Planejamento Contínuo de Obras Civis

Administração e Finanças

Análise sobre o planejamento contínuo como aprimoramento das atividades no decorrer dos serviços, em busca incessante de melhores métodos para entrega de melhores serviços.

índice

1. RESUMO

A construção civil teve seus métodos executivos modificados e melhorados no decorrer da história da humanidade. As construções são o resultado das necessidades do homem em busca de qualidade de vida e solução de problemas. Como qualquer negócio o planejamento é indispensável; o planejamento contínuo é o aprimoramento das atividades no decorrer dos serviços, em busca incessante de melhores métodos para entrega de melhores serviços. Para um bom planejamento é necessário conhecer bem as etapas, os processos, os métodos executivos e os materiais. Um acompanhamento dos serviços com checagem contínua também é um importante meio para o aprimoramento e tomada de decisões quanto às melhorias a serem aplicadas durante a execução.

PALAVRAS-CHAVE: Planejamento, obras, construção, civil, gerenciamento.

2. INTRODUÇÃO

A Construção Civil no decorrer da história passou por uma grande evolução, em seus níveis de projetos, métodos construtivos com edifícios cada vez mais altos e construções rápidas. A necessidade de se construir graças ao crescimento populacional em grandes centros urbanos e necessidade de fábricas, hospitais, escolas e estradas, tem levado a engenharia a desenvolver métodos cada vez mais eficazes.

Para um bom produto e uma boa construção é necessário se ter uma boa gestão. É muito importante que o gestor conheça todos os processos e fazes para realização eficaz. Construir com eficácia pode se definir como executar dentro do prazo e de acordo com o orçamento.

A história da construção civil é uma excelente base para se definir o melhor método de gestão. Existem diversos métodos e o gestor deve escolher aquele que melhor atende as necessidades do empreendimento.

É importante citar que o planejamento não é apenas para as grandes obras; toda obra, independente do porte, necessita de planejamento estratégico.

O planejamento não deve ser determinado, é necessário que seja continuamente revisado e melhorado conforme a execução do serviço. Assim é possível prevenir problemas e perdas.

3. PLANEJAMENTO CONTÍNUO DE OBRAS CIVIS

O planejamento trás diversas vantagens, tornando sua implantação uma obrigação aos executores. Entre as vantagens é possível citar as seguintes: A gestão correta dos recursos financeiros, materiais e humanos, com uma alocação transparente dos recursos financeiros e materiais, os quais seguem para os locais e tarefas que foram previamente analisadas, discutidas e definidas. Busca pelos funcionários das metas e objetivos, seguindo os levantamentos de dados e geração de ideias analisadas no planejamento. Estabelecimento de indicadores de desempenho conforme os dados levantados. Obtenção, durante a realização, dos pontos fortes e fracos, as ameaças e oportunidades que surgem. Outra vantagem é a possibilidade de correções e decisões mediante a existência de objetivos determinados e claros de desempenho. (SEBRAE, 2019)

Imagem: Engenheiro e o planejamento contínuo

Fonte: Autor

4. PLANEJAMENTO PRÉVIO DA EXECUÇÃO

O planejamento prévio é um conceito da construção civil usado para definir a organização dos processos prévios à execução da obra; por exemplo: métodos construtivos, materiais, condicionantes externos e internos à execução. Esse planejamento tem o objetivo de reduzir custos operacionais, maior segurança aos trabalhadores e ao meio ambiente, melhor rendimento e melhor qualidade dos serviços e resultados. (FRITZ GEHBAUER, 2002)

4.1. Importância do Planejamento Prévio

Para que a execução seja viável, tanto economicamente quanto ambientalmente e ocorra com o menor risco possível a falhas e acidentes, as improvisações devem ser evitadas no canteiro de obras. Uma analise correta permitirá diminuição de perdas ou até mesmo sua eliminação, bem como a melhoria do processo executivo. A maior importância do planejamento prévio é o fato de servir como instrumento de controle e gestão da execução. Onde os prazos e valores dos orçamentos servirão de parâmetro de controle de prazos e custos indicados no cronograma. (FRITZ GEHBAUER, 2002)

4.2. Responsáveis Pelo Planejamento Prévio e Etapas para Elaboração

O planejamento prévio deve ser desenvolvido por uma equipe técnica que possua uma posição central na estrutura da organização. Devem estar diretamente subordinados à direção técnica ou direção geral a depender do porte da empresa. Nesta posição a equipe estará em uma função de assessoria técnica. A centralização da equipe possibilita um melhor atendimento às necessidades dos setores e das obras. (FRITZ GEHBAUER, 2002)

De acordo com Halpin e Woodhead (2004) para definição do planejamento, é necessário seguir as seguintes etapas:

  • Identificação da necessidade do projeto junto ao proprietário;
  • Desenvolvimento dos estudos de viabilidade iniciais e as projeções de custo.
  • Contratação de projetista para realizar o projeto básico, conforme as necessidades do proprietário.
  • Com o projeto básico em mãos, fazer a estimativa de custos;
  • Decidir se há viabilidade, se sim é feito o projeto final;
  • Com o projeto final, realizar as cotações com empreiteiras, fornecedores e construtores.
  • Contratação de propostas e início do serviço.

Tendo em mente todas as etapas citadas anteriormente faz-se o planejamento prévio, o qual precisa contemplar no mínimo os seguintes itens:

  1. Métodos de execução:

Existem diversas técnicas para executar uma construção, atualmente as obras têm se tornado cada vez mais industrializadas; entre os métodos de execução está a definição da tecnologia de construção. Nesta faze estarão as diretrizes norteadoras para o seu andamento, um planejamento correto contribuirá para o fortalecimento da qualidade e um melhor desempenho, redução de custos e maior sustentabilidade dos processos construtivos. (MARIA LEAL, 2015)

  1. Planejamento da obra:

A obra é planejada através de um cronograma, que é feito com base em um produto e um método bem definido. O cronograma possui a visualização das atividades relacionando suas datas de inicio e de fim. (MATTOS, 2010)

  1. Planejamento dos recursos operacionais e financeiros:

Compreende a Mão-de-obra a ser empregada, os materiais necessários, máquinas e equipamentos; em nível físico e financeiro. (FRITZ GEHBAUER, 2002)

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
  1. Planejamento do Canteiro de Obras:O estudo preliminar do canteiro de obras é de muita importância e em seu planejamento é preciso considerar vários itens, como por exemplo: Ligações de água, energia, esgoto, internet, áreas de armazenamento, fornecedores de materiais, acessos, localização de equipamentos, instalações e áreas de vivência, interferências com a comunidade, etc. (ROUSSELET, 2012)

5. PLANEJAMENTO CONTÍNUO ATRAVÉS DO CICLO PDCA

Para um planejamento contínuo existe uma ferramenta muito interessante, que é o conceito do Ciclo PDCA – Plan, Do, Check and Act (Planejar, Desempenhar, Checar e Agir). Entende-se como o conjunto de ações interligadas e organizadas entre si, em fases cíclicas que buscam melhoria contínua e é representado por um gráfico circular conforme imagem a seguir. (MATTOS, 2010)

Imagem 1: Ciclo PDCA

Fonte: BUILDER (2017)

5.1. Fases do Ciclo PDCA:

  • Plan (Planejar): Na fase do planejamento os objetivos são determinados. São colocadas as questões como: qual o problema a ser resolvido? Qual produto será executado? Seguir todo o planejamento prévio e realizar um correto Planejamento Contínuo de Obras; (BUILDER, 2017)

  • Do (Desempenhar): Segundo Mattos (2010) nessa fase de execução da atividade é onde se materializa o planejamento, ou seja, oque foi prescrito entra no terreno da execução física. Para um bom gerenciamento de obras é necessário o cumprimento do planejamento, sem alterações deliberadas dos executores. Ou seja, executar é cumprir o que foi planejado. Por isso nessa fase a comunicação é muito importante para que a compreensão do planejamento seja feita pelos executores.

  • Check (Checar): a etapa da checagem consiste em um monitoramento sistemático de todas as atividades. Para Builder, 2017 avaliar a metodologia de trabalho adotada ajuda na verificação dos trabalhos, analisando se a equipe está seguindo os objetivos. Obtendo dados para analise através de uma checagem bem detalhada de todos os aspectos dos serviços. Segundo Mattos (2010) aferir o realizado, ou seja, levantar em campo oque foi planejado e oque foi realmente executado, para comparação e tomada de decisões. Verificam-se os prazos e cronogramas, detectam-se os desvios e seus impactos. Obtém-se todos os dados e indicativos importantes para a etapa seguinte.

  • Act (Agir): consiste em analise dos dados obtidos e identificação de oportunidade para melhoria dos serviços e metodologias. Conforme os dados obtidos realizar ações corretivas e melhorias. Se os dados indicarem que existem desvios devem ser tomadas ações para correção. Agora se os dados não apresentarem desvios, pode-se aproveitar para reduzir custos, prazos e realizar melhorias. (MATTOS, 2010)

Mattos 2010 e Builder 2014 corroboram nesse assunto ao frisarem que o ciclo PDCA não prevê um fim para sua utilização, cada ciclo gera início a um novo ciclo, sucessivamente, tornando os processos cada vez mais eficientes. Ou seja, o processo de planejamento consiste em uma melhoria contínua. Na etapa Agir, é onde o gerente tem que decidir como colocar a execução da obra nos eixos, ou revisar o planejamento para uma nova realidade.

6. CONSIDERAÇÕES FINAIS

O planejamento significa organizar todos os processos, métodos e pessoas com objetivo de realizar, executar tarefas e serviços. Quando há a necessidade de fazer algo muito importante, é necessário seguir um passo a passo com foco, eliminando qualquer distração, observando o processo contínuo e sistemático de ações, recursos e esforços da empresa.

As obras civis exercem um papel fundamental para a sociedade, desde a menor até a maior obra. Uma casa pode ser símbolo de um sonho de vida de alguém. Quando o indivíduo entrega a uma empresa ou a um profissional a responsabilidade de construir, entrega muitas vezes esse sonho. Tal fato mostra o quão importante e o nível de responsabilidade sobre esses serviços.

As obras públicas são desenvolvidas para a melhoria de vida de todo o coletivo, com o objetivo muitas vezes de atender a necessidades indispensáveis. Com a utilização do método contínuo de planejamento, a busca pela melhoria, crescimento e desenvolvimento leva a realização eficaz dos serviços, tornando possível entregar serviços de qualidade e realização de sonhos.

Os serviços de engenharia estão relacionados com a natureza. Os materiais aplicados, os métodos e os procedimentos estão sujeitos a variações; muitas vezes se trabalha com a incerteza. Tais motivos podem levar as falhas. Os erros podem colaborar para o crescimento, desenvolvimento das atividades e serviços quando são reconhecidos, analisados e superados. Isso pode ser feito através do ciclo PDCA, onde na etapa de checagem é possível verificar as falhas e em seguida na etapa de agir definir melhorias ao planejamento, exercendo melhorias continuamente aos processos executivos de obras civis.

7. REFERÊNCIAS

BUILDER, Projetc. Ciclo PDCA: uma ferramenta imprescindível ao gerente de projetos! 2017. ESCRITO POR CARLOS JUNIOR. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2019.

FRITZ GEHBAUER (Brasil) (Org.). PLANEJAMENTO E GESTÃO DE OBRAS: Um resultado prático da Cooperação Técnica Brasil-Alemanha. 2. ed. Curitiba: Cefet-pr, 2002. 530 p.

HALPIN, Daniel W.; WOODHEAD, Ronald W.. ADMINISTRAÇÃO DA CONSTRUÇÃO CIVIL. 2. ed. Rio de Janeiro: Ltc, 2004. 368 p.

MARIA LUISA CAMPOS MACHADO LEAL (Brasil). Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial – ABDI (Org.). MANUAL DA CONSTRUÇÃO INDUSTRIALIZADA: Conceitos e Etapas. Brasilia: ABDI, 2015.

MATTOS, Aldo DÓrea. PLANEJAMENTO E CONTROLE DE OBRAS. São Paulo: Pini, 2010.

ROUSSELET, Edison da Silva. MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA IMPLANTAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE CANTEIRO DE OBRAS NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO. Brasil: Fiocruz, 2012. Disponível em: . Acesso em: 29 set. 2019.

SEBRAE (Brasil). Planejamento estratégico: como construir e executar com maestria: Planejamento estratégico: como construir e executar com maestria. Disponível em: . Acesso em: 13 out. 2019.


Publicado por: GABRIEL RODRIGO DA SILVA NUNES DE OLIVEIRA

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Monografias. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.