A gestão empresarial e o ciclo PDCA

Administração e Finanças

Estudo sobre como deixar o processo de gestão mais simples e acessível.

índice

1. RESUMO

A gestão empresarial tem a função de planejar, alocar e gerir recursos, princípios, iniciativas, ações e estratégias, sempre procurando um modo de alcançar os objetivos propostos por uma empresa. Para o gerenciamento de uma empresa é necessária a implantação do ciclo PDCA, uma sigla inglesa que significa Plan – planejar, Do – executar, Check – controlar e Act – agir; disseminado pelo mundo por Deming. Esse ciclo tem como objetivo deixar os processos de gestão mais claros, sendo dividido em quatro passos: começando pelo planejamento, em seguida pela ação, checagem do que foi feito e por fim a correção dos problemas que possam surgir, realizando as melhorias necessárias, podendo ser aplicada em diferentes âmbitos organizacionais. A correta aplicação desse método gera a possibilidade de diversas vantagens, tal como o aumento do lucro, diminuindo gastos e custos desnecessários. Esse trabalho teve como método a pesquisa cientifica de revisão de literatura. Onde o mesmo servirá como material de consulta para interessados em aprofundar conhecimento e até mesmo implantar a ferramenta denominada Ciclo PDCA.

Palavras-chave: Ciclo PDCA; Gestão empresarial; lucro.

GOMES, Luana Schubert. Business management and the PDCA cycle. 2019. 30 pág. Trabalho de Conclusão de Curso de Administração – Faculdade Anhanguera, Taubaté, 2019.

ABSTRACT

The business management have the function of plan, allocating and maintaining resources, principles, initiatives, actions and strategies, always looking for a way to achieve the goals proposed by a company. For the management of a company it is necessary to implement the PDCA cycle, which means Plan - plan, Do - execute, Check - control and Act - act; spread throughout the world by Deming. This cycle aims to make management processes clearer, being divided into four steps: starting with planning, then action, checking what has been done and finally correcting problems that may arise, making the necessary improvements, be applied in different organizational contexts. The correct application of this method generates the possibility of several advantages, such as increased profit, reducing unnecessary expenses and costs. This work had as a method the scientific research of literature review. Where it will serve as a reference material for those interested in deepening knowledge and even implanting the tool called the PDCA Cycle.

Key-words: PDCA cycle; Business management; Profit

2. INTRODUÇÃO

O tema escolhido para o objeto de estudo em questão é a gestão empresarial e o ciclo PDCA, onde este é de suma importância para que toda e qualquer organização possa definir seus objetivos e metas, investir na melhoria continua e assim se adequar ao mercado de competição.

Apesar de o ciclo PDCA ser uma ferramenta de planejamento que pode ser aplicada em diferentes níveis estratégicos, e busca sempre a melhoria continua, alguns empresários ainda não conseguem aplicar de forma competente, para que este tipo de planejamento traga para sua organização a real vantagem competitiva. O ciclo PCDA é um método utilizado na gestão, baseado em quatro passos: planejar, checar, fazer e agir, onde seu objetivo é promover a melhoria contínua nos processos. Foi apresentado ao mundo por Edwards Deming, onde o mesmo acreditava que todos da empresa deveriam estar igualmente envolvidos pela qualidade dos processos.

A melhoria continua fundamenta-se em um processo cujo qual objetivo principal é analisar o processo que está sendo exercido dentro do ambiente profissional e propor as devidas melhorias, gerando como consequência o aumento da produtividade e a redução de custos.

Este trabalho é relevante, pois com a utilização do ciclo PDCA se evita possíveis erros nas análises e padroniza informações para o controle de qualidade. Por ser uma ferramenta de melhoria continua, não existe previsão para o fim de sua aplicação, a cada ciclo concluído, é iniciado outro, sendo assim, cada vez que o ciclo se repete, o próximo propende a ser mais complexo.

O problema desta pesquisa consistiu em apresentar a influência do ciclo PDCA no conhecimento e resolução de problemas na gestão empresaria, onde o objetivo principal do estudo demonstrar a influência do ciclo PDCA para conhecimento e resolução de problemas nas tomadas de decisões dentro das organizações, consequentemente seus objetivos secundários são evidenciar a influência do ciclo PDCA na gestão empresarial, detalhar métodos e conceitos necessários para que seja possível a aplicação da ferramenta conhecida como o Ciclo PDCA nos diferentes âmbitos organizacionais e apresentar as devidas vantagens competitivas que pode-se obter com a implementação do ciclo PDCA

A natureza deste trabalho de conclusão de curso foi realizada em forma de pesquisa cientifica de revisão de literatura. Onde o mesmo servirá como material de consulta para interessados em aprofundar conhecimento e até mesmo implantar a ferramenta denominada Ciclo PDCA. Todas as fundamentações e pesquisas para o aprofundamento do tema e dos objetivos serão realizados através de livros disponibilizados em diferentes bibliotecas da região de Taubaté que foram publicados dentro de 20 anos, contando também com um livro em especial que será disponibilizado pelo professor José Manoel Quinquiolo datado em 1982 escrito por William Edwards Deming, o responsável pela popularidade do ciclo PDCA, dissertações de mestrado e também por materiais eletrônicos que são disponibilizados na internet em sites de fomento acadêmico.

3. A influÊncia do Ciclo pdca NA gestão empresarial

A gestão empresarial possui o objetivo principal de executar ações através de pessoas, gerando um trabalho conjunto para atingir objetivos em comum. Ela se relaciona com a organização de processos, planejamento estratégico, análises de custos, compras, vendas, pagamentos e recebimentos, contratações e demissões. Sendo assim, cada uma dessas áreas depende de boas práticas específicas de gestão.

O administrador precisa saber como agir corretamente com os colaboradores, manter-se sempre atualizado e ainda conseguir observar tudo que ocorre ao seu redor. Analisando desta forma a gestão empresarial é de grande importância para a sociedade, pois sem a mesma, as empresas e organizações não conseguiriam atingir seus objetivos e metas planejadas.

Como toda empresa precisa metas para atingir seus devidos objetivos, existem diversas ferramentas de estudo dentro da administração, que são capazes de ajudar a atingir este propósito. Uma delas é o Ciclo PDCA, que tem o intuito de identificar erros e problemas nos processos.

De acordo Gaspar, Gomez e Miranda (2010) o ciclo PDCA foi empregue por William Edwards Deming para o uso de métodos de amostragem e estatística. Deming considera que as empresas necessitam aplicar atividades de forma continua em relação aos processos. O ciclo PDA, também conhecido de o Ciclo de Deming, tem como característica tornar os processos de gestão de qualidade mais claros e ágeis, onde são divididos em quatro passos: planejamento, ação, checagem para verificar se as ações estão conforme o planejado e por fim age-se com o intuito de eliminar defeito no produto ou na execução dos processos.

Comparando as ideias dos autores acima, é possível constatar que embora Deming seja conhecido como o fundador do ciclo PDCA, ele apenas tornou a ferramenta acessível e divulgou a mesma, o responsável pela criação desta ferramenta utilizada até o ano de 2019, foi Walter Andrew Shewhart, esta técnica possui impacto direto na gestão empresarial, visto que a mesma consegue identificar erros nos processos de produção.

Segundo os autores Paulo Sertek, Ari Guindani e Tomás Martins (2007), dentro da administração de empresas existe uma técnica que facilita o entendimento de controle dos processos, que se denomina ciclo PDCA (planejamento, desenvolvimento, controle e avaliação). Esta ferramenta foi introduzida no Japão por Walter A. Shewart, após a Primeira Guerra Mundial, em 1920, embora tenha sido introduzido por Shewart, o responsável pela divulgação pelo o mundo foi Deming, no ano de 1950.

A Teoria Clássica foi iniciada por Henri Fayol, esta teoria se caracterizava pela ênfase na estrutura que a organização deveria possuir para ser eficiente, ela prescrevia os elementos da administração, e o que os administradores devem adotar em cada atividade.

Para Ferreira (p.14),

Henri Fayol é fundador da teoria clássica da administração. Fayol defendia que a prática administrativa era sistemática e por isso poderia ser identificada e analisada. A sua preocupação era aumentar a eficiência da empresa através de sua organização e da aplicação de princípios gerais de Administração. Segundo STONER (1999, p.27) Fayol acreditava que com previsão científica e métodos adequados de Administração, os resultados satisfatórios eram inevitáveis (...).

Henri Fayol foi o responsável por desenvolver os catorzes princípios da administração na empresa, proporcionando um controle gerencial administrativo mais eficaz, trazendo como consequência positiva, a otimização da lucratividade na empresa. Este processo foi importante para a evolução da administração, pois através do mesmo foi possível desenvolver as funções planejar, prever, organizar, dirigir e controlar.

Na opinião de George e Jones (2004), “Os 14 comandos de fayol são:

  • Divisão do trabalho: A especialização do cargo e a divisão de trabalho devem aumentar a eficiência, especialmente se os gerentes tomarem medidas para atenuar o desinteresse dos trabalhadores.

  • Autoridade e Responsabilidade: Os gerentes têm o direito de dar ordens e têm o poder de incitar os subordinados a obedecer.

  • Unidade de Comando: Um funcionário deve receber ordens de um único superior.

  • Linha de Autoridade: A extensão da cadeia de comando que vai de alto a baixo em uma organização deve ser limitada.

  • Centralização: A autoridade não deve ser concentrada no topo da cadeia de comando.

  • Unidade de direção: A organização deve ter um único plano de ação para guiar os gerentes e os trabalhadores.

  • Equidade: Todos os membros da organização têm direito de ser tratados com justiça e respeito.

  • Ordem: O arranjo de posições organizacionais deve maximizar a eficiência organizacional e fornecer aos funcionários oportunidades satisfatórias de carreira.

  • Iniciativa: Os gerentes devem permitir que os funcionários sejam inovadores e criativos.

  • Disciplina: Os gerentes precisam criar uma força de trabalho que lute para atingir os objetivos organizacionais.

  • Remuneração do Pessoal: O sistema que os gerentes usam para recompensar os funcionários deve ser equitativo tanto para os funcionários quanto para a organização.

  • Estabilidade no Emprego: Funcionários antigos desenvolvem habilidades que podem aprimorar a eficiência organizacional.

  • Subordinação de Interesses Individuais ao Interesse Comum: Os funcionários devem entender como o seu desempenho afeta o desempenho de toda a organização.

  • Espírito de Grupo: “Os gerentes devem incentivar o desenvolvimento de sentimentos compartilhados de camaradagem, entusiasmo ou dedicação a uma causa comum”.

Na opinião de Chiavenato (2006, p. 13),

Como toda a ciência, a Administração deve se basear em leis ou em princípios. Fayol definiu os “princípios gerais” de Administração, sistematizando-os sem muita originalidade, por quanto os coletou de diversos autores de sua época. Fayol adota a denominação princípio, afastando dela qualquer ideia de rigidez, pois nada existe de rígido ou absoluto em matéria administrativa. Tudo em Administração é questão de medida, ponderação e bom senso. Os princípios são universais e maleáveis e adaptam-se a qualquer tempo, lugar ou circunstância.

Figura 1- Princípios de Fayol

Fonte: https://pt.slideshare.net/deboramiceli/04-teoria-clssica-12677933

A partir da apresentação da figura acima, pode-se compreender de forma clara e objetiva a base de estudo de Fayol para criação dos 14 princípios da administração. Chiavenato (2004, p.74) diz que, “para Fayol, há uma proporcionalidade da função administrativa que se repare proporcionalmente por todos os níveis da empresa”.

Fayol ao desenvolver os quatorzes comandos na empresa, proporcionou que houvesse um maior controle na administração, facilitando a gestão da gerência sobre seus colaboradores, assim trazendo benefícios a todos, pois se há um bom gerenciamento as chances de se obter um lucro ou uma otimização na lucratividade da empresa são maiores.

Através das citações acima é possível entender como ocorreu à evolução da administração desde a época de Fayol até a implantação da ferramenta da qualidade a qual este trabalho está sendo discorrido. É possível também perceber em como os 14 comandos de Fayol possibilitaram a criação do ciclo PDCA.

Todas as organizações com fins lucrativos sejam de pequeno ou grande porte, necessitam ter como objetivo o aumento do seu lucro, oferecendo produtos/serviços de qualidade. O ciclo PDCA deve ser utilizado para atingir esse objetivo, já que o mesmo tem como característica a análise de erros e problemas que ocorrem durante os processos, e assim buscar uma solução efetiva para o mesmo, principalmente em épocas que o país onde a organização esteja instalada se encontre em crise econômica.

É importante salientar que a empresa como um todo deve estar comprometida e possua como valor organizacional esta filosofia de melhoramento contínuo, inteirando-se dos processos, bens ou serviços. O uso desta ferramenta de análise de problemas, manutenção e de melhoria dos resultados é uma forma fundamentada para se adquirir o real comprometimento dos envolvidos no almejado desenvolvimento e crescimento da organização.

Visto toda influência do ciclo PDCA na gestão empresarial, o próximo capitulo abordará detalhes sobre os métodos e conceitos necessários para que seja possível a aplicação da ferramenta conhecida como o Ciclo PDCA nos diferentes âmbitos organizacionais.

3.1. Métodos e conceitos necessários para a aplicação correta do Ciclo PDCA nos diferentes âmbitos organizacionais

O ciclo PDCA é de extrema importância para o conhecimento de erros dentro da gestão de processos, além de reconhecimento dos mesmos, com a ferramenta é possível encontrar também as soluções, realizando assim um processo de melhoria contínua.

Segundo Dennis (2008, p. 60),” O PDCA é aparentemente simples. Porém possui níveis de entendimento que levam uma vida inteira para compreender completamente. A melhor forma de aprender o PDCA é praticando sob a supervisão de bons senseis”.

Baseando-se por meio da afirmação de Dennis, o ciclo PDCA apesar de parecer simples, para sua aplicação é necessário estuda-lo profundamente, com ajuda de bons senseis para que seja aplicado de forma correta. Porém conforme opinião abaixo do autor M. Filho, pode ser observado que este tipo de opinião varia de autor para autor

O autor M. Filho (2008, p. 114), diz que o ciclo PDCA “Trouxe para a prática um método simples e racional aplicável a qualquer atividade da indústria e mesmo fora dela, pois a utilização do ciclo PDCA ajuda o gestor a procurar sempre a melhoria contínua”.

Através desta divergência de opiniões é possível traçar a confirmação de que o ciclo PDCA não é uma ferramenta cuja aplicação é complexa, mas isso pode variar dependendo do nível de melhoria que se deseja atingir, por isso para que seja aplicada corretamente, deve ser realizado um estudo prévio e se possível com acompanhamento de alguém experiente em PDCA.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Os autores Gaspar, Gomez e Miranda (2010, p. 62) afirmam que “Devido ao PDCA trabalhar com referência sobre processos, ele pode ser utilizado em qualquer empresa para garantir o sucesso nos negócios, independente da área ou do departamento”.

De acordo com J.Fitzsimmon e M. Fitzsimmon( 2008) a abordagem de Deming, é representada por um ciclo, que consiste em quatro passos, que são: planejar que se resume em escolher e analisar o problema; executar onde é implementação da solução, a verificação dos resultados da mudança; e o último agir para padronizar a solução e refletir sobre aprendizado. O ciclo de Deming é um ciclo repetitivo, com melhorias em qualidade provenientes do processo incremental e continuo.

Figura 2- Ciclo PDCA

Fonte: http://www.sobreadministracao.com/o-ciclo-pdca-deming-e-a-melhoria-continua/

Conforme a figura acima é possível identificar de forma mais clara os quatro passos do ciclo PDCA e suas respectivas características de forma resumida. Através das argumentações anteriores, a aplicação efetiva desta ferramenta deve ser acompanhada de um estudo especifico, desta forma é necessário compreender completamente os quatro passos.

Segundo J. Fitzsimmon e M. Fitzsimmon (2008) definem os quatro passos do PDCA da seguinte maneira “Verificar: Analise e avalie o resultado da mudança, verifique se a solução está provocando o efeito pretendido e observe quaisquer consequências imprevistas. Planejar: O planejamento começa com a escolha do problema. Os problemas aparecerão como mudanças em indicadores importantes para os clientes, tais como a taxa de defeitos ou de reclamações. Restrinja o enfoque do projeto e descreva a oportunidade para melhoria. Executar: Implemente a solução ou a mudança do processo, talvez em uma base de tentativa e erro, monitore o plano de implementação reunindo dados sobre medidas de desempenho e observando o progresso em comparação com determinadas marcas. Agir: Reflita e aja sobre o aprendizado a partir da experiência. Se tiverem sucesso, as mudanças no processo serão padronizadas e comunicadas a todos os trabalhadores envolvidos por meio do treinamento dos novos métodos.

De acordo Gaspar, Gomez e Miranda (2010, p. 62),

Para que um planejamento estratégico realmente aconteça em uma empresa ou departamento, é necessário que a alta administração seja participativa e comprometida. Caso contrário às metas não serão cumpridas se não tiver alguém para cobrar ou se a pessoa não tiver força na organização, pois ninguém se prontificara a executá-las.

A excelência do PDCA se garante com o envolvimento de todos dentro da empresa, desde a alta cúpula até o operacional, todos devem ser participativos e comprometidos, caso contrário as metas estipuladas não serão atingidas, principalmente a alta cúpula da administração, pois quando não há ninguém para cobrar os resultados ou esta mesma não possui poder dentro da organização, ninguém irá se dispor para executar o que é necessário.

Segundo Iyer, Seshadri e Vasher (2009, p. 59),

Planejar, executar, verificar e agir (PDCA). O plano é desenvolvido e utilizado como base para as operações diárias e verificadas a cada seis meses. Com isso, uma ação é adotada no sentido de ajustar o plano e/ou efetuar as mudanças na capacidade da unidade ou dos fornecedores. O resultado é um controle constante, que se repete continuamente. O PDCA é também aplicado ao processo de planejamento em si.

Todo plano que é desenvolvido no momento do planejamento, tem como base as operações diárias e devem ser verificadas a cada seis meses de acordo com os autores acima, desta maneira as ações tomadas ajustam o plano e efetuam mudanças, o resultado gerando é um controle constante, que se repete sempre que necessário.

Figura 3- Ciclo PDCA

Fonte: https://omnivisio.com.br/index.php/2017/12/27/pdca-uma-ferramenta-presente-na-iso-90012015/

Para Iyer, Seshadri E Vasher (2009, p. 59),

Após cada ciclo do planejamento anual, um relatório é preparado para avaliar o processo, esse relatório destaca o que deu certo e o que precisa ser melhorado. Os itens que carecem de aperfeiçoamento são analisados em detalhe para identificar as causas dos problemas e permitir a implementação de medidas para as respectivas soluções

A organização que queira obter melhores resultados, precisa estar ciente de que a cada ciclo terminado se inicia um novo, desta forma, o nível de dificuldade para aplicação aumenta. Apesar do aumento da dificuldade, é importante salientar, que o resultado pode ser a redução total dos erros dentro daquele processo.

Iyer, Seshadri E Vasher (2009, p. 71) afirmam que,

A prática do PDCA- planejar, executar verificar e agir. O PDCA para o processo de planejamento propriamente dito é um método para a tomada ações corretivas quando um novo problema é encontrado. As alterações no processo de planejamento são executadas com a utilização do princípio cientifico

Figura 4- Ciclo PDCA

Fonte: http://www.datalyzer.com.br/site/suporte/administrador/info/arquivos/info80/80.html

Após todo este estudo realizado sobre os métodos de aplicação do ciclo PDCA dentro dos diferentes âmbitos organizacionais, a figura acima consegue apresentar o que é de forma resumida cada passo desta ferramenta, é necessário compreender o que esta ferramenta tão importante pode trazer vantagens competitivas para empresas do mundo moderno. O próximo capitulo apresentará isso de forma clara e expressiva.

4. VANTAGENS COMPETITIVAS ADQUIRIDAS COM A APLICAÇÃO DO CICLO PDCA

A aplicação correta desta ferramenta de melhoria contínua apresentada nos capítulos anteriores pode gerar inúmeras vantagens competitivas, pois com a mesma é possível identificar erros e problemas dentro da gestão de processos, consequentemente fica mais fácil de encontrar uma solução cabível a cada problema encontrado, tendo como resultado final o aumento da produção, diminuição de retrabalhos e perdas, gerando ainda um aumento significativo da lucratividade.

Figura 5- Ciclo PDCA vantagens

Fonte: http://jkolb.com.br/8a-fase-conclusao/

De acordo com Deming Edwards (1982) O ciclo de Shewhart, é de grande ajuda como metodologia para adquirir qualquer tipo de melhora em qualquer estágio evolutivo, e também pode ser utilizado para a identificação de uma causa especial detectada por meio de sinais estatísticos.

Para Moacyr Filho (2007), com o último passo do ciclo PDCA, a checagem, é possível ver o que foi realizado, se estava de acordo com o planejado, de forma cíclica e assim é possível tornar uma ação para eliminar ou diminuir defeitos no produto ou na execução.

O ciclo de Deming tem como principal função de redução e até mesmo a de eliminação de erros que ocorrem durante o processo produtivo dentro de uma organização, a identificação dos problemas e erros é realizada através de uma análise minuciosa mediante os dados estatísticos da empresa.

Para Masiero Gilmar (2007), Deming o disseminador da técnica do ciclo PDCA afirma que as melhorias na qualidade geram uma reação em cadeia e desta forma é possível reduzir custos, que possui como consequência direta ganhos de produtividade.

De acordo com Quinquiolo (2002), é possível considerar valores médios obtidos no período anterior e posterior à implantação do sistema de gerenciamento para melhorias, os resultados encontrados evidenciam ganhos significativos. Com exceção da produtividade da mão-de-obra, conforme mostra a tabela abaixo.

Tabela 1 – Resultados obtidos com os indicadores

Fonte: Quinquiolo, José Manoel. 2002. 107 f. Dissertação (Mestrado em Administração de empresas)

A aplicação do ciclo PDCA, implica diretamente na gestão de qualidade, trazendo melhorias e reduzindo custos que tem como efeito o ganho de produtividade. Através da dissertação de mestrado do autor Quinquiolo, é possível verificar os resultados que são obtidos na aplicação do gerenciamento de qualidade dentro do setor automobilístico, onde houve redução da maioria dos indicadores e seus respectivos problemas trazendo boas porcentagens de evolução.

Os autores Vale Pablo, Bruno Danver e Fernando Borges (2017) aplicaram os quatro passos do ciclo PDCA em uma fábrica brasileira de sucos concentrados, onde os mesmos conseguiram identificar alguns problemas no processo de produção como: programação operacional da produção realizada pelo funcionário responsável do setor, podendo haver um erro de programação; problema de limpeza nos equipamentos devido a erro operacional; problema de limpeza nos equipamentos, devido a erro operacional do colaborador; problema no desvio de processos e manutenção de equipamentos.

G ráfico 1 – Resultados obtidos com os indicadores

Fonte: Vale Pablo, Bruno Denver e Fernando Borges. 2017. 11 f. Estudo de caso (XXXVII Encontro Nacional De Engenharia De Produção)

Através da análise do gráfico acima retirado do trabalho de estudo de caso dos autores citados anteriormente, é claramente visível a diminuição da produção não conforme antes da aplicação do ciclo PDCA (2015) entre após a implantação da ferramenta de melhoria continua (2016). Houve uma queda de aproximadamente 50% nos índices de produção não conforme, o que gera grandes benefícios para empresa estudada, pois a aplicação do ciclo de Deming proporcionou ganhos de demanda e maior confiabilidade ao processo, trazendo ainda maior satisfação aos clientes.

Segundo Zanim Douglas, Santos Zirlene o processo denominado qualidade, tem em vista uma vantagem competitiva pela alta administração. Este pensamento se baseia após a implementação da certificação da qualidade (ISO 9001) no ano 1994, onde foi possível verificar a evolução da qualidade dos produtos, utilizando cartas de controles para fazer os monitoramentos das metas estabelecidas na estratégia gerencial.

Visando expandir ainda mais os resultados esperados através da aplicabilidade do ciclo PDCA, o mesmo deve ser utilizado em complemento de outras ferramentas da administração, como por exemplo, 5W2H, análise de SWOT, diagrama de causa e efeito, fluxogramas entre outras.

Figura 6- Ferramentas da Administração

Fonte: http://www.portal-administracao.com/2017/09/sete-ferramentas-da-qualidade-conceito.html

É importante salientar que os estudos de caso aqui apresentados e seus respectivos resultados se deram pela junção de todas estas ferramentas, pois uma complementa a outra, o que auxilia no processo de tomada de decisões, gerando uma maior vantagem competitiva. Lembrando ainda que nenhuma etapa do ciclo PDCA pode ser pulada e nem ser considerada menos importante e que a disciplina é imprescindível para que tudo saia conforme o planejado e assim atingir os objetivos, através da diminuição e até a extinção dos erros dentro de um processo.

5. Considerações finais

O estudo apresentado comprova uma clara e importante ligação entre a gestão empresarial e o ciclo PDCA. Quando não há aplicação de ferramentas de gestão dentro de qualquer organização, a mesma não consegue alcançar seus objetivos e muito menos identificar erros para que possa aplicar uma solução correta.

O ciclo PDCA tem como função principal essa característica, identificar erros e soluções para os processos, através dos quatro passos do PDCA é possível alisar se tudo está sendo aplicado de forma correta e ao fim de um ciclo é possível iniciar outro, a fim de chegar a menor porcentagem de erro dentro de um processo. O estudo aqui apresentado demonstra como aplica-lo de modo correto e também suas diversas vantagens, que foram também apresentadas em estudos de casos já realizados, onde o leitor pode ter certeza que este método é efetivo.

É importante salientar mais uma vez de que para aplicação deste método da administração que é utilizado a décadas, é necessário que todos dentro da organização estejam envolvidos e comprometidos de forma igual. É válido lembrar que neste trabalho também foram apresentadas algumas outras ferramentas que também podem ser aplicadas juntamente com o PDCA com a finalidade de maximizar os resultados, mas que devem ser estudadas de forma profunda assim como o PDCA.

6. REFERÊNCIAS

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução a Teoria Geral Da Administração Compact. Rio de Janeiro: Elsevier Brasil, 2004. 74 p.

CHIAVENATO, Idalberto. Administração Geral e Pública.Rio de Janeiro: Elsevier Brasil. 2006. 13 p.

DEMING, William Edwards. Qualidade: A revolução da administração. 1 ed. São Paulo: Editora Marques Saraiva,1982. 367 p.

DENNIS, Pascal. Produção Lean Simplificada. 1 ed. São Paulo: Bookman, 2008. 192 p. Disponível em: < http://books.google.com.br/books?id=V8hK2KJjwsQC&pg=PA160&dq=pdca&hl=ptBR&as=X&ei=Ht1FU_mzD4nmsAS3vILICw&ved=0CFQQ6AEwBQ%20%20v=onepage&q=pdca&f=false#v=onepage&q&f=false > Acesso em 10/10/2018.

FAJARDO, Elias; COELHO, Claudio Ulysses Ferreira. Práticas Administrativas em Escritórios. Rio de janeiro: SENAC, 2007. 14 p.

FILHO, Moacyr Paranhos. 40 Ferramentas e Técnicas de Gerenciamento. 1 ed. São Paulo: Brasport, 2007. 272 p. Disponível em: Acesso em: 01/10/2018

FILHO, Moacyr Paranhos. Gestão da Produção Industrial. 2 ed. Curitiba: IBPEX, 2008; 337 p. Disponível em: Acesso em: 01/10/2018

FITZSIMMON, James A.; FITZSIMMON Mona J. Administração de Serviços: Operações, Estratégia e Tecnologia da Informação. 6 ed. São Paulo: McGraw-Hill, 2008. 553 p. Disponível em: < http://books.google.com.br/books?id=EY6m74pXm0UC&pg=PA179&dq=planejar%2Bexecutar%2Bverificar%2Bagir&hl=ptBR&sa=X&ei=tN5FU87GA4_jsATzlIKoBQ&ved=0CDcQ6AEwAQ%20%20v=onepage&q=planejar%2Bexecutar%2Bverificar%2Bagir&f=false#v=onepage&q&f=false> Acesso em: 01/10/2018

GASPAR, Marcelo; GOMEZ, Thierry; MIRANDA, Zailton. T.i. - Mudar E Inovar - Resolvendo Conflitos. 1 ed. Distrito Federal: Senac, 2010. 328 p. Disponível em:<http://books.google.com.br/books?id=TXJesLVC_sUC&pg=PA322&dq=planejar%2Bexecutar%2BverifiBve%2Bagir&hl=ptBR&sa=X&ei=tN5FU87GA4_jsATzlIKoBQ&ved=0CDAQ6AEwAA#v=onepage&q=pdca&f=false>Acesso em: 28/09/2018

IYER, Ananth V.; SESHADRI, Sridhar; VASHER, Roy.A Gestão da Cadeia de Suprimentos da Toyota.1 ed. São Paulo: Bookman,2009. 236 p.

JONES, Gareth; GEORGE, Jennifer. Administração contemporânea. São Paulo:McGraw – Hill, 2008.

MASIERO, Gilmar. Administração de empresas: teoria e funções com exercícios e casos. 1 ed. São Paulo: Saraiva, 2007. 531 p.

PENATTI FILHO, I.; ZAGO, J. S.; QUELHAS, O. Absenteísmo: As conseqüências na gestão de pessoas. Anais do III SEGeT - Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia. Resende, 2006.

QUINQUIOLO, José Manoel. AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE UM SISTEMA DE GERENCIAMENTO PARA MELHORIAS IMPLANTADO NA ÁREA DE CARROCERIA DE UMA LINHA DE PRODUÇÃO. 2002. 107 f. Dissertação (Mestrado em Administração de empresas) – Departamento de Economia, Contabilidade, Administração e Secretariado da Universidade de Taubaté, Taubaté, 2002.

SERTEK, Paulo; GUINDANI, Roberto Ari; Martins, TOMÁS Sparano. Administração e Planejamento Estratégico. 2 ed. Disponível em: Acesso em: 28/09/2018.

VALE, Pablo Dione do; BRUNO Danver Messias; BORGES, Fernando Hagihara. APLICAÇÃO DA FERRAMENTA PDCA: UM ESTUDO DE CASO NO PROCESSO DE PRODUÇÃO DE SUCO CONCENTRADO. 2017. 11 f. Disponível em: http://www.abepro.org.br/biblioteca/TN_STO_239_388_34701.pdf.

ZANIM, Douglas Machado; SANTOS, Zirlene. ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DO CICLO PDCA DE MELHORIAS PARA AUMENTO DA VANTAGEM COMPETITIVA: O CASO DE UMA MINERADORA LOCALIZADA EM MINAS GERAIS. 7 f. Disponível em: http://www.simpep.feb.unesp.br/anais/anais_13/artigos/1256.pdf


Publicado por: Luana Schubert GOmes

O texto publicado foi encaminhado por um usuário do site por meio do canal colaborativo Monografias. O Brasil Escola não se responsabiliza pelo conteúdo do artigo publicado, que é de total responsabilidade do autor. Para acessar os textos produzidos pelo site, acesse: http://www.brasilescola.com.