RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS EMPRESAS

Administração e Finanças

Estudo e análise de sites e bibliografias sobre a Natura Cosméticos S/A, tendo em vista aspectos relacionados à Responsabilidade Social e o modelo de sustentabilidade.

índice

1. RESUMO

Este artigo apresenta um estudo através de sites e bibliografias sobre a Natura Cosméticos S/A, tendo em vista aspectos relacionados à Responsabilidade Social e o modelo de sustentabilidade. Devido às exigências por parte dos consumidores em relação às empresas e sua atuação no mercado, as organizações estão tendo que se preocupar em não ser apenas um agente econômico que busca a obtenção de lucro, mas também um atuante social cumprindo com as obrigações inerentes aos acionistas, funcionários e cidadãos, tais como: preservação do meio ambiente, criação e manutenção de empregos e a qualidade dos bens e serviços, para garantir a continuidade da empresa. O planejamento é um diferencial no mercado, e aliado a ética pode aumentar os lucros da organização, contribuindo também para o desenvolvimento social viável.

Palavras-chaves: Responsabilidade Social; preservação do meio ambiente e sustentabilidade.

ABSTRACT

This article presents a study through websites and bibliographies about Natura Cosméticos S / A, in view of aspects related to Social Responsibility and the sustainability model. Due to consumer demands on companies and their market performance, organizations are having to worry about not only being an economic agent seeking profit but also a social performer fulfilling the obligations inherent to shareholders , employees and citizens, such as: preservation of the environment, creation and maintenance of jobs and the quality of goods and services, to ensure the continuity of the company. Planning is a differential in the market, and allied to ethics can increase the profits of the organization, also contributing to viable social development.

Key words: Social Responsibility; preservation of the environment and sustainability.

2. INTRODUÇÃO

Quando se pensa em Responsabilidade Social reflete em algo que será feito para algum setor, no entanto responsabilidade social se refere a um conceito complexo com variados significados e diferentes ideias, tais como se a organizações levar em conta a economia, educação, saúde, meio ambiente, transporte, moradia e governo, efetuando ações que promovam o bem estar interno e externo. Consequentemente quando se refere externo direciona-se a sociedade, cabendo ressaltar as empresas decidirem de forma voluntaria contribuir para coletividade mais justa e um meio ambiente mais limpo.

A Responsabilidade Social é algo essencial no mundo em que vivemos, atualmente determinadas empresas não buscam somente metas econômicas, mas contribuir com desenvolvimento sustentável, e estar correlacionada as questões ecológicas, serviços de uma empresa entre outros setores, consequentemente ações que envolve a sociedade como um todo, pois está obtém recursos da sociedade, então digamos que é uma maneira de restituí-los.

Para Arantes (2014) o conceito de Responsabilidade Social é delineado no meio empresarial e passou por algumas revisões, ou seja, atualmente as empresas passaram a desenvolver ações voltadas para o meio social como um todo consequentemente integrando essas ações em seu meio.

Sua evolução acontece quando a organização percebe que poderá desenvolver ações não somente para um público específico e sim setores tais como: econômicos, social e desenvolvimento sustentável.

Empresas buscam ter uma boa imagem neste âmbito e investem em propagandas onde querem mostrar que estão preocupadas com a sociedade.

Com isto adquiri vantagens, passando por processos que se iniciam pela boa reputação, confiança, fidelização de clientes, proteção do meio ambiente e a satisfação dos trabalhadores, proporcionando assim maior notoriedade, empatia e visibilidade, logo, promovendo a rentabilidade da mesma.

A cada dia gestores conhecem e auxiliam nos problemas sociais onde suas empresas estão instaladas e adotam estratégias de desenvolvimento sustentável e ações preventivas para isto, sejam por questões legais ou por pressões da sociedade.

De acordo com Dias (2012), as organizações têm adquirido consciência em relação às mudanças que devem ocorrer no seu funcionamento, tendo que evoluir em vários aspectos e, dentre eles, cabe destacar o impacto que é gerado na comunidade, em função das suas atividades operacionais.

3. METODOLOGIA

Trata-se de uma revisão integrativa, método que tem o intuito de aprofundar o entendimento de determinado tema ou problema relacionado a responsabilidade social nas empresas, por exemplo, que sintetiza a literatura teórica e empírica, pois através desta o pesquisador analisa os dados e artigos relevantes buscando nestes o embasamento literário para a tomada de decisão. O presente trabalho traz como questão norteadora: mostrar como a Responsabilidade Social vem sendo utilizada por grandes empresas que demonstram além de uma atuação ética e comprometida, uma grande vantagem competitiva conquistando novos investidores e ampliando seu público alvo, visando ser um empresa bem vista pela sociedade.

4. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

Responsabilidade Social Empresarial tende a envolver um espectro mais amplo de beneficiários, envolvendo aí a qualidade de vida e bem estar do público interno da empresa, mas também a redução de impactos negativos de sua atividade na comunidade e meio ambiente. Na maioria das vezes tais ações são acompanhadas pela adoção de uma mudança comportamental e de gestão que envolve maior transparência, ética e valores na relação com seus parceiros.

O ato de empreender é essencial nos dias de hoje sendo que o perfil do empreendedor se transforma de acordo com exigências do mercado, consequentemente os aspectos do pensamento empreendedor são agilidade, humildade e garra que enriquece a vida e a rotina profissional, salientando que estes aspectos variam de acordo com as demandas de cada empresa e Responsabilidade Social é uma forma de empreender que contribui com desenvolvimento sustentável. Cabendo ressaltar que o conceito de Desenvolvimento Sustentável traz como definição o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da sociedade consequentemente está relacionado ao crescimento econômico que prevê a integração entre economia, sociedade e meio ambiente. Atualmente a qualidade ambiental está fazendo parte de ações que as empresas desempenham este conceito apareceu em 1987, como mostra Arantes (2014, pg:97).

Desenvolvimento sustentável é um conceito que surgiu em 1987, a partir das discussões feitas pela Comissão Brundtland, a qual foi formada pela ONU e comandada pela primeira ministra da Noruega, Gro Brundtand.

É importante frisar que o conceito não deve ser confundido com filantropia ou simples assistência social. Entende-se responsabilidade social como um processo contínuo e de melhoria da empresa na sua relação com seus funcionários, comunidades e parceiros.

No entanto quando se fala em empresa refere-se em uma unidade integrada por seres humanos que desenvolvem variadas atividades tais como a econômica que desenvolvem diversas ações como citamos a Responsabilidade Social está agregada nos projetos de distintas empresas.

De acordo Perseguini (2015, pg:5)

Podemos definir responsabilidade social como conjunto de ideias e práticas que fazem parte da estratégia de uma organização (empresa), cujo objetivo é gerar benefícios para todas as partes envolvidas e interessadas na empresa (chamadas de stakeholders) e evitar prejuízos.

Porém para Chiavenato, (2004, p. 112); Responsabilidade Social é o grau de obrigações que uma organização assume através de ações que protejam e melhorem o bem-estar da sociedade à medida que procuram atingir seus próprios interesses.

As empresas percebem que em um ambiente global suas estratégias devem levar em conta tanto evitar a degradação ambiental como não desrespeitar as normas sociais, consequentemente as organizações está dando ênfase nos projetos voltado para meio ambiente, pois assim conquistará vantagens estratégicas e competitivas no mercado que está cada vez mais exigentes e preocupado, no entanto salientamos que responsabilidade social não está diretamente ligadas as ações pro meio ambiente e sim em variadas áreas conflitantes da sociedade.

Sabemos que múltiplas empresas principalmente as de grande porte investem em projetos sociais com desígnio de garantir lucratividade e sustentabilidade nos negócios sem falar também que para as organizações estes projetos sociais voltados para sociedade em si é uma maneira indireta de marketing e fortalece sua presença no mercado, porém para Munhoz (2015)atualmente a competitividade do mercado envolve também ações éticas com objetivo de atender às necessidades da comunidade e diminuir o impacto ambiental.

Quando se fala em responsabilidade social a empresa tem que englobar todos setores internos e externos da organização, no entanto para Caldas (2016, pg:19):

Não é possível falar em responsabilidade social como padrão de conduta se a empresa não adota a mesma prática em todos os níveis de atuação: com funcionários, com os stakeholders e também por meio e ações socioambientais. Entretanto não e isso que acontece. Em geral, as empresas dão prioridades as ações que tragam visibilidade, atraindo a atenção do público externo, gerando publicidade e deixando de lado os próprios funcionários (...).

A importância da responsabilidades social passa a ser um papel das empresa sendo fundamental, é um mecanismo de diminuir ou atenuar as desigualdades sociais geradas pelo próprio capitalismo, consequentemente não há responsabilidade social sem ter ética, pois está visa como sabemos visa a construção de relacionamentos éticos e transparentes com todos os púbicos.

4.1. CONTRATAÇÃO DE PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS

A Lei Nº 8.213, DE 24 DE JULHO DE 1991, assegura a contratação de Deficientes nas Empresas. Lei 8213/91, lei cotas para Deficientes e Pessoas com Deficiência dispõe sobre os Planos de Benefícios da Previdência e dá outras providências a contratação de portadores de necessidades especiais. Faz parte da responsabilidade social dar oportunidades para pessoas com necessidades especiais

Essa diversidade nas organizações, pode ser vista como positiva ou negativa depende de como as empresas encaram. A maioria ver como uma oportunidade de troca de conhecimentos e habilidades.

4.2. NORMAS E CERTIFICADOS

Em tempos onde o desenvolvimento sustentável e a preocupação com a qualidade de vida estão sendo frequentemente discutidas pela sociedade, diversas empresas estão buscando adquirir vantagens comparativas através de certificações que atestem sua boa prática empresarial, adotando processos de reformulação interna para se adequarem às normas impostas pelas entidades certificadoras. Esta é a melhor maneira de mostrar essa responsabilidade perante a sociedade.

Para adquirir essas certificações são necessários investimentos que, ao longo do tempo, serão vistos como lucro, pois a procura pelo produto, ou serviço, será cada vez maior, tanto nacionalmente como internacionalmente.

Em relação ao meio ambiente, a certificação internacional mais aceita na atualidade é a ISO14000, que atesta a performance ambiental da empresa. Já em relação à responsabilidade social, temos os principais padrões existentes: SA8000 (Social Accountability 8000), AA1000 (AccountAbility 1000) e ABNT-ISO 26000(Diretrizes sobre Responsabilidade Social).

4.2.1. ISO 14000

A ABNT NBR ISO 14000 têm como principal foco, minimizar o dano causado ao meio ambiente levando em conta aspectos ambientais influenciados pela organização e outros passíveis de serem controlados por ela.

A empresa que recebe este certificado é associada a um padrão internacional de gestão ambiental, o que traz a sociedade uma imagem positiva de empresa limpa e preocupada com o meio ambiente.

Para se obter este certificado, além de estar de acordo com as políticas e leis ambientais do pais, também deve estabelecer um Sistema de Gestão Ambiental de acordo com as especificações da norma.

A série ISO 14000 possui muitas normas, uma das mais conhecidas é a norma ISO 14001, porém ela não é a única. Estão listadas abaixo diversas outras com várias especificações em relação à gestão ambiental:

  • ISO 14001: normas referentes à implementação do Sistema de Gestão Ambiental.

  • ISO 14004: normas sobre o SGA, porém destinadas à parte interna da empresa.

  • ISO 14010: normas relacionadas à auditoria ambiental e sua credibilidade.

  • ISO 14031: normas sobre o desempenho do SGA.

  • ISO 14020: normas relacionadas aos rótulos e declarações ambientais.

4.2.2. SA8000

Criada em 1989 pela Social Accountability International (SAI), é uma das certificações internacional mais conhecidas que representa o exercício da responsabilidade social interna, ou seja, garanti o compromisso social das empresas perante seus funcionários, incentivando as organizações a desenvolver, manter e aplicar práticas socialmente aceitáveis no local de trabalho sendo vista como o padrão independentemente de locais de trabalho mais aceito do mundo. Podendo ser aplicada a qualquer empresa, de qualquer tamanho.

Esta certificação foi desenvolvida a partir dos princípios da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e aborda questões como, trabalho escravo e infantil, saúde e segurança do trabalho, liberdade de associação e negociação coletiva, discriminação, práticas disciplinares, jornada de trabalho, remuneração e sistemas de gerenciamento.

As empresas que adotam essa norma, deixa evidente aos seus clientes que utiliza processos voltados a atitudes socialmente responsáveis, principalmente nas relações com seus funcionários e parceiros de negócios.

4.2.3. AA1000

Lançada em 1999 pelo ISEA (Institute of Social and Ethical Accountability), trata-se de um sistema de gestão das relações com os públicos estratégicos que permite a medição e avaliação da integração dos aspectos sociais no gerenciamento dos programas e projetos sociais promovidos pela organização, e que tem como base o diálogo com os stakeholders (uma pessoa ou grupo, com interesse em uma empresa, negócio ou indústria, podendo ou não ter feito um investimento neles). É como se fosse uma contabilidade socioambiental, tendo como objetivo, garantir a qualidade das informações apresentadas nos relatórios, fornecendo mecanismos de avaliação e verificação de dados.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Mesmo com todos os benefícios proporcionados pela utilização da AA1000, ela só faz sentido caso haja real interesse da empresa em transformar as demandas identificadas em ação. Caso contrário, ela perde o sentido, já que há formas mais simples para assegurar a qualidade de um relatório de sustentabilidade.

4.2.4. ABNT-ISO 26000

Sugerido pela organização inglesa ISEA, a Norma Internacional ISO 26000 – Diretrizes sobre Responsabilidade Social, teve sua versão em português a ABNT NBR ISO 26000, lançada no dia 8 de dezembro de 2010 em um evento na Fiesp, em São Paulo, sendo a primeira norma internacional de Responsabilidade Social Empresarial.

A norma é de grande utilidade a empresas interessadas em adotar programas de Responsabilidade Social Empresarial e a responsabilizar-se pelos impactos de suas decisões e atividades na sociedade e no meio ambiente, além de manter comportamento ético e transparente que contribua para o desenvolvimento sustentável, em conformidade com as leis aplicáveis e consistente com as normas internacionais de comportamento.

Nesta norma encontramos diretrizes para uma gestão socioambiental e social responsáveis, sendo uma norma de uso voluntário. Não visa nem é apropriada a fins de certificação deixando claro a diferença entre discursos socialmente responsáveis e ações.

A norma oferece orientações relacionadas a sete princípios norteadores de responsabilidade social:

  • Accountability: Ato de responsabilizar-se pelas consequências de suas ações e decisões, respondendo pelos seus impactos na sociedade, na economia e no meio ambiente, prestando contas aos órgãos de governança e demais partes interessadas declarando os seus erros e as medidas cabíveis para remediá-los.

  • Transparência: Fornecer às partes interessadas de forma acessível, clara, compreensível e em prazos adequados todas as informações sobre os fatos que possam afetá-las.

  • Comportamento ético: Agir de modo aceito como correto pela sociedade - com base nos valores da honestidade, equidade e integridade, perante as pessoas e a natureza - e de forma consistente com as normas internacionais de comportamento.

  • Respeito pelos interesses das partes interessadas(Stakeholders): Ouvir, considerar e responder aos interesses das pessoas ou grupos que tenham um interesses nas atividades da organização ou por ela possam ser afetados.

  • Respeito pelo Estado de Direito: O ponto de partida mínimo da responsabilidade social é cumprir integralmente as leis do local onde está operando.

  • Respeito pelas Normas Internacionais de Comportamento: Adotar prescrições de tratados e acordos internacionais favoráveis à responsabilidade social, mesmo que não que não haja obrigação legal.

  • Direito aos humanos: Reconhecer a importância e a universalidade dos direitos humanos, cuidando para que as atividades da organização não os agridam direta ou indiretamente, zelando pelo ambiente econômico, social e natural que requerem.

5. METODOLOGIA

Trata-se de uma revisão integrativa, método que tem o intuito de aprofundar o entendimento de determinado tema ou problema relacionado a responsabilidade social nas empresas, por exemplo, que sintetiza a literatura teórica e empírica, pois através desta o pesquisador analisa os dados e artigos relevantes buscando nestes o embasamento literário para a tomada de decisão. Cabendo ressaltar também que se trata de uma pesquisa bibliográfica com desígnio de reunir informações, juntamente a sites para construção desde artigo.

O foco deste artigo como foi supracitado é mostrar como a responsabilidade social vem sendo empregada nas empresas, no entanto citaremos como exemplo a empresa Natura, que se trata de uma revendedora de produtos cosméticos com intenção de promover o bem- estar, é uma organização conhecida mundialmente com finalidade de possuir uma rede que traz conhecimento científico, sem falar que está também faz uso da grande biodiversidade brasileira.

5.1. PESQUISA E ANÁLISE DA PESQUISA

Atualmente a empresa Natura vem empenhando a cada dia mais para inserir colaboradores com necessidades especiais no seu quadro de funcionários. A exemplo temos a contratação de Diógenes Costa Pina, a Natura ampliou suas possibilidades de inclusão e procurou absorver cada vez mais talentos. Ele tem deficiência intelectual e entrou no processo seletivo para Auxiliar de Produção pela parceria da Natura com a APAE-SP. Salientamos também que segundo dados do IBGE em 2010, 8,3% da população brasileira apresentava pelo menos um tipo de deficiência severa, sendo das 45.606.048 de pessoas com deficiência: 1,6 totalmente cega, totalmente surdas 7,6 e não consegue se locomover 1,62.

Além disso a organização em questão possui programas de inserção de deficientes visuais, por exemplo o “Enxergar”, ela é pioneira em inserir o braile com as informações contidas nas embalagens, consequentemente é uma empresa preocupada e empenhada com a responsabilidade social ressaltando assim que este é o foco do artigo. Outro projeto social é o Ver para Crer, que é financiado pela venda de uma linha de produtos com o desígnio de ajudar a melhorar o ensino público no Brasil.

A preocupação da Natura com o meio ambiente vai além dos insumos para a fabricação dos produtos, até mesmo os móveis utilizados na empresa são fabricados com 100% de madeira certificada. Desde o ano 2000 existe um programa de coleta seletiva que vem sendo realizado com êxito desde então, e um sistema de controle do consumo de energia elétrica para evitar desperdícios, aproveitando a iluminação solar em maior parte do ambiente interno da empresa.

Já no ano 2007, a Natura neutralizou suas emissões de carbono, de modo que tudo que ela despeja na atmosfera, é neutralizado pela recuperação e conservação de áreas de floresta. E no decorrer dos anos a empresa diminuiu em 33% suas emissões, além de ajudara a manter de pé 257.000 hectares de florestas no país.

Além dos projetos já citados, a empresa também se preocupa com os animais. Cabendo destacar que em 2006, foi à primeira empresa a eliminar completamente a realização de testes em animais, passando desde 2008 a integrar a lista do Projeto Esperança Animal (PEA) que publica anualmente, a relação das companhias brasileiras que não realizam teste em animais

A empresa Natura vem gerando empregos e renda para muitos agricultores e melhorando as comunidades agroextrativistas. Através do biocomércio ético garante melhores condições de troca e direitos para mais de 2,5 mil famílias na Amazônia, impactando positivamente na vida de 8,5 mil pessoas, além de reforçar a extração consciente.

A organização possui a certificação ISO 14001, referente ao Sistema de Gestão ambiental. No ano de 2016 o PET reciclado contribuiu para o reaproveitamento de 249 toneladas de resíduos, reduzindo a quantidade de lixo equivalente a 5 milhões de garrafas PET no planeta, ou seja possui uma preocupação com o desenvolvimento sustentável que para Bolff (2016, pg 147) o desenvolvimento sustentável resulta de um comportamento consciente e ético face aos bens e serviços limitados da terra. E no ano seguinte em 2017 os produtos da linha Ekos, foram embalados e envazados com o reaproveitamento de seis milhões de garrafas Pet e 48 toneladas de papel e que antes eram fabricados com gordura animal e óleo mineral de origem fóssil, passaram a ser fabricados por matéria prima de origem vegetal cabendo salientar que todos os perfumes fabricados na empresa levam álcool orgânico, e a maioria dos produtos possuem refis cuja embalagem é composta por polietileno verde, feito com cana-de-açúcar causando menos dano ao meio ambiente.

A apreensão da Natura com o meio ambiente também se estende ao meio de transporte que está utiliza, sendo assim à primeira da América Latina a adotar um veículo elétrico de transporte de carga nas entregas dos pedidos realizados pelas consultoras da cidade de São Paulo e da região metropolitana. Esse veículo emite em média nove vezes menos carbono que um carro convencional e os ônibus utilizados são movidos a etanol.

Com todas essas ações a Natura está em primeiro lugar entre as 31 empresas de maior destaque segundo pesquisa realizada pelo Guia Exame de Sustentabilidade 2017, maior levantamento de práticas de responsabilidade corporativa do Brasil, recebendo pelo segundo ano consecutivo o título de Empresa Sustentável do Ano, e entre as cinco companhias brasileiras que integram a nova edição do ranking The Global 100 publicado em janeiro de 2018 pela Corporate Knights, empresa canadense especializada em responsabilidade social, que contempla as 100 empresas com as melhores práticas de sustentabilidade corporativa no mundo. A natura está em 14º lugar neste ranking mundial.

Por fim através de análise de dados como foi supracitado colhidos através de sites, livros e revista, conclui-se que é possível qualquer empresa contribuir com a responsabilidade social e a organização que foi apontada como exemplo se enquadra nas normas e além de tudo desenvolve atividades com finalidade de atingir novos públicos, ela atrai novos investidores e se torna respeitada socialmente. É um trabalho árduo, exige comprometimento, treinamento e amor ao próximo.

6. CONCLUSÃO

A Responsabilidade Social atualmente é muito questionada no mundo empresarial pois possui uma visão ampla que valoriza o ser humano, a sociedade e o meio ambiente, constatamos que é possível uma empresa aderir a Responsabilidade Social e que ela não perde na obtenção de lucros pois esta prática aumenta o capital financeiro, consequentemente abre novos horizontes.

Já em relação ao desenvolvimento sustentável que se enquadra em empresas de pequenos e grandes portes mostra que estas querem mudanças, ou sejam procuram alterações em distintas áreas tais como: econômica e social. No entanto a prática da responsabilidade social nas empresas é apontada como um diferencial na competição de mercado e faz com que a organização seja bem vista na sociedade, consequentemente é considerada como politicamente correta.

Portanto os administradores de empresas que possuem esta ação de Responsabilidade Social demonstram transparência em seus atos, além de equipes satisfeitas em estar fazendo bem ao próximo, buscando a cada dia atingir mais pessoas nessa corrente de respeito, dedicação e ética, como foi citado no decorrer do artigo e tendo como exemplo a empresa Natura.

Por fim o ato de Responsabilidade Social tem que ter investimento, deve ser planejada e apresentada aos colaboradores através de palestras e treinamentos onde seus colaboradores posteriormente desenvolvam um trabalho satisfatório e se tornem seres humanos melhores pois apesar de todas as informações que possuímos é necessário um cuidado especial quando se decide ser e fazer este diferencial no mercado. Com esta pesquisa através de sites, artigos e livros conseguimos ver que a responsabilidade é aplicada na prática influenciando a vida diária de milhares de pessoas e na empresa supracitada em questão.

7. REFERÊNCIAS

  • A AA1000: a ferramenta de gestão de stakeholders. Disponível em:<http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/a-aa1000-a-ferramenta-de-gestao-de-stakeholders/44501/>, Acesso em: 28 mar. 2018;
  • ARANTES, Elaine Cristina, Empreendorismo e Responsabilidade Social ( livro eletrônico) / Elaine Cristina Arantes, Zélia Halicki: Adriano Stadler (Org.). – 2. ed.ver- Curitiba: InterSaberes, 2014.- (Coleção Gestão empresarial ;v.4);
  • BERTÉ, R.; LIMA, A. Meio Ambiente: certificação e acreditação ambiental. In:__. Sistema de Gestão Ambiental. Curitiba: Inter Saberes, 2017. cap. 9, p. 131-145;
  • BOFF, Leonardo. Sustentabilidade: o que é: o que não é / Leonardo Boff.5.ed.revista e ampliada – Petrópolis, RJ: Vozes, 2016. ISBN 978-85-326-4298-1;
  • BRASIL. MINISTERIO DO TRABALHO E EMPREGO (MTE). A inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Disponível em: <http://portal.mte.gov.br/data/files/FF808081215CB2790012BCF9D7516684;
  • CERTIFICAÇÃO ISO. Disponível em: <https://certificacaoiso.com.br/iso-14001/>, Acesso em: 28 mar. 2018;
  • CHIAVANETO, Idalberto. Introdução á teoria geral da administração. São Paulo: Campus, 2004 p.112;
  • COSTA, Eduardo Homem. Fundamentos de Responsabilidade Social Empresarial. Rio de Janeiro: Eduardo Homem da Costa, 2007;
  • D'AMBRÓSIO,D.; MELLO, P. C. A Responsabilidade que dá retorno social. Gazeta Mercantil. São Paulo, 10 nov. 1998;
  • DIAS, R. Responsabilidade Social: fundamentos e gestão. São Paulo: Atlas, 2012 p.213;
  • EXAME. Natura é a empresa mais sustentável do ano. Disponível em: <https://exame.abril.com.br/revista-exame/a-empresa-mais-sustentavel-do-ano-natura/>, Acesso em 13 mai. 2018;
  • EXAME. As 100 empresas mais sustentáveis do mundo em 2018. Disponível em: < https://exame.abril.com.br/negocios/as-100-empresas-mais-sustentaveis-do-mundo-em-2018/> Acesso em: 13 mai. 2018;
  • FAGUNDES, P.S. et al. A inclusão da pessoa deficiente no mercado de trabalho, 2008 p.24;
  • INMETRO. Responsabilidade Social. Disponível em: <http://www.inmetro.gov.br/qualidade/responsabilidade_social/pontos-iso.asp>, Acesso em: 28 mar. 2018.
  • MONTANA, P. J.; CHARNOV, B. H. Administração. 2. ed. São Paulo:Saraiva, 1998 p. 38 e 40;
  • MUNHOZ, A. S. Responsabilidade e Autoridade Social das Empresas, Curitiba: InterSaberes, 2015;
  • NATURA. Página Institucional.Sustentabilidade. Disponível em: <http://www.natura.com.br/sustentabilidade>, Acesso em 12 mai. 2018;
  • PLANALTO. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8213compilado.html>, Acesso em 03 de mar. 2018;
  • Responsabilidade Social / Alayde Perseguini, organizadora. – São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2015. - (Coleção Bibliográfica Universitária Pearson);
  • Responsabilidade social: desenvolvimento sustentável SA 8000 e ISO 26000. Disponível em: <http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/responsabilidade-social-desenvolvimento-sustentavel-sa-8000-e-iso-26000/68140/>, Acesso em: 28 mar. 2018;
  • Responsabilidade Socioambiental / organizador Ricardo Caldas, - São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2016.

Publicado por: Maiane Carvalho Sousa

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Monografias. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.