GESTÃO DA PRODUÇÃO - UM ESTUDO DE CASO SIMPLIFICADO

Administração e Finanças

Etapas de um planejamento, características do controle da área de produção e a importância dos processos de produção: O que medir e como medir.

índice

1. RESUMO

Este relatório tem por finalidade relatar os diagnósticos realizados durante o período de pesquisa na empresa. O estudo buscou traçar uma visão de como o planejamento, o controle e a melhoria da produção são conduzidos. O método adotado foi o estudo de caso com uma pesquisa exploratória através do levantamento, formalização e verificação de conclusão das atividades desenvolvidas no estágio. O resultado foi a coleta de informações suficientes que possibilitou altos índices de produtividade e qualidade, menor índices de falhas, menos custo de produção, entre outros. Assim, o planejamento, o controle e a melhoria da produção levam a empresa a produzir com maior perfeição, rapidez e menor custo, obtendo maior lucratividade.

Palavras chave: método, controle, planejamento, produção e melhoria.

2. INTRODUÇÃO:

2.1. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

2.1.1. Multifiltros Comércio de Lubrificantes Ltda.

Empresa privada; Microempresa/ simples, 05 funcionários.

2.2. GESTÃO DA PRODUÇÃO:

O planejamento e controle da produção preocupam-se em gerenciar as atividades da operação produtiva de modo a satisfazer a demanda dos consumidores. Qualquer operação produtiva requer planos e controle, mesmo que a formalidade e os detalhes dos planos e do controle possam variar. Para que o desempenho de qualquer operação possa ser melhorado, o mesmo precisará ser medido, podendo ser feito através de desempenho de qualidade, velocidade, confiabilidade, flexibilidade e custos. Contudo, fazemos a seguinte pergunta, Como a empresa pode planejar, controlar e melhorar sua produção?

2.3. JUSTIFICATIVA:

A relevância deste relatório mostra que, recentemente a ênfase mudou, no sentido de que fazer melhoramentos é uma das principais responsabilidades do gerente de produção, mesmo quando uma operação produtiva é projetada, e suas atividades são planejadas para o desenvolvimento de melhoramentos.

2.4. OBJETIVOS:

2.4.1. Objetivo geral.

Identificar a importância, as etapas de um planejamento, e as características do controle da área de produção. Entender a importância dos processos de produção: O que medir e como medir.

2.4.2. Objetivo específico.

Especificamente, a complexidade do sistema produtivo exige necessariamente um esquema de planejamento e controle. Para produzir bem é necessário planejar, organizar, dirigir e controlar.  Para atender os requisitos, a produção precisa focar em um sistema de planejamento e controle confiável.

3. GESTÃO DA PRODUÇÃO

A idéia da função “produção” na empresa identifica o conjunto comum de objetivos almejados pelo gerente de produção para atender os seus clientes, e explica como planejar, controlar e melhorar a produção, influenciando também as atividades deste gerente. A administração da produção trata da maneira pela qual as organizações produzem bens e serviços. São esses os objetivos deste relatório: abordar tarefas, problemas e decisões tomadas pela empresa, no que diz respeito à produção de produtos e serviços dos quais foram exercidos no estágio II.

A administração da produtividade significa um processo formal de gestão, envolvendo todos os níveis de gerência e colaboradores, com o objetivo último de reduzir custos de manufatura, distribuição e venda de um produto ou serviço por meio da integração das quatro fases do ciclo da produtividade, ou seja, medida, avaliação, planejamento e melhoria. Martins: Laugeni (2002)

Na gestão da produção, a melhoria da produtividade é de extrema importância para toda a empresa. Permite maior lucratividade, diminuição do preço para os clientes, diminuição nos custos e diversos outros benefícios.

3.1. PLANEJAMENTO E CONTROLE

Planejar e controlar é garantir que a produção ocorra eficazmente, e produza produtos e serviços como se deve. Isto requer que os recursos produtivos estejam disponíveis na quantidade, no momento e no nível de qualidade adequado.

3.1.1. Compras e desenvolvimento de fornecedores.

Uma das atividades realizadas no estágio II foi, o contato com fornecedores e auxílio em pedidos de compras de mercadorias. O meio utilizado para tal atividade foi, agendamento via telefone com fornecedores, onde era analisada a melhor cotação, e finalizado o pedido.

A função de compras também é um excelente sistema de redução de custos de uma empresa, por meio de negociações de preços, na busca de materiais alternativos e de incessante desenvolvimento de novos fornecedores. Pozo (2007).

A empresa procura expandir suas opções de fornecedores, buscando produtos e preços diferenciados, reduzindo custos para si e para seus clientes.

3.1.2. Recebimento e conferência de estoque.

Esta é outra atividade realizada no campo de pesquisa, onde é feito o recebimento da mercadoria solicitada, e através do espelho de pedido, é feita a conferência da mercadoria.

Controle consiste na atividade de coletar e analisar informações realimentadas do desempenho efetivo de dado conjunto de funções ou processos, com intuito de monitorar e sistematicamente disparar ações úteis no caso de discrepâncias significativas em relação ao plano. Corrêa (2004).

É necessário fazer o acompanhamento para assegurar que o produto seja devidamente recebido no momento certo, na quantidade e qualidade desejada.

3.1.3. Reposição de estoque.

Outra atividade desenvolvida dentro da empresa foi a reposição de mercadorias no estoque. Essa tarefa é executada logo após o recebimento e conferência das mercadorias, sendo alocado cada material na sua prateleira específica, seguindo uma ordem de marcas e modelos.

O processo de planejar, implementar e controlar, de maneira eficiente o fluxo e a armazenagem de produtos, bem como os serviços e informações associadas, cobrindo desde o ponto de origem até o ponto de consumo, com o objetivo de atender aos requisitos do consumidor. Novaes (2004).

Uma das funções de armazenagem do estoque é garantir a fiel guarda dos materiais confiados pela empresa, evitando assim o desperdício e perdas, utilizando técnicas adequadas para um armazenamento correto e eficaz.

3.1.4. Vendas.

Vendas de produtos, esta foi outra função exercida no estágio II. Função esta, que se desenvolve a partir do momento em que o cliente chega à empresa, solicita um produto, e lhe é apresentado o produto desejado juntamente com outras opções de mercadorias, buscando o melhor atendimento no ato da venda em questão.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Não existe um modelo único e infalível de negociador. Mas um conjunto de habilidades e técnicas desejáveis, todas passíveis de desenvolvimento e igualmente importantes. O importante é o assunto ou o objeto negociado, pois é de vital importância que o bom negociador domine as características do bem ou do contrato negociado. Dias (2005).

É imprescindível que o vendedor atenda bem o seu cliente, observando sua necessidade, sabendo escutar e interpretar seu pedido, oferecendo-lhe um leque de opções. Assim é gerado um bom desempenho, e traz a satisfação ao consumidor.

3.1.5. Emissão de notas.

 É realizada no momento em que o cliente finaliza sua compra. O preenchimento da nota é manual, discriminando na mesma, os produtos e seus respectivos valores. O cliente assina e recebe a via que lhe é destinada.

O consumidor é influenciado por um conjunto de múltiplos fatores (culturais, sociais, psicológicos, situacionais, e pessoais) sua decisão de compra se desenvolve por meio de um processo complexo, que envolve diversas etapas seqüenciais e integradas, afetando sua percepção e sua escolha em relação a sua relevância e à adequação dos produtos. Samara e Morsch (2005).

Para se chegar ao ponto final, que é a emissão de notas, atentamos, que o cliente passa por várias etapas que o influenciarão, levando em conta os fatores que adéquam ao produto, escolhendo os que atendem os seus requisitos.

3.2. MELHORAMENTO DA PRODUÇÃO

Mesmo quando uma operação produtiva é projetada, e suas atividades planejadas e controladas, a tarefa do gerente de produção não está acabada. Todas as operações, mesmo bem gerenciadas, são capazes de melhoramentos. Recentemente, a ênfase mudou no sentido de que fazer melhoramentos é uma das principais responsabilidades do gerente de produção.

3.3. Prestação de serviços.

A função de acompanhamento e auxílio na prestação de serviços foi desenvolvida no intuito de acompanhar e auxiliar as atividades de mão-de-obra, entre outros serviços prestados na empresa. Dentre eles, auxílio na troca de óleo, acompanhamento do cliente para a troca de filtros, direcionamento do cliente para efetivação do pagamento, pós mão-de-obra. “Produto ou serviço é qualquer coisa que possa ser oferecida aos consumidores para satisfazer suas necessidades e expectativas.” Slack (1999).

Atender as necessidades dos clientes progressivamente é fazer o que é mais sensato para preservar os seus interesses.

3.4. METODOLOGIA

Os estudos dos casos realizados neste trabalho tiveram caráter exploratório. A idéia principal nesta etapa foi de compreender as estratégias de planejamento e controle da produção adotada pela empresa.

A metodologia da pesquisa constou etapas principais que foram: levantamento e revisão bibliográfica e pesquisa de campo. A primeira etapa constituiu-se em uma pesquisa e uma revisão bibliográfica, fornecendo elementos que serviram como base conceitual e instrumental para a etapa seguinte. A segunda etapa constituiu-se de uma pesquisa de campo dentro da empresa. A coleta de dados se deu através de observações diretas feitas na empresa e a análise de documentos.

Por fim, quanto à sua forma de abordagem a utilizada foi a pesquisa quantitativa, devido a exploração de dados obtidos durante a pesquisa de campo.

4. CONSIDERAÇÕES FINAIS

A importância do estágio contribui para a qualificação e crescimento pessoal, apresentando-nos uma melhor visão de mercado, demonstrando a excelência na formação profissional.

Por ser microempresa, foram enfrentadas diversas dificuldades em atuar especificamente na área de gestão da produção, devido a todas as áreas administrativas da empresa estarem interligadas, levando esta, a uma limitação operacional. Com tudo, concluímos que no atual contexto cada vez mais competitivo em que as empresas atuam, planejar e controlar, mais que uma necessidade, será uma imposição. O planejamento é extremamente vital, já que permite à empresa não somente traçar metas e objetivos, mas também incrementar o processo de produção, e ainda pode levar a um maior e melhor conhecimento de sua estrutura. Da mesma forma o controle da produção permite identificar coerências e falhas que possam ocorrer, impedindo que prejudiquem o andamento do processo produtivo.

Tal pesquisa contribui também para ampliar o propósito das atividades de melhoria, que possa ter consciência da importância de aspectos associados ao desenvolvimento de competências para a melhoria da produção. O objetivo principal do estudo realizado foi identificar tais competências, sendo que o termo competência não foi relacionado ao indivíduo em si, mas abordado segundo o aspecto operacional e de gestão das atividades de melhoria da produção.

O problema encontrado durante a pesquisa de campo não foi solucionado, por se fazer necessário uma decisão do colaborador externo, no que diz respeito às áreas interligadas, como foi citado anteriormente. Para sugerirmos soluções para os problemas encontrados dentro de uma empresa, antes temos que identificar e entender os motivos que tornam alguma coisa falha, sendo assim, para tais problemas sugerimos: aumento no quadro de funcionários, o desenvolvimento e treinamento de colaboradores chave para a empresa, criação de setores específicos para cada área, aperfeiçoamento da prestação de serviços e crescimento da estrutura física, com vistas a possibilitar o aumento da qualidade e capacidade de produção da empresa.

5. REFERÊNCIAS:

CORRÊA, Henrique L.; CORRÊA, Carlos A. Administração de Produção e Operações. São Paulo: Atlas, 2004.

DIAS, Marco Aurélio P. Administração de Materiais: Princípios, conceitos e gestão. 5. Ed. São Paulo. Atlas, 2005.

LAUGENI, Fernando P.; MARTINS, Petrônio G. Administração da produção. São Paulo: Saraiva, 2005.

NOVAIS, A. G. Logística e Gerenciamento da Cadeia de Abastecimento. Rio de Janeiro: Campus, 2004.

POZO, Hamilton.  Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais: Uma abordagem logística. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 2007.

SAMARA, Beatriz S.; MORSCH, Marco A. Comportamento do Consumidor. São Paulo. Pearson Prentice Hall, 2005.

SLACK, Nigel et al. Administração da Produção. 2. Ed. São Paulo. Atlas, 2002.


Publicado por: Adenilsio Rodrigues da Cunha

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Monografias. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.