Topo
pesquisar

CENÁRIO, ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E SEUS PARADIGMAS

Administração e Finanças

Estabelecer e examinar relações humanas no ambiente de trabalho através da participação e comportamento dos indivíduos na sua dinâmica organizacional e compreender a complexidade envolvida nas relações interpessoais.

índice

1. RESUMO

A área de estudo do comportamento organizacional tem passado por grandes avanços; novas teorias têm surgido, bem como outras validades ainda mais. Baseia-se em resultados de pesquisas cada vez mais sólidos, empregando idéias e modelos conceituais úteis retirados de muitas das ciências comportamentais para tornar os gerentes mais eficazes. O comportamento organizacional objetiva compreender as atividades básicas e as melhorias práticas associadas ao diagnóstico das necessidades de desenvolvimento dos membros de grupos nas organizações para alcançar-se um alto potencial de empregados, de lideres, e de executivos. O comportamento organizacional apresenta conceitos fundamentais os quais se relacionam com a natureza das pessoas (as diferenças individuais, a percepção, a pessoa como um todo, o comportamento motivado, o desejo de envolvimento e o valor da pessoa) e com a natureza das organizações (sistemas sociais, interesse mútuo e a ética). A gestão eficaz pode assim ser alcançada de maneira bem mais sucedida com a compreensão e a utilização das abordagens de recursos humanos, contingencial, orientada para que a organização chegue a resultados de maneira sistêmica. O estudo do comportamento organizacional é um campo interdisciplinar e valioso para os administradores.

Palavras-chave:

Comportamento organizacional.

Scaramuzza,Bruno Cezar Comportamento Organizacional: Processos Gerenciais/ Bruno Cezar Scaramuzza. - São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.

2. INTRODUÇÃO

Gestão Empresarial e de Recursos Humanos

CENÁRIO, ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E SEUS PARADIGMAS

Em meio às crescentes e incessantes transformações sócio-organizacionais, faz nos pensar e indagar sobre a expressão: “sociedade do comportamento”. Diante dessa questão, é necessária a definição: quais as exigências que se impõem no contexto das novas dinâmicas organizacionais?

É importante o estudo do Comportamento Organizacional, visto que é um tema o qual acompanha as mudanças que a todo instante o mundo sofre.

A busca de mudanças nos modelos mentais das organizações pela valorização de soluções mais criativas, flexíveis e adaptáveis, baseadas não mais em um “modelo ideal de gestão” a ser seguido, mas em mudanças continuas e no resgate da identidade da organização, seja pela visão processual implícita na sua lógica, seja pela ênfase no coletivo ou pela premissa de renovação, a aprendizagem organizacional é uma abordagem que apresenta alguns pontos em comum com relação aos novos desafios organizacionais. E dessa maneira, não poderia ser reduzida a um “modelo de gestão”, mas deve ser compreendida como um conjunto de processos únicos construídos ao longo da vida organizacional, baseado em suas experiências e especificidades.

Embora apresente avanços, novas teorias têm surgido, mas que ainda carecem do esclarecimento de muitas questões a serem respondidas e maiores oportunidades de desenvolvimento.

É uma linha de pesquisa que deve ser entendido na busca de melhores resultados para as organizações, vencendo desafios e chegar às metas que são os propósitos maiores da empresas.

É exatamente a compreensão da natureza dessas relações humanas que permite ao administrador melhores resultados de seus subordinados.

Considerando-se o contexto organizacional atual, alguns elementos-chaves sinalizam tendências em termos de estrutura e organização do trabalho. Pode-se falar em um ambiente mais dinâmico, onde se destacam a valorização dos processos e a necessidade de “ruptura” de estruturas rígidas. Há ainda o trabalho coletivo, exemplificado pelo trabalho em equipe, no intuito de proporcionar uma gestão mais efetiva das pessoas, envolvendo-as nos processos decisórios.

O comportamento organizacional se preocupa com o estudo do que as pessoas fazem nas organizações e de como este comportamento afeta o desempenho das empresas. Como este estudo está voltado especificamente para as situações relacionadas ao emprego, enfatiza-se o comportamento relativo a funções, trabalho, rotatividade, absenteísmo, produtividade, desempenho humano, e administração.

Embora haja alguma controvérsia sobre a importância relativa de cada um dos tópicos do comportamento organizacional, é consenso que ele inclui componentes básicos como: motivação, poder de liderança, comunicação interpessoal, aprendizado, desenvolvimento de atitudes e percepção, processos de mudanças, conflitos, planejamento e stress no trabalho.

As empresas possuem uma série de valores partilhados pelos indivíduos que nela atuam. Quanto mais valores se partilham, mais forte será a cultura da empresa.

Uma cultura forte pode influenciar de maneira significativa o comportamento das pessoas e assim define-se claramente o que se espera delas. Geralmente, as relações internas são marcadas por um grau de concordância entre os indivíduos, gerando atitudes de comprometimento e identidade com a empresa.

2.1 FATORES DETERMINANTES PARA A EFICIÊNCIA NO ANDAMENTO DA EMPRESA

  • Eficiência nos serviços oferecidos aos clientes e a maneira como são desempenhados, primar pela qualidade e satisfação do cliente; aumentar a produtividade e a qualidade dos produtos;

  • Melhoria das habilidades humanas: motivar, liderar, treinar, tornar o trabalho satisfatório, avaliar o desempenho, tornar a comunicação eficiente;

  • Administrar a diversidade da força de trabalho: um desafio importante e abrangente, ligado às mudanças pelas quais a sociedade tem passado (raça, etnia, deficiências, sexo).Essa diversidade deve convergir para alcançar resultados na organização;

  • Mudança dos processos organizacionais, desafio importante no comportamento organizacional: motivar os colaboradores, mantendo a competitividade frente ao processo cada vez maior da globalização;

  • Melhorar o comportamento ético na organização: gerar um clima eticamente saudável entre os funcionários para que haja maior produtividade e um mínimo de confronto e ambigüidade com comportamentos classificados como certos ou errados.

Variáveis: Estrutura, clima e cultura organizacional, ambiente de trabalho, habilidade interpessoal.

É vital reconhecer o desempenho, aprimorar a capacidade de trabalhar rumo a um objetivo com a construção positiva e de relacionamentos e responder a globalização: aprender a trabalhar com pessoas em diferentes culturas (qualificação, compreensão cultural e adaptação do estilo e gerenciamento), estimular a renovação e mudanças, encorajar a inovação e dominar a arte da mudança para expressar sua competitividade para que haja melhoria das habilidades humanas: motivação, liderança, treinamento, satisfação no trabalho, avaliação de desempenho, comunicação eficiente.

As relações humanas são as ações e atitudes desenvolvidas pelos contatos entre pessoas e grupos. Os indivíduos dentro da organização participam de grupos sociais e mantêm-se uma constante interação social.

Cada indivíduo é uma personalidade diferenciada que influi no comportamento e atitudes uns dos outros com quem mantém contatos. Compreender e assimilar conhecimentos sobre os fundamentos do comportamento organizacional, entender e conhecer alguns elementos das reações e do comportamento humano baseando-se nas relações humanas e no ambiente de trabalho são perceptivas de se reorganizar a partir de medidas inovadoras para a organização.

3. OBJETIVOS

3.1 OBJETIVO GERAL

Estabelecer e examinar relações humanas no ambiente de trabalho através da participação e comportamento dos indivíduos na sua dinâmica organizacional e compreender a complexidade envolvida nas relações interpessoais.

3.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Reconhecer variáveis que influenciam nas atitudes e na percepção individual e grupal dentro da organização.

Elementos de importância para o trabalho com eficácia são as habilidades humanas: Motivação, liderança, treinamento, desempenho, comunicação eficiente, produtividade.

4. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

4.1 INTERAÇÕES HUMANAS NA CONVIVÊNCIA DE UMA ORGANIZAÇÃO

O desenrolar das relações sociais forma uma infinidade de interações entre indivíduos e dentro de organizações. O homem é um ser social e interativo, não vive isolado, mas está em constante convívio e se relacionando com os outros indivíduos. No entanto, há certas limitações individuais e, para saná-las, é necessária a cooperação entre esses indivíduos.

4.2 FORÇAS ESSENCIAIS QUE AFETAM O COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL

Estrutura Tecnologia

(Cargos, relacionamentos) (Máquina, equipamentos Informática e software)

Pessoas Ambiente

(Indivíduos, grupos) (Governo, concorrência, Pressões sociais)

Em meio a muitas interações humanas que acontecem na convivência dos membros de uma organização ou instituição, consolidam-se valores, crenças e hábitos, que por sua vez, determinam comportamentos individuais e coletivos.

A motivação precisa ser positivamente estimulada a fim de que possa liberar todo o potencial das pessoas que compõem a organização e, em conseqüência, maximiza a eficácia daquelas e desta.

A motivação é o empenho de aumentar ou manter tão alto quanto possível a capacidade de um indivíduo, a fim de que este possa alcançar excelência na execução das atividades das quais dependam o sucesso ou fracasso da organização a que ele pertença.

Um gestor deve adotar alguns comportamentos na relação com a equipe de trabalho. São três os princípios facilitadores na motivação das pessoas (VERGARA 1999):

  • Manter e aumentar a auto-estima - Quando existem pessoas satisfeitas consigo mesmas, conseqüentemente há motivação, produção e criatividade. Também há um maior envolvimento para solução de problemas, as oportunidades são mais bem aproveitadas e os desafios são enfrentados com maior facilidade no trabalho em equipe. As pessoas são valiosas, merecendo serem encarados de maneira específica e sincera; elogios são sempre bem-vindos. Por outro lado, não deve ser esquecida a clareza nas situações.

  • Ouvir e responder com empatia – a empatia é compreensão da situação de outrem, havendo compaixão e capacitação do que o outro vivencial. É a demonstração de que há uma relação de entendimento e estímulos a uma cooperação maior. Dessa forma, a pessoa percebe que está sendo atendida e considerada. A resposta empática não quer dizer necessariamente concordar com que o outro está dizendo.

  • Pedir ajuda para solução de problemas – a solicitação da opinião e participação cooperativa traz um estímulo maior para apresentação de idéias e sugestões. Em alguns casos, nem tudo pode ser acatado como bom. Nestas situações, a clareza de objetivos, o porquê do posicionamento de não aceitar idéias “fracas”, é indispensável.

    Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

De uma maneira geral, os princípios facilitadores na motivação das pessoas devem seguir um objetivo especifico de equipe. A gestão bem sucedida assegura que ela baseia em um trabalho eficaz de equipe, adotando o valor do espírito de equipe: trabalhar juntos.

Conceitos e relações existentes entre comportamento organizacional, motivação e desempenho das pessoas em um novo contexto que envolve as relações humanas no estudo da administração.

Nas últimas décadas do século passado, a sociedade passou a contar com a presença maciça das tecnologias de informação e de comunicação (TI) junto ás organizações; passamos a ouvir a expressão “sociedade do conhecimento”, um novo conceito que passou a designar um novo momento de desenvolvimento das sociedades. O momento atual, em meio às crescentes e incessantes transformações sócio-organizacionais, faz-nos pensar e indagar sobre a expressão “sociedade do comportamento”. Diante dessa questão, é necessária definição das exigências que se impõe no contexto das novas dinâmicas organizacionais dentro das empresas. (Scaramuzza,Bruno Cezar,2009 p.01)

Hoje com um ambiente de trabalho cada vez mais competitivo e exigente, os executivos não podem depender apenas de suas habilidades técnicas, eles precisam também de habilidades interpessoais.

O comportamento organizacional consiste no estudo sistemático do comportamento humano focando ações e atitudes dos indivíduos, grupos no ambiente das organizações, no intuito de alcançar produtividade, reduzir o absenteísmo e a rotatividade e promover a cidadania organizacional.

Capacitar profissionais para interagir neste cenário de constantes mudanças é fundamental para pessoas e organizações que pretendem manterem-se competitivas no mercado atual, desenvolvendo competências para conhecer, planejar e intervir nos “processos corporativos”.

Estas competências devem abranger diversas áreas como:

  • Aprender a lidar com situações e decisões complexas;

  • Desenvolver a “visão estratégica”;

  • Mobilizar recursos;

  • Comunicar-se de forma assertiva;

  • Melhorar as capacidades interpessoais;

  • Propiciar o comprometimento com a empresa;

  • Compromisso com mudanças;

  • Descobrir e manter talentos.

5. METODOLOGIA

Caracterização do Projeto:

Pesquisa Descritiva utilizada no Diagnóstico Organizacional

A pesquisa descritiva observa, registra,analisa e correlacionam fatos ou fenômenos. Busca conhecer as diversas situações e relações que ocorrem na vida social, política, econômica e demais aspectos do comportamento humano.

TIPO DE PESQUISA

Estudos descritivos e Pesquisa de Motivação

Pesquisa Bibliográfica - Fundamentação teórica para justificar e contribuir com a pesquisa. (Scaramuzza,Bruno Cezar Comportamento Organizacional)

A pesquisa bibliográfica procura explicar um problema a partir de referências teóricas publicadas em artigos, livros, dissertações e teses. Pode ser realizada independentemente ou como parte da pesquisa descritiva ou experimental.

Delimitação de Estudo:

Estágio Supervisionado na Empresa RAIMUNDA M.B DE ARAÚJO ME

CH: 60 horas

Coleta de Dados:

Entrevista realizada com a gestora da empresa Ray Derm – ME

Sra. Raimunda Barreto de Araújo

Aplicação da Pesquisa: Entrevista estruturada com roteiro elaborado e perguntas planejadas.

A entrevista estruturada pode ser aplicada em pesquisa nas várias áreas do conhecimento.

Observação Participante

Objetivo: se inteirar completamente do cotidiano dessas pessoas e, assim, absorver todas as informações para o estudo.

Análise e Interpretação de Dados:

A Análise Qualitativa permite que o pesquisador se aprofunde no estudo do fenômeno ao mesmo tempo em que tem o ambiente natural como fonte direta para a coleta de dados.

Na Análise Qualitativa, foi permitida uma análise do ambiente mais diretamente para a coleta de dados.

6. CARACTERIZAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO EM ESTUDO

Nome da empresa: RAIMUNDA M.BDE ARAÚJO ME

Endereço: Rua Jorge Winter – 188 – Taubaté-SP

Telefone/ Fax: 12- 3631-3535

E-mail:rayderm@rayderm.com.br

Nome dos sócios:

Micro Empresa – Raimunda Barreto de Araújo

Nome cargo e chefia direta:

Raimunda Barreto de Araújo – Diretora

Ramo de atividade:

Comércio na área de Cosméticos-Atende esteticistas, cabeleireiros, Dermatologistas.

Gestão de Pessoal – Administradora

Recursos Humanos ou Relatar como se dão os processos de recrutamento, seleção e treinamento.

Não há um departamento formalizado de RH.

A própria diretora/administradora é quem coordena os processos de recrutamento e seleção, formada no curso superior de Recursos Humanos pela Unopar.

Responsáveis /Nomes e cargos:

Raimunda Barreto de Araújo – Diretora/gestora

Número de empregados da empresa:

09 (nove) empregados

Categoria dos profissionais que atuam na empresa:

Gerente de Vendas, Caixa, Vendedores interno e externo, moto-girl, auxiliar administrativo.

Divisão Técnica de trabalho na empresa: divisão das tarefas

Diretora/Gestora: Cuida dos processos de recrutamento/seleção, administradora de pessoal e financeiro.

Vendedores internos: atendimento/ vendas

Vendedores externo: vendas externas/ visitas a clientes

Entregadora/Moto-Girl: Encarregada de entregar os produtos

Professores: que atuam no treinamento de como fazer uso do produto

Auxiliar Administrativo: Auxilia nos serviços administrativos

Organograma da empresa:

Direção/Gestão Depto Administrativo Professores(Treinamento)

Gerente de vendas Vendedor interno e externo Entregadora

Bens, serviços desenvolvidos pela empresa:

Produtos/Cosmético-Linha Bio Vegetal

Vendas

Cadeia de Suprimentos:

Fornecedor: VITA DERM-(Franquia)

Franquiada da Vita Derm /Cosméticos.

Ray Derm – ME

HISTÓRICO DA EMPRESA

Fundada em 11/05/2001.

Iniciou-se com a franquia em 2001. O propósito era trabalhar apenas com franquias, mas surgiu a necessidade de ampliar abrindo o Centro Técnico para formação dos profissionais da área (funcionários) direcionado aos clientes que compram os produtos.

Política Ambiental:

Preocupação com a sustentabilidade: Reciclagem das embalagens utilizadas

7. PROPOSTA DE INTERVENÇÃO

Comunicação eficiente e necessidade de uma supervisão direta/gerente.

A empresa não possui um gerente geral, o qual poderia dar suporte para diretora/gestora, monitorar as equipes de trabalho, motivando e comunicando com eficiência as tarefas e responsabilidades de cada colaborador.

Análise minuciosa: Avaliação das práticas de gestão

Com base no diagnóstico:

Sugestão: Novo organograma e direcionamento para uma supervisão direta de equipes de trabalho: um gerente geral.

A adequação do organograma, o qual é entendido como distribuição de tarefas e responsabilidades de cada colaborador, evidencia de modo sintético as funções, as tarefas e as responsabilidades de cada cargo existente na organização.

A empresa em questão apresenta certo grau em inovação que freqüentemente favorece o trabalho em equipe. Porém, o processo de implantação e viabilidade de um gerente geral sugere a delegação e planejamento de tarefas de uma forma mais organizada e as atividades de rotina de responsabilidade gerencial da diretora/gestora, poderão ser mais bem distribuídas.

Há uma necessidade de uma supervisão direta para as equipes e grupos de trabalho, com isso a reestruturação do organograma da empresa.

Esta providência sendo tomada irá beneficiar diretamente a diretora/gestora que tem a responsabilidade de várias funções ao mesmo tempo.

A busca do trabalho em conjunto exige um gerente. Ele terá as habilidades que são consideradas essenciais para a empresa. Por exemplo: a empatia, a sociabilidade, o saber ouvir, dar e receber feedback,alcançar de modo responsável as metas estabelecidas e têm crença na capacidade do grupo que lhe permite superar conflitos e alcançar melhores resultados.

Observamos na literatura administrativa há certo consenso quanto às atribuições básicas de gerência, quais sejam: dirigir, organizar e controlar pessoas ou grupos de pessoas (MATTOS, 1985). É uma função que lida com pessoas, sendo o responsável pela execução dos objetivos da organização. O produto do seu trabalho é avaliado através do desempenho de sua equipe.

A concepção, o planejamento e o controle passam a construir atividades distintas daquela da execução. Quem executa não é quem planeja e controla. Nesse sentido, a gerência está associada à idéia de planejamento e controle; o controle é o conceito fundamental em todos os sistemas gerenciais (BRAVERMAN, 1981).

Sendo o papel do gerente: planejar, organizar, coordenar, controlar e avaliar o trabalho para que a organização possa atingir seus objetivos, ele deve possuir conhecimentos e habilidades aperfeiçoados de planejamento e controle das atividades organizacionais.

Cabe à organização articular uma combinação equilibrada das várias competências que possui em seu quadro de colaboradores para criar, desenvolver e oferecer ao mercado produtos e serviços diferenciados, criando seu diferencial competitivo.

Perante o mercado extremamente dinâmico, torna-se estratégico a organização associar a competência essencial a um ciclo sistemático de gestão de pessoas e inovação tecnológica.

Desta forma, fica comprovada a importância vital para a empresa da presença de um gerente de pessoal. Um gerente que tenha visão abrangente, que perceba pequenos detalhes que possa melhorar a vida no trabalho.

8. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Preparar as pessoas e as organizações para os desafios do futuro exige um contínuo repensar e aprender de novas formas de comportamento de todos os participantes da organização.

Conhecer pessoas, processos de grupos, cultura organizacional e o modo como esses processos interagem entre si passou a ser uma exigência essencial de qualquer gestor que almeje sucesso no mundo dos negócios e das organizações.

Talvez a estratégia motivacional mais básica para os gestores seja a boa comunicação com os membros da organização. A comunicação eficaz pode satisfazer necessidades humanas básicas, como o reconhecimento, a noção de pertinência e a de segurança.

É cada vez mais importante que se construa nas organizações, a idéia de que a eficácia não é resultado de um esforço apenas individual, mas sim, resultado de ações sinérgicas, com forte sentido de COOPERAÇÃO.

9. REFERÊNCIAS

Scaramuzza,Bruno Cezar
Comportamento Organizacional: Processos Gerenciais/ Bruno Cezar
Scaramuzza. - São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.

Junior, Dirceu Casa Grande
Processos Administrativos: processos gerenciais/ Dirceu Casa Grande
Junior. -São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.

Silva, Rafael Bianchi
Gestão de pessoas: processos gerenciais/ Rafael Bianchi
Silva. - São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2009.


Publicado por: Alaide de Souza Silva

  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Monografias Brasil Escola