Topo
pesquisar

Rendimento Escolar Em Quimica

Educação

Rendimento Escolar Em Quimica, dificuldades no aprendizado de química, como melhorar o ensino de química, educação, alunos, escola, química, rendimento escolar.

RESUMO

A dificuldade dos alunos em Química vêm sendo um dos temas que mais tem sido estudado nos dias atuais, principalmente pela insatisfação dos professores em não se sentirem compreendidos pelos alunos. É um estudo bastante abrangente e de muitas opiniões e controvérsias.

Observou-se que a dificuldade dos alunos no aprendizado de Química deve-se a aspectos econômicos e sociais juntamente com uma defasagem de conteúdos básicos.

Melhorar o ensino de Química significa elevar o rendimento escolar dos alunos, devolvendo o lado interpessoal entre eles frente ao êxito e qualificação escolar.

Palavras-chave: Química, escola, alunos, rendimento escolar. 

ABSTRACT

 The difficulty of the students in chemistry comes being one of the subjects that more have been studied in the current days, mainly for the not satisfactionof the teachers in not feeling itself understood for the students. It is a sufficiently including study and of many opinions and controversies.

It was observed that the difficulty of the students in the learning of Chemistry must it together economic and social aspects with an imbalance of basic contents.

To improve the education of Chemistry means to raise the pertaining to school income of the students, being developed the interpersonal side between them front to the success and pertaining to school qualification

Keywords: Chemistry, school, students, scholl achievement. 

INTRODUÇÃO

 O tema sobre a dificuldade dos alunos em aprender Química tem sido especulado na esfera da educação em todo o mundo, ao enfatizar esse construto, os quais vem sido reconhecido no Brasil nos mais variados instrumentos e teorias, buscando solucionar esse problema. Atualmente o tema educação tem merecido destaque, haja vista o seu insistente aparecimento na mídia, bem como, as diversas discussões que têm gerado incômodos no que diz respeito ao problema do fracasso escolar, relações interpessoais e condutas escolares socialmente indesejáveis.

Não é de hoje que se tem buscado respostas para o problema da dificuldade de aprendizagem dos alunos, seja a partir da elaboração de métodos e teorias práticas pedagógicas, psicológicas ou psicopedagógicas, as quais parecem ter semelhantes objetivos: formar e capacitar o aluno para alcançar um nível intelectual, mas também, sócio-cultural mais qualificado. Apesar disto é possível acompanhar diariamente no desenvolvimento sócio-educacional dos jovens um certo descaso de alguns deles quanto a formação e assimilação do conhecimento e alfabetismo intelectual, científico e mais de uma atitude humana e pró-social frente ao êxito acadêmico.

Tal fato parece ser esclarecido no estudo seguinte mediante observações, entrevistas e questionários entregues aos alunos.

MÉTODO

Durante o tempo de observação foi realizado um estudo qualitativo que era destinado a obter respostas objetivas sobre o baixo desempenho dos alunos na aprendizagem das ciências exatas: Química mais especificamente.

Em um primeiro momento os alunos foram observados e questionados sobre suas principais dificuldades na escola e em suas próprias casas. Foram investigados o histórico cultural dos alunos e suas peculiaridades. Neste instante um perfil primário de cada turma pôde ser diagnosticado mediante as respostas dos alunos. Após, em outra oportunidade, foi montado um círculo de discussões onde todas as perguntas do momento anterior, feitas individualmente, foram estendidas ao debate. A participação dos alunos foi bastante motivada pela presença do professor responsável pela turma. Todos os dados relevantes foram anotados e guardados.

A segunda etapa consistiu na visualização das dificuldades dos alunos durante as aulas ministradas pelo estagiário a partir do tipo de comportamento dos alunos e a simplicidade de suas perguntas. Em seguida listas de exercícios com o conteúdo das aulas ministradas foram entregues aos alunos e posteriormente corrigidas. Todos os dados foram comunicados ao professor que contribuiu efetivamente para o estudo. 

RESULTADOS

Os resultados obtidos foram extremamente satisfatórios e apontaram a realidade qualitativa dos alunos de algumas turmas do Ensino Médio do CIEP 369 – Jornalista Sandro Moreyra com bastante significância.

A grande maioria dos alunos, cerca de 90%, têm um histórico cultural bastante ruim. Alguns nunca foram ao teatro ou cinema. Estes preferem a televisão e rádio como meios de comunicação, detendo-se a assistir novelas e programas humorísticos. Os alunos esquivam-se de assistir programas jornalísticos e documentários. Em média, metade dos alunos em estudo tem filhos, ou seja, destes, 95% têm renda própria. Muitas vezes a renda é de apenas 1 (um) salário mínimo e não possuem carteira assinada. Cerca de 70% dos alunos são de classe econômica baixa e precisam da alimentação fornecida pela instituição (almoço, janta...). Os cadernos e materiais didáticos dos alunos são exclusivamente fornecidos pela Secretaria Estadual de Educação, inclusive as pastas. Aproximadamente todos os alunos, cerca de 100%, possuem grandes dificuldades em aprender Química, mesmo alguns gostando desta ciência e acreditando que a educação é o único meio sustentável para o seu próprio desenvolvimento.

Na segunda etapa do estudo, mediante a aplicação da aula, os alunos mostraram-se totalmente motivados e interessados pelos assuntos mencionados, porém as dificuldades eram muitas: alguns alunos pediram para que o ritmo da aula fosse mais lento, reclamando das dificuldades intrínsicas da disciplina; outros pediram para que os cálculos matemáticos fossem negligenciados. Ao receberem a lista de exercícios muitos alunos tentaram resolvê-la no ato da entrega e algumas dúvidas foram esclarecidas. Após levarem os exercícios para casa e ser esgotado o prazo de entrega, 100% doa alunos aproximadamente entregaram a lista de exercícios para ser corrigida. Mediante a correção, a dificuldade foi confirmada pois nenhum aluno acertou todos os exercícios da lista, já mencionada. Alguns, cerca de 30%, entregaram grande parte dos exercícios em branco, os exercícios foram entregues aos alunos e os dados foram discutidos com o professor orientador. 

DISCUSSÃO

A grande dificuldade dos alunos nas ciências exatas, como mencionado em inúmeros documentos de educação, pode ser considerada como reflexo do descaso de muitos professores do ensino Fundamental, que em vários casos não priorizam a individualidade dos alunos em suas aulas. Um outro agravante é a realidade econômica e social dos alunos, o que efetivamente não ajuda estes a terem motivação para estudar.

No curso de Química é fundamental que o aluno conheça princípios matemáticos e das ciências naturais possibilitando que o professor de Química faça apenas pequenas revisões nas aulas de conteúdos passados. É inviável o professor ensinar Matemática nas aulas de Química, pois o tempo é bastante curto e os conteúdos programáticos são extensos por demais.

Em hipótese alguma o aluno pode ser culpado por não conseguir aprender Química nem o professor por não conseguir ensinar. Acho que a culpa é do sistema de ensino e da realidade social e econômica dos alunos. Não existe nada fácil nem nada difícil, tudo depende do esforço de cada um que consiste justamente em romper barreiras com os recursos intelectuais. Os recursos intelectuais existem, mas a barreiras são muitas e na maioria dos casos intransponíveis. Cabe a todos nós tentarmos amenizar estes esforços. 

CONCLUSÃO

Devem-se haver investimentos maciços na educação e na melhora da qualidade de vida de muitos alunos no Brasil, A escola deve ser para todos e a qualidade também. Por isso, deve ser instaurado um programa de atualização continuada para professores que consiga atingir um grande número de docentes.

Um outro ponto essencial que deve ser destacado é a inclusão de experimentos nas aulas de Química, sem que os conteúdos teóricos sejam negligenciados, o que motiva bastante o aluno para estudar esta ciência.

Para o caso dos alunos já pertencentes ao sistema, as dificuldades devido à defasagem de conteúdos podem ser supridas com aulas extras mediante a disponibilidade dos alunos, professores e escola.

Então, tornam-se necessárias várias pesquisas para que a dinâmica do sistema educacional seja acompanhada e os problemas solucionados da melhor forma possível. 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Constituição Federal da República Federativa do Brasil – 1998.

Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB 9394/96).

Plano Nacional de Educação (PNE).

Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Diretrizes Curriculares para o Ensino Médio (DCNEM).

Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio na Área de Química.

Aparecida, S. & Silva, I. (1986). Valores em Educação: O Problema da Compreensão e da Operacionalização dos Valores na Prática Educativa. Petrópolis: Vozes.

Formiga, N. S. (2004b). O Tipo de Orientação Cultural e Sua Influência sobre os Indicadores do rendimento Escolar. Revista Psicologia: Teoria e Prática, 16(1), 13-29.

Formiga, N. S., Queiroga, F. & Gouveia, V.V.(2002). Indicadores de Bom Estudante: Sua Explicação A Partir dos Valores Humanos. Revista Aletheia, 13(1), 63-73.

Niquini, D. P. (1999). O Grupo Cooperativo. Uma Metodologia de Ensino. Ensinar e Aprender Juntos. Brasília: Universa.


Publicado por: Aldir Pimentel da Costa

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Monografias Brasil Escola