Topo
pesquisar

Escola soka - Proposta Educacional e Proposta de Paz

Educação

Ensino humanístico aplicado pela organização Soka Gakkai do Brasil, em virtude de seu empenho na reconstrução dos valores sociais, culturais e religiosos.

índice

1. RESUMO

A Educação humanística tem sido um método de ensino para instituições da Soka Gakkai na fundamentação da proposta educacional deixada por Makiguti, a todos continentes aos quais, Daisaku Ikeda promoveu o Budismo de Nitiren Daishonin e fundamentou unidades da SGI. No Brasil é conhecida como Soka Gakkai do Brasil, reconhecida em todo o mundo, estando à frente dos empreendimentos do Sr. Ikeda, a organização tem se tornado modelo para outros paises, sendo um incentivo para a continuidade dos seus sonhos como “discípulo”. Com a fundamentação da BSGI (Brasil Soka Gakkai) Escola Soka, em São Paulo e no Japão, com a finalidade de manter os desígnios dos três mestres da Soka Gakkai, para fortalecer o ensino Humanístico. A criação e estabelecimento das Universidades Soka no Japão, Wisconsin (EUA) e Califórnia (EUA), fundamentam os sonhos do Sr. Toda em seu sonho de expandir e ampliar o ensinos de Nitiren Daishonin e de Makiguti. Demonstrando ampla sabedoria, com as condições humanas do mundo, Daisaku Ikeda envia a proposta de paz a ONU, todos os anos, no intuito de que as autoridades atentem para o sofrimento das pessoas. A proposta de paz é também um método de ensino na formação da consciência humana para o desenvolvimento social, liderança e busca por estratégias que solucionem problemas no mudo. A compreensão da proposta educacional de Makiguti é a busca pela formação social e política de uma sociedade mergulhada no caos, esses métodos tem sido aplicado em diversas sociedades. Estando inserida na formação de jovens quanto de adultos por meio de projetos educativos, culturais e sociais implantados pela Soka Gakkai. No entanto, não é totalmente visto na sociedade por estar centralizado a Escola Soka, instituição que forma valores reconhecidos internacionalmente, pelo modelo de ensino aplicado. Considerada uma escola inovadora, a escola aplica os conceitos da proposta educacional de Makiguti, sendo empreendedora no ensino humanístico. Os estudos realizados da proposta de paz escrita por Daisaku Ikeda no Brasil assumem apenas o palco das universidades brasileiras em matérias relacionadas às relações publicas ou exteriores, seu estudo é contemplado na Universidade de Brasília, em estudos acadêmicos e Palestras realizadas com apoio da Soka Gakkai, enobrecendo o Sr. Dr. Daisaku Ikeda. O reconhecimento da luta e esforços de Ikeda desde sua empreitada para a propagação do Budismo de Nitiren Daishonin tem sido uma jornada de grandes feitos, sendo considerada uma luta pela paz.

Palavras-chave: Educação Humanística. Proposta de paz. Ensino humanístico.

2. INTRODUÇÃO

A sociedade Soka Gakkai é composta de membros (crianças, jovens e adultos), adeptos do ensinamento de Nitiren Daishonin. Sociedade que forma jovens líderes e adultos a levantarem a bandeira das diretrizes da organização para a manifestação dos aspectos humanísticos na sociedade globalizada. Objetivando criar um processo de pacificação em todos os povos, envolvendo dogmas religiosos, cultura e educacionais. Atribuindo a responsabilidade a cada individuo de “sermos o avanço da Soka Gakkai”. Busca-se transmitir os ensinamentos dos três mestres da Lei, fundadores da SGI e propagadores do Kossen-rufu mundial. Em virtude de profundo estudo do conhecimento budista e de estudo de outros conceitos, a educação é o ponto principal da SGI, como formação da consciência social de um país, a criação de valores e o fortalecimento da estrutura política de um país, compete ao conhecimento que é passado aos jovens desde a base familiar até a formação educacional.

Através de projetos educativos com finalidades de fortalecimento da fé nos ensinamentos budistas, aplicação das propostas educacionais de Tsunessaburo Makiguti, as técnicas educação de Jossei Toda e a coerência de Daisaku Ikeda. Atualmente a BSGI é uma organização reconhecida pelos esforços de Daisaku Ikeda em sua árdua luta para torna os ensinamentos de seu mestre mundialmente conhecido, contudo sua preocupação com as dificuldades de outras sociedades afundadas em caos e miséria, decorrentes da guerra, do descaso do governo e da displicência de seus lideres em resolver assuntos, o levaram a disseminar a proposta educacional e as diretrizes da organização no processo de pacificação mundial, concluindo que a solução estariam na educação e na humanização dos povos.

2.1 Problema

A humanização através da educação é um grande desafio para pessoas comuns, mas um movimento de conscientização e dignificação do indivíduo para compreender a importância do conhecimento aplicado em favor da sociedade, é ainda a dificuldade para os educadores. Pois a formação de indivíduo advém da base familiar.

No entanto o paradigma de superar estes conceitos na escola ou no ensino superior é considerado uma barreira por haver choque de interesses sendo a controvérsia da estruturação de conceito e formação de caráter educativo do aluno.

Porém, um exemplo que tem tomado força a nível internacional e também tem dado ênfase na abertura de diálogos na reforma de métodos educacionais, a Soka Gakkai, o qual diálogos com o presidente da Organização Daisaku Ikeda e diversas personalidades em busca de compreender a proposta educacional deixada por Makiguti e os objetivos de Jossei Toda na fundação de uma Universidade que se preocupasse em formar valores humanos para sociedade, não apenas pessoas que fossem lideres, mas que estivessem a frente as necessidades da sociedade e que tomasse a cargo de suas vidas transformar situações que denigrem a sociedade, em benefícios para seu desenvolvimento a integridade humana.

Em virtude destas afirmações a pesquisa apresentada buscou compreender. Qual a importância da Proposta Educacional e proposta de paz da Soka Gakkai na educação?

2.2 OBJETIVO

2.2.1 Objetivo Geral

Estudar o ensino humanístico aplicado pela organização Soka Gakkai do Brasil, em virtude de seu empenho na reconstrução dos valores sociais, culturais e religiosos.

2.2.2 Objetivos específicos

  • Conhecer a importância dos fundamentos educacionais da Soka Gakkai na sociedade e suas atividades realizadas com base na criação de valores no ambiente educacional possibilitando a implementação da proposta educacional.

  • Compreender a importância da proposta educacional e a importância da proposta de paz.

  • Entender o desenvolvimento da aplicação da proposta educacional e da proposta de paz.

3. HISTÓRICO SGI/BSGI

3.1 História da Soka Gakkai

Em 1930, foi fundado com o nome de Soka Kyuoiku Gakkai (Sociedade Educacional de Criação de Valores). Estruturada de forma gradativa começou atuar efetivamente em 1937 como uma organização composta por educadores que simpatizavam com o sistema Educacional Soka (criação de valores), tornando-se mais tarde uma organização de leigos praticantes do Budismo Nitiren (TCC - Exame de Budismo, 2011, p. 23).

Por meio de reunião de palestra de Campanhas de conversão por todo o Japão, a organização foi se desenvolvendo chegando alcançar cerca de três mil associados.

Em junho de 1943, sofreu repressão do governo devida a rejeição de Nitiren Shoshu, cujo o presidente Tsunessaburo Makiguti havia recebido a proposta de aceitar o talismã xintoísta e repudiar os ensinamentos de Nitiren Daishonin, não sendo aceitável pelo Presidente fundador da Soka Kyuoiku Gakkai. Em julho daquele mesmo ano, Makiguti e os demais liderem foram detidos. Sua prisão durou até o ano de 1944, tendo como marco a fundação da Soka Gakkai ( sociedade de Criação de Valores) e a morte do primeiro presidente Tsunessaburo Makiguti, o qual deixou como herança bibliográfica sua obra “Geografia da vida Humana” e a Proposta educacional lançada em 2004 com o titulo “Educação para uma vida criativa”, pela Organização.

3.1.1 O renascimento

O marco do renascimento da Organização Soka Gakkai foi às palavras de percepção de Jossei Toda, baseadas nas escrituras do Sutra de Lótus:

“Eles habitam aqui e ali, em varias terras do Buda, renascendo constantemente na companhia de seus mestres (passagem Sutra de Lótus Cap. 7- Parábola da Cidade, p. 35).”

Em registro oficial o nome da Organização foi alterado em 3 de Julho de 1945, por Jossei Toda (2º presidente), com o propósito de atuar em prol da paz mundial e da felicidade da humanidade, transcendendo o objetivo inicial de promover a reforma educacional.

Em 8 de Setembro de 1957, Jossei Toda proferiu a declaração das “Armas Nucleares” ( essa declaração condena o uso de armas nucleares, que passou a ser diretriz da Soka Gakkai em prol da paz). Toda morreu em 2 de abril de 1960, logo após sua morte Daisaku Ikeda tomou posse em 3 de maio de 1960, expandindo a organização no contexto religioso mundialmente. Em 2 de Outubro, partindo em viagem em prol da paz, cultura e educação, fundou o Instituto de Filosofia Oriental e Associação de Consertos Min-On, Museu da Arte Fuji de Tokyo e Sistema de ensino Soka que se estende desde o Jardim de Infância até o Curso Superior.

Em 8 de Setembro de 1968 o Presidente Ikeda apresentou a primeira proposta para reatar as relações diplomáticas sino-japonesas e em 1997, dialogou com o renomado Arnold Toymbee. Durante a guerra fria, abriu caminhos de paz e amizade visitando e dialogando com os lideres da China, antiga União Soviética e Estada Unidos.

Com a fundação da Soka Gakkai Internacional (SGI), em 26 de Janeiro de 1975, na Ilha de Guan, foi indicado para a presidência, assumindo cargo honorário em Abril de 1979. Desde 1983, a cada dia 26 de Janeiro, dia da SGI, o Dr. Daisaku Ikeda envia a Organização das nações Unidas suas propostas de Paz. Os encontros com 7 mil personalidades e Obras literárias na forma de dialogo Intelectuais do mundo alcançam cinqüenta títulos.

Em 1955 foi aprovada a carta de SGI que estabelece os princípios filosóficos e humanísticos da Organização, sendo fundado em 1996, o Instituto Toda para Paz Global e a Pesquisa Política, cujos fundamentos são os ideais do Presidente Toda. No ano de 2001 inauguro-se o Campus de Alísio Viejo da Universidade Soka da América, Califórnia, atualmente o movimento em prol da paz, cultura e educação com base no budismo expandiu-se em escala mundial. (revista TCC Exame de Budismo, 2011).

3.2 Proposta Educacional

3.2.1 Proposta Tsunessaburo Makiguti – Educação para uma vida criativa

Segundo Makiguti (2004, p.35) o objetivo da educação não pode ficar a cargo do julgamento arbitrário dos teóricos, sendo formulada a partir das realidades da vida diária, levando em conta a amplitude da vida humana, mas ao mesmo tempo considera-se as necessidades especificas da família da sociedade e da nação. O objetivo da educação ao ser abordado levara inevitavelmente a felicidade como um elemento básico da aprendizagem humana, no qual devera ser à base dos planos e programas educacionais deverão começar desta noção.

Piaget (2010, p. 17) salienta a importância à educação, mesmo tendo hesitado em falar abertamente que “somente a educação poderia salvar nossas cidades de um dissolução violenta e gradual”. Makiguti ( 2004, p. 35) retrata em sua proposta a preocupação com a decadência da educação, não fugindo da realidade vivida nos tempos atuais.

Quanto ao desenvolvimento da intelectual Piaget (2010, p 27) a questões das relações entre razão e a organização psicológica põe-se necessário um estudo sobre o nascimento da inteligência, enfatizando-se as inteligências verbal ou refletida que repousa na prática e sensoria-motora, que se apóia em hábitos e associações que são adquiridos para voltarem a se combinar.

3.2.2 A felicidade como objetiva da educação

Makiguti (2004, p 40) descreve a felicidade com termo tão utilizado e familiar que a primeira vista, parece prescindir de explicação. Um exame mais cuidadoso, porém mostra que as opiniões quanto ao seu significado divergem muito, para servir de base à determinação dos objetivos da educação, é necessária uma defenição mais precisa do significado da felicidade.

A palavra felicidade pode ser interpretar de varias formas, dependendo da experiência de cada individuo, sendo difícil chegar a uma definição universal: para alguns, representa a riqueza material, pois é o que lhe satisfaz; outros se sentem felizes com uma alta posição ou status na sociedade.

Um acadêmico de renome perguntou a Makiguti Sensei (mestre) sobre objetivo de vida de um individuo. Se poderia ser explicado por palavra tão simples como à felicidade. Era evidente que ela não é satisfatória, haverá outra para tomar seu lugar? A humanidade parece ter outras metas, no entanto, é difícil encontrar palavras mais abrangentes. Alguns poderão resistir em aceita-la como objetivo da educação, por acharem que é egoísta e pessoal. Mas, a medida que a analisaremos uma definição mais ampla, como um fenômeno social, encontraremos um definição mais, ampla como um uma meta de vida confiável ( MAKIGUTI, 2004, p. 41).

Makiguti (2004, p. 41) conclui que a felicidade é o individuo que opta por um sentido único para sua vida, seja a acumulação de riqueza, uma posição sócia elevada, ou qualquer outra coisa especifica, que se confunde com o todo e ao faze-lo, propõe-se a algo menos do que o bem estar pleno. Tais escolhas podem ser atribuídas a uma estruturação reprimida do conceito de felicidade, uma fixação em algum aspecto especifico da vida, com a exclusão de outras possibilidades igualmente vitais. Este fenômeno leva-nos a perceber que não estamos falando de felicidade como um alvo fixo a ser alcançado, mas como algo mutável.

Segundo Makiguti (2004, p. 41) o teólogo Kant opunha-se a felicidade como objetivo da educação. No entanto seu conceito de felicidade não inclui nenhum elemento social. Sendo que sua observação a isto se deve a consideração de que antes do sociólogo Augusto Comte, a sociedade não era objeto de conhecimento e por, isto, não fora levado em consideração os estudos de Kant.

As novas ferramentas conceituam pela sociologia da educação na sociedade moderna dada por Makiguti (2004, p. 37), em todo o mundo, pode ser comprovada pelo grau de envolvimento dos governos com o processo educacional, no qual a primeira ação é a responsabilidade de ensinar – surge do lar e da comunidade; unificação da sistematização das práticas educacionais – modificações na organização e na estrutura, atribuindo a ela a prioridade das políticas educacionais em longos debates parlamentares e sua implementação em uma complexa infra-estrutura.

3.2.3 Interdependência dos indivíduos na sociedade

Makiguti (2004, p. 46) define que o conceito humano inclui uma forma física, sensorial e tangível, e um aspecto espiritual, que difere da forma física, mas possui nela a sua base. Conceitua também que a sociedade transcende as circunstâncias visíveis dos indivíduos e se concentra em um conjunto de inter-relações intangíveis, a base organizacional da vida em grupo, concluindo que a sociedade não é uma mera agregação de pessoas, mas é a união mental e espiritual.

Buscando entender as teorias para fundamentar o conceito da sociedade Makiguti (2004, p. 46) faz analise da palavra sociedade em seus vários significados e variações chegando a conclusão de que a palavra sociedade se resume a um único significado da formação de uma organização a qual os indivíduos compartilham suas vidas em algum tipo de relação com certa duração, que constitui um de seus membros.

Logo Makiguti (2004, p. 48) descreve a sociedade como público que se reúne para assistir a uma conferencia, no entanto, entre elas encontra-se um bêbado que interrompe a palestra. Nesta situação a voz popular criticaria a atitude do bêbado, o forçando a deixar o recinto. Ao considerar-se este exemplo, tem-se a visão de que esta reunião é de uma pequena sociedade que esta reunida por um tempo limitado com um objetivo comum. Portanto o conceito de sociedade não se restringe a esses exemplo, mas poderá significar um grupo de pessoas com princípios e heranças comuns.

3.2.4 A revitalização da educação

A revitalização descrita por Makiguti (2004, p. 111) em sua proposta educacional é a construção da sociedade de amanhã, por meio de planejamento e do desenvolvimento dos recursos humanos. Possibilita-se um mundo melhor para as gerações futuras, tomando como regra a criação de valores, e necessita-se de envolvimento, cooperação e do apoio de todos os segmentos da sociedade. O planejamento deve-se basear na experiência do ensino, através da fundamentação de teorias criadas. Assumindo o papel de envolvimento de professores, políticos de forma que se possa criar uma critica construtiva entre grupos interessados, inclusive obtendo a aceitação dos pais e alunos.

Makiguti (2004, p. 112) relata que para a geração do beneficio estético e econômico o recursos inanimados passe a ser diretamente da escolha de materiais para os respectivos processos formativos. Sendo que a educação destina-se a males sociais, neste caso a interpretação de papeis para a solução descrita por Makiguti (2004, p. 112) resume-se a de que o médico é a intervenção política, o papel do educador passa a ser de atuação sendo de caráter preventivo.

3.2.5 Organização dos sistemas educacionais

Makiguti (2004, p.120) considera a prática educacional direta e indireta desenvolvidas pelo educador. Os professores que estão a frente das atividades realizam a prática educacional, tendo uma importância no sistema, enquanto os outros cargos contribuem para aumentar a eficiência de sua ação. Buscando identificar a importância do professo Makiguti (2004, p. 121) compara as habilidades de um artista que cria e a de um critico que avalia. O educador definido como um mestre tão experiente que o ensino é sua segunda natureza, bem sucedido em resultados que é reconhecido e respeitado como uma pessoa exemplar.

No sistema educacional dos tempos modernos, segundo Makiguti (2004, p.121) não são os professores, mas o órgão central deste sistema, que os inclui e os autoriza a exercer a função. Tornando os professores em células especializadas no organismo global, comparadas às células nervosa do cérebro consideradas como periferia externa do sistema nervoso.

Na visão de Makiguti (2004, p. 121) para que o sistema organizacional se expanda. Ao qual, é considerando grande e complexo como a educação, seja nacional ou internacional. Devera-ser-a alcançar a organização complementar e cooperativa de um sistema em duas partes: um consistira em elementos de projeção diversificada, dedicados à prática direta, a realização de dos ideais educacionais e a outra é o elemento organizador centralizado, que lida com as responsabilidades administrativas e a pesquisa.

3.2.6 O papel do Professor na educação

Na proposta educacional apresentada por Makiguti (2004, p. 122) o papel do professor é correspondente ao desenvolvimento das instituições educacionais auxiliares. Estando atuantes nos períodos de desenvolvimento educacional do estudante reconhecidos como fases de absorção do aprendizado. São eles:

Primeiro período: O papel do professor é grande conhecimento do conteúdo, a habilidade de transmissão deste conhecimento e caráter exemplar.

Segundo período: Considera-se fase de melhorias obtidas por ensaio e erro com a finalidade de possibilitar que o acontecimento seja absorvido de forma mais rápida, com o advento das tecnologias de impressão. Nesta fase a escolha e organização das aulas são do professor. Logo, posteriormente o aumento da população estudantil e o desenvolvimento das industrias de impressão leva o uso de texto auxiliares, ainda muitas habilidades sejam adquiridas por ensaios e erros. Evitando a perda de informação devido o conhecimento ser transmitido em forma de apontamentos.

Terceiro período: a fase da produção de textos especializados. O professor deve escrever um texto de qualidade e uma prática na comunicação do conteúdo.

Quarto período: Estudos dirigidos. Os fenômenos naturais e sociais do meio ambiente próximo são estudados por observação direta, com textos servindo apenas de material de referência, como livros de literatura e gramática são utilizados para suplementar o conhecimento dos pontos mais específicos de uma língua conhecida.

O objetivo destas fases, na perspectiva de Makiguti (2004, p. 123) é fazer com o alunos experimentem a validade das aulas nas próprias vidas. Quando são muitos jovens, o professor dedica-se mais a ele, acrescentando outras matérias de ensino e procurando obter reações. O professor precisa ter sensibilidade (conhecimento do ambiente natural e social especifico) para auxiliar no processo de auto realização sem tentar controla-lo, estar próximo sem atrapalhar o aluno.

A mudança do papel do professor pode ser analisada em termos de evolução do material didático. A esta questão pode-se encontrar três estágios:

  • Primeiro estagio/livro-texto: o professor fica em frente a turma utilizando livros como único material didático, dirige as aulas e fornece explicações verbais.

  • Segundo estagio/material referência: a concentração em livros-texto permanece, mas é completada com vários materiais de enriquecimento, como gravuras, objetos, quadros, modelos etc.

  • Terceiro estagio/ aprendizagem pela experiência: o meio ambiente natural e social ( como realmente é) fornece a matéria de ensino, e o professor age como orientador, ficando próximo para mediar o contato do aluno com o mundo a sua volta.

Segundo Makiguti (2004, p.124) a tendência é reduzir o esforço improdutivo do professor e, ao mesmo tempo, conservar as energias e capacidades de aprendizagem dos estudantes para uso melhores e mais moderados em termos quantitativos.

3.2.7 Projeto Makiguti

O projeto tem como base as propostas que norteiam a Soka Gakkai Internacional (SGI) e a Teoria de Criação de Valores de Tsunessaburo Makiguti, encontrada em seu livro Educação para uma Vida Criativa, por meio de oficinas de artesanato e estudo, as teorias abordadas em sua obra, comprovam a necessidade de manter uma relação interpessoal com as pessoas. Embora a obra de Makiguti tenha sido apenas editada após sua morte, revela-se a necessidade de o aluno sentir-se feliz na escola e defende que a educação é a base do alicerce da sociedade.

Pode-se dizer que a transmissão de conhecimento, não é tão simples, o foco esta no propósito de desenvolver o ilimitado potencial e talento, bem como cultivar o caráter das crianças.

Para isso são desenvolvidas palestras e atividades com os professores, que são reproduzidas em sala de aula. A capacitação dos professores pela equipe ocorre no horário pedagógico, com duração de duas horas, uma vez por mês na própria escola.

3.2.8 Atividade com professores

Atualmente 235 escolas da rede pública estadual e municipal do país participam do modelo pedagógico Makiguti a qual retrata que a felicidade da criança, esta no ensino correto. Ensino descrito por Makiguti (2006, p. 195) como filosofia aplicada ao empreendimento humanístico. No conceito do ensinamento filosófico é prezar “a vida de cada”, relatada por Toda (Brasil Seikyo, nº. 2.021. 2010), comprovado na prática pedagógica, para “despertar” e “resgatar potenciais” e “habilidades dos educadores”. Desenvolvendo-se uma tradição e técnica, no desenvolvimento da “educação humanística” e de “criação de valores”.

O projeto desenvolvido pela Soka Gakkai Internacional (SGI), é embasado nas propostas apresentadas pela Proposta Educacional e de Paz, Teoria de Criação de Valores de Tsunessaburo Makiguti (Educação para uma Vida Criativa). A obra relata a necessidade de o aluno, ser feliz, no aprendizado escolar, através da educação, a qual a transmissão do conhecimento não é simples, no entanto tem-se o propósito de desenvolver o potencial ilimitado e o talento, cultivando o caráter das crianças.

A metodologia proposta por Makiguti (2006, p.183) contrapõe a universalidade sistêmica e o individualismo insustentável, resgata a conexão entre a escola, lar e sociedade assumindo o compromisso pela felicidade da criança. A proposta é que a sala de aula seja um local em que brote uma ação criativa de professores e alunos envolvidos num clima de alegria e gosto pela aprendizagem.

  1. A inserção do projeto consiste em desenvolvimento de palestras e atividades com os professores, que são reproduzidas em sala de aula.

  2. A capacitação dos professores pela equipe ocorre no horário pedagógico, com duração de duas horas, uma vez por mês na própria escola.

  3. Os alunos têm a chance de vivenciar experiências nas áreas de meio ambiente, artes cênicas e outras atividades lúdicas. O educador também recebe estímulo para superar as dificuldades e elevar sua auto-estima.

  4. Trabalhos dos alunos: auto-estima no dia-a-dia, já que é visto como um ser humano, construtor de si mesmo e de sua história, e com papel fundamental no processo da educação criativa.

  5. Aos pais estão reservadas palestras, convívios e oficinas diversas, integrando-os na proposta educacional do projeto.

  6. A equipe é formada por profissionais, técnicos e especialistas de várias áreas da educação, que transmitem seus conhecimentos sem vínculo político, religioso e financeiro.

Depeduc (Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento das Ciências da Educação): Pesquisa e constrói histórico sobre os fundamentos da Educação Humanística Soka se atualizando com os princípios da ciência e tecnologia de ponta, além de valorizar grandes personagens no curso da história oferecendo subsídios teóricos e práticos para a promoção de ações educadoras humanísticas. O trabalho é direcionado para pais, educadores e estudantes da sociedade em geral.

Apoio:

  • Os associados da BSGI orientando e participando em algumas atividades práticas e palestras educativas;

  • Atua diretamente nas escolas da rede pública aplicando diversos tipos de palestras de cunho humanístico.

O DEPEDUC desenvolve projetos práticos em ambientes educativos para os educadores da BSGI, palestras de sensibilização para a prática das competências do educador humanista. Encontros interativos de educadores e conversas sobre a “Educação Humanística Soka” e a importância da ação de cada um nas emergências do mundo atual. Estimula professores e pais das escolas participantes do “Projeto Makiguti em Ação” a reconhecerem seu valor pessoal e a expandirem sua percepção dos efeitos das suas ações no mundo. Participa de atividades para Coordenadores, Professores e Monitores do Curso de Alfabetização para Jovens e Adultos. Atua no aperfeiçoamento continuado dos educadores da BSGI e participa em congressos e seminários de educação na sociedade.

Estimula membros pesquisadores do Depto. a evoluírem no pensamento e nas práticas da Educação Humanística através da troca contínua de experiência e transmissão de novos conhecimentos.

3.3 Proposta Educacional Daisaku Ikeda

O Dr. Daisaku Ikeda em sua obra “Proposta educacional - algumas considerações para a educação do século XXI”, aborda a preocupação com a mudança dos métodos educacionais dando ênfase a proposta educacional de Tsunessaburo Makiguti, descrevendo em trechos sua proposta apresentada, focalizando seus objetivos para novos métodos de ensino aplicados no mundo atual.

Considerando-se que a sua ação é de solucionar problemas que estão ligados a sociedade mundial, em problemas relacionados a formação de caráter de um individuo, que esta sujeito aos vícios sociais e males.

3.3.1 Construindo uma sociedade para as necessidades fundamentais da educação.

Ikeda (2006, p.07) descreve a necessidade fundamentais da educação ilustrando com situações que surgiram no Japão no ano de 1999, casos de maus tratos as crianças, que se recusavam a freqüentar a escola. Levando o governo do Japão a realizar um senso nas escolas, onde - se constatou que a abstenção nas escolas de nível Fundamental era excedente a 130 mil até o presente ano. As conseqüências destes fatos levaram jovens ao suicídio e o problema de dependência das drogas que se espalhava pelo país naquela época. Os crimes praticados por adolescentes estavam se tornando comum, chocando os cidadãos do Japão.

Diante desses acontecimentos segundo Ikeda (2006, p. 08) descreve as ações tomadas por profissionais de psicologia Juvenil e educação, os quais buscavam soluções a partir de analise destas situações. No entanto, sua preocupação o levou a escrever uma proposta para a reunião da Divisão de Educadores da Soka Gakkai, há vinte seis anos intitulada “Pensamento sobre os objetivos da educação”, tomando como base o principio de que a reforma educacional deveria ser norteada pelo humanismo.

Piaget (2010, p. 86) descreve isso, sendo como o objetivo principal da formação do espírito histórico e conhecimento das civilizações passadas, de onde precede a nossa sociedade. Considerando o aspecto da humanidade que precisa de informação tão complexa quanto elas, e de um tipo diferente: as culturas e sua história. É perfeitamente legitimo prever, em função das atitudes de cada um e dos especialistas do futuro a formação de um humanista, cujo papel será indispensável à vida social como o das ciências e do conhecimento racional.

O objetivo de Ikeda (2006, p.11) é a identificação das patologias que as crianças manifestam causando o seu afastamento da escola, considerada como “a fuga do aprendizado”, existente de forma descontrolada. Buscando evidenciar a importância da formação infantil para que as gerações futuras possam desenvolver a sociedade para um aspecto positivo. Aos adultos considera que cabe a auto-reflexão para corrigirem, em si próprios o que as crianças espelham.

No entanto, Ikeda (2006, p. 12) relata que no mundo adulto por motivos da “bolha” na economia, demonstra aspectos de escuridão e situação deplorável a qual não se tem vida. A falta de responsabilidade social e a proteção de seus próprios interesses, existentes na área política, burocrática, negócios e mídia. Não inspira crianças a possuírem vitalidade para sociedade, o que chame sua atenção para a falta de modelos que possam motivar as novas gerações.

3.3.2 A lei fundamental da educação

A educação deve objetivar o pleno desenvolvimento da personalidade, empenhando-se em criar pessoas saudáveis em mente e corpo que amem a verdade e a justiça, estimem valores individuais, respeitem o trabalho, tenham um profundo senso de responsabilidade e estejam imbuídas de um espírito independente. Ao se aplicar este conceito, segundo Ikeda (2006, p. 14) há relevância deve ser testada do contexto ético e social, ao qual o individuo completa-se, por meio de interação com os outros e para isso, é necessário controlar o egoísmo.

Ikeda (2006, p.15) decorre sobre o paradigma que é criado em torno da lei fundamental da educação. Refletindo sobre questionamentos da eficiência do conceito da lei, com a perspectiva da educação do século XXI, dando ênfase a mudança do paradigma estabelecido. Caracterizando sua importância a sociedade as necessidades da educação, em aspectos da formação, o qual sita o ensaio de Thurman dada a explicação de que o propósito da vida humana, o fator primordial no desenvolvimento da personalidade e o que torna os seres humanos verdadeiramente humanos.

Com base no ensaio de Thurma, Ikeda (2006, p. 18) da ênfase aos acontecimentos do Século XX, ao uso da educação como utilitário sendo distorcido, com a finalidade a propósito de matar e ao legado negativo do avanço tecnológico. Considerada por Ikeda (2006, p. 18) uma inversão de valores, submetendo-se papeis a educação, o qual deveria ser uma atividade humana primordial e fundamental.

Ikeda (2006, p. 18) demonstra preocupação para a “Sociedade de informação Global”, considerando que a “tecnologia de informação e comunicação é uma das forças mais poderosas que moldará o século XXI”. Os professores universitários e autoridades observam a decadência da proficiência acadêmica entre os estudantes.

A preocupação de retardo na educação e sua parametrização a sociedade, ou seja, “educação em prol a sociedade”, Ikeda (2006, p. 20) salienta supervalorização do materialismo, personificando o capitalismo de cassino, coexistindo o negativismo evolutivo sobre revolução da tecnologia de informação. Este tipo de evidência evitaria o fortalecimento da interatividade social, repercutindo nos aspectos morais e culturais da sociedade. Em função destas circunstâncias Ikeda (2006, p. 21) cita as conceituações de Makiguti em relação a “felicidade”:

“Confundir a felicidade com mero prazer. Confundir o prazer contemporâneo com uma vida de verdadeira satisfação e felicidade exemplifica o desvirtuamento dos valores.”

Segundo Ikeda (2006, p. 21) o desenvolvimento da personalidade cessa, e o que nos resta são indivíduos arrogantes e imaturos, incapazes de abandonar suas atitudes infantis e que nunca ouvem os outros. Estando aquém a essência da perspectiva budista sobre a vida humana e felicidade, a qual, inimizade, a contradição e a discórdia são aspectos, permeantes ao relacionamento de seres humanos, a natureza e o universo. E estes elementos estão em continuo processo de transformação para mutar os conflitos, revigorando as relações entre os humanos.

3.3.3 Relações Humanas - Estabelecendo laços de amizades.

Para Ikeda (2006, p. 23) a comunicação entre os seres humanos e o ambiente natural é vital. No trecho do livro Geografia da vida humana citado por Ikeda (2006), escrito por Makiguti (1903, vols. 1 e 2):

A importância da influência do ambiente natural do desenvolvimento da personalidade, cultivando as qualidades da benevolência, da boa vontade, da amizade, da gentileza, da sinceridade, da honestidade e de nobreza de coração na comunidade, da honestidade e de nobreza de coração na comunidade.

Ikeda (2006, p. 12) relata que no mundo adulto por motivos da “bolha” na economia, demonstra aspectos de escuridão e situação deplorável a qual não se tem vida. A falta de responsabilidade social e a proteção de seus próprios interesses, existentes na área política, burocrática, negócios e mídia. Não inspira crianças a possuírem vitalidade para sociedade, o que chame sua atenção para a falta de modelos que possam motivar as novas gerações.

3.4 Escola Soka

Piaget (2010, p. 86) descreve o objetivo principal da formação do espírito histórico é o conhecimento das civilizações passadas, de onde precede a nossa sociedade. Considerando o aspecto da humanidade que precisa de informação tão complexa quanto elas, e de um tipo diferente: as culturas e sua história. Portanto, é possível perfeitamente prever, em função das atitudes de cada um e dos especialistas do futuro a formação de um humanista, cujo papel será indispensável à vida social como o das ciências e do conhecimento racional.

Buscando realizar o desejo do seu mestre Daisaku Ikeda, criou um sistema de aplicação dos métodos pedagógicos de Tsunessaburo Makiguti, por meio das instituições de educação e pesquisa. Em depoimento de vários membros da Soka Gakkai, os que estiveram no CPAM em Manaus, estado do Amazonas, o centro de pesquisa tem contribuído para preservação das mananciais do rio negro e Solimões. Uma perspectiva do desejo de Ikeda que em uma visita a Manaus desejou, preservar a beleza da terra a qual escreveu um poema alusivo a sua visita ao Amazonas.

“A longa e distante correnteza do Amazonas dedicado aos sublimes companheiros do Brasil”:

Foi realmente/Como uma tempestade me envolvendo...
Um turbilhão/De ardente paixão e emoção...
É pique! É pique! É pique! /É hora, é hora, é hora...
Sorrisos, lágrimas vozes jubilosas/De vocês, deles e delas,
Pareciam preencher o intervalo de 18 anos/Vividos, dia após dia, com intensa ansiedade./Este espetáculo/Por mim jamais será esquecido./Como um grande panorama,/No meu coração,/Que percorria a platéia,/Ressurgia vivamente os dias de intempéries do passado./No ano de minha posse como terceiro presidente/Assinalei o primeiro histórico passo nessa terra./No final da longa jornada aérea,/No aeroporto, às 2 horas da manhã,/Encontrei dezenas de pessoas que me aguardavam madrugada adentro./ (Daisaku Ikeda Presidente da Soka Gakkai Internacional)”

Com seus empreendimentos no Brasil, Ikeda construiu com seus esforços, o CCAMP – Centro Cultura Campestre, um parque ecológico, de tamanha e gigantesca, visão de preservação. È um centro cultural que conserva a cultura brasileira e cultura japonesa, o ar do campo lembra as montanhas do Japão encobertas por nuvens e a diversidade de plantas brasileiras e japonesas demonstra o quanto se a aprender, na questão da educação ecológica. Atualmente as visitações ao CCAMP, são limitadas aos membros e grupos horizontais da Soka Gakkai, mas as estrutura das instalações para treinamento dos lideres da Sociedade Soka é de grande valor. Por estar sempre ensaiando, como se fosse um encontro com o “mestre”, supondo que o presidente da soka Gakkai estivesse no presente momento.

Este aspecto de treinamento revela o trabalho educativo para formação de lideres da Soka Gakkai, buscando realizar uma ação humanística na sociedade. Atuando como papel profissional educativo, Escola Soka, tem transmitido os valores desta Ong Budista, na qual a segurança da instituição é realizada 24 horas. Possuindo uma estrutura para atender os alunos nos períodos da manhã, tarde e integral. Os ambientes são estruturados de acordo com a faixa de idade de cada estudante, refeições são preparadas em cozinha própria, com cardápio aprovado semanalmente pela nutricionista.

Quanto à estrutura da Escola Soka, se divide em ambientes interativos, os quais demonstram a preocupação pelo meio ambiente natural, sendo eles:

1º Ambiente (Horta): Dar-se importância do contato das crianças e jovens com a natureza e o cultivo. Formando a característica de preservação a natureza passada as gerações futuras, mostrando aos aluno o estagio de crescimento das hortaliças. Este projeto educacional abre oportunidades para os alunos façam a relações com a Matemática, com a Geografia, com as Ciências, exercício prático da interdisciplinaridade proporcionada pela pedagogia. Segundo Peaget (2010, p. 27) explana sobre a relação da ciência, matemática, no desenvolvimento intelectual formando-se diversos planos biológicos, provocando fatores hereditários de ordens estruturais que influenciam na construção de noções fundamentais.

2º Ambiente( Sala de Brinquedos) - Jogos educativos, teatro de fantoches, casa de bonecas e uma coleção de fantasias ficam à disposição das crianças, que se divertem no ambiente de magia e aconchego proporcionado pelo espaço. Comprovando-se as teorias de Makiguti (2006, p. 5) à sua descrição de processos cognitivos e avaliativos, no desenvolvimento das abordagens sensorial e intelectual da compreensão e abordagens emocional e intuitiva do pensamento, para a ampliar a orientação da vida.

3º Ambiente (Biblioteca) - Uma sala especial oferece livros e revistas, nacionais e internacionais, dispostos em altura adequada ao manuseio e por faixa etária, facilitando o acesso e aguçando a curiosidade dos alunos. O hábito pela leitura é também estimulado pelo Cantinho da Leitura, montado em salas de aula, e pela parceria que a Escola mantém com a Biblioteca Municipal Chácara do Castelo, onde são realizadas visitas monitoradas. Dando ênfase as considerações de Peaget (2010, p. 67) sobre o senso histórico, caracterizando o espírito critico ou objetivo, por meio do estudo psicológico das atitudes intelectuais espontâneas da criança e jovens.

4º ambiente (Playground) - Integração e sociabilizarão das crianças são exercitados no Playground, instalado no pátio coberto. Energia e muita alegria na recreação merecida. Descrito por Makiguti (2006, p. 105) sobre a avaliação de valores pessoais, em seguinte trecho (Escola Soka – Metodologia, http//:escolasoka.edu. br):

Sócrates procurava o despertar do homem para o eu, para que se tornasse possível ver o divino dentro de cada um. Sob o lema “conheça-te mesmo”, rejeitou as revelações do oráculo de Delfos e escolheu auto-reflexão ou aprendizagem ( MAKIGUTI, 2006, p. 105).

Makiguti (2006, p105) explica este fato como a transição de do estado infantil ou primitivo, sendo a consciência superficial dos outros, e ao voltar para si mesmo a luz das contribuições positivas ou negativas, até então, para a vida dos que partilham sua existência comunitária.

A Escola Soka foi inaugurada no Brasil em junho de 2001, na capital paulista. Além do Japão, só existem quatro unidades em operação no mundo, representando uma pedagogia que tem como filosofia a criação de valores humanos. Com base neste princípio, a criança tem a oportunidade de desenvolver seu ilimitado potencial e viver de forma plena.

Piaget (2010, p. 58) descreve a priori da “educação internacional”, aos quais os procedimentos positivos fornecem ao aluno um instrumento ativo de critica histórica, ampliando seus conhecimentos de comparação a diversas interpretações de um mesmo fato.

A pedagogia Soka estabelecida na década de 30, por Tsunessaburo Makiguti, educador Japonês, tinha convicção de que a educação era simples transmissão de conhecimentos. Portanto objetivou desenvolver estudantes com espiritualidade e rico senso de humanismo e, assim, contribuir para a sociedade. No entanto, não pode mantê-lo. Deixando a missão a seu discípulo Toda, e sendo realizado por Daisaku Ikeda em virtude de sua luta para a expansão do budismo e dos conceitos educacionais deixados por Makiguti e Toda.

Atualmente Daisaku Ikeda se encontra a margem da Organização, como observador e motivador(conquistas realizadas, ao longo de sua empreitada de abrir caminhos através do dialogo e de expansão dos ensinamentos do Budismo de Nitiren Daishonin), mantendo o conceito de prezar a individualidade das crianças e criar pessoas de valor.

Hadd (2002, p.18) descreve as características do reconhecimento e visibilidade social, devido as contribuições na produção d concepções práticas e instancias especificas de legitimidade, cujo o peso social e fluidez de contornos, através de debates que renovam a eterna questão sobre a identidade de uma ONG. Contudo o investimento e apoio à educação humanística consolidaram-se ao longo dos anos de sua atuação, garantindo ao Sistema Soka prestígio e reconhecimento internacionais, enaltecendo e comprovando os ensinamentos deixados pelos três presidentes da Soka Gakkai. No Japão, as atividades vão da educação infantil à universidade e nos Estados Unidos foi inaugurado um campus universitário.

3.5 Universidade Soka

Haddad (2002, p. 23) define a atuação das novas instituições, as ONGs que surgiram durante o regime militar, consolidando em meados de 70 no Brasil, progredindo nas décadas 80 a 90, como parte do processo social, assumindo um papel muito importante no desenvolvimento.

A visão de Ikeda ( 2006, p. 45 ) em concretizar o sonho de Jossei Toda ( segundo presidente da Soka Gakkai ) como símbolo de grande valor a humanidade, instituiu a Universidade Soka, forjando a formação social de cada individuo, criando lideres idealistas que possam provocar mudanças na sociedade contemporânea.

Para Ikeda (2006, p. 45) a educação é o que constrói o futuro da humanidade e, é a maior e todos os empreendimentos, seguindo o ideal dos mestres Makiguti e Toda, canalizando os esforços para a educação, fundou-se uma rede de escolas e Universidade Soka.

Herdando os ideais e as diretrizes da SGI, Ikeda fundou o Ginásio e o Colégio Soka em 1968, mais tarde em 1971, a Universidade Soka, como parte do projeto em “prol da educação humanística”, cursos do primário e secundário.

Ikeda (2000, p. 174) descreve o estabelecimento das diretrizes a Universidade Soka, sendo elas:

  • “Ser suprema academia de educação humanística”.

  • “Ser o berço da Construção de uma nova cultura.”

  • “Ser fortaleza defensora da paz da humanidade”.

Atualmente a Universidade mantêm convênio de intercambio com mais de 60 (sessenta) universidades de vários paises. Ikeda (2006, p. 175) em sua jornda para construção da grande pátria brasileira, o papel empenhado pela educação, se compara a suas ações determinação e convicções. Contudo, a luta pela conquista a direito a educação paralelo a busca da liberdade religiosa, tornou-se importante no processo dos direitos humanos relativos a liberdade de espírito.

A Universidade soka foi inaugurada 2 de abril de 1971, em Hachioji nos subúrbios de Tóquio, um desejo de Daisaku Ikeda, presidente da Soka Gakkai International, que em 1964, anunciou sua intenção de construir uma universidade fundada nos princípios da Soka (de criação de valor) da educação.

Segundo Ikeda (University Soka, 2012) , a educação é o alicerce da cultura e do solo vital que nutre cada nova geração. A importancia da universidade, lugar onde a sabedoria e caráter são forjados. Consideramos uma responsabilidade particularmente vital contribuindo para o florescimento e prosperidade da sociedade humana, para o desenvolvimento da paz no mundo.

A Universidade Soka (Soka University) no ideal, ao qual o momento em que a necessidade de uma nova universidade enraizada em princípios humanistas de educação, tornou-se importante a sua criação, inspirada por uma visão criativa de promover indivíduos academicamente sabios e de caráter, ao qual a educação humanística é o alicerce da ética e o respeito pela santidade da vida.

Em sua formação, a universidade apoia-se nos ideais firmados em três principiros fundamentais estabelecidos pelo Sr. Ikeda. Utilizada como apoio pela universidade:

1.Ser o maior centro de ensino para a educação humanista

2.Ser o berço de uma nova cultura

3.5.1 Ser uma fortaleza de paz para a humanidade

A partir da fundação da Soka University ( Universidade Soka), se fez necessario sua divisão para explorar os campos da ciencia economica, sabedoria na justiça dos direitos e a criatividade da literatura resgatandos os valores do país. Contudo, pode-se ao fazer esta partilha de formações entende-se que a intenção de explorar as intenções de Pieaget (2010, p. 65-68) no que se refere a formação intelectual e sabedoria, no desenvolvimento do ensino da matemática, historia e ciências naturais. As quais as faculdades relacionadas a partir da partilha do desenvolvimento acadêmico da Univercidade SoKa correspondem a formação humanistica, ao resgate de valores humanos, sendo elas:

  • Economia,

  • Direito

  • Letras (habitação nos departamentos de Inglês Literatura e Sociologia).

A faculdade construida com os esforços do Sr. Ikeda em venda de fundos privados e royalties de seus escritos consideraveis , apoio financeiro de membros e público em geral. Tornando sua visão, em construir uma universidade dedicada ao bem estar da humanidade, tem sido um feito notavel, surgindo em 1976 as faculdades de Administração de Empresas e Educação, o instituto da Lingua Japonesa ( oferece ensino da lingua japonesa para estudantes internacionais) e da Divisão de Educação Correspondencia (oferece acesso a programas de ensino).

Em 1985, o Colégio Soka da Mulher foi criado no campus da Universidade Soka, com uma visão de contribuir para a liderança das mulheres empreendimento. Em 1987, Soka University of Los Angeles ( Universidade Soka de Los Angeles), é fundada nos EUA com a finalidade do desenvolvido acadêmico as artes localmente incorporadas a liberdade de expressão de ideais, fudamentando-se a abertura de mais uma Universidade Soka das America, em Orange County, Califórnia, no ano de 2001.

3.6 Proposta de Paz

Ikeda ( 2010, p. 28) descreve em sua proposta de paz a linguagem e valores do bem referenciando conceitos da filósofa francesa Simone Weil (1909- 1943) escreveu em 1941 em tom de lamentação:

”As principais características da primeira metade do século 20 são o crescente enfraquecimento e o quase desaparecimento de Paul Valéry (1871-1945) de que de caiu toda uma classe de palavras, especialmente as que se referem ao bem.

“Palavras como virtude, nobreza, honra, honestidade, generosidade tornaram-se de uso impossível e ainda adquiriam significados adulterados; a linguagem quase já não serve mais para enaltecer legitimamente o caráter humano”. Weil referiu-se a isso como “enfraquecimento do senso de valor” ( TCC 2010, p. 28- Proposta de Paz ).

A visão de Simone Weil é descrita por Ikeda (2010, p. 28) é comparada a do filósofo contemporâneo Gabriel Marcel (1889-1973), as quais o Doutor Ikeda afirma incorporar verdades eternas, podem-se aplicar facilmente as conclusões de Weil para a nossa atual situação da globalização.

A proposta de paz de 2006 considera como uma possível patologia humana, agrupada no qual o uso de armas de destruição em massa e de técnicas de terrorismo têm tornado essa violência quase que totalmente indiscriminada: nos impede de perceber o valor

Para evitar a decadência da sociedade segundo as afirmações de Ikeda (2010, p. 26) é necessário a expansão dos horizontes da educação feminina considerada como ponto vital, por muitas razões e também a chave para atingir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMS), que visam a reduzir de forma significativa o número de pessoas que sofrem com a pobreza e a fome, mas cuja realização irá até 2015.

Ikeda (2008, p. 23) define que há necessidade de uma educação dos direitos humanos considerada pela Assembléia Geral como uma das tarefas primárias do Conselho de Direitos Humanos. Determinou-se a preparação do esboço de uma declaração sobre educação e treinamento em direitos humanos. As perspectivas e preocupações da sociedade civil e que o documento resultante promovesse uma genuína cultura de direitos humanos, arraigada na vida das pessoas (IKEDA, 2008, p. 23).

O ano de 2007 representa para Ikeda (2008, p. 23), a metade do caminho rumo a esse objetivo até 2015. De acordo com o relatório de avaliação do progresso, das Nações Unidas, há uma preocupação real de que esses objetivos não sejam alcançados nesse ritmo, apesar das melhorias em aspectos como matrículas no ensino fundamental nos países em desenvolvimento e declínio da taxa de pobreza extrema e de mortalidade infantil. Em julho de 2007, os chefes de Estado dos EUA, Canadá, Japão, Gana, Brasil, Índia e vários outros países europeus assinaram a Declaração do Milênio.

O primeiro-ministro britânico Gordon Brown tomou a liderança ao defender a Declaração. O documento confirma a importância de unir a vontade política, tanto nos países desenvolvidos como nos em desenvolvimento, para criar “políticas corretas e reformas corretas... combinadas com recursos suficientes.

Em sua explanação Sr, Ikeda (2010, p. 27) relata os desafios e ameaças enfrentados pelas mulheres. A visão de longo alcance dos horizontes na educação possibilitam a elas se levantarem como protagonistas autoconfiantes, capazes de atravessar crises, redirecionar a vida e a sociedade para um futuro melhor. Plantar as sementes desse “empoderamento” agora é tornar isso uma realidade.

Há cem anos, quando a posição social das mulheres no Japão era muito baixa, o presidente fundador da Soka Gakkai, Tsunessaburo Makiguti, dedicou - se apaixonadamente para ampliar as oportunidades de ensino às mulheres, certo de que elas seriam as construtoras de uma sociedade melhor. Makiguti estabeleceu um programa que oferecia aulas por correspondência para mulheres que não possuíam condições de receber instrução no ensino médio após a graduação no ensino fundamental. Ele compilava materiais de estudo e os editava num periódico.

Ikeda (2010, p. A1), considera as mulheres como agentes ativos na criação da paz, o qual a igualdade de gêneros na educação serão o centro das iniciativas do desenvolvimento humano. Estando registrado na proposta de paz de 2010 um apelo para construção de escolas que atuem como centro de criação de jovens com vigorosa cultura e paz.

Dentre outras iniciativas de Makiguti estão a criação de facilidades, aulas gratuitas para mulheres com restrições de recursos financeiros para aprender a costurar e a bordar, habilidades que, na época, constituíam o principal elemento da educação das meninas no Japão. Como herdeiro do espírito de Makiguti, Ikeda (2009) criou programas de curso por correspondência na Universidade Soka e fundou a Faculdade Feminina Soka.

As mulheres desempenham papel fundamental no movimento da SGI. A exposição “As Mulheres e a Cultura de Paz” foi criada pelo Comitê de Paz das Mulheres da Soka Gakkai, no Japão, com a colaboração da renomada ativista da paz Elise Boulding, e fóruns sobre o valor feminino são realizados para ajudar a elevar a consciência em muitas comunidades locais. A mensagem subjacente a esses esforços é que as mulheres são as construtoras da paz. Isso representa a tradução da crença de Makiguti para o contexto contemporâneo. Essas atividades compartilham o espírito da Resolução 1325 do Conselho de Segurança das Nações Unidas, adotada dez anos atrás, em outubro de 2000. O significado da Resolução reside, acima de tudo, no fato de que foi uma declaração para o mundo no início do século 21: o envolvimento das mulheres é essencial para que a paz duradoura seja alcançada.

3.6.1 Carta da SGI

A carta da Soka Gakkai é uma proposta para as Organizações da Nações Unidas ( ONU) de incorporar meios de resgate de paises imersos em devastações sejam, sociais, estruturais, política ou humana. Seu objetivo é formação de uma sociedade humanística voltada para a construção do “ser humano”.

Ao escrever a carta Daisaku Ikeda se basea na filosofia humanística combinada aos ensinamentos de Nitiren Daishonin, para explicar o significado da dignidade da “vida” e a “benevolência”, estando certo de que a importância da capacitação de uma pessoa é através da “sabedoria” e “criatividade” do “espírito humano”. A cidadania é uma prática na formação de um membro da Gakkai, a formação espiritual é a alavanca para isso. A inscrição da carta põe em questão o fator de desenvolvimento do ser humano: “cidadania”, “espírito”, “direitos humanos” e “humanismo budista”, para se delinear os princípios considerados propósitos para BSGI.

Os principais em uma lista de dez (IKEDA, 2006, p. 35):

  • A contribuição para paz, educação e a cultura em prol da felicidade e bem estar de toda a humanidade, inspirada no respeito budista à dignidade da vida. objetivo da educação não pode ficar a cargo do julgamento arbitrário dos teóricos, sendo formulada a partir das realidades da vida diária, levando em conta a amplitude da vida humana, mas ao mesmo tempo considera-se as necessidades especificas da família da sociedade e da nação.

  • Promoverá ampla compreensão do Budismo de Nitiren Daishonin por meio de intercâmbios, contribuído, dessa forma, para a realização da felicidade individual.

  • Respeitará a diversidade cultural e promovera interacambios culturais para criar, dessa forma, uma sociedade internacional de cooperação e compreensão mútua.

  • Contribuirá para a promoção da educação, da busca da verdade e também do desenvolvimento da ciência para capacitar as pessoas a cultivar seu caráter e desfrutar uma vida plena e feliz.

Em sua primeira proposta de paz Ikeda (2005), enfatiza a.importância do diálogo, ao descrever as experiências que teve ao dialogar com grandes personalidades, durante o pós-guerra. Meados da guerra fria, viajando a china para dialogar com Chun Enlai (1898-1976), demonstrando preocupação com a tensão entre União Soviética e China, na época a população da China preocupada com um ataque construíam vários abrigos subterrâneos. Ikeda (2005, p. 5), transmitirá a mensagem do Premiê russo Alexei Nikolaievich Kosygin (1904 1980), ao governo chinês, e advertindo o Premiê Chun Enlai da importância de estreitar as amizade entre China e Japão, fortalecendo ambos com objetivo de tornar os melhores do mundo (PROSTA DE PAZ, 2005, p. 5).

Com o objetivo em seu caminho para a abertura do diálogo entre as nações Ikeda visitou os Estados Unidos e outros paises, mesmo que seu propósito fosse a disseminação dos ensinamentos budistas, sua empreitada fora um exemplo para a construção das relações internacionais entre as nações, buscando diminuir desentendimentos entre os paises que estavam ser recuperando da guerra como os que se mantinham no poder econômico.

Em um trecho de sua proposta de paz 2005 Ikeda enfatiza (PROPOSTA DE PAZ, 2005, p. 11):

O documento esclarecia importância da consciência, as quais pessoas não são movidas a praticar atos extremos simplesmente porque pertencem a uma certa religião ou nacionalidade: “Os movimentos de dominação cultural também visam membros de sua própria comunidade, denegrindo e eliminando opiniões divergentes e questionando a integridade e a lealdade (pureza da fé ou do patriotismo).”

Em outras palavras, estes movimentos se voltarão até mesmo contra aqueles que são membros do mesmo grupo, religião ou nacionalidade. É por esta razão que medidas militares unilaterais não são uma resposta efetiva para movimentos extremistas e violentos, uma vez que, na realidade, acabam conquistando simpatia e apoio da população.

A preocupação de Ikeda (2005, p.11) neste trecho são as infindáveis guerras internas no ocorridas em paises que se reestruturavam após a segunda guerra mundial. Nos tempos atuais pode-se atentar para as guerrilhas existentes nos paises que conservam governos de regime ditatorial, cujo povo deseja desesperadamente a democracia. Um exemplo, a manifestação no Egito para tirar Mobarak do poder, no entanto o efeito colateral deste movimento é a sombra da ditadura que ronda o país. Apesar destes acontecimentos a população se engajou e para que se realizassem novas eleições, por meio de manifestações contra o governo.

As facções de religiões existentes em Israel e Palestina, em constante guerras de retaliação. Paises que sofreram com a guerra como Pasquitão um país que foi incessantemente atacado, como resposta ao ataque de 11 de setembro aos EUA, mas que em meio tanta devastação não chegou encontrar sua própria identidade. Guerras urbanas causadas pela desolação da criminalidade e miséria da população que não possui uma orientação adequada de seus próprios governantes. Em virtude destes aspectos a proposta de paz redigida por Ikeda (2005. p.19) sugestiona a ONU criar uma base sólida para o desenvolvimento das unidades de pacificação em todo mundo. De maneira, que seja uma ponte para extinguir crises entres os países.

E tomando como exemplo as considerações da proposta de paz, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso inspirou seus esforços para montar seu relatório sob titulo de “Nós, os Povos: a Sociedade Civil, as Nações Unidas e a Governança Global”, proposto no relatório do Painel de Personalidades Eminentes, apontando soluções para algumas dificuldades encontradas, correlatas às necessidades dos paises mergulhados em tragédias causadas pela guerra e marginalidade social.

3.7 Diálogos

Ikeda(2006, p. 13) descreve que deve-se ter uma aproximação gradativa, o dialogo é um meio mais eficaz que temos à nossa disposição. Segundo Ikeda (2006, p. 13), define a eloqüência de Montaigne (1533-1592) pelo dialogo em seguinte citação:

“O mais proveitoso e natural exercício de nosso espírito, é ao, meu ver, a conversação. É-me a sua prática mais agradável do que qualquer outra”.

Em definição ao diálogo Ikeda (2006, p. 14), por intermédio do conceito de Montaigne, sendo como um engajamento em causas, conseqüência e conduta, na qual se traça caminhos abraçando com determinação, para abrir e manter diálogos de forma que ele possa permear a supercialidade dos primeiros aspectos.

A importância do diálogo pode ser compreendida no livro “ Diálogos para Juventude”, “Juramento Kayo” e no “Diálogo: Direitos Humanos no século XXI (Austregésilo de Athayde e Daisaku Ikeda).”, entre outras obras de Daisaku Ikeda. Na discursão de Ikeda e Athayde sobre a persistência do diálogo na criação de valor universal da humanidade Ikeda (2000, p. 126) em passagem na qual se relata a postura da primeira dama Senhora Roosevelt, a manifestação de ideais marxista e trechos da declaração de independência dos EUA. Delega-se, ao direito de expressão a certeza de que o palco do diálogo é um intercambio de seres humanos embora haja diferença em suas convicções e pensamentos.

Segundo Ikeda (2007, p. 10) considera que o diálogo enfatizado as diferenças entre os povos, discutido para elevação da raça humana, pondo em cheque a segurança global e a lealdade. Ao se reconfigurar o pensamento em torno do sentido da solidariedade, mesmo existindo dificuldades implacáveis, compreende-se que há duvidas quanto à questão de engajar-se no esforço persistente, ao qual Max Weber via como ideal de ação política e será aberta a porta para formação de consenso de persuasão por meio do diálogo.

O diálogo entre Ikeda (2009, p.25) e Arnold J. Toynbee relatado em sua proposta de paz, sobre as armas nucleares, adivindo da carta magna para o desarmamento das nações, em reflexão aos historiadores e literários, que se atenta para esta questão em citação a varias obras. Demonstrando preocupação de que a sociedade deve se envolver, no sentido de enxergar estes temas como problemas gerados pela competição mundial existente. No ato de compreender necessidade de centralização do poder, oriundo as dificuldades dos povos de cada continente.

4. METODOLOGIA

Segundo Gil (2010, p. 1) há razões que se determinam uma pesquisa, sejam de desejo de conhecer pela própria satisfação, como a do desejo de conhecer de se fazer algo mais eficaz ou eficiente.

Contudo, a pesquisa realizada empreende no campo social, voltado para o ser humano buscando a formação do ensino humanístico, ao qual a definição da vida baseada, nele, é para Cury (2004, p. 10) uma vida humana belíssima, comparando-as a gotas de orvalho, estando envolvida em atividades sociais, a margem da existência.

Considerou-se que a pesquisa seria construída a partir de material bibliográfico, considerado por Gil (2010, p. 29) como “ pesquisa bibliográfica”, levando-se em consideração o ambiente da pesquisa, abordagem teórica e técnicas de coleta de dados.

4.1 Métodos

Gil (2010, p. 29) define pesquisa bibliográfica, baseada em material já publicado, incluindo material impresso. Portanto, utilizou-se estudo bibliográfico, com base em dados qualitativos e quantitativos, em cronologia histórica desde a fundação da Soka Gakkai.

Buscando - se relevância de suas ações na construção do ensino humanístico aplicado aos objetivos estabelecidos pelos três presidentes fundadores e seu desenvolvimento.

A construção da metodologia e aplicações do ensino por meio de conceitos religiosos e teóricos, com base em fundamentação de obras do Sr. Doutor Daisaku Ikeda, livros teóricos e material gráfico editorial da BSGI, em virtude a fortalecer os fatos apontados a este estudo.

A finalidade dos métodos utilizados com base nas considerações de Gil (2010, p. 29) referente manter-se a integridade da pesquisa de forma, que seu propósito em fornecer fundamentação teórica ao trabalho e a identidade do estagio atual do conhecimento referente ao tema, contribuíam para a pesquisa realizada.

4.2 Colaboração e coleta de dados

Segundo Gil (2010, p. 30) ao se elaborar a pesquisa bibliográfica é importante a utilização de todas as ciências sociais, as quais constituem: o delineamento do campo da historia e da economia e pontos de semelhança com a pesquisa bibliográfica.

Obteve-se colaboração por parte do membro reconhecido pela organização, responsável pela realização desta pesquisa. Coleta de dados fornecidos pela Extranet BSGI, livros, jornais e revista produzidos pela Editora Brasil Seikyo e livros complementar e teórico.

4.3 Instrumentos

Gil (2010, p. 101) por meio de conceitos ou variáveis se realiza levantamentos sociais, “empíricos”, aos quais referem-se a fenômenos ou fatos observáveis. Portanto, utilizou-se sites de navegação para a localização dos sites de originais, ferramenta de tradução, pesquisa em livros e materiais gráficos produzidos pela própria organização.

Compreende-se que a pesquisa baseada em dados bibliográficos, documentais e outros materiais de comunicação, têm como finalidade descrição de forma objetiva, sistêmica e qualitativa o conteúdo manifesto da comunicação (GIL, 2010, p. 67).

4.4 Procedimentos

O procedimento tomado resume-se a seleção de dados correlatos ao assunto abordado. A pesquisa em site de relacionamento, coleta de dados pesquisado em vias de comunicações possíveis e pesquisa bibliográfica de livros, jornais, sites de internet.

Gil (2010, p. 67) define o processo de análises transversais, aos quais envolvem-se em textos de diferentes contextos e comparações abarcando contextos semelhantes por um período maior.

5. ANÁLISE DE DADOS

Realizou-se um estudo histórico sobre a SOKA GAKKAI INTERNACIONAL (SGI), buscando entender os objetivos da organização budista, baseada em fundamentos educacionais de valores sociais. Assim, pode-se analisar sua atuação no campo mundial contemporâneo, para identificar sua importância da Proposta Educacional e proposta de paz da Soka Gakkai na educação. Ao se empenhar em profunda análise, considerou-se que a organização desempenhou um papel importante no Japão e no mundo. Estando dividido em seguintes estágios:

O primeiro estágio histórico: Os valores religiosos estavam sendo direcionados ao ganho próprio e o índice de analfabetismo era grande. Nesse período os ideais de Makiguti em transformar as situações, fundando uma sociedade religiosa baseada em ensino de valores, com base nos “Ensinamentos de Nitiren Daishonin”. Iniciando os conceitos de ensino humanístico para formação de valores na sociedade, buscando dar uma nova orientação para jovens e adultos que permeavam em dúvidas, desespero ou miséria.

O segundo estágio histórico ( Segunda Guerra Mundial): Durante esta época Makiguti e Toda se encontravam em pleno cárcere devido divergências religiosas impostas pelo governo. Portanto, não foi possível a organização atuar com finalidades educativas. Estando impossibilitada de realizar encontros e quase sendo erradicada, a SOKA GAKKAI, renasceu após a guerra, tendo como objetivo propagar a paz na sociedade. A formação de valores através da cultura, formalizou o ensino humanístico, por meio da expansão da organização, obteve-se uma formação maciça de jovens no ensino humanístico limitado apenas a sociedade Soka, embasa na proposta educacional de Makiguti.

O terceiro estágio histórico: Após a morte de Toda, a organização começou a se expandir por intermédio de Daisaku Ikeda, ao qual se esforçou para abrir diálogos entre paises do mundo inteiro buscando aplicar os ensinamentos da Sociedade Soka, formalizando a teorias de Makiguti e comprovando os conceitos humanísticos.

O quarto estágio histórico: a expansão da SGI no Brasil fundamento o ensino humanístico na escola soka, concedendo a Ikeda títulos de diversas localidades educacionais e universitárias, cabendo um Titulo honorário na Academia de letras Brasileira.

Quinto estágio histórico: Atualmente, o Presidente interino da BSGI Sr. Hiromassa, cumpri as responsabilidades de Daisaku Ikeda, no entanto, as ações de implantar o ensino humanístico na sociedade contemporânea, tem sido foco na organização. Ao buscar melhores condições e atuações do Departamento de estudos e práticas em ciência da Educação ( DEPEDUC), tornou-se uma prioridade, desta forma os estudos tanto nas escolas, quanto dos escritos de Nitiren Daishonin e outros conteúdos teológicos, tem-se tornado o principal foco do departamento de educação. Apenas para membros, se realiza o Exame budista inicia com o grau de admissão indo a um grau de formação a nível de mestrado, buscando aprimorar o conhecimento sobre a organização. Nas escolas e nas Universidades ligadas a SGI, busca-se seguir a proposta educacional de Makiguti e a realização do estudo da proposta de paz e a formação de novos educadores Soka.

Ao se conhecer a importância dos fundamentos educacionais da Soka Gakkai na sociedade, entende-se que a organização possui objetivos ligados à reeducação social através de atividades culturais e transmissão de valores possibilitando a implementação da proposta escrita por Makiguti.

Julga-se importante à proposta educacional e a proposta de paz, pois fora com elas, que se fundamentou o “Budismo de Nitiren Daishonin” como religião. Através destes dois documentos realizou-se profundo estudo, considerando que ambos são o marco da fundação e expansão da SGI.

Ao estudar se claramente o propósito da organização no inicio de sua fundamentação, o objetivo inicial era criar uma sociedade educativa embasada a conceitos filosóficos e religiosos. Estando-se atento à cooperação de profissionais educativo a formação do ser humano, ampliando o intelecto para novos horizontes, que estivessem inerentes a solucionar os problemas sociais, que causariam a marginalização de um individuo.

Ao buscar-se a felicidade através do ensino correto, Makiguti descreve a preocupação em desenvolver os conceitos filosóficos juntamente com outras ciências, para estimular o pensamento humano em uma sensação prazerosa. Como explicado por Makiguti ( cap. 2.2.2) em sua explanação ao definir a felicidade, uma escolha e desta forma retrata a ação, para a chave da transformação da capacidade humana.

O conceito de que o individuo é a inclusão de uma forma física, sensorial e tangível a um aspecto espiritual, citada por Makiguti ( cap. 2.2.3), nas práticas da organização se personifica na inclusão a disciplina de postura individual, a costumes e culturas existentes na sociedade contemporânea. Tornando-se apenas referência, mas a base é a construção de valores fortalecidos na prática religiosa.

Na Sociedade de valores o sistema educacional esta presente no incentivo a leitura e compreensão de conteúdos da sociedade contemporânea, apesar de visar a busca de dogmas filosóficos budistas, a educação interna e externa estão aliadas no resgate do próprio ser humano e por esta relacionados aos valores, costume e cultura.

Transforma-se em uma questão simples da própria sociedade, em um publico preocupado com o futuro das gerações. Essa preocupação é a do presidente Ikeda, que busca reunir jovens para fortificar esta ideologia e tornando-se uma prática mais comum entre os jovens.

O estimulo aos ensinamentos budistas é a prova de budismo aplicada em nível, elevando o grau de conhecimento do membro em destaque a esses mecanismo de educação. O estudo da proposta de paz levando aos universitários exemplos das próprias ações de Daisaku Ikeda, em seus empreendimentos para fortalecer a Gakkai.

Os projetos desenvolvidos na Organização interagem com as dúvidas do ser, formando um caráter de altruísmo, envolvendo-o em atividades artesanais e artísticas. Em uma árdua batalha de revitalização pessoal mesmo estando a margem da própria sociedade as atividades dos projetos esculpi caráter disciplinar de cooperativismo e humildade em cada pessoa.

A proposta de Paz é um conteúdo a ser discutidos pela divisão de Universitários, formado por jovens que estão cursando faculdade ou ainda estão terminando o ensino médio. Neste caso o trabalho de conscientização individual é a busca pelo saber de forma que os jovens se pré dispõem em mudar suas próprias atitudes e ações, fundamentando os conhecimentos adquiridos para formação de personalidade determinada. Segundo o Ikeda (cap. 2.4.2) o desenvolvimento da personalidade, cria pessoas saudáveis em mente e corpo. Para Piaget ( cap. 2.2.1) o desenvolvimento da inteligência verbal ou refletida repousa na prática sensorial motora, estando ligadas formação de individuo, forçando-o a interagir como um grupo sociativo. Um exemplo atual deste relacionamento são as rede sociais virtuais, no entanto, para o presidente da Soka Gakkai é importante o contato físico e como as pessoas, desta forma se sente o que a pessoa esta passando. Nas redes sociais é apenas possível incentivar e dar conforto com palavras, mas não há sentimento e calor de se estar junto com os amigos.

A importância da revitalização da educação citada por Makiguti ( cap. 2.2.4) permeia nos dias atuais, pois não se sabe o que virar ser a educação no Brasil, por estar se preocupado em discutir salários, cargos e benefícios aos professores e estendendo o assunto. E a preocupação de como esta o sistema educacional, não tem-se muita importância, estando degenerando os alicerces da educação e estagnando os valores e costumes, por meio de influência comunicativas sensacionalistas. Estes fatores reforçam a preocupação da Soka Gakkai com a educação que vem perdendo seu objetivo.

Logo os motivos, aos qual a sociedade Soka Gakkai fora criada é uma forma de amenizar a deteriorização social, evidenciando uma nova reforma educacional a partir da sociedade e não do governo. No entanto como é retratado por Makiguti, esta reforma deve surgir do professor e aluno com base no relacionamento aluno e professor.

O trabalho realizado pelo projeto Makiguti implantado pelo CGE, segundo afirmações da senhora Emilia (professora e funcionária do Ministério de Relações Publicas), tem ganhado força após 2 ( dois) anos de fundação do DEPDUC em Brasília, esta presente em escolas de ensino fundamental e proporciona palestras para a Divisão de Universitários da BSGI.

A Coordenadoria Geral Educacional (CGE), esta dividida em três departamentos:

  • DPEHUS ( Departamento de Educação Humanística): Projeto de Criação de valores humanísticos.

  • DEPDUC ( Departamento de estudos e práticas em ciência da Educação ): Projeto de desenvolvimento de praticas pedagógicas educacionais através de palestras , estudo BS ( Jornal Brasil Seikyo), TC ( revista Terceira Civilização) e a proposta de Paz de Daisaku Ikeda.

  • Projeto Makiguti: Avaliação escolar, implementação de projetos escolares, incentivo a Leitura e alfabetização para Adultos e Jovens. Além de outros temas que envolvem educação ambiental.

Ostentando a estruturação de bases sólidas na educação os fundamentos do DEPDUC, são: Felicidade, Educação Humanística, revolução humana, relação entre Mestre e discípulo, prática da fé e filosofia de vida.

Alexandra ( Psicóloga Educacional), ao explanar o conceito de educação Soka, conceitua a educação soka, em seguinte forma:

A etimologia a palavra Educar, como “movimento de dentro para fora”, tendo como papel importante a transformação de pessoa. Assumindo a forma filosófica a qual a expressão em preceitos budistas é “ prezar o respeito a dignidade da vida e acreditar no infinito potencial de cada pessoa para transformar a vida” ( palestra, 14 març. 2012) . A proposta da Educação Soka é incorporar a instrução escolar com a vida cotidiana.

Sendo assim a proposta educacional da BSGI é clara quando se fala de reforma social e educação humanista, é um método de resgate de valores. Para manter o desenvolvimento social humano da sociedade.

6. CONCLUSÃO

Conclui-se que o estudo realizado sobre a ONG religiosa Budista, focou-se em aprofundar os conhecimentos sobre a BSGI/SGI. A qual alcançando o objetivo em estudar o ensino humanístico aplicado juntamente com a proposta Educacional de Makiguti e Proposta de Paz.

Estimula jovens de todos paises, com a finalidade de propagar os ensinamentos de Nitiren Daishonin e a paz mundial. Estando a frente da do futuro, por meio de campanhas para amenizar violência entre os povos.

A Soka Gakkai é uma sociedade de valores culturais e religiosos, aos quais resgatas costumes e conceitos tradicionais para vida moderna, reparando as conseqüências da individualidade e desenvolvendo a vida grupal de forma que o valor de uma vida seja o motivo de existência de outra vida, como no Sutra de lótus e no ensinamento de Nitiren, “prezar cada pessoa como se fosse sua própria vida”, fundamentando o conceito de felicidade, em ser a felicidade de outro.

Portanto, os métodos de um ensino humanístico estão nas instituições ligadas a BSGI/SGI, visando o beneficio de todos para a estruturação de uma base sólida de valores.

Ao se conhecer a importância dos fundamentos educacionais da Soka Gakkai na sociedade e suas atividades realizadas, compreende a necessidade da época em que surgiram “discípulos” de Nitiren, para os fatos caóticos, causados pela guerra.

Assim, o comprometimento do líder da organização em mudar o cenário, ainda com risco de Guerra fora árduo, estando preocupado com os atritos entre nações, os diálogos abertos entre China, Japão e Alemanha trouxe novos caminhos de comunicação para resolver problemas relacionados a lideranças dos pólos continentais.

A importância da proposta educacional e de paz, é a abordagem a qual se faz aos problemas existentes a um pais, o ponto principal é a educação, criação de valores e cultura. Logo, as diretrizes da organização voltada para os direitos humanos e igualdade de povos, busca estrutura a sociedade contemporânea em seu próprio sistema de formação humana, reparando a ambigüidade e displicência do governo para a formação do povo.

A aplicação da proposta de paz nas Universidades é um canal de comunicação e formação para Jovens e adultos, atentando para a formação da sociedade e da nova geração, renovando métodos para fundamentação de novos conceitos, no cenário atual.

Portanto, a Escola Soka é uma instituição mundial empreendedora do ensino humanístico, no processo de revitalização dos métodos educacionais.

7. REFERENCIAS

COORDENADORIA EDUCACIONAL. Educação. Disponível em : . Acesso em: 12. Dez. 2010.

CURY; Augusto. Seja líder de si mesmo- O maior desafio do ser humano. Rio de Janeiro. Sextante.2004.

ESCOLA SOKA – Instituição de Ensino. Disponível em: . Acesso em 23. Dez. 2011.

GIL; Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo. Atlas, 2010.

HADDAD; Sergio. BEBBINGTON; Anthony. OLIVEIRA; Francisco. WARREN; Ilse Scherer. LANDIM; Leilah. WANDERLEY; Luiz Eduardo W. ONGS e Universidades-Desafios à cooperação na América Latina. São Paulo. Peirópolis, 2002.

IKEDA; Daisaku. Proposta Educacional - Algumas Considerações sobre a educação no século XXI. São Paulo. Brasil Seikyo. 2006.

JORNAL BRASIL SEIKYO. Presidente da SGI divulga proposta de Paz. Brasil Seikyo. nº. 2.021.Janeiro.2010.

MAKIGUTI; Tsunessaburo. Educação para uma vida criativa. Rio de Janeiro/São Paulo. Record. 6ª Ed. 2004.

PIAGET; Jean. MUNARI; Alberto. Ensaio. Recife. Massangana. 2010.

DEPEDUC. Projeto Makiguti em ação. Disponível em: . Acesso em: 12. Dez. 2010.

PROPOSTA DE PAZ 2005 - Uma nova era de diálogo: Triunfo do Humanismo. Brasil Seikyo. São Paulo. 2005.

PROPOSTA DE PAZ 2007 - Resgatar nossa humanidade: primeiro passo para humanidade. Brasil Seikyo. São Paulo. 2007.

PROPOSTA DE PAZ 2008 – A humanização da religião a serviço da paz. Brasil Seikyo. São Paulo. 2008.

PROPOSTA DE PAZ 2009 – Competição humanitária: Nova esperança para a historia. Brasil Seikyo. São Paulo. 2009.

PROPOSTA DE PAZ 2010 - Novos Valores para uma nova era. Brasil Seikyo. São Paulo. 2010.

TERCEIRA CIVILIZAÇÃO. Edição especial – Os desafios do Século XXI - Encarte Proposta de Paz 2006. Brasil Seikyo. São Paulo. 2006.

TERCEIRA CIVILIZAÇÃO. Edição especial – Matérias do Exame de Budismo. SGI Graphic. Julho. 2011. Nº. 515.

UNIVERSIDADE SOKA - Instituição de ensino Superior. Disponível em: < http://www.soka.ac.jp/en/>. Acesso em: 06 jan 2012


Publicado por: Edilene De Jesus Rocha

PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Monografias Brasil Escola