a vontade de receber pessoas, tendo no inicio todo o respaldo do escritório, tendo ajuda o dia todo para tirar duvidas, se inscrever no projeto e autorizar o uso de imagens de sua residência ou lugar em nosso site e rede social. Além dos recursos físicos para a abertura da cooperativa.

Recursos iniciais power point 2010

Com os recursos vamos conseguir trabalhar e usar o marketing direto como meio de divulgação, a equipe vai fazer o site e divulgar nas redes sociais, queremos atingir as pessoas principalmente de zonas rurais, para poder entrar no programa vai ser preciso ser Residente do Brasil, pelas condições de alocação e idioma local.

8. LOGISTICA E TAREFAS

Alocação por proximidades, quem mora em São Paulo pode ir para Pernambuco, porem vai ter o custo da viagem é por conta do viajante, ele vai combinar com o dono do local a hora e o dia, tudo planejado, a pessoa fica com a livre espontânea vontade de escolher o local que quiser, a passagem de ida e volta tem que ser passada para a organização, por se tratar de um projeto, com inicio, meio e fim.

O Ciclo power point 2010

9. As Tarefas

As tarefas estão ligadas ao que se pode oferecer, depende da habilidade de cada um, por isso precisa de uma conversa com o proprietário para que suas habilidades sejam usadas no local certo, entre elas estão varrição, pintura, ensinar idiomas, ensinar esporte, além também de atuar no meio ambiente com alimentação de animais, cultivo de plantas, todas as tarefas obedecem a uma carga horaria de no máximo 6 horas por dia, o diferencial é o restante do dia livre para conhecer a região ou apenas desfrutar do ambiente e descansar.

10. REQUISITOS E DOCUMENTOS PARA PARTICIPAÇÃO DO PROJETO

Os participantes precisam comprovar que estão aptos por meio de documentos, o hospede voluntario é a pessoa que vai disponibilizar sua residência por um tempo determinado, por isso também vai ser importante comprovar território em seu nome além de documentos pessoais de acordo com a lista da tabela a seguir:

A segurança passa por intermédio da analise de documentos, é preciso uma burocracia saudável para que o projeto não se torne um trabalho escravo ou riscos de desentendimento, não é tolerado constrangimento, xingamentos ou qualquer tipo de violência psicológica e física, o contrato prestado é sujeito a averiguação judicial em caso de qualquer tipo de violência, sujeito a penalidades.

O voluntario precisa receber a alimentação adequada na casa do residente, respeitando os horários e pelo menos 2 refeições prontas diariamente, o seu serviço diário não pode passar de 6 horas por dia, o contrato pode terminar em qualquer hora e dia caso sair fora do eixo, com o cancelamento permanente da participação do dono da propriedade ou do voluntario, é importante ressaltar que o ambiente deve conter dormitório, além de agua potável, o respeito é o primeiro passo para o sucesso do trabalho, podemos mudar o mundo começando a mudar nós mesmo.

11. O cronograma

Cronograma Excel 2010

12. CRONOGRAMA EXPLICATIVO

Os dias iniciais, onde vai ser colocado em mesa toda a parte burocrática de abertura de uma cooperativa em um escritório, meios de divulgação, além de conseguir captar os primeiros representantes e voluntários nesta jornada, tendo um declínio com o passar dos meses, entrando então na execução onde se espera que o projeto tenha um percentual condizente com o planejado de voluntários participantes, resolvendo qualquer tipo de assunto de ajuda, entrando em contato com os voluntários e donos dos imóveis, sempre nos canais de atendimento, seja por telefone, e-mail, celular ou redes sociais.

A parte de execução vai ate o ultimo mês, porem a participação fica restrita a partir do momento onde o planejamento foi estimulado, o voluntario poderá inscrever ate três meses antes do encerramento do projeto o que possibilitara que termine no cronograma estimulado, havendo ou não pequenas correções que pode ocorre por diversos fatores como desistências de integrantes, desentendimentos de donos que atua como alguém inexistente não é presente na execução dos trabalhos dos voluntários, toda a parte de segurança e bem estar, entrar em contato com as pessoas e saber as opiniões diariamente, captação de lugares, e ligar para saber o andamento, atuando em todo território Brasileiro, escolhendo o serviço certo para as pessoas certa, a parte de execução é a parte que se estende porque é nela que tudo que foi planejado no papel ou reunião é colocado em pratica.

O encerramento vai ser acontecer nos últimos 4 meses do projeto, onde as divulgações vai ser encerradas, vai ser analisada o resultado dos participantes, o que se conseguiu alcançar, se as metas foram alcançadas, o que se pode melhorar nos próximos projetos, toda parte burocrática, essa etapa é importante porque é nela que os relatórios são avaliados, todos os erros e todos os acertos vão ser colocados em pauta, caso houver erros é feito o PDCA, o relatório que corrige e implementa ações de melhoria continua, no caso do próximo projeto.

13. CONCLUSÃO

Grato em conseguir transcrever algo tão desafiador e contagiante, o projeto é uma aventura transcrita, o sentimento de que algo precisa mudar e de que o padrão de vida mundial este cada vez mais corriqueiro e fechado para um estilo individualista, o equilíbrio do mundo é a iniciativa de impacto que o projeto pode causar, esta relacionado diretamente a logística de habitação e uma grande oportunidade social de desenvolvimento humano.

O artigo pode ligar iniciativas de comunidades, proprietários de grandes terras a disponibilizar ajudas voluntarias para pessoas que tem tempo e desejo de viajar, aprender e saber ouvir, as trocas voluntarias vão garantir que o hospede sinta encorajado, seguro e que seu expediente e trabalho seja os melhores possíveis.

A indústria 24 horas off é uma iniciativa que pode ser regulada, em um dia útil para que o mundo inteiro tenha consciência e pense mais nos recursos naturais que são necessários para fabricação de diversos tipos de produtos, tudo é limitado e não se produz nem floresce com nossas ideias e vontades, somente com a força da natureza.

Queremos levar um novo modelo de vida para um futuro que vai precisar ser mais sustentável em todos os sentidos, seja ela no meio urbano, diminuição de quantidade de materiais consumidos diariamente, o consumo de energia, e a mudança de pensamento de que tudo é consumismo, principalmente passando uma nova ideologia de que se pode fazer trabalho voluntario uma vez por ano, ter um dia para poder realizar serviços sociais e ambientais. A cultura vai ser misturada e enriquecida por pessoas de todo o Brasil e porque não pensar em todo o mundo, atingindo com trabalho e dedicação resultados significativos o cooperativismo das futuras gerações.

14. REFERÊNCIAS

(AGRICULTURA, 2018) Acesso em 16/08/2019

(SUPERINTERESSANTE ABRIL, 2013.) CAROL CASTRO Acesso em 01/09/2019

(SOCEIDADE COOPERARIVA 2013) Acesso 10/09/2019

LOCOMOÇÃO DE PESSOAS programa Power point 2010, Acesso em 01/10/2019

AS TRES ETAPAS DO PROJETO Programa Power Point 2010, Acesso em 01/10/2019

O PROCESSO ORGANIZACIONAL Programa Power Point 2010, Acesso em 01/10/2019

RECURSOS INICIAIS Programa Power Point 2010, Acesso em 01/10/2019

O CICLO Programa Power Point 2010 Acesso em 01/10/2019

AS TAREFAS Programa Power Point 2010, Acesso em 01/10/2019

REQUISITOS DOCUMENTAIS Programa Power Point 2010, Acesso em 01/10/2019

O CRONOGRAMA Programa Excel 2010 Acesso em 10/10/2019 


Publicado por: Patrick Alves

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Monografias. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.