Topo
pesquisar

Física

O curso de Física forma profissionais capazes de fazer modelos, criar previsões e estabelecer leis matemáticas que descrevem os fenômenos físicos.
Grande parte dos cursos de Física requer um trabalho de conclusão em forma de monografia.
Grande parte dos cursos de Física requer um trabalho de conclusão em forma de monografia.

A Física é uma ciência da natureza que estuda as diferentes formas de energia e a sua interação com a matéria. A Física é dividida em diversas áreas de estudo, tais como: Mecânica, Eletricidade e Magnetismo, Ondulatória, Física Moderna, Física Nuclear, Biofísica, Ensino de Física, Mecânica Quântica, entre outras.

O que faz um físico?

Os físicos dedicam-se ao estudo de fenômenos naturais criando teorias, estabelecendo leis matemáticas, desenvolvendo modelos que simulem a natureza, analisando dados estatísticos ou realizando experimentos rigorosamente controlados. A pesquisa em Física procura por padrões que permitam prever o acontecimento e as consequências de fenômenos naturais, mas, também, procura aplicá-los em novas tecnologias que possibilitem a melhoria do bem-estar humano e o avanço do desenvolvimento científico.

Grande parte dos bacharéis em Física que se formam no Brasil dedica-se à pesquisa acadêmica nas universidades. Aqueles que optam pelo curso de licenciatura dedicam-se ao ensino, lecionando para alunos do Ensino Médio e Fundamental.

Alguns setores costumam contratar físicos em razão de suas habilidades matemáticas. Bancos, indústrias e empresas de tecnologias beneficiam-se da capacidade dos físicos de criar modelos e fazer previsões matemáticas, contratando-os como analistas, por exemplo.

Como é o curso de Física?

O curso de Física tem duração média de quatro anos, podendo ser ofertado em período integral ou não. Geralmente, as instituições de ensino ofertam duas modalidades de curso: o bacharelado e a licenciatura. A primeira modalidade é voltada para a pesquisa acadêmica em Física, enquanto a segunda é voltada para o trabalho docente. Físicos habilitados com a licenciatura podem lecionar em escolas de Ensino Médio e Fundamental.

Após a obtenção do título de mestre, ambos os tipos de graduação habilitam os físicos a atuarem na docência superior, formando novos físicos e engenheiros, por exemplo.

O curso de Física exige empenho, curiosidade, raciocínio lógico e grande interesse, por parte do estudante, pelas áreas de Matemática e Física.

Apesar de diferentes, as grades contempladas pelos cursos de bacharelado e licenciatura têm muitas disciplinas em comum, como Mecânica, Termodinâmica, Electromagnetismo, Física Moderna, Física Quântica etc. No curso de bacharelado, também são ofertadas algumas disciplinas específicas e inerentes à área da pesquisa em Física, enquanto no curso de licenciatura são comuns os estágios curriculares e as disciplinas voltadas para a didática e para o ensino de Física.

Confira esta lista de algumas das principais áreas de conhecimento da Física:

  • Mecânica — Cinemática, Dinâmica, Estática, Hidrostática, Hidrodinâmica, Aerodinâmica etc.;

  • Termologia — Calorimetria, Termometria, Termodinâmica etc.;

  • Ondulatória — Fenômenos ondulatórios, osciladores harmônicos;

  • Acústica — Propagação de sons, vibrações, instrumentos musicais;

  • Óptica — Estudo de fenômenos luminosos e aplicações tecnológicas;

  • Eletromagnetismo — Estudo de circuitos elétricos, motores, geradores, antenas, ondas eletromagnéticas etc.;

  • Ensino de Física — Teorias de ensino de Física, novas metodologias de ensino, reformulação do currículo de alunos e professores de Física;

  • Física Moderna — Quantização do campo eletromagnético, comportamento quântico de átomos e moléculas;

  • Mecânica Estatística — Estudo de sistemas complexos compostos por muitas partículas e interações;

  • Física de Partículas — Partículas de altas energias observadas em grandes aceleradores de partículas, por exemplo;

  • Física Nuclear — Estudo de reações nucleares, decaimentos radioativos etc.;

  • Biofísica — Estudo dos fenômenos físicos em escalas biológicas;

  • Física do Estado Sólido — Estudo de semicondutores e novos materiais;

  • Astrofísica — Estudo dos astros, observação de planetas e estrelas, cálculos gravitacionais;

  • Mecânica Quântica — Estudo de fenômenos quânticos, como o efeito fotoelétrico, entre outros.

Mercado de trabalho para o curso de Física

Existe grande demanda de pesquisadores em Física no Brasil, no entanto, é na educação básica que há um enorme deficit de profissionais. Segundo estudos do Ministério da Educação e Cultura, o deficit de professores de Física chega a 51 mil profissionais em todo o Brasil. No mesmo estudo, o MEC ressaltou que cerca de 90% dos professores em Física não são formados na área.

Trabalho de conclusão do curso de Física

A monografia é uma dissertação sobre algum aspecto científico, histórico, social ou artístico do conhecimento. Normalmente, as monografias são feitas por estudantes do Ensino Superior, sob a supervisão de um ou mais orientadores acadêmicos. As monografias costumam ser parte integrante do currículo de um grande número de cursos superiores, são exigidas como um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Como fazer uma monografia de Física

As monografias de Física devem seguir rígidos padrões de qualidade: nesse tipo de trabalho, espera-se uma clara apresentação de dados em forma de tabelas, gráficos, questionários, documentos, fotos; uma discussão dos dados obtidos pautada em pesquisas bibliográficas ou cálculos estatísticos; bem como uma análise coerente dos resultados obtidos.

Saber onde procurar por informações confiáveis é de fundamental importância em trabalhos científicos. Busque referências em artigos científicos, portais de universidades, revistas eletrônicas, portais de artigos, como o da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

É de grande importância que os resultados obtidos em trabalhos desse tipo possam ser testados e replicados por outros estudantes e pesquisadores da Física. Por isso, a metodologia utilizada para a obtenção e análise de resultados deve ser bem detalhada.

Além dos aspectos relacionados ao seu conteúdo, as monografias precisam ser escritas e formatadas segundo as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Essas normas dizem respeito ao dimensionamento de páginas, fontes, numerações, apresentação de tabelas e imagens, bem como à própria estruturação do texto.

Confira alguns passos fundamentais, que devem ser seguidos ao se fazer uma monografia:

  • Escolha do tema: Opte por temas abertos, que possam ser discutidos e que sejam capazes de produzir novos questionamentos. Para fazê-lo, é necessário inteirar-se de sua área de conhecimento por meio da leitura de revistas especializadas, artigos científicos e atualidades. É comum que o tema seja sugerido pelos orientadores, nesse caso, opte por áreas de pesquisa com as quais você apresente alguma afinidade ou curiosidade.

  • Cronogramas: Defina datas para cada uma das etapas da monografia: levantamento bibliográfico, coleta de dados, análise de dados, escrita do texto, revisão do texto e apresentação. Não é necessário apontar datas nesse cronograma, apenas os meses ou semanas. Fazendo isso, é possível saber como está o andamento do seu trabalho.

  • Escrita: Familiarize-se com as normas da ABNT e com o estilo de redação usado em sua área do conhecimento. Fazendo isso, você terá mais chances de apresentar uma monografia coerente e de receber sua aceitação perante a banca de avaliação.

  • Apresentação: Assegure-se de conhecer todos os aspectos relevantes do seu trabalho. Faça uma apresentação simples e sem delongas, mostrando os pontos mais importantes de sua pesquisa. Na sua apresentação, é necessário deixar claro que você tem domínio sobre o conteúdo abordado.


Por Me. Rafael Helerbrock   

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Monografias Brasil Escola