Whatsapp

Home office uma alternativa segura diante da pandemia (covid-19)

Administração e Finanças

Análise sobre o home office como uma perspectiva de inserção nas empresas, o que é home office, bem como os recursos que são necessários para a composição do mesmo.

índice

1. RESUMO

O objetivo deste trabalho é retratar a modalidade de trabalho a distância que vem crescendo a cada dia no mundo todo, pois estamos vivendo um momento marcante na história, uma pandemia mundial que atinge centenas de pessoas e já matou algumas dezenas. Devido a pandemia de Covid-19, as empresas precisaram se adaptar, por isso, o home office está sendo uma opção adotada nesta época, porque tem impacto direto na saúde dos seus colaboradores, as atividades estão tornando mais flexíveis e automatizadas. Porém, para implementar o home office a tecnologia é um requisito necessário, para que o colaborador possa ter acesso aos arquivos de trabalho. E embora, o home office seja um método muito usado pelas empresas hoje, até dois anos atrás não havia leis bem definidas. Portanto, o teletrabalho conforme a CLT corresponde a uma novidade legal que está sendo útil no atual momento que estamos passando.

Esta pesquisa analisará o home office como uma perspectiva de inserção nas empresas. E explicará como as empresas poderão implementá-las?  Para alcançar este objetivo este artigo descreverá o que é home office, bem como os recursos que são necessários para a composição do mesmo, analisará também alguns tópicos importante de gestão remota.

Os resultados desta pesquisa, mostrou que existem mais pontos positivos do que negativos em relação ao trabalho em formato home office. Se o teletrabalho for realizado corretamente, poderá ser uma opção favorável, uma resposta a pandemia de Convid-19.

Palavras-Chave: Home office, Teletrabalho, Gestão, CLT, tecnologia

2. INTRODUÇÃO

Nesses últimos meses passamos por muitas mudanças e adaptações, a forma de fazermos negócios e de relacionarmos mudaram drasticamente.

Muitas empresas tiveram que diminuir suas atividades ou até pará-las, outras conseguiram se manter funcionando pela implementação do teletrabalho.

A OIT estima que até 25 milhões de pessoas poderiam ficar desempregadas e que a perda de rendimentos dos trabalhadores possa chegar a 3,4 trilhões de dólares. No entanto, já está ficando claro que esses números podem subestimar a magnitude do impacto...

O teletrabalho oferece novas oportunidades para os trabalhadores continuarem em atividade e os empregadores seguirem com os negócios durante a crise. (OIT, 2020)

Porém, para muitas empresas o teletrabalho é um método novo de trabalho e por causa, disso estão enfrentando muitos desafios, mas a adaptação será fundamental para esses tempos de pandemia, possibilitará as empresas a continuarem ativas e gerando empregos.

Esta pesquisa analisará o home office como uma perspectiva de inserção nas empresas. E explicará como as empresas poderão implementá-las?  Para alcançar este objetivo este artigo descreverá o que é home office, bem como os recursos que são necessários para a composição do mesmo, analisará também a importância da comunicação entre gestores e colaboradores e quais são as obrigações jurídicas conforme a CLT.

Este artigo vai propor as empresas a implementação do home office, com uma política com respaldo legal tanto para as empresas como para seus colaboradores. E aos colaboradores que estiver trabalhando remotamente, estarão seguros e cientes com os termos da política da empresa.

A pesquisa tem caracteristica exploratória. Conforme Gil (2002, p. 41), a pesquisa exploratória proporciona maior familiaridade com o tema, com o objetivo de torná-lo mais “explícito ou a constituir hipóteses”, pois aprimora idéias ou a descoberta de intuições. A pesquisa exploratória é flexível e por isso acaba assumindo a forma de pesquisa bibliográfica.

Este estudo também se caracteriza como uma pesquisa descritiva,  segundo Gil (2002, p. 42) seu objetivo é descrever um determinado fenômeno,  descrevendo a experiência de um grupo de profissionais que vivenciaram o teletrabalho como opção diante de uma pandemial mundial. E também utiliza “técncas padronizadas de coleta de dados, como questionário e observação sistemática”.

Por ser uma pesquisa exploratória e descritiva, a metodologia tem natureza  qualitativa. Sobre a análise qualitativa de acordo com Gil:

A análise qualitativa é menos formal do que a análise quantitativa, pois nesta última seus passos podem ser definidos de maneira relativamente simples. A análise qualitativa depende de muitos fatores, tais como a natureza dos dados coletados, a extensão da amostra, os instrumentos de pesquisa e os pressupostos teóricos que nortearam a investigação. Pode-se, no entanto, definir esse processo como uma sequência de atividades, que envolve a redução dos dados, a categorização desses dados, sua interpretação e a redação do relatório. (GIL, 2002, p. 133)

A coleta de dados foi feita através por meio de questionário e formulário com perguntas semi estruturas, estruturadas e não estruturadas.

Para a coleta de dados nos levantamentos são utilizadas as técnicas de interrogação: o questionário, a entrevista e o formulário. Por questionário entende-se um conjunto de questões que são respondidas por escrito pelo pesquisado. Entrevista, por sua vez, pode ser entendida como a técnica que envolve duas pessoas numa situação "face a face" e em que uma delas formula questões e a outra responde. Formulário, por fim, pode ser definido como a técnica de coleta de dados em que o pesquisador formula questões previamente elaboradas e anota as respostas. (GIL, 2002, pp. 144,115)

Deste modo, a coleta de dados foi efetuada em uma empresa na cidade de Balneário Camboriú que no momento atual está fazendo uso deste recurso de trabalho, o home office. Os fatores para a escolha desta empresa foram a questão da acessibilidade do pesquisador á mesma, bem como em ser uma das empresas no Brasil que está implementando o home office em alguns setores.

3. SOBRE O HOME OFFICE

Para entender melhor o trabalho home office, é importante que se defina os termos mais utilizados para se referir a essa modalidade, pois possui diferentes sinônimos e traduções, como: teletrabalho, trabalho remoto, trabalho em casa, trabalho a distância, home office, entre outros. Os tópicos a seguir, abordarão sobre o conceito do home office, suas legistalções conforme a CLT,  abordará também o que é necessário para se implementar nas empresas esta modalidade.

3.1. DEFINIÇÃO DE HOME OFFICE

A palavra telecommuting ou teletrabalho em português, foi criada pelo norte-americano Jack Nilles em 1976. Segundo Nilles (1997, p.14, aput (SAKUDA, 2001, p. 37) “Telecommuting” ou teletrabalho se refere em “levar o trabalho aos trabalhadores, em vez de levar estes ao trabalho; se refere a atividades periódica fora do escritório central, um ou mais dias por semana, seja em casa ou em um centro de telesserviço”.

De acordo ainda com Nilles (1997, p.14, aput (SAKUDA, 2001, p. 37) “Teleworking” ou telesserviço é “qualquer alternativa para substituir as viagens ao trabalho por tecnologias de informação (como telecomunicações e computadores).

Para a OIT, Organização Internacional do Trabalho, o teletrabalho define-se:

Teletrabalho ou trabalho remoto: significa a possibilidade de trabalhar fora do local de trabalho, em locais como a própria residência, o que permite adaptar as demandas familiares com os horários de trabalho. O uso prolongado desta medida pode levar ao isolamento e à ausência de separação entre os tempos de trabalho e livre. (OIT, 2013)

Para Silva (2009, p. 86) o Home Office, é uma forma de trabalho flexível, tanto de tempo, espaço de comunicação, sendo mais que uma questão tecnológica, mas também social e organizacional.

Home-Office como uma forma de flexibilização em três dimensões: local, pela descentralização de um local único (escritório central) para qualquer outro local alternativo, quer seja casa, escritório virtual, escritório móvel ou carro; tempo – pela flexibilização do tempo – pois se pode trabalhar nos horários mais convenientes e do Meio, pelo uso de recursos de telecomunicações como meio de transporte das informações. (SILVA, 2009, p. 88)

Com os esforços acadêmicos ou empresariais, uma gestão flexível traz muitos benefícios para a vida dos trabalhadores e isso reflete na sua saúde física e metal.

3.2. HOME OFFICE NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA

Em 2017 ocorreu a Reforma Trabalhista, que corresponde à promulgação da Lei 13.467/2017. A reforma trouxe diversas alterações e adições ao texto legal.

Dentre as mudanças ocorridas pela CLT em razão da Lei 13.467/2017, estão algumas que foram mudadas do texto legal ao incluir a estipulação de regras referente ao teletrabalho.

O teletrabalho não era proibido, mas apenas não possuía previsões legais que o incluíssem, o que dificultava as decisões judiciais e as reclamações trabalhistas e a segurança das partes.

A partir de 2017 a CLT passou a incluir o home Office dentre suas previsões. Elas foram incluídas, assim, entre os artigos 75-A e 75-E da Consolidação das Leis do Trabalho. Conforme cita os artigos:

Art. 75-A. A prestação de serviços pelo empregado em regime de teletrabalho observará o disposto neste Capítulo.

Art. 75-B. Considera-se teletrabalho a prestação de serviços preponderantemente fora das dependências do empregador, com a utilização de tecnologias de informação e de comunicação que, por sua natureza, não se constituam como trabalho externo.

Parágrafo único. O comparecimento às dependências do empregador para a realização de atividades específicas que exijam a presença do empregado no estabelecimento não descaracteriza o regime de teletrabalho.

Art. 75-C. A prestação de serviços na modalidade de teletrabalho deverá constar expressamente do contrato individual de trabalho, que especificará as atividades que serão realizadas pelo empregado.

§ 1º Poderá ser realizada a alteração entre regime presencial e de teletrabalho desde que haja mútuo acordo entre as partes, registrado em aditivo contratual.

§ 2º Poderá ser realizada a alteração do regime de teletrabalho para o presencial por determinação do empregador, garantido prazo de transição mínimo de quinze dias, com correspondente registro em aditivo contratual.

Art. 75-D. As disposições relativas à responsabilidade pela aquisição, manutenção ou fornecimento dos equipamentos tecnológicos e da infraestrutura necessária e adequada à prestação do trabalho remoto, bem como ao reembolso de despesas arcadas pelo empregado, serão previstas em contrato escrito.

Parágrafo único. As utilidades mencionadas no caput deste artigo não integram a remuneração do empregado.

Art. 75-E. O empregador deverá instruir os empregados, de maneira expressa e ostensiva, quanto às precauções a tomar a fim de evitar doenças e acidentes de trabalho.

Parágrafo único. O empregado deverá assinar termo de responsabilidade comprometendo-se a seguir as instruções fornecidas pelo empregador. (Brasil, 2017)

Dessa maneira, as normas da CLT ajudaram na segurança jurídica das relações de trabalho. Mas, mesmo as previsões da CLT não foram suficientes exigiu-se a publicação da MP 927/2020, para que as empresas pudessem implementar o teletrabalho nesse momento de pandemia. A Medida Provisória cita:

Art. 1º Esta Medida Provisória dispõe sobre as medidas trabalhistas que poderão ser adotadas pelos empregadores para preservação do emprego e da renda e para enfrentamento do estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 20 de março de 2020, e da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus (covid-19), decretada pelo Ministro de Estado da Saúde, em 3 de fevereiro de 2020, nos termos do disposto na Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020.

Parágrafo único. O disposto nesta Medida Provisória se aplica durante o estado de calamidade pública reconhecido pelo Decreto Legislativo nº 6, de 2020, e, para fins trabalhistas, constitui hipótese de força maior, nos termos do disposto no art. 501 da Consolidação das Leis do Trabalho, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943.

Art. 2º Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, o empregado e o empregador poderão celebrar acordo individual escrito, a fim de garantir a permanência do vínculo empregatício, que terá preponderância sobre os demais instrumentos normativos, legais e negociais, respeitados os limites estabelecidos na Constituição.

Art. 3º Para enfrentamento dos efeitos econômicos decorrentes do estado de calamidade pública e para preservação do emprego e da renda, poderão ser adotadas pelos empregadores, dentre outras, as seguintes medidas:

I - o teletrabalho;

II - a antecipação de férias individuais;

III - a concessão de férias coletivas;

IV - o aproveitamento e a antecipação de feriados;

V - o banco de horas;

VI - a suspensão de exigências administrativas em segurança e saúde no trabalho;

VII - o direcionamento do trabalhador para qualificação; e

VIII - o diferimento do recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FGTS. (Brasil, 2020)

A medida provisória prevê que tal situação poderá ser mantida até o final de 2020. Porém, para que isso ocorra necessita ser aprovada pelo Congresso Nacional, pois, caso não seja, sua aplicação fica limitada a 60 dias, prorrogáveis por mais 60 dias caso o Congresso não a tenha votado dentro desse período.

Há ressalva para as pessoas que já trabalham em home office mesmo antes da pandemia não sofrerão alterações no seu contrato de trabalho, sendo aplicadas todas as previsões da CLT, e não da MP 927/2020.

3.3. COMO IMPLEMENTAR NAS EMPRESAS

Muitas empresas possuem uma política específica para o trabalho home office. Tais políticas precisam ser muito claras e determinadas pelo setor de Recursos Humanos. Para que tanto o colaborador quanto a empresa estejam apoiados em relação as obrigações de ambos os lados.

Porém, antes de implementar o home office, a empresa precisa avaliar qual a viabilidade deste trabalho, fazer uma análise das áreas de atuação que estão preparados para o trabalho a distância, avaliar o perfil dos colaboradores se estão de acordo com a política da empresa, se estão de acordo com a cultura e o tipo de trabalho que será realizado, para então decidir como será realizado o trabalho das equipes em home office.

A implantação do teletrabalho altera significativamente a forma como a empresa organiza suas funções, controles e infraestrutura, assim como produz alterações na dinâmica do indivíduo, no seu sistema de auto-rregulação e na sua sociabilidade. (SILVA, 2009, p. 88)

As empresas que estão mais adaptadas para o trabalho remoto são aquelas que atuam com tecnologia, no entanto, os demais ramos poderão também implementar este trabalho, seguindo as orientações para tal trabalho. As empresas que atuam no ramo industrial, são as que terão mais dificuldade para implementar o trabalho a distância, pois, a maioria das vezes os colaboradores precisam estar presentes para manejar equipamento.

Kugelmass (1996, aput OLIVEIRA, 2017, p. 29), lista os passos para um projeto de implantação de teletrabalho:

Primeiro passo: ampla discussão quanto às questões da flexibilidade; Segundo passo: decisão sobre a flexibilidade, se apenas o local ou tempo também; Terceiro passo: definir os objetivos de curto e longo prazo, a escala de um piloto e a implementação gradual; Quarto passo: definir um indivíduo ou grupo para dirigir; Quinto passo: definir um orçamento, suas fontes, tecnologia, políticas, contrapartida, riscos. Sexto passo: estabelecer as políticas e os acordos; Sétimo passo: administrar firmemente e envolver os empregados; Oitavo passo: treinamento; Nono passo: resolver os problemas à medida que surgirem; Décimo passo: avaliar os resultados.

A qualidade do trabalho prestado remotamente, precisa ser realizado da mesma forma que presencialmente, ter normas definidas sobre o seu funcionamento. Outros pontos importantes são, ainda, o horário de trabalho, a prestação de informações e relatórios, os prazos, entre outros.

3.4. INFRAESTRUTURA DE TI

A tecnologia da informação reestruturou a forma de trabalhar, e o trabalho remoto é uma amostra disso. Por meio da tecnologia que os profissionais desempenharão suas atividades, por isso ela é a base para que o colaborador exercer suas funções remotamente, sem a necessidade de se deslocar até o local de trabalho.

 De acordo com Melo (2009, p. 9):

O mundo tem presenciado nos últimos anos uma verdadeira explosão no mundo das comunicações. Desse modo, com a evolução da tecnologia e da comunicação, diversos setores tiveram um impulso em suas atividades. Vive-se uma época na qual a busca pela integração tem se tornado constante. A comunicação pela web tem o importante papel de romper distâncias.

Conforme Melo (2009, p. 10) “Sem dúvida, as  tecnologias diminuíram e estão diminuindo as distâncias e reorganizando o senso de lugar e tempo. Podemos, então, afirmar que a tecnologia está potencializada para romper e flexibilizar o zoneamento de atividades e espaços domésticos”.

Conforme Barbosa fala sobre o “Uso da Tecnologia como Acessório”:

Hoje em dia, a tecnologia é vital para você ganhar tempo. Ninguém mais vive off-line,todo mundo tem pelo menos um celular ou um e-mail. A metodologia precisa ter suporte de ferramenta para dar resultado. Essa é uma das coisas mais significativas segundo as pesquisas que desenvolvemos sobre como a produtividade entra na vida de uma pessoa. Em primeiro lugar vem a metodologia, que ensina um modelo mental baseado em um novo padrão de uso do tempo; depois vem a ferramenta, que dá suporte à aplicação do método e faz o novo modelo ser sustentado; e, finalmente, a persistência, pois nada acontece da noite para o dia em produtividade, é preciso treinar muito seu modelo mental. (BARBOSA, 2012)

Existem recursos como a tecnologia in cloud, onde os dados podem ser acessados de qualquer lugar, possibilitando realizar as normalmente. Ferramente de tecnologia com acesso em tempo real é importante para a produtividade, pois permite compartilhamentos, armazenamento de dados e comunicação.

3.5. GESTÃO REMOTA

Talvez o princípio mais importante para o teletrabalho é a confiança. A confiança é como um pilar que sustenta o relacionamento entre equipes e gestores, pois a equipe precisa confiar nas ações realizadas pelos gestores bem como os gestores precisam confiar no trabalho que está sendo entregue pelos colaboradores.

3.5.1. Comunicação

A comunicação entre as equipes é primordial, assim como delas com seus superiores. É importante que a forma de comunicação componha um prévio esclarecimento ou treinamento aos que atuarão no formato home Office.

De acordo com Schuler (2004, aput (GAGLIARDI & FORMENTINI, 2009) “a comunicação está presente em todas as formas de organização conhecidas na natureza, tanto que se pode afirmar que a única maneira de haver uma organização é por meio da comunicação”.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Conforme explica Gagliardi e Formentini (2009), a comunicação é vital para nossas vidas, por meio dela nos relacionamos, aprendemos a conviver uns com outros e ainda nos ajuda a obter nosso próprio espaço na sociedade.

Mesquita comenta em seu artigo que:

Os canais de comunicação precisam estar sempre abertos, é muito importante que toda a comunicação aconteça como se estivesse presencialmente, utilizando as ferramentas de comunicação. Também é essencial que os colaboradores não esqueçam que home office não é um trabalho individual, ainda existe uma equipe e que todos precisam estar em comunicação constante, seja para tirar dúvidas sobre alguma atividade, informar algum problema e/ou dificuldade, ou ainda informar a conclusão de uma determinada tarefa, tanto para seus companheiros de equipe quanto para a liderança. (Mesquita, 2020)

“A comunicação se dá de diferentes formas e canais, porém necessita sempre de elementos como: o emissor, o receptor, o canal, a mensagem e o feedback para constituir o processo” (GAGLIARDI & FORMENTINI, 2009, p. 19)

3.5.2. Metas

A boa gestão de forma remota depende também de metas. Elas dão um rumo sobre o que é prioridade nas suas atividades, mesmo que o trabalho seja realizado à distância ele deve permanecer apresentando resultados e qualidade. E Ainda, as metas também ajuda no controle do que está sendo feito pelos colaboradores em home Office. Nesse mesmo sentido, também é importante que haja o reconhecimento da boa atuação dos colaboradores e o esforço deles em manter a empresa funcionando naturalmente ou o quão perto da normalidade for possível.

De acordo com Erez (1997, p. 205 aput TAMAYO & PASCHOAL, 2003) afirma que, “as necessidades não podem ser transformadas em metas, a menos que elas tenham uma representação cognitiva por meio dos valores”. As metas e intenções regulam os três elementos básicos da motivação: intensidade, direção e persistência do esforço.

Tamoyo e Paschoal (2003, p. 41) ainda salienta que os “valores apresentam forte dimensão motivacional”. Considerando “os valores como metas motivacionais”, que representam os alvos que a pessoa desejar atingir na sua vida.

Portanto, assim como estabelecer metas é necessário, reconhecer seu alcance também é essencial e mantém o interesse do colaborador na realização de suas atividades.

3.5.3. Alinhamento Diário: Metodologia Scrum

Um desafio que os gestores enfrentam com suas equipes em home office é o alinhamento diário. E para minimizar este problema, existem metodologias que ajudam muito. Uma metodologia que pode ser aplicado para a realização dos alinhamentos diários é o Scrum.

De acordo com Mesquita (2020):

O Scrum é uma metodologia criada nos anos 1990 pelos desenvolvedores Ken Schwaber e Jeff Sutherland, e refere-se ao gerenciamento de projetos ágeis”. Este termo é muito comum no meio esportivo e entre os profissionais de Tecnologia da Informação, porém, pode ser proveitoso também para todos os tipos de projetos e processos das empresas. “O Scrum é um termo oriundo do rugby, um esporte de equipe, com jogadores que também deu origem a uma metodologia ágil de projetos para projetos de TI, mais especificamente o gerenciamento ágil de projetos de software.

Teoria do Scrum:

Scrum é fundamentado nas teorias empíricas de controle de processo, ou empirismo. O empirismo. O empirismo afirma que o conhecimento vem da experiência e de tomada de decisões baseadas no que é conhecido. O Scrum emprega uma abordagem iterativa e incremental para aperfeiçoar a previsibilidade e o controle de riscos. Três pilares apoiam a implementação de controle de processo empírico: transparência, inspeção e adaptação. (Schwaber & Sutherland, 2013)

Scrum é um framework estrutural que pode ser empregado em vários processos ou técnicas. “O Scrum deixa claro a eficácia relativa das práticas de gerenciamento e desenvolvimento de produtos, de modo que você possa melhorá-las”. (Schwaber & Sutherland, 2013)

O coração do Scrum é a Sprint, é um time-boxed que tem um limite de duração de um mês corrido, as Sprint são compostas por reuniões de planejamento, reuniões diárias. “A reunião de planejamento da Sprint responde as seguintes questões: O que pode ser entregue como resultado do incremento da próxima Sprint? Como o trabalho necessário para entregar o incremento será realizado”? (Schwaber & Sutherland, 2013, p. 9).

No Scrum existe as Reuniões Diárias, é um evento time-boxed que tem duração de 15 minutos, ela é realizada no mesmo horário e local todos os dias. Durante as reuniões os membros esclarecem as seguintes perguntas: “O que eu fiz ontem que ajudou o Time de Desenvolvimento a atender a meta da Sprint? O que eu farei hoje para ajudar o Time de Desenvolvimento atender a meta da Sprint? Eu vejo algum obstáculo que impeça a mim ou o Time de Desenvolvimento no atendimento da meta da Sprint”? (Schwaber & Sutherland, 2013, p. 11).

As Reuniões Diárias melhoram a comunicação, o nível de conhecimento e promovem rápidas tomadas de decisão.

3.6. GESTÃO DE TEMPO E PRODUTIVIDADE

A gestão do tempo consiste em saber usá-lo com sabedoria. Priorizar as atividades mais importantes, permitir metas pessoais e profissionais, gastando assim menos energia física e mental. Desta forma é possível ter aumento na produtividade e alcançando os resultados desejados.

Barbosa em seu livro Tríade do Tempo fala de três esfera que compõe toda a forma que utilizamos o tempo: a esfera da importância, a esfera da urgência, e a esfera das circunstâncias.

A esfera da importância, que são as atividades que são mais significativas, que trazem resultados a curto, médio ou longo prazo. “É estrada certa, na qual você coloca seu carro e sabe que na linha de chegada estará realizado”. O que é importante poderá levar horas, dias, semanas ou meses para ser realizado.

A esfera da urgência, que são as atividades que tem curto tempo ou já se esgotou o tempo. São as atividades não previstas, que surge na hora e que na maioria das vezes gera estresse.

E ainda tem a esfera das circunstâncias, que são as atividades que não são necessárias. Onde se gasta o tempo de forma inútil, “é a esfera da estrada que não leva a lugar algum, que não traz resultados, apenas frustrações”. (BARBOSA, 2012)

São listadas abaixo algumas estratégias que auxiliam na administração do tempo, entretanto a melhor metodologia a ser utilizada dependerá do estilo de administração pessoal, sendo a disciplina um fator chave e obrigatório para o desenvolvimento das mesmas.

3.6.1. Pareto

De acordo com Richard Koch (2016), Vilfredo Pareto era um economista italiano, que através de estudos descobriu que 80% da riqueza encontravam-se nas mãos de 20% da população. Desde então, o princípio de Pareto ou 80/20 passou a ser aplicada a muitas circunstâncias, ou seja, a pessoa realiza 80% com 20% de esforço.

Segundo Richard Koch:

Aplicar o Princípio 80/20 no dia a dia significa empreender uma mudança real na sua maneira de ver e viver a vida e, mesmo assim, seguir esse conceito é muito mais simples e fácil do que você poderia imaginar.

Como chegar lá? Se você compreender o modo como o mundo realmente se organiza – por mais diferente que possa ser do que imaginamos –, podemos nos adaptar a isso e conseguir muito mais do que queremos, usando muito menos energia. Ao agir menos, conseguimos desfrutar muito mais”. (RICHARD, 2016)

Quando identificamos o que tem mais valor na nossa vida ou o que é mais importante, vamos conseguir focar nas coisas certas e teremos mais resultados com menos esforços.

3.6.2. Delegar Tarefas

Delegar tarefas é um dos instrumentos mais completos na Gestão do Tempo. Delegar é transferir autoridade e responsabilidade da execução de uma tarefa que será executada pelo delegado.

Cristian Barbosa comenta:

As técnicas para gerenciar tempo e compromissos quando se ao coloca em prática você descobre que muito do seu tempo depende do tempo de outras pessoas. Afinal, vivemos no mundo do conhecimento, onde o indivíduo não trabalha mais sozinho, e sim em grupos. (BARBOSA, 2012)

Não incumbir uma tarefa a outra pessoa que poderia ser delegada, pode impedi-la de crescer e de conseguir resolver problemas sozinha.  

Muitas pessoas não delegam tarefas por achar que o delegado não saberá fazer ou que perderá tempo explicando a situação, porém quando se ensina uma vez, a tarefa pode passar a ser feita constantemente pelo receptor do conhecimento evitando assim atrasos e perda de tempo.

3.6.3. Planejamento

Cristian Barbosa (2012), que planejamento dá visão daquilo que deve ser feito e como será feito, e ainda reduz riscos e prevê resultados.

Planejar é definir, sempre por escrito, o caminho que será percorrido. É prever os possíveis problemas, identificar os passos intermediários, definir os prazos e os recursos. Planejar é economizar tempo – tanto na realização de suas metas quanto no trabalho diário. Sucesso por obra do acaso é raro. (BARBOSA, 2012, p. 71)

Barbosa ainda comenta que, a falta de planejamento está relacionamendo ao nível de estresse, quando não se planeja as coisas “urgentes” acontecem com maior frequência. Planejamento é algo que devemos cultivar, pois precisamos dele para cumprir metas e elaborar projetos, o “segredo é tornar o planejamento algo natural”. (BARBOSA, 2012).

3.7. VANTAGENS E DESVANTAGENS

É importante compreendermos quais são as vantagens e desvantagens ao se adotar o teletrabalho tanto do ponto de vista pessoal como profissional.

As empresas que adotam o home office evidenciam vários pontos positivos e negativos dentro de suas organizações.

3.7.1. As vantagens para a empresa:

  •  Ganhos de produtividade: pela maior concentração e diminuição de interrupções no trabalho, menor nível de absenteísmo (atrasos ou problemas com transporte) e diminuição de faltas.

  •  Redução de custos: uma vez que os colaboradores não necessitam mais ocupar um local fixo e físico na empresa.

  •  Competitividade na atração e retenção de competências: pois o home office permite a empresa contratar talentos em locais distantes da empresa, em outras cidades e estados.

  •  Aumento na qualidade do trabalho: com a satisfação dos colaboradores, menos stress e menor preocupação com familiares.

3.7.2. As desvantagens para a empresa:

  •  Dificuldade de supervisão: pois os gestores podem não estar preparados a forma remota de gerenciamento, abusos dos colaboradores.

  •  Possibilidade de enfraquecimento da cultura organizacional: causada pela dispersão geográfica dos colaboradores, que podem ter visões e posturas diferentes dos da empresa.

  •  Necessidades de investimento com infraestrutura: para viabilizar a tecnologia para o teletrabalho.

  • Riscos com a segurança da informação: Os dados confidenciais podem estar disponíveis fora da empresa.

Da mesma forma em que a empresa os colaboradores também possuem pontos positivos e negativos em trabalhar home office.

3.7.3. As vantagens para os colaboradores:

  •  Redução dos deslocamentos entre residência e o trabalho: pois o tempo perdido em transito podem ser esgotantes, principalmente em grandes metrópoles.

  •  Diminuição de custos: redução de despesas com transportes, combustível e alimentação fora do lar.

  •  Aumento na produtividade e criatividade: pela maior concentração nas atividades e menores distrações,

  •  Maior satisfação e motivação com o trabalho: pois em alguns casos pela flexibilidade de horários, maior autonomia.

  •  Maior segurança e preservação da saúde e do bem-estar: principalmente na época que estamos vivendo de pandemia, o isolamento social está sendo uma proteção para os colaboradores e seus familiares.

3.7.4. As desvantagens para os colaboradores:

  •  Possibilidade de impactos psicológicos: devido ao isolamento social e profissional e a diminuição do contato presencial com colegas, podem trazer impactos psicológicos como depressão e dificuldade de relacionamento social.

  •  Possíveis riscos ergométricos e de segurança: pois as instalações domésticas podem não estar adequadas referente ao conforto, mobiliário inadequado, podendo causar desconforto e lesões.

  •  Conflitos familiares: pois muitas vezes os familiares acabam interrompendo o profissional durante o período de trabalho.

  •  Extensão da jornada de trabalho: dificuldade de ter equilíbrio entre vida profissional e particular.

4. ANALISE DOS RESULTADOS

O objetivo deste tópico é apresentar e analisar os dados coletados através da pesquisa de campo realizada, permitindo conhecer a percepção dos trabalhadores a respeito das vantagens e desvantagens do trabalho a distância.

As entrevistas foram realizadas remotamente devido ao isolamento social e as recomendações da OMS. Foi elaborado 15 perguntas semiestruturadas e não estruturadas.

A pauta abordada foi:

Figura 1

Fonte: Compilação do autor[1]

Figura 2

Fonte: Compilação do autor. [2]

Figura 3

Fonte: Compilação do autor 4

Figura 4

Fonte: Compilação do autor[3]

Figura 5

Fonte: Compilação do autor5

Figura 6

Fonte: Compilação do autor[4]

Figura 7

Fonte: Compilação do autor6

Figura 8

Fonte: Compilação do autor[5]

Figura 9

Fonte: Compilação do autor7

Figura 10

Fonte: Compilação do autor[6]

Figura 11

Fonte: Compilação do autor

Figura 12

Fonte: Compilação do autor[7]

Figura 13

Fonte: Compilação do autor

Figura 14

Fonte: Compilação do autor[8]

Figura 15

Fonte: Compilação do autor 1

A Análise de resultados visou confirmar ou não a visão teórica sobre as vantagens e desvantagens do trabalho no formato home office.

Os resultados obtidos na pesquisa concluíram que, a preocupação primária do trabalho home office foi a segurança pessoal em relação a pandemia. Outro destaque positivo da adoção do teletrabalho, foi que muitos permaneceriam com este método, pois obtiveram maiores benefícios além do aumento da produtividade.

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A escolha deste tema pela autora foi devido ao momento delicado que estamos passando, uma pandemia que está afetando o mundo todo o Covid-19.  

Muitas pessoas, profissionais e empresas foram afetados pela pandemia, ela causou morte, desemprego e fechou as portas de muitas empresas.

Por isso, esta pesquisa descreveu o home office como uma perspectiva de inserção nas empresas, sugeriu como as empresas poderão implementá-las para continuar suas atividades o mais normal possível e mantendo os trabalhos de seus colaboradores.

Os resultados desta pesquisa, mostrou que existem muitos pontos positivos e negativos em relação ao trabalho em formato home office. Das vantagens em destaque foi a preocupação com a segurança pessoal, talvez em outra época esta preocupação não existisse. E outro ponto positivo observado na pesquisa, é que as empresas estão utilizando da tecnologia, isso foi fundamental, pois permitiu que muitas empresas optassem pelo trabalho em home office nesta época, em que foi tudo muito rápido e as empresas não tiveram tempo suficiente para planejar o trabalho a distância.

Dos pontos negativos da pesquisa, um dos destaques foi que a rotina pessoal dos entrevistados foi alterada, isso talvez ocorreu por não estarem preparados para trabalharem em suas residências. Tudo o que passamos foi e está sendo uma experiência única, com certeza teremos muitos aprendizados e estaremos mais preparados daqui para frente.

A Medida Provisória - MP 927/2020, está sendo fundamental. Está garantindo muitos empregos sem mais prejuízos para as empresas, embora a economia mundial está sendo grandemente afetada com a pandemia. As empresas estão podendo adiantar férias individuais e coletivas, adiantar feriados e aproveitar banco e horas.

A modalidade de trabalho em home office, poderá ser uma opção favorável para combater uma crise econômica e social durante a pandemia de Convid-19.

6. REFERÊNCIAS

BARBOSA, C. (2012). A tríade do tempo. Rio e Janeiro: Sextante. doi:ISBN 978-85-7542-805-4 (recurso eletrônico)

BRASIL. (13 de 07 de 2017). LEI Nº 13.467, DE 13 DE JULHO DE 2017. Acesso em 06 de 05 de 2020, disponível em DO TELETRABALHO: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-Lei/Del5452.htm#tituloiicapituloiia

BRASIL. (20 de 03 de 2020). MEDIDA PROVISÓRIA Nº 927, DE 22 DE MARÇO DE 2020. Fonte: DAS ALTERNATIVAS TRABALHISTAS PARA ENFRENTAMENTO DO ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA E DA EMERGÊNCIA DE SAÚDE PÚBLICA DE IMPORTÂNCIA INTERNACIONAL DECORRENTE DO CORONAVÍRUS (COVID-19): http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2020/Mpv/mpv927.htm

GAGLIARDI, A., & FORMENTINI, M. (2009). Comunicação Empresarial. Ijuí- RS: Unijuí. Fonte: https://bibliodigital.unijui.edu.br:8443/xmlui/bitstream/handle/123456789/193/Comunica%C3%A7%C3%A3o%20empresarial.pdf?sequence=1

GIL, A. C. (2002). Como Elaborar Projetos de Pesquisa (4 ed.). São Paulo: Atlas.

MELO, A. A. (2009). Teletrabalho: uma alternativa de organização do trabalho no Superior Tribunal de Justiça. Brasília. Fonte: https://bdm.unb.br/bitstream/10483/1530/1/2009_AdrianaAraujoMartinsMelo.pdf

Mesquita, A. (17 de 05 de 2020). Mantenha-se disponível. Fonte: oitchau.com.br: https://www.oitchau.com.br/blog/como-implementar-home-office-de-forma-certa-em-sua-empresa/

OIT, O. I. (02 de 05 de 2013). ilo.org. Acesso em 21 de 05 de 2020, disponível em Equilíbrio entre trabalho e família: https://www.ilo.org/wcmsp5/groups/public/---americas/---ro-lima/---ilo-brasilia/documents/publication/wcms_430964.pdf

OIT, O. I. (30 de 03 de 2020). ilo.org. Acesso em 21 de 05 de 2020, disponível em A COVID-19 pôs em evidência a fragilidade de nossas economias: https://www.ilo.org/brasilia/noticias/WCMS_740358/lang--pt/index.htm

OLIVEIRA, L. d. (2017). Teletrabalho: Uma proposta de preparação para iniciação e planejamento de projeto de implantação. Porto Alegre. Fonte: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/178672

RICHARD, K. (2016). A revolução 80/20 : o poder da escolha : menos trabalho, menos preocupação, mais sucesso, mais diversão. Belo Horizonte: Gutenberg. Fonte: http://lelivros.love/book/baixar-livro-a-revolucao-8020-o-poder-da-escolha-richard-koch-em-pdf-epub-mobi-ou-ler-online/

SAKUDA, L. O. (2001). Teletrabalho: desafios e Perspectivas (Dissertação de pós-graduação EAESP/FGV. Fonte: Biblioteca Digital FGV: https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/4832/1200101410.pdf

SCHWABER, K., & SUTHERLAND, J. (2013). Teoria do Scrum. Guia do Scrum, 4. Fonte: https://www.scrumguides.org/docs/scrumguide/v1/Scrum-Guide-Portuguese-BR.pdf

SILVA, R. R. (2009). Home Officer: um surgimento bem-sucedido da profissão pós-fordista, uma alternativa positiva para os centros urbanos. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 1(1), pp. 85-94. Fonte: https://periodicos.pucpr.br/index.php/Urbe/article/view/4267/20729

TAMAYO, A., & PASCHOAL, T. (OUT/DEZ. de 2003). A Relação da Motivação para o Trabalho com as metas do trabalhador. Revista de Administração Contemporânea, 7(4). Acesso em 23 de 05 de 2020, disponível em https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-65552003000400003


[1] Fonte: https://docs.google.com/forms/d/1Op2CRIUhxotrkFT4JeOtGxhYKmcGLRxGGg8HnJ_8Egc/edit#responses

[2] Fonte: https://docs.google.com/forms/d/1Op2CRIUhxotrkFT4JeOtGxhYKmcGLRxGGg8HnJ_8Egc/edit#responses

[3] Fonte: https://docs.google.com/forms/d/1Op2CRIUhxotrkFT4JeOtGxhYKmcGLRxGGg8HnJ_8Egc/edit#responses

[4] Fonte: https://docs.google.com/forms/d/1Op2CRIUhxotrkFT4JeOtGxhYKmcGLRxGGg8HnJ_8Egc/edit#responses

[5] Fonte: https://docs.google.com/forms/d/1Op2CRIUhxotrkFT4JeOtGxhYKmcGLRxGGg8HnJ_8Egc/edit#responses

[6] Fonte: https://docs.google.com/forms/d/1Op2CRIUhxotrkFT4JeOtGxhYKmcGLRxGGg8HnJ_8Egc/edit#responses

[7] Fonte: https://docs.google.com/forms/d/1Op2CRIUhxotrkFT4JeOtGxhYKmcGLRxGGg8HnJ_8Egc/edit#responses

[8] Fonte: https://docs.google.com/forms/d/1Op2CRIUhxotrkFT4JeOtGxhYKmcGLRxGGg8HnJ_8Egc/edit#responses

Por

Priscilla Ribary Iriguchi Dallabrida aluna concluinte do curso de Bacharel em Administração da Universidade Estácio de Sá.

Professor Alexei José Zaratini orientador do artigo da Universidade Estácio de Sá.


Publicado por: Priscilla R. Iriguchi Dallabrida

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Monografias. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.