Topo
pesquisar

O Marketing voltado para o relacionamento na Instituição de Ensino Público da Zona Sul de São Paulo no Bairro Parque Santo Antonio

Comunicação e Marketing

Percebe-se que são inúmeras as dificuldades para se garantir a entrega de uma educação de qualidade, acredita-se que o Marketing de relacionamento pode ser uma ferramenta auxiliadora na construção desta entrega.

índice

1. RESUMO

Para alguns estudiosos da educação como VIGOTSKI, o ensino ganha maior força quando todos trabalham de forma satisfatória tanto para a instituição, quanto para si mesmo. A avaliação continuada sobre os aspectos dos aprendizes que forneçam subsídios para novas estratégias e que possibilitem desenvolver programas e gerar condições de se agregar valor as informações ofertadas, transformando estas informações em conhecimentos adquiridos.

Segundo outros autores como BEKIN, o primeiro passo na conquista de novos tomadores de seus serviços prestados, e a criação de valor para o que se oferece baseasse também na construção de um relacionamento direcionado para os colaboradores.

Tentar identificar qual a possibilidade na construção da identificação da escola pesquisada, pois observou-se que instalada no bairro a mesma não obteve um reconhecimento como desejado pela comunidade e por seus tomadores dos serviços.

Segundo ALBRECKT e BREDFORD o ser humano depende da comunicação, o mais importante é como esta realizada e qual seu resultado sobre elas.

Traçando uma linha rápida de comunicação efetiva, entre os mais altos níveis hierárquicos em toda a sua extensão no processo da tomada de decisões do administrativo, de modo a ouvir atentamente as indicações dentro das mensagens filtradas pela comunicação sem ruídos e explorar novas oportunidades de se desenvolver ações que possibilitem um encontro das informações inerentes ao processo de aprendizagem.

Criando uma ligação entre realidade vivenciada em sala de aula no processo de aprendizado, segmentando e dando condição destas informações serem entregues ao individuo, introduzindo a percepção do valor e a necessidade de um bom desempenho entre professores, colaboradores na tomada de decisões que de fato tenham relevância na promoção da prestação de um serviço de qualidade percebida por alunos, pais e comunidade.

Segundo a autora PESCE, a formação dos educadores é fundamental para que de fato se entregue bons resultados que culmine no conhecimento adquirido dos discentes.

Palavras-chave: Marketing, Marketing Escola Pública Comunicação e Linguagem.

ABSTRACT

For some education scholars such as Vygotsky , education gains more strength when we all work to the satisfaction of both the institution as well as for himself . Continued review of aspects of the learners that provide subsidies for new strategies and develop programs that enable and generate conditions to add value the information offered, transforming this information into knowledge acquired.

According to other authors as BEKIN , the first step in winning new borrowers of their services , and the creation of value for what it offers also rest on building a relationship directed to employees.

Try to identify what is the likelihood of identification in the construction of school studies, because it is observed that installed in the neighborhood did not get the same recognition as desired by the community and by their policyholders services .

According ALBRECKT BREDFORD and humans depends on communication , the most important is how this made ​​and what the result on them .

Charting a quick line of effective communication among the highest hierarchical in its entire length in the process of decision making of administrative , so listen carefully to the directions within the filtered messages for communication without noise and explore new opportunities to develop levels actions that enable an encounter of the information inherent in the learning process . Creating a link between reality experienced in the classroom in the learning process , segmenting condition and giving this information be delivered to the individual by introducing the perception of the value and necessity of a good performance among teachers , employees in making decisions that actually have relevance in promoting the provision of a quality service perceived by students , parents and community.

According to PESCE author , teacher training is critical to that actually delivered good results culminating in the knowledge acquired by the students.

Keywords: Marketing, Public School Language and Communication .

2. INTRODUÇÃO

Toda organização, seja ela pública ou privada, prestadoras de serviços tem diversas transformações em suas estruturas físicas ou humanas, com as constantes mudanças no mercado às exigências decorrem por diversos fatores dentro e fora do ambiente de atuação das instituições.

Observa-se que nessa realidade mercadológica, a existência de uma competição por parte das instituições de ensino particular e que promovem a busca incessante por ofertas de novos produtos e serviços que venham de encontro com a realidade vivida por seus tomadores destes seus serviços ofertados.

Nesse novo contexto, a escola de ensino público tem que buscar novas possibilidades, estratégias que permitam possibilitar a entrega de um serviço com qualidade almejada, mesmo enfrentando os entraves burocráticos que são provenientes da gestão pública e o número expressivo de pessoas na hierarquia onde as decisões são tomadas.

Percebe-se que são inúmeras as dificuldades para se garantir a entrega de uma educação de qualidade, acredita-se que o Marketing de relacionamento pode ser uma ferramenta auxiliadora na construção desta entrega, objetivando-se na formação de uma análise do grau das necessidades encontradas por seus colaboradores e entendendo a capacidade da compreensão do que é ofertado por parte dos tomadores dos serviços.

“Necessidades, desejos e demanda: o ponto de partida da disciplina de Marketing baseia-se nos desejos e nas necessidades humanas. As pessoas precisam de alimentos, ar, água, vestuário e um teto para sobreviverem. Além disso, as pessoas têm um forte desejo de recreação, educação e outros serviços. Têm preferências acentuadas para tipos específicos de bens e serviços básicos”.

KOTLER (Administração de marketing 1993, p.32),

Ainda dentro deste tema, que para muitos não há uma ligação com o Marketing na educação pública, más sim voltadas à instituição privada, hipoteticamente é possível traçar uma linha de pesquisa, uma vez que sendo a instituição de ensino pública responsável por um número expressivo na formação de pessoas no país em relação ao ensino privado.

Não pode-se acreditar que esteja de forma separada dos objetivos que há nas instituição de ensino privado, que é a entrega da conhecimento, preparação e formação de pessoas que em algum momento serão formadores de decisões, seja no âmbito familiar, ou como integrante de uma sociedade na qual surtira algum efeito a sua decisão.

Objetivando-se na perspectiva de uma escola que possa contribuir para o desenvolvimento humano, aonde este chegue ao ensino superior com o mínimo necessário para a formação, esta investigação busca dentro do que estratégias mercadológicas utilizadas com sucesso dentro de instituições, corporações e fundações se apropriaram e adaptá-las a realidade escolar do ensino público.

O que se segue, é uma pesquisa na qual baseia-se nas rotinas diárias durante um ano, vivendo os problemas, conflitos indagações e expectativas.

O que se pressupõe são possibilidades empregadas que de alguma forma poderiam contribuir para uma instituição que de fato pudesse se destacar, ofertando produtos diferenciados, sem perder a sua essência, que é transformar, transmitir e preparar.

Desejo uma boa leitura e que de algum modo este trabalho venha a contribuir para o enriquecimento cultural humano.

3. METODOLOGIA

Foi realizada uma pesquisa de convivência entre os profissionais e os tomadores do serviço na escola Arnaldo Laurindo Professor, na função de Inspetor de alunos, com o objetivo de possibilitar um entendimento maior sob os aspectos dos serviços prestados.

3.1 Tipos de pesquisa

Além da pesquisa propriamente vivenciada no convívio diário e nas rotinas dos serviços prestados, foi realizado um questionário que buscou-se uma identificação da forma que os envolvidos no processo dos serviços tinham como conhecimento.

O questionário apresentado, vem para confirmar o que se percebeu ao longo do tempo de observação que transcorreu a produção desta investigação.

3.1.1 Tamanho da amostra

Observando as possibilidades apresentadas, e as reais condições para que pudesse se realizar o trabalho de pesquisa, independe tão somente do pesquisador, e sim de forças que este não tem e em poderia ter domínio.

A amostra foi coletada na parte interna da instituição, entre os alunos, Professores, Coordenadores, Vice-diretores e Diretores.

Observando que a maioria dos profissionais se recusou a mencionar sua opinião.

4. REVISÕES LITERÁRIAS

Este trabalho voltado para o Marketing de relacionamento em instituição de ensino para fidelização e redução da evasão escolar ou Marketing voltado ao consumidor, dentro desta pesquisa adotou-se alguns autores como GILBERT A.

CHURCHILL, JR e J. PAUL PETER, Muitas são as definições para o Marketing, dentre tantas, para KOTLER, Marketing vem de um processo social que movem e formam conceitos e produzem novas necessidades atreladas as mudanças que sofrem.

Marketing é um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros”.

(KOTLLER, 1998,p.27)

A proposta do Marketing é manter a satisfação do público-alvo, visando manter uma relação de fidelização com seus clientes, ou tomadores de serviços.

Sob um aspecto mais ampliado do conceito de Marketing, pode se descrever de uma maneira mais segmentada, o seu público-alvo este público que determinará as ações de marketing a serem tomadas pelo especialista, resultantes em sua satisfação. Ações que na linguagem mercadológica defini-se em identificar as variáveis, produto, preço, promoção e distribuição.

Segundo o autor KOTLLER, dentro do conceito de Marketing tem que se atentar para que,

“A chave para atingir as metas organizacionais consiste em ser mais eficaz do que os concorrentes, satisfazendo, assim, as necessidades e desejos dos mercados-alvos”.

KOTLLER (1998, p.37)

Para KOTLLER, não há como se separar uma gestão voltada para o homem, sem estar fundamentado no Marketing.

Segundo as novas exigências do mercado, as organizações devem se atualizar e buscar atender e entender as novas necessidades dos consumidores seja de serviços ou produtos, de maneira a se destacar pelo seu diferencial, assim também as instituições de ensino dentro de seu mercado perante aos seus concorrentes proporcionando assim satisfação aos seus clientes ou tomadores de serviços.

O Marketing é uma ferramenta rica, e que proporciona a adaptação para quaisquer que sejam as instituições de forma rápida e deste modo gerando uma ligação mais aproximada entre o tomador de serviços e a instituição. Assim, pode-se afirmar que o Marketing é necessário para que as instituições possam prevalecer no mercado e em destaque gerando novos valores, agregando novos produtos e serviços e captando cada vez mais novos tomadores destes serviços.

Segundo define CASAS,

“O Marketing é a área de conhecimento que engloba todas as atividades concernentes ás relações de trocas, orientadas para a satisfação dos desejos e necessidades dos consumidores, visando alcançar determinados objetivos de empresas ou indivíduos e considerando sempre o ambiente de atuação e o impacto que estas relações causam no bem-estar da sociedade”.

(LAS CASAS 2006; P.10)

Basta que leiamos esta citação de CASAS, para que se defina um processo fundamental, fazer uma leitura do ambiente em que o tomador dos serviços esta inserido, entender se as ações que estão sendo realizadas são realmente boas? E se o que esta sendo entregue é benéfico a sociedade que circundo a instituição de ensino no qual pertence?

Como as organizações podem obter o termômetro de suas ações relacionadas à entrega de valor?

É e são indagações pertinentes ao processo de aprendizado, no qual este estudo visa buscar ou abrir uma discussão de forma a possibilitar respostas para este processo. Por meio de pesquisas, formais e informais, com auxilio de funcionários que estejam em contato direto com o tomador de serviços, e transmitindo diretamente suas percepções aos seus superiores, ou lideres.

De contra partida, os lideres, gestores também devem estar preparados para filtrar e aplicar estas informações e novamente traçar estratégias que busquem atender as necessidades dos tomadores dos serviços.

“Há outra fonte que as empresas não dão a devida importância: o empregado da linha de frente. Quando os funcionários são treinados para pesquisar o mercado e incentivados a ouvir atentamente os clientes, isto não gera apenas satisfação para eles, mas também aumenta o conhecimento da empresa sobre as alterações das necessidades do cliente”.

(ALBRECHT e BRADFORD, P.9)

Segundo ainda o autor, dentro da busca pelo conhecer o cliente para que se possa entregar um produto, ou serviço que esteja dentro de suas expectativas.

A construção de uma boa relação dentro do ambiente de trabalho, saber ouvir e preparar os seus funcionários para conseguirem ouvir os tomadores dos serviços, é um passo importante na construção da filtragem destas informações convergindo em dados para formar um perfil sobre o que, quando e como entregar os serviços corretos aos tomadores destes. em suas pesquisas demonstram a importância de abrir espaço para negociação, cliente e o fornecedor dizem que;

“Assim como administração de serviços cria uma organização centrada no cliente com foco nas suas necessidades e expectativas. Todos os aspectos da empresa, quando voltadas para os serviços, são estruturados a ajudar o cliente a negociar com você”.

(ALBRECHT e BRADFORD, 1992 P.24)

Segundo o autor, pode-se afirmar que relacionamento se faz interna e externamente, nesta pesquisa, busca-se traçar se o sucesso de uma instituição esta ligada ao bom relacionamento interno, para que se promova o externo do mesmo modo ou não.

4.1 O composto de marketing

Composto de Marketing são ferramentas que podem ser controladas dentro de suas variáveis. Com esta ferramenta, o administrador é capaz de produzir, e ou fornecer produtos ou serviços de acordo com a demanda do mercado focado nas necessidades anseios e nas mudanças decorrentes das atualizações do mercado.

Nesta busca por esta satisfação dos anseios dos consumidores, é possível se apropriar e utilizar-se dos 4P´S do mercado: Preço, Produto, Praça e Promoção; como discriminado pelos próprios 4P´s, esta mesma ferramenta pode e deve-se ser utilizadas em todos os ambitos do mercado, em qualquer segmento ou atividades exercidas com o propósito de obtenção da troca mercadológica, podendo esta ser mercadorias, ou prestação de serviços estando enquadrada nesta perspectiva a prestação de serviços de instituições sem fins lucrativos e ONGS (Organização Não Governamental) ou instituições de educação públicas em que todas devem trabalhar em prol de seus tomadores de serviços, oferecendo-lhes serviços de qualidade com reconhecimento e valor dos mesmos.

Segundo KOTLER e ARMSTRONG, acreditam que se apropriando destas ferramentas do composto do Marketing com suas variáveis controláveis, se faz e é possível desenvolver produtos que estejam dentro das expectativas dos clientes.

Ou na entrega de serviços que sejam percebíveis com seus respectivos valores agregados aos tomadores destes serviços mesmo sendo eles intangíveis como o saber, lhes proporcionando a necessidade da continuidade de se tomar estes serviços, promovendo assim o aumento na demanda por estes serviços ofertados.

Ainda dentro dos 4P´s, segundo o autor ALBRECHT e BRADFORD, “Você esta ouvindo”? “Os clientes estão sempre dizendo o que pensam, algumas vezes de forma sutis, outras Nem tanto”.

Por conta desta pequena citação do autor, percebe-se a necessidade de se empregar um canal para ouvir os tomadores dos serviços, assim conseguir com este tenha uma forma de possibilitar traçar o perfil das pessoas atendidas por esta instituição. Este exemplo usado para observar que se pode apropriar-se do conceito dos 4P´s em qualquer área de atuação.

4.2 Produtos

Segundo, CHURCHILL e PETER;

Para o composto de Marketing, o produto é necessário para se desenvolver todos os outros seguimentos posteriores a sua criação, podendo ser ele tangível ou não, como prestação de serviços. Como a praça em que irá ser comercializada, a promoção, de que forma este produto ou serviço será divulgado para ser formada a ideia sobre os respectivos valores. E a distribuição, na atuação logística que melhor atender as necessidades de entrega sendo ela onde e quando for necessário ao cliente.

“As pessoas satisfazem suas necessidades e desejos com produtos, aqui definidos de modo amplo para abranger qualquer coisa que possa ser oferecida a alguém para satisfazer uma necessidade ou desejo”.

(KOTLER 1993; P.33)

Para KOTLER, produto é muito mais que bens materiais, físicos, tangíveis ou não, bem como a prestação de serviços que pode dentro das percepções dos clientes que assumem uma postura de procura por serviços que realmente atendam a suas necessidades e desejos relativos aos serviços prestados.

Orientados pela percepção dos agregados entregues a ele como parte complementar aos serviços proporcionando assim uma sensibilidade para o valor do produto que é intangível entregue a ele.

“Uma necessidade humana é um estado de privação de alguma satisfação básica”. (KOTLER, 1993, P.33),

Ainda KOTLER, acredita que, por mais que o homem não tenha a compreensão exata desta necessidade, ele a busca, pois algo inquietante e latente o impulsiona por esta busca constate da satisfação.

4.3 Tomada da decisão em Marketing

Segundo ainda KOTLER;

O marketing consiste na tomada de ações que provoquem a reação desejada de um público-alvo”.

O maior problema observado na instituição de ensino, conforme a perspectiva de KOTLER, ainda esta no acerto da tomada de decisão, uma vez que a comunicação para que esta seja efetivamente positiva, percorre um longo caminho, que por conta desta distância e o numero de pessoas que se necessita para qualquer tomada de decisão acaba por interferir no tempo propício e necessário para que esta decisão obtenha o resultado esperado.

Dentro desta tomada de decisão existem algumas avaliações necessárias para que o resultado esteja dentro do que é supostamente esperado pela instituição.

Exemplo:

  • Conhecimento sobre os anseios dos tomadores dos serviços

  • Conhecimento sob os aspectos sócio culturais destes tomadores

  • Disponibilizar ações que promovam a satisfação do esperado

4.4 Comportamento do consumidor

Procurar compreender as mudanças no comportamento e na forma de se absorver mais as informações e os métodos de aprendizado, é uma busca constante para quem fornece como serviço a educação.

Sob esta ótica, onde o mundo muda-se o tempo todo, onde a velocidade com que a tecnologia obriga o homem a se atualiza constantemente, não poderia ser diferente as instituições de ensino, seja ela pública ou privada.

Hoje não basta ter escolas abertas, prédios instalações, o objetivo principal é a qualidade com que estes conhecimentos são entregues, dentro de uma sociedade que em movimento constante pelo máximo de eficiência a escola tem um papel fundamental neste processo.

“Entre outros motivos, situa-se a presença de um modelo positivista de ciência e de uma abordagem psicologista da educação, que configuram nas explicações dos fenômenos e problemas educacionais centrados como repetência, fracasso escolar, em que prevalece o enfoque da avaliação por resultados, tendo como foco os produtos alcançados do que os processos formativos na educação”.

(FELDMANN, 2009, P73)

Dentro desta citação, onde o que se discutia era de que a forma e qual o formato em que se empregava a metodologia do ensino, percebe-se a vontade contida do desejo da mudança movimentado por forças externas a instituição.

Seguindo esta mesma linha de raciocínio, esta ferramenta de Marketing que é estudar o comportamento do consumidor, pode identificar essas forças que norteiam como proceder em relação ao comportamento do tomador do serviço da educação pública.

Há existência de fatores externos que influenciam direta e indiretamente no comportamento e na aceitação do que é oferecido em relação ao tomador de serviços da educação.

Fatores de ordem sócio e cultural, econômica, de aceitação e identificação com a proposta apresentada a ele, a relação convívio social dentro da instituição também podem influenciar em seu comportamento.

“A compreensão dos fatores que influenciam esse comportamento nos ajuda a formar uma visão mais aprofundada da dinâmica do processo de compra.

Além disso, aponta alternativas de intervenção nesse processo, com o uso de estímulos de Marketing que pretendam gerar bons resultados nesse campo, criando valor para o cliente e produzindo a satisfação com o produto”.

(PAIXÃO, 2011,P.44).

Dentro dos diversos desafios na instituição de ensino público, a compreensão e a entrega efetiva dos serviços que atendam as expectativas dos tomadores dos serviços independem somente da vontade de realizá-los, como apresentados nesta discussão os entraves burocráticos e a constante mudança no comportamento dos consumidores pode-se levar a insatisfação dos mesmos, causando o descontentamento e a evasão escolar.

No capitulo seguinte, a investigação se faz por conta do baixo desempenho em alguma das escolas da rede pública.

5. BAIXO DESEMPENHO E A EVASÃO ESCOLAR

Alguma das instituições da rede de ensino publica, tem mantido seu desempenho baixo em relação às outras instituições, o que gera uma insatisfação por parte dos tomadores destes serviços caracterizando uma recusa na aceitação aos possíveis novos alunos que trazem melhor desempenho.

A evasão escolar pode-se ter também por motivo a insatisfação ao que lhe é apresentado, fatores externos o impulsionam a tomar a decisão da desistência.

Pode-se ter também como fator promotor de insatisfação dos colaboradores internos, que resultam na entrega de serviço com baixa qualidade, levando a comunidade local a abandonar a instituição e somente deixando que seus filhos permaneçam por falta de opção ou de desconhecimento.

Quando não há participação na produção de soluções que possam melhorar o desempenho, a própria comunidade abre mão de indicar os caminhos por onde o gestor possa percorrer e por final entregar serviços com a qualidade desejada.

Dentro desta investigação, de que modo e quais ferramentas pode-se apropriar-se em Marketing, que supostamente poderá possibilitará a desejada melhoria no desempenho?

Reconhecimento e consciência do porque os envolvidos no processo do aprendizado tem cada um sua função definida e de sua importância para que tudo possa ser entregue de modo a agregar valores não somente aos tomadores de serviços, mais sim a cada um destes que integram o sistema como um todo.

“Reconheça um bom trabalho- O dinheiro não é único fator de motivação dentro das empresas. Premiar, reconhecer e incentivar é fundamental para o bom resultado de retenção de clientes. Premiar a equipe que alcançam bom resultado motivará outras a também conquistar resultados”. (PAIXÃO, 2011 p.53)

Conforme cita PAIXÂO, um trabalho voltado para o colaborador interno poderá possibilitar a entrega dos serviços de forma mais prazerosa, onde o tomador em virtude da aproximação e da qualidade ali entregue a ele vir desenvolver um relacionamento mais aproximado ser realizado, buscando valorizar e promover a integração dos tomadores dos serviços na forma de parceiros.

A seguir, na continuação da investigação nos conduzirá no caminho que leva a comunicação, fundamental para que se possa efetuar a compreensão dos serviços entregues.

5.1 A linguagem e a comunicação

O objetivo que se busca por meio da investigação além de encontrar novos canais de comunicação que evitem os ruídos ao longo do processo entre os objetivos explicitados no currículo escolar e a capacidade de compreensão dos alunos sob os aspectos das informações que receberão da linguagem a ser utilizada no seu percurso, para assimilação e captação do aprendizado resultante na apropriação do saber.

Além de trazer uma discussão a respeito de forma que a influência do Marketing em ações dentro das instituições públicas poderá gerar canais novos para que a lei seja efetivamente aplicada e venha contribuir de forma produtiva e perceptiva na geração de satisfação tanto dos profissionais da área de ensino, quanto dos alunos, pais e comunidades atendidas pela instituição.

Da integração sociocultural utilizando-se de ferramentas que estão à disposição desta instituição, tais como a sala de informática, internet e redes sociais.

Construir um canal de informação, onde todos possam efetivamente participar, mesmo por que na instituição o qual esta sendo realizada esta analise, percebeu-se a presença de falhas na comunicação, culminando em ruídos prejudiciais ao desenvolvimento de projetos e trabalhos.

“A escola de hoje é o fruto da era industrial, foi estruturada para preparar as pessoas para viver e trabalhar na sociedade que agora esta sendo convocadas a aprender, devido ás novas exigências de formação de indivíduos, profissionais e cidadãos muito diferentes daqueles que eram necessários na era indústria”.

(SERAFIM; SOUSA, 2011 P.20)

Na construção do relacionamento, escola e comunidade pode-se apresentar forte interferência na comunicação e nos objetivos que se espera alcançar.

Nota-se que, estando mesmo ainda em convivência diária na mesma comunidade, região mantêm uma distância considerável entre a realidade sócio cultural dos professores e a comunidade.

Um dos fatores relevantes supostamente é a própria desinformação, tanto por parte dos gestores, e colaboradores, quanto à forma que a comunidade e seus integrantes que não se permita a eles estarem e interagirem com a instituição em prol da própria comunidade e instituição.

“Por não ter pressupor que haja uma essência da escola, e por não tomá-la como objeto natural, já que as práticas escolares se constroem num campo de forças político-econômico e social, é que consideramos possível habitá-la como espaço de experimentação de práticas instituístes. Para isso, talvez seja necessário apreender e problematizar seus diferentes modos de produção e, assim, perceber que não é possível dizer que exista a escola, como uma unidade, mas práticas escolares que variam conforme o campo de forças no qual estas mesmas práticas são engendradas”.

(HECKERT 2004; p. 176)

Com a proposta de desenvolver um estudo dentro de uma região afastada do centro de São Paulo, mais precisamente no extremo da Zona Sul, no bairro do Capão Redondo, uma região relativamente carente.

Pesquisar as relações do desenvolvimento humano por meio da construção do aprendizado na apropriação do saber poderá possibilitar junto com a utilização de ferramentas direcionadas para o mercado, transformando-as e readaptando estas ferramentas para empregá-las na escola pública se pressupõe que possibilitará bons resultados assim bem como em instituições sem fins lucrativos obtém apropriando-se das mesmas ferramentas.

“Necessidades, desejos e demanda: o ponto de partida da disciplina de Marketing baseia-se nos desejos e nas necessidades humanas. As pessoas precisam de alimentos, ar, água, vestuário e um teto para sobreviverem.

Além disso, as pessoas têm um forte desejo de recreação, educação e outros serviços. Têm “preferências acentuadas para tipos específicos de bens e serviços básicos”.

(KOTLER, 1993, p.32)

Dentro das necessidades citadas por KOTLER, estão inseridos a recreação e a educação de fato não pode-se se subentender que a educação não seja de responsabilidade de toda uma sociedade, ainda mesmo que por conta de novas condições para que isso decorra na formação e no preparo de cidadãos conscientes e melhores, transformadores que esta sociedade tem alta demanda.

No decorrer do presente trabalho, a seguir o estudo esta pautado na possibilidade de articular projetos que venham possibilitar estratégias onde à construção de uma escola moderna, de acordo com o exigido por um mercado cada vez mais em transformação coloca como obrigatoriedade estas constantes atualizações.

5.2 Projetos de integração e valorização

Pressupõe-se que ao identificar meios que auxiliem na construção de uma escola moderna, que atenda as necessidades intrínsecas que o mercado busca e a satisfação destas necessidades que a sociedade espera de uma instituição de ensino fundamental e médio, preparando o indivíduo para as exigências que o movimento globalizador espera.

A escola tem um papel fundamental, por conta deste movimento, a educação em seu ideal que é a entrega do conhecimento devem passar por estruturações que venham possibilitar a utilização de projetos na somatória das estratégias que auxiliem na produção do conhecimento individual e coletivo.

“Não devemos tratar o ensino apenas como um produto, pois ele não o é. Seu valor é muito elevado, e ele atende ao estudante, à família, à comunidade, e de uma forma geral, a toda humanidade. Foi através do desenvolvimento do conhecimento e da sua transmissão chegamos até aqui”.

(SIMÕES COLOMBO Et All,2005 p.20)

Em sua visão, a autora nos apresenta uma ferramenta de marketing, em que a comunicação se faz necessária.

Devendo ela ser tratada como parte integrante de qualquer planejamento, pois não há outro meio, segundo a autora de se transmitir informações de forma eficácia e de se apropriar dos conhecimentos seguindo as novas tendências mercadológicas adaptadas para a atualidade.

A obtenção de lucro como empresa, ainda segundo a autora não fazia parte da visão escolar, por outro lado com as dificuldades que os governos encontram para suprir as necessidades das escolas publicas, e por conta desta falta de condições apresentas por seus colaboradores para o bom desempenho na prestação destes serviços.

Surgiram novas instituições de ensino privado, visando lucro ou não, mais que ambas tem algo em comum, gerar recursos para suprir suas necessidades.

O bom desempenho de uma instituição particular poderá e deverá gerar recursos para que as instituições futuras possam ser autossuficientes.

Se vislumbrarmos que um cidadão bem formado e estruturado terá maior fonte de renda, e assim reverter em mais impostos gerando assim maior beneficio na arrecadação do que o cidadão que recebe uma má orientação educacional, exercendo funções e atividades de baixa remuneração e gerando baixa arrecadação.

Ao promover projetos que visem o incentivo na busca por maior conhecimento, estes por si só, obterão melhores resultados.

O exemplo de instituições de ensino particular, que promovem os trabalhos efetivos e projetos que tragam cada vez mais os tomadores deste serviço para dentro da instituição, seja pela promoção de ações socioculturais, ou por ações pedagógicas.

Ao exemplo do Colégio Augusto Laranja, uma instituição privada promove ação que visa não só o preparo, mais trata a conscientização sob o uso sustentável dos recursos financeiros do aluno.

Planos de ação - Curso Educação Financeira e Sustentabilidade

O Colégio Augusto Laranja acaba de formar a segunda turma desse Curso. Criado em 2007 para o público da 2ª Série do Ensino Médio, o curso tem por objetivo ajudar os jovens a perceberem que a noção de planejamento está presente em todos os seus atos, não apenas em relação às despesas e ao comportamento diante do consumo, do dinheiro e do crédito, mas nas diversas áreas da vida.

O consumo consciente representa a base da sustentabilidade. Isso significa buscar equilibrar as nossas necessidades pessoais com possibilidades ambientais e a melhoria da qualidade de vida de toda a sociedade.

Como trabalho de conclusão do semestre, após o desenvolvimento das aulas teóricas, os estudantes, organizados em grupo, elaboraram e apresentaram projetos - Plano de Ação - baseados no princípio do Consumo Consciente, comprovando a sua viabilidade e aplicabilidade sob o ponto de vista econômico, político e social.

Os projetos foram avaliados em dois momentos. Primeiramente, pelos próprios colegas de turma e professor responsável, e, em seguida, por uma banca composta pela equipe de Direção e Coordenação do Colégio, Assessoria de Imprensa e convidados ligados à área.

Fonte: http://www.augustolaranja.com.br/sala_medio08.htm

Aqui apresentado segundo a instituição pesquisada, o preparo proporcionado ao aluno que participou deste curso interdisciplinar, onde após o término do projeto ele esteja capacitado a produzir um projeto no qual passou por uma banca avaliativa que compõe sua nota e aprovação do mesmo no final.

Este projeto de iniciativa simples, que traz com sigo princípios básico para que um jovem possa se permitir administrar seus recursos e o preparando para que também possa fazer a diferença no ambiente que vive, poderá ser aplicado a exemplo por um professor de cálculos, sem que se contrate um novo professor, é utilizar-se dos recursos próprios.

No próximo capítulo, a discussão em torno da informação como produto comercial, uma vez que não se sabe o seu valor, não se pode valorizar o produto.

5.3 A informação comercializada

Pode e deve-se tratá-la como produto comercial?

As instituições de ensino particular, que visam lucro dependem diretamente da boa aceitação do modo que é entregue as informações geradas por seus Gestores, Professores e Colaboradores.

Estes que entregam o produto final para o tomador dos serviços de ensino, que por sua vez buscam exatamente agregar maior conhecimento para aplicar posteriormente em sua vida espera que esta oferta venha suprir suas necessidades.

Por outro lado, a relação da troca não poderia ter outro efeito se não houver uma linha de comunicação reta, sem ruídos ou interferências que alterem a percepção do tomador destes serviços.

“Informações podem ser produzidas e comercializadas como um produto. É essencialmente isso que escolas e universidades produzem e distribuem, mediante um preço, aos pais, aos alunos e às comunidades”.

KOTLER (2000, p.27)

Observa-se a possibilidade de se desenvolver trabalhos onde os valores relacionados às informações cedidas na instituição de ensino pública possam ser reconhecidos pela comunidade, ao identificar-se a relação no desinteresse do aprendizado e a desvalorização do que se obtém como informação e conhecimentos.

6. CUSTO E BENEFÍCIO

Promovido pela escola pública, sob o aspecto do Marketing a percepção do benefício promovido nas instituições de ensino público ainda traz consigo a problemática do não reconhecimento por parte dos tomadores destes serviços.

Que em Marketing esta busca deve se ter uma atenção especial, assim com na instituição privada como exemplo o Colégio Augusto laranja busca proporcionar experiência boas que fiquem na memória de seus tomadores dos serviços ofertados.

“Definimos valor como a razão entre o que o cliente recebe e o que ele dá. O cliente recebe benefícios e assume custos. Os benefícios incluem benefícios funcionais e emocionais. Os custos incluem custos monetários, de tempo, de energia e psicológicos”.

(KOTLER (2000, p.33)

Segundo sua definição o autor, mesmo estes pais, alunos e sociedade que tomam os serviços públicos da educação, estes promovem trocas, pois se não houver investimento de capital, há investimento de tempo, e psicológico.

Resultante em desgastes emocionais que interferiram direta ou indiretamente em experiência posterior ao que não obteve satisfação, logo carregará e promoverá a insatisfação vivida para os demais integrantes utilizando-se do Buzz Marketing, propagando dentro desta comunidade uma imagem negativa da instituição.

Para uma ilustração hipotética de ações que poderiam auxiliar na construção de uma imagem positiva da instituição estudada, segue em esquema de projeto passos e decisões a serem atribuídas nas estratégias adotadas.

6.1 Projeto baseado em experiências positivas

  • Novos conceitos utilizando-se de ferramentas Marketing para instituição de ensino público;

Buscasse por meio das referências já existentes, adaptá-las a realidade da instituição para que dai possibilite um norte no tratamento em relação aos colaboradores em todos os níveis hierárquicos.

  • Valorização dos prestadores de serviços da educação em todos os âmbitos de sua hierarquia;

Explorar todo potencial do individuo de sua capacidade e incentivar o crescimento humano, termos como base para que as demais mudanças ocorram, por meio desta discussão com base nas literaturas existentes que revelam o valor dispensado quando se reconhece que o maior capital que uma instituição possa ter é o capital humano.

  • Promover uma discussão sobre CASE, de escola que se apropriou de alguma das ferramentas Marketing que obtiveram resultados positivos;

Observar resultados positivos já utilizados em relação a outras instituições, respeitando e adaptando para o público atendido, conforme seus conceitos e cultura.

Dentro da proposta na investigação, o que se segue é a respeito das tomadas de decisão, que se faz de muita importância na obtenção dos resultados desejados em qualquer estratégia adotada.

7. A TOMADA DE DECISÃO E A AÇÃO

Segundo ainda KOTLER

O marketing consiste na tomada de ações que provoquem a reação desejada de um público-alvo”.

Pressupõe-se que, um dos problemas enfrentados por gestores observados na instituição de ensino, conforme a perspectiva de KOTLER, ainda esta no acerto da tomada de decisão, uma vez que a comunicação para que esta seja efetivamente positiva, percorre um longo caminho, que por conta desta distância e o numero de pessoas que se faz necessário para qualquer tomada de decisão acaba por interferir no tempo propício e necessário para que esta decisão obtenha o resultado esperado.

“A orientação de marketing sustenta que a chave para alcançar as metas organizacionais está no fato de a empresa ser mais efetiva que a concorrência na criação, entrega e comunicação de valor para o cliente de seus mercados-alvo selecionados.”

(KOTLER, 2000, p.41).

Observa-se ainda que, ao se propor uma ação, esta deve ter uma aceitação de todo o corpo da instituição, pois se dentro deste corpo houver uma peça que discorde desta proposta o projeto não se faz concretizado.

A resistência em participar de ações direcionadas ao público alvo faz parte de um sistema já pré-existente, de conceito formado onde pode-se aceitar ou não demonstrando que, o gestor possivelmente deverá fazer um trabalho voltado para estes colaboradores quando desejar entregar serviços com qualidade objetivada.

Dentro destas ações, e decisões o que percebe-se talvez seja a possibilidade de geração das ações e movimentos internos de mudança, assim como citado no Endomarketing, é necessário que se conquiste primeiro o consumidor interno, que ele possa acreditar no produto que produz, que se sinta em um lugar agradável, onde o que se faz se faz por amor, bem como quando voltamos ao nosso lar.

“Muito se fala da baixa qualidade da educação brasileira. Muito vem sendo realizado e ainda há muito a ser feito para que as escolas do país contribuam para o desenvolvimento das capacidades dos alunos, para que tenham liberdade de escolha e possam concretizar seus projetos.

A Lei de Diretrizes e Bases da Educação de 1996 define que a Educação Básica tem por finalidade “desenvolver o educando, assegurar-lhe a formação indispensável para o exercício da cidadania e fornecer-lhe meios para progredir no trabalho e em estudos posteriores. A lei por si só não muda a realidade, mas sua existência manifesta um esforço conjunto de vários setores da sociedade brasileira para estabelecer uma referência para a transformação da realidade”.

(O QUE REVELA O ESPAÇO ESCOLAR, 2013, p.9)

Não se pode fazer uma separação entre uma organização corporativa de uma instituição de ensino quando o objetivo se faz em torno dos serviços prestados, pois todas as instituições são concorrentes, dentro desta ótica segundo KOTLER, faz com que algumas instituições promovam maior aceitação e percepção em relação ao que é entregue para os tomadores dos serviços ali prestados.

“Escola bonita não é apenas um prédio limpo e bem planejado, é um espaço no qual se intervém de maneira a favorecer sempre o aprendizado, fazendo com que as pessoas se sintam bem para ensinar e para aprender, e o reconheçam como um lugar que lhes pertence”.

(O QUE REVELA O ESPAÇO ESCOLAR, 2013, p.10)

Grande parte das literaturas como: O Que Revela O espaço Escolar e Formação De Professores Na Contemporaneidade, das quais a orientação se faz para o bom desenvolvimento do currículo escolar, estas se pautam nas necessidades percebidas nas instituições de ensino, para diversos autores os resultados positivos decorrem de uma constante atualização, e adoção de ferramentas que possibilitem uma comunicação clara, sem a contaminação de ruídos ao longo do processo de sua construção.

Para encerrarmos este capítulo, utilizarei da citação da autora, FELDMAN que elencou algumas ações que possibilitem contextualizar o que foi discutido neste capítulo.

  • “Construção de referenciais de análise sobre o tema da formação de professores a partir do estudo da prática educativa e docente de contexto social, político, econômico e cultural, diante das transformações do mundo do trabalho”.

  • Identificação das tendências e movimentos educacional-sociais e culturais que circundam a questão da formação de professores.

  • “Construção de mudanças na escola – entendida em sua totalidade -, vivencia de valores éticos, estéticos no sentido de pertencimento, na diversidade cultural e na inclusão social, na participação democrática e na revisão do ensinar e no aprender na contemporaneidade”. (FELDMAN 2009, P.73)

Na leitura que se segue, o que hipoteticamente se faz a influencia externa e suas forças em relação ao aprendizado, aceitação e o reconhecimento dos serviços da educação pública.

7.1 Fatores do mercado e a sua influencia na educação

Com as constantes mudanças na economia de nosso país, e a abertura de novas instituições de ensino superior particulares de custo acessível, a expansão global mercadológica a busca por formação de nível superior aumentou consideravelmente nos últimos anos.

Segundo pesquisa publicada no Jornal o Globo no dia 31 Outubro de 2013, do Censo entre os anos de 2003 e 2012, de (3,8 Milhões) três vírgula oito Milhões, aumentou para sete milhões (7 Milhões).

Estes dados foram divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP).

Do total de matriculas realizadas, em instituição de ensino superior particular são representadas por 2.112.

E o restante efetuado nas 304 unidades públicas observando estes números é possível perceber que a demanda é maior que a oferta, segundo ainda a pesquisa a expansão nos cursos tecnólogos de nível superior tem acrescentado aumento na procura.

Por estes dados, notasse que a concorrência se faz forte dentro do mercado acadêmico, já que o que se busca é um produto intangível, quanto maior o valor agregado maior é o numero de novos tomadores destes serviços.

Dentro de um bom clima econômico que fica mais percebível favorece a busca por serviços de educação de qualidade promovendo assim maior busca por instituições que ofertem os serviços com maior eficiência e reconhecimento no mercado.

Ainda sim, esta demanda depende da formação primaria e secundária, na sua maioria feita em escolas públicas, novamente voltam-se os olhares para estas instituições.

A boa formação reflete diretamente na qualidade da formação deste futuro profissional.

7.2 Fatores culturais e sua influencia na educação

Segundo BRETZKE,

Toda influencia sobre a formação cultural do individuo se dá desde seus primeiros contatos, estes que proporcionarão base para sua formação, entendimento do que se faz necessário para sua vida em sociedade.

“A cultura é o centro complexo de valores e crenças criado pela sociedade, passado de geração a geração no ambiente familiar e reforçado por instituições como a escola e igrejas”.

(BRETZKE, 2010 P. 53)

Se nos apropriarmos desta fala da autora, perceberemos que, tomadores dos serviços da educação não podem esperar exclusivamente da instituição de ensino fundamental e médio para prepará-los e entregá-los para as instituições de ensino superior se não estarem culturalmente preparados.

Ainda dentro das questões culturais, a autora reforça as mudanças decorrentes da globalização da informação por conta da geração de tecnologias que facilitaram o contato com novas culturas, que obtiveram dentro da estrutura familiar papel em sua concepção cultural que era passado de geração a geração.

Segundo a autora, os costumes e preferências se dão devida a formação cultural, em algumas famílias, a exemplo; o habito de ler a preferir assistir uma programação de TV é característico, ao gosto musical este quando sob uma forte influência dos pais exerce um poder maior de convencimento convertendo na decisão dentro desta formação cultural.

Segundo a autora

“As subculturas estão baseadas em experiências e situações de vida em comum que se diferenciam e formam segmentos separados de uma cultura organizada, em torno de fatores como raça, nacionalidade, religião ou localização geográfica”.(BRETZKE, 2010 p.54)

As adaptações dentro do mercado de acordo com a cultura devem ser levadas em consideração suas mudanças e adaptações ao momento que elas acontecem, segundo ainda a autora;

“As empresas também são afetadas, desde os objetivos de sua fundação, muitas vezes motivadas por um ideal baseado numa profunda crença e valor social como é o caso das organizações sem fins lucrativos. Nas empresas comerciais, a definição da missão, os investimentos em projetos sociais e a política de suprimentos podem favorecer a compra de determinados fornecedores e o investimento no bem-estar dos funcionários. Podem inclusive alterar o portfólio de produtos comprados e seu montante. Por exemplo, quando institui a merenda escolar, baseado num valor social (garantir a qualidade de vida da população), o governo passou a comprar toneladas de produtos alimentos e utensílios de cozinha, aumentando a procura por estes itens”.

(BRETZKE, 2010 p.54)

Sua influencia cultural determina ações mercadológicas o tempo todo, por que não nos apropriarmos destas ações de modo a desenvolver um trabalho dentro das instituições de ensino público conforme as alternâncias sócias culturais de acordo com cada região demográfica e geográfica para assim buscar oferecer serviços que venham de acordo com as necessidades percebidas no mercado.

Mais como ofertar e entregar estes serviços sem desrespeitar a formação cultural do individuo, ou coletivo ali que busca na instituição os serviços de educação?

Conforme tem exposto em sua investigação, a autora continua com as subculturas, e em especial diz quanto prospecta possibilidades futuras para este público alvo, segundo sua percepção, o Marketing tem um papel fundamental para desenvolver produtos e serviços que vão de acordo com estas novas culturas emergentes.

Dai a necessidade de que instituições de ensino que atendam estas áreas geograficamente falando se adapte as suas necessidades, seja ela de ensino particular ou pública.

Podemos utilizar como referencia geográfica e análise demográfica de uma instituição de ensino particular como parte desenvolvimento estratégico para atrair seus alunos, esta localizada em uma região nobre de São Paulo.

A utilização do modelo de um colégio privado, de ensino fundamental e médio para ilustrar a afirmação relativa à Geografia e a Demografia: Colégio Augusto Laranja Unidade Moema.

Colégio Augusto Laranja

“Fundado em 1966, reflete seu dinamismo institucional e continua desenvolvendo um trabalho reconhecidamente de qualidade, constantemente atualizando sua proposta pedagógica.

Uma educação de qualidade que garanta as aprendizagens essenciais e a prática efetiva da cidadania. Assim, o Augusto Laranja como membro do Programa das Escolas Associadas da UNESCO - órgão de Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura - considera em sua proposta os princípios recomendados pela UNESCO para a educação do século 21: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a conviver e aprender a ser. O Augusto Laranja funciona, atualmente, em duas unidades escolares. Oferece os cursos de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio, atendendo a crianças a partir de 1 ano e meio. Conta com espaços motivadores e apropriados para a eficácia da aprendizagem, operacionalizando seu trabalho com cerca de cento e cinquenta funcionários. O Colégio acredita no recurso humano como sua mais preciosa estratégia. Por isso, promove e valoriza a capacitação de seus funcionários, atualizando-os através de cursos, congressos, workshops etc., em nível nacional e no exterior. É também uma preocupação constante manter um ambiente de trabalho agradável, aberto, transparente, onde todos interajam felizes”.

Sua Missão

Investigando. Trabalhando em equipe. Aprendendo com a realidade. Usando a imaginação. Com um método que prioriza o domínio da linguagem, o Augusto Laranja, da Educação Infantil ao Ensino Médio, ensina o aluno a pensar e a expressar o que aprendeu. Assim, ele desenvolve seu talento, sua inteligência, seu espírito crítico e sua autonomia.
Uma bagagem que prepara o aluno para ter voz e expressão na sociedade. E isso vai acompanhá-lo por toda a vida”.

Nota-se que, dentro desta apresentação, é possível perceber a abrangência dentro de sua área geográfica e demográfica e que esta dentro da cultura e costumes no determinado segmento da sociedade.

Deixa evidenciada o preparo para que o indivíduo tomador destes serviços possa exercer sua função dentro de uma sociedade na qual ele se destaque.

Ainda dentro da questão cultural, por conta dos estudos realizados nas classes socioeconômicas, é importante para que se possa construir a partir desta investigação trabalhos efetivos onde a segmentação pode e deve facilitar a construção de projetos educacionais voltados para suas necessidades, e de modo a introduzir qualidade percebível pela sociedade como um todo.

Segundo ainda BRETZKE, estando esta segmentação realizada, se faz perceber que neste determinado grupo da sociedade onde se costuma ter os mesmos hábitos de consumo, e que suscitam em valores e interesses semelhantes.

Dentro desta perspectiva, é possível traçar um perfil do publico alvo a quem se devam objetivar serviços onde à segmentação tornasse um fator preponderante na tomada de decisão para implantação de projetos que podem contar com a colaboração efetiva da comunidade, pois esta mesma estará intrinsecamente ligada ao contexto dele.

Dentro da projeção sócia cultural, as classes sociais economicamente ativas são possíveis elencar suas personalidades, segundo a autora, BRETZKE.

Com o estudo realizado por GADE, em seu livro, dentro da investigação psicológica, é possível compreender os costumes e hábitos que formam culturalmente cada individuo da sociedade, podendo trazer como fonte de orientação na adequação de cada serviço prestado, voltando-se sempre para a atenção ao consumidor, desenvolvendo um relacionamento dentro de suas expectativas.

Abaixo, o que segue é o quadro de atributos produzidos a partir da percepção psicográfica por GADE.

Perfis psicográficos atribuídos às classes sociais.

Classe A1

Elite Social: inclui seus herdeiros; mantém uma relação com o dinheiro, geralmente é bastante tradicionalista, discreta e sóbria; é o grupo de referencia as classes A2 e B2

Classe A2

Muitas vezes tem renda superior a classe A1, São os altos executivos e empresários, tecnocratas, geralmente sua ascensão é recente, com raízes nas classes B e C; fortemente sensível ao consumo de signos de status, ligada ao dinheiro e ao poder, e não raro cultura e bom gosto;valoriza as peças exclusivas como símbolos distintos.

Classes B1 B2

Profissionais diferenciados, com nível acadêmico superior, valorizam a formação cultural e profissional, como garantia da manutenção ou ascensão do conforto e bom gosto.

Classe C

Família típica trabalhadora, com tendências conservadoras; valoriza a qualidade dos bens duráveis; geralmente não confia no próprio gosto, busca orientação na classe B1, como grupo de referencia, e em publicações especializadas; é sensível ao preço.

Classe D

Tem ocupações profissionais não diferenciadas; sensível, sobretudo, aos bens duráveis, costuma ter lealdade á marca como forma de amenizar a ansiedade e insegurança que incide nos processos de compra, para qual tem poucos conhecimentos.

Classe E

Baixo nível de instrução, pequena disponibilidade ao raciocínio abstrato, simbólico, revela um comportamento de compra com tendências impulsivas, (Busca satisfação “quando pode”), o que leva aceitação de preços superiores ao valor real do produto ou a conduz a sistemas de credito pouco favoráveis.

Quadro das classes sociais (GADE, 2010 P.57)

Dentro da visão mais englobada das classes sociais que a autora nos proporcionou com o quadrado acima, nos possibilita de forma segmentada a tentar compreender as necessidades dos indivíduos dentro das devidas esferas sociais, e assim poder promover uma ligação de entendimento na troca de informações que resultem na maior condição de aprendizado, culminando no saber que é o produto final entregue, esperado pelo tomador dos serviços e percebidos em todas as esferas da sociedade.

No capítulo seguinte, o fator social como influencia na percepção do valor entregue, comunicação, um canal difícil de encontrar com referencias tão distintas entre educadores e educando uma vez que seus valores referenciais são distinto enquanto sociedade.

7.3 Fatores sociais e a sua influência na educação

O que se pressupõe no que poderia nos auxiliar na construção de uma escola moderna seria analisar os fatores sociais que promovem o comportamento do indivíduo.

Para trabalhar essa questão, a autora, BRETZKE, trouxe uma centelha de luz que é inerente ao aspecto de sua influência no poder de decisão de compra, seja de serviços ou produtos ou a sua relativa percepção da necessidade em tê-lo.

Como a discussão deste trabalho esta em torno da educação, buscou-se por meio desta investigação apropriar-se das ferramentas utilizadas em Marketing para traçar uma linha de relacionamento e comunicação com os tomadores dos serviços da educação pública para fins de buscar a compreensão, e de qual forma pode-se entregar os serviços relacionados a educação e para que este tomador destes serviços consiga despertar a sensibilidade necessária a percepção do valor da informação e fazer com que ele possa neste momento perceber os valores relacionados a ao que se recebe como serviços entregue a ele.

Conforme analisa a autora, os grupos tem fator predominante na formação do individuo em relação aos seus hábitos de consumo.

Transferindo estas informações para nossa investigação, é possível pressupor que; o comportamento que o individuo tem em relação aos demais, é o fruto do meio em que vive?

Conforme sua visão, a autora denomina como grupo de referência, que geralmente este grupo tem uma relação de interdependência, onde as atitudes influenciam o grupo, ou grupo influenciam o individuo.

Segundo a autora ainda, esta influência é forte o bastante para que desde muito cedo, na infância ainda o individuo tenha sua formação com base nos conceitos particularmente implícitos por este movimento social referencial.

Podendo este ser novamente influenciado por novos grupos, por acreditar neste movimento no que é possível que estratégias tenham influências referenciais na formação do aluno.

Pode ser utilizado a favor do gestor que dentro da realidade geográfica e demográfica consiga inserir novos conceitos, respeitando as influencias referenciais que já vividas pelo tomador dos serviços da educação até o presente momento do contato com os educadores.

Um fator predominante para que se atinjam objetivos relacionados aos grupos, é a comunicação.

Esta deve ser feita de forma linear, evitando ao máximo à produção de ruídos, desta forma a troca de informação corretamente realizada resultará em maior velocidade da informação possibilitando ainda um feedback na mesma velocidade e com maior compreensão agindo como facilitador na aceitação de conceitos extra sociais em relação ao meio referencial que o individuo vive e obtém seus conceitos de sociedade de forma a agregar aos seus conceitos e não impor novos.

Segundo a citação da autora SANTANA,

“Multicultural é um termo qualitativo. Descreve as características sociais e os problemas de governabilidade apresentados por qualquer sociedade na qual diferentes comunidades culturais convivem e tentam construir uma vida em comum, ao mesmo tempo em que retém algo de sua identidade “Original”. Em contrapartida, o termo “multiculturalismo” é substantivo. Refere-se às estratégias e políticas adotadas para governar e o administrar problemas de diversidade e multiplicidade gerados pelas sociedades multiculturais [...] Na verdade, o multiculturalismo não é uma única doutrina, não caracteriza uma estratégia política e não representa um estado de coisas já alcançado. Não é uma forma disfarçada de endossar algum estado ideal ou utópico”.

(PETER MACLAREN, 2009 p.53)

Tomando como fonte de referencia sob os aspectos das tendências sócios culturais, é possível fazer uma analogia entre o que escreve a autora sobre o comportamento do consumidor BRETZKE, e a autora do livro, Multiculturalismo, que o individuo segue as tendências do meio, por tanto todo trabalho direcionado a ele, deve respeitar o meio de convívio e formação tanto como personalidade, quando moral e religioso.

Buscando dentro deste contexto, fornecer subsídios que possibilitem efetivamente colaborar para sua formação sob o aspecto geral como cidadão.

No capítulo seguinte, o que se encontra nesta leitura terá como base o estudo de alguns fatores psicológicos que influenciam o comportamento na tomada de decisão enquanto clientes, consumidores. Buscando trazer este conceito para uma reflexão enquanto tomador do serviço da educação. A relação criada sob o aspecto consciente da representatividade da Instituição de Ensino como Escola, e o qual sua percepção relacionada ao serviço da Educação.

7.4 Fatores psicológicos e a sua influência na educação

Neste capítulo o que se trouxe para a discussão seria um pouco mais a respeito de referencias psicológicas sobre a educação. Como referencia literária quero iniciar esta investigação utilizando-me dos estudos relacionados de SIGMONT FREUD, criador do paradigma psicanalítico, nascido em 1856 na cidade de Freibeg.

Não quero aqui com esta investigação apenas ter um apoio de um estudioso para relacionar a necessidade de se desenvolver um trabalho diversificado, que busque a entender os indivíduos como únicos, mais buscar a partir desta reflexão oferecer melhor qualidade aos tomadores dos serviços da educação de forma global sem distinções discriminativas que atenda as necessidades como a um todo.

Tendo os seus estudos em medicina, Sigmund FREUD, percebeu a necessidade de se aprofundar nos estudos dos desequilíbrios psicológicos.

Dentro destes estudos pôde aprofundar-se mais ao manter um contato efetivo com seus pacientes, a partir destes estudos, FREUD deu inicio as suas teorias, dentre elas, a do desejo incessante do homem.

A teoria da personalidade, embora FREUD não tenha se aprofundado nas questões educativas, ele pôde deixar algumas referências para que pudesse estimular nosso desejo em descobrir as relações existentes com outros estudiosos, deste modo logo se percebeu a razão desta afirmação Freudiana do ser que deseja incansavelmente e sua relação com o saber.

Segundo FREUD, para ele o entendimento do ser que buscava maior conhecimento, ou seja, um ser incessante na busca do mais, e dos porquês, pode encontrar outros estudiosos que dedicam suas vidas inteiras em prol da pesquisa, do descobrimento do novo, da cura e ou do inexistente.

FREUD acreditava que, o despertar da curiosidade nas crianças em querer aprender cada vez mais, com suas infinitas interrogativas dar-se a questões ligadas a sua própria evolução.

Neste ponto, ele busca compreender um pouco mais sobre o processo que leva a aprendizagem.

Qual a razão que motiva a busca do conhecimento?

Se nos aprofundarmos mais nesta questão da busca pelo conhecimento, cabe a indagação de que, e em qual momento a criança e o adolescente perde este vínculo com o desejo do saber, quais os motivos que proporcionam o desinteresse pelo aprendizado?

Por conta destes questionamentos, buscarei apoio dentro da literatura que fale um pouco mais a respeito da pedagogia, psicologia e nas questões estruturais da formação cultural do ser.

A possibilidade de que cada pesquisa possa fornecer ao seu pesquisador é parte promotora do que FREUD define como desejo ao conhecimento.

JEAN PIAGET traz a discussão relativa à formação do ser de uma forma organizada.

São organizações na qual leva a assimilação resultante na acomodação das informações e conhecimentos adquiridos, PIAGET acredita que a mente humana é e se organiza como uma comunidade de indivíduos, onde cada um exerça suas funções de modo a trabalhar para um todo.

Este movimento cognitivo deve-se interpretar, colocando em ordem o objeto que lhe é apresentado, dando-lhe forma e contexto. E este movimento de adaptação ocorre a todo o momento para que novas informações possam ser absorvidas por este sistema organizacional de estruturação.

Na busca ainda por maior entendimento da questão de que forma o homem desenvolve seu conhecimento, para tentar auxiliar, ou nortear uma ação que proporcione uma estratégia, ou mudanças na forma de abordagem que se acredita-se ser correta, busca-se consultar outro autor que tem contribuído e muito na questão da formação pedagógicas.

VIGOTSKI o apoio na formatação destas ideias do desafio que é compreender qual a relação que há entre, o meio, o individuo e a escola.

Segundo VIGOTSKI, o aprendizado dar-se início logo muito cedo, quando começa obter seus primeiros contatos.

A partir destes primeiros contatos ele começa a traçar uma linha de comunicação para que possa interagir com os componentes que convivem com ele, como de fato a primeira sociedade instituída é a família, onde dela, este extrairá condições de aprendizado, tanto culturalmente quanto socialmente e por meio dela terá que desenvolver as informações necessárias para sua evolução, por outro lado, esta primeira sociedade, os familiares o prepararam para conviver na segunda sociedade, seu bairro.

A partir desta nova relação este indivíduo terá contato com a terceira sociedade, a escola.

Segundo o autor,

“Para que se pensar tanto, se é para viver tão pouco? Quanta inteligência nas ciências, na economia, na filosofia! E quantas tolices, muitas vezes, na vida dos cientistas, dos homens de negocio, dos filósofos [...] A inteligência só se aproxima da sabedoria na medida em que a transforma nossa existência, em que ilumina em que guia. Não se trata de inventar sistemas. Não basta manejar conceitos, ou estes não passam de meios. O objetivo, o único é pensar e viver um pouco melhor, ou um pouco menos mal”.

(COMTE-SPONVILLE, 2000 p. 139)

A partir desta reflexão que nos remete o autor, explicita a vontade de que se faça do conhecimento, da inteligência que resulta na sabedoria de se saber viver. Ainda se apropriando dessa citação filosófica de CONTE, faço uma analogia sobre a construção do saber, da conectividade entre o que se aprende e o que se ensina, uma vez que as duas fases devem caminhar juntas.

Retomando o que o autor VIGOTSKI, no que transforma os contatos com objetos, signos e referencias que permeiam o desenvolvimento cognitivo do homem, pode-se notar a certa distancia existente ainda na formação do individuo. O autor ainda faz-se perceber que dentro da sociedade familiar, o individuo cria meios de comunicar-se, pois se este não coseguir estabelecer a comunicação utilizando-se de uma linguagem que seja universal logo o relacionamento se tornará mais difícil e para suprir suas necessidades encontrará muitas barreiras.

Ainda dentro da construção psicológica cognitiva, o individuo logo se deparará com outra sociedade, a de sua rua, bairro e este com linguagens e conceitos diferentes em muitos pontos dentro da sociedade primária a sociedade familiar. Esta lhe fornecerá outros modos, costumes e conceitos, neste ponto ele deverá constantemente tomar decisões que sofrerão as influencias de interferências devido aos indivíduos que a compõe.

Ainda dentro do que fala em sua pesquisa, VIGOTSKI, ele apresenta a estruturação da evolução do homem enquanto criança de formas radicais, e que nesse processo da evolução, a uma alteração comportamental.

E ainda em cada estagio sua aprendizagem ele se apropria de novas ferramentas para auxiliá-lo na solução dos desafios apresentados.

Podemos perceber, até aqui, onde VIGOTSK nos fala das capacidades e superações no desenvolvimento cognitivo que ao lidar com indivíduos, este em qualquer fase deve ser de modos diferenciados, e mais ainda, que em cada fase devemos apresentar instrumentos de apoio para que desta forma, possa-se auxiliar na construção sua capacidade intelectual.

Para que pudéssemos obter uma noção do desenvolvimento da inteligência humana relacionada á natureza animal de referencia com os primatas, um zoólogo em seus estudos escreveu,

“Compreende-se melhor como o processo de neotenia pode ajudar o cérebro dos primatas a crescer e a desenvolver-se se considerarmos o feto de um macaco típico. Antes do nascimento, o cérebro dos macacos aumenta rapidamente de tamanho e complexidade. Quando o animal nasce, o cérebro já atingiu 70% do tamanho do cérebro do adulto. Os restantes 30% crescem também rapidamente durante os primeiros seis meses de vida. Mesmo no chimpanzé, o crescimento do cérebro completa-se antes da idade de doze meses. Pelo contrário, na nossa própria espécie, o cérebro tem à nascença apenas 23% do tamanho do cérebro do adulto. O crescimento rápido prolonga-se durante os seis anos que se seguem ao nascimento e o crescimento total não se completa antes dos vinte e três anos de idade”.

(MORRIS,1976 P.22)

Segundo Morris, a evolução cerebral em homens é lenta e progressiva, para que se haja tempo na construção do saber adequado que atenda as necessidades básicas dentro das condições para sobrevivência em ambientes que este ser é gerado e constituído.

Segundo a premissa que traz esta informação, a educação e aprendizado já aconteciam em épocas remotas na história do homem, onde ele teve que adaptar-se e para que sobreviver já que sua constituição genética lhe era desfavorável no ambiente em que vivia.

Em resumo pode-se então dizer que toda a responsabilidade no desenvolvimento e preparo do aprendiz que começa no seio do lar, que se estende no meio de convívio social e comina na escola é de responsabilidade da sociedade?

Mas que em particular, pode-se e deve ser mais bem interpretada na escola, onde há pessoas qualificadas para o desenvolvimento cognitivo do ser, transformando e o direcionando a torna-se um ser pensante.

Dentro desta pesquisa, segundo o próprio MORRIS, por contar com esta evolução lenta, o homem pode e deve desenvolver aprendizado ao longo de sua vida, por contar com esta facilidade, é interessante que o educador, a quem se faz o contato direto com quem esta que em faze de aprendizado, no ambiente propício para que este se realize e que traga cada vez mais novas formas e mantendo-se interessado na busca do despertar constante do interesse na aquisição do conhecimento, gerando no individuo a necessidade da suplementação do aprendizado constante em sua vida.

A psicologia nos ajuda na busca da compreensão das expectativas em relação do discente para com a escola, instituição de ensino. De modo a buscar maior apoio na construção do entendimento para que de fato se possa construir um relacionamento direcionado e com maior valor para os tomadores destes serviços da educação pública.

No transcorrer do próximo capítulo, o que se segue, foi à efetiva instalação de projeto que utiliza-se de pouco recursos na forma de laboratório experimental de uma ação onde o objetivo seria alcançar a aceitação do aluno, pais e comunidade.

8. ESTRATEGIAS E PROJETOS SIMPLES NA PROMOÇÃO

Da proposta, este tem por objetivo valorizar e defender o prestador de serviços gerais, na manutenção da limpeza da instituição, do relacionamento entre colaborador de organização escolar de modo que estes funcionários que estão na base do organograma de funcionários possam de fato ter participação e buscarem seu espaço como partes integrantes do corpo de educadores.

Faz-se apresentar a proposta do projeto “LIXO NO LIXO”, este que traz uma nomenclatura simples, e de fácil entendimento, transcende sua simples função educativa.

O projeto baseasse no despertar do interesse uma vez que seu cronograma percorre o caminho da pesquisa e do saber, segue seu cronograma descritivo.

  • O convite à discussão

A respeito do lixo descartado na escola e nas ruas.

  • A campanha

Com auxílio dos monitores para alertar em relação ao descarte, conversando e orientando para que se faça valer a regra imposta pela educação e os bons modos, mostrando-lhe que se trata de uma questão de saúde e de bem estar.

  • A proposta

O que se realizaria a seguir é a criação artes, pinturas de latões ou tambores 200 litros pintados, ou algum movimento artístico sobre sua superfície, este que devidamente assinado por seus autores.

  • Da socialização

Visto que a proposta se dava na criação de obras de artes utilizando-se de tambores, que por sinal são grandes, o seu manuseio não seria possível para uma criança ou adolescente só, neste momento este elencará cinco ou mais amigos para participarem da construção do mesmo.

  • Da socialização e a participação do corpo docente

Bem como o projeto visa à integração sociocultural dentro da instituição e tem por intuito promover o interesse de alunos para com a escola, ou seja, despertar a vontade de frequentar, o aluno deverá junto com os participantes de sua classe fazer esboços ou criar desenhos para abrir uma concorrência onde o professor deverá escolher um número para que estes, expostos em sua sala de aula, seus colegas elejam quem será o autor que representará a sala em que estuda.

Por outro lado, como o que se espera é o desenvolvimento intelectual e cultural, o aluno participante deverá realizar trabalhos que tragam informações como, por exemplo; Artista em que se inspirou “Artes”, data em que este autor viveu “Historia”, qual local de origem em que viveu e atuou “Geografia”, tipos de tintas e materiais que serão utilizados, “Química”, “Física” e se orgânico ou inorgânico “Biologia”.

  • Da exposição

Pensado de uma forma mais ampliada, e com tema arte contida no projeto, haverá um sarau de poesia, onde crianças que participando do círculo de leituras recitaram poesias relacionadas ao meio ambiente à natureza e a arte no dia da exposição dos trabalhos realizados.

  • Reflexão o café filosófico

Para que aja uma reflexão em relação aos conceitos de descartes do lixo nas ruas, outras crianças e adolescentes participaram de uma discussão onde os convidados a visitar a exposição na pausa entre as apresentações participação de um café filosófico.

Neste ponto percebe-se que o título de forma muito simplificado traz e agrega mais valor contido na amplitude deste projeto.

Por se tratar de uma produção artística não causa no estudante uma sensação de obrigação, valoriza e reconhece o como indivíduo.

Por outro lado, atende as necessidades de reconhecimento dos funcionários, demonstra a preocupação por parte do corpo gestor com quem promove o serviço e produza com qualidade, mais que defenda também o espaço em que trabalha.

Já o corpo Docente, este por conta da liberdade de criação, incentiva a criação, expõe sua qualidade e valoriza o mesmo junto aos pais e a comunidade.

Por fim um trabalho que traz resultados não somente para o tomador destes serviços, mais para todos.

Algumas ações de Endomarketing que proporcionaram resultados positivos em instituições sem fins lucrativos mesmo que de forma intuitiva podem gerar bons projetos, mais de uma maneira geral, quando se canaliza o conhecimento ou as experiências vividas poderá tornar nítido o resultado.

Hoje, ao produzir esta pesquisa dentro da discussão proposta em relação ao relacionamento com tomador dos serviços na escola pública, ou na utilização de outros termos que não definam este como comprador de um produto ou serviço dentro das necessidades que a realidade no mundo globalizado exige, onde a informação toma velocidades maiores tanto quanto a criação de produtos e serviços, o homem ainda é o alvo principal de tudo que se produz neste planeta.

No seguimento posterior uma entrevista informal a Diretora de instituição de ensino pública que esta situada na mesma região a instituição que proporcionou esta investigação.

9. O ESTUDO DE CASO NA ESCOLA ESTADUAL LEOPOLDO SANTANA

Baseada em breve conversa informal com a Diretora Orieta Passine Pereira da Silva, realizada em Quatro de abril de 2014, onde o objetivo central da conversa era identificar ações tomadas relacionadas às estratégias de Marketing segue alguns temas abordados.

Diretora Orieta, dentro de suas ações para promover a integridade e proporcionar uma relação mais aproximada entre, alunos escola funcionários poderia me dizer qual e ou quais ações a senhora julga simples, más muito importantes?

Diretora Orieta - Bom uma das ações que realizamos aqui dentro da simplicidade foi em relação ao horário estipulado para o lanche, no intervalo. No início o intervalo ocorria por volta das 9hs 30 minutos, nesta hora ter como opção almoço é até um quanto difícil, pois, ninguém almoça a esta hora, então podemos chegar a um senso comum, e oferecemos lanches secos no intervalo e ao sair os alunos tem a opção de irem para casa tendo realizado o almoço na escola que também permitiu que outros alunos que estudam no próximo horário entrarem e almoçarem, assim podendo prosseguir em seus estudos mais confortáveis uma vez que grande parte dos alunos vem sem almoço de casa, e outros por sua vez não almoçam quando chegam a suas casas.

Dentro desta visão de compreensão aos alunos, o que se faz para a promoção interna de seus colaboradores?

Diretora Orieta - Nós, aqui temos um trabalho de valorização interna por meio de campanhas e projetos que visam à integração dos alunos e os funcionários onde a proposta é sempre manter-se o respeito por ambos, desde o pessoal da cozinha, limpeza, organizadores, professores, coordenação, vice-diretoria e diretoria.

Da integração escola comunidade, como à senhora percebe esta necessidade?

Diretora Orieta Se faz muito necessário que a comunidade participe da instituição de ensino, uma vez que a mesma tenha a percepção que a escola é uma extensão de seus lares, a tendência é cuidar preservar e ajudar a mantê-la, para que todo serviço aqui entregue possa ter a qualidade desejada ou ao menos buscar fornecer condições para que este objetivo seja alcançado.

Poderia me dizer um exemplo de uma ou mais estratégias que utilizou para esta promoção?

Diretora Orieta – Sim, veja, a exemplo as fanfarras, na qual o Leopoldo acumula muitas vitórias e troféus, a festa das nações, onde os alunos, pais e comunidade se empenham nas gincanas para proporcionarem a vitória ao seu grupo e o mais importante, sempre colaboramos com alguma entidade beneficente assim estamos presentes não só na vida dos alunos, más com a comunidade como um todo.

Pelo que pude perceber a senhora Diretora busca fora da escola parcerias para promover seus eventos e ações realizadas dentro da instituição correto?

Diretora Orieta – Ninguém Marco Antonio, vive só no mundo, o homem tem necessidade de viver em sociedade, se podes se proporcionar uma convivência positiva, esta tem que se iniciar no âmbito escolar pois a escola deve ser um veículo de comunicação, ligação e preparo para a formação do cidadão que viverá em sociedade.

Na sua percepção Diretora Orieta, haveria a necessidade da criação de cargos ligados à gestão estratégica para obtenção de resultados nas instituições públicas bem como acontece nas privadas, onde os departamentos trabalham e se conversam na busca de bons resultados e no aumento constante da satisfação e na qualidade dos serviços entregues?

Diretora Orieta – Acredito que se pode pensar, uma vez que a instituição de ensino particular procura promover sua constante valorização por meio dos bons serviços ofertados, dentro de meus trabalhos prestados, busco sempre um diferencial, deste modo, com os recursos que me são ofertados tento dentro das possibilidades desenvolverem estratégias que venham de encontro com as necessidades encontradas no dia a dia de uma escola.

Com base nesta breve conversa informal, pude perceber algumas estratégias de Marketing, mesmo que esta seja oriunda de ideias instintivas esta prática tem apresentado resultados positivos. E se resultados é que todos almejam alcançar então por que não se faz destas possibilidades uma apropriação do conhecimento proporcionando que possibilite a construção de um novo formato da escola pública.

A seguir segundo pesquisa encomendada pela (APEOSP) Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo.

9.1 A pesquisa sobre satisfação em relação ao ensino público São Paulo

Segundo pesquisa encomendada pelo sindicado dos professores da rede pública de ensino, demonstra a falta de satisfação em relação a qualidade dos serviços prestados sendo na quantidade ou no desempenho dos profissionais na relação de entrega do saber, na transferência de conhecimento.

Segundo a própria pesquisa a concordância nesta problemática é percebida não somente para os alunos, mais os próprios professores reconhece este novo desafio que se apresenta em nossa realidade.

Segundo a pesquisa do Instituto Data Popular feita para a APEOSP, 44% dos professores, 28% dos alunos disse ter sofrido algum tipo de violência.

Segundo ainda a pesquisa apresentada, 7 a cada 10 alunos declaram que em suas escolas não atingem os objetivos principados na educação, não cumprindo com a colaboração na formação dos cidadão e os preparando para o mercado de trabalho, entre os pais 50% tem como a escola estadual ruim ou insatisfatória.

Segundo texto publicado no site da (UMES) União Municipal Estudantes Secundaristas de São Paulo;

“Os dados fazem parte da pesquisa Qualidade da Educação nas Escolas do Estado de São Paulo, divulgada hoje (24) pelo Instituto Data Popular. O levantamento foi encomendado pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apoesp) e ouviu 2.100 entrevistados, sendo 700 professores, 700 pais e 700 alunos.

A falta de segurança foi o principal problema apontado. Ao todo, 57% dos professores, 78% dos pais e 70% dos alunos consideram sua escola violenta e 44% dos professores e 28% dos alunos disseram já ter sofrido algum tipo de violência nas instituições.

Ausência de professores, muito tempo ocioso não aproveitado para fins pedagógicos, número insuficiente de profissionais de apoio pedagógico, preconceito e desinteresse dos alunos foram outros problemas apontados pelos entrevistados.

Os professores argumentam que as faltas são justificadas pelo excesso de trabalho, o que também compromete a preparação das aulas e a correção de provas e trabalhos. Ao todo, 40% dos docentes complementam sua renda trabalhando em outras redes de ensino e metade deles leciona em mais de uma escola, segundo a pesquisa. A maioria dos entrevistados disse ser contra a progressão continuada nas escolas, porque entendem que os alunos passam de ano sem saber o conteúdo. Ao todo, 94% dos pais, 75% dos alunos e 63% dos professores são contra a medida. Entre os estudantes, 46% admitiram já ter passado de ano sem saber a matéria. A participação dos pais e o interesse dos alunos também foram considerados insatisfatórios na pesquisa: apenas 26% dos professores afirmaram que as reuniões das escolas conseguem atrair um número significativo de pais. Somente 5% deles conhecem o projeto político-pedagógico das instituições de ensino.

Os alunos atingiram uma média de faltas de cinco por mês”.

Fonte:http://www.umes.org.br/index.php/noticias/525-para-70-osestudantes-escola-estadual-de-sp-e-regular-ou-ruim

Ainda por meio das informações contidas na pesquisa fornecida pelo Instituto DATA POPULAR, um trabalho de marketing caberia possivelmente no serviço público de ensino.

Se observarmos os dados apresentados pela pesquisa a maioria encontra-se insatisfeita com os serviços oferecidos, pode-se também aproveitar os dados e segmentar por região demográfica e geográfica assim oferecendo serviços como já discutido nesta pesquisa direcionados conforme a cultura e conceitos locais, desenvolvendo trabalhos direcionados as necessidades apresentadas.

Por exemplo:

Em São Bernardo do Campo, polo industrial, pressupõe-se que a educação pode ser contextualizada com a oferta do mercado em postos de trabalhos, assim não só preparando o cidadão, más dando-lhe a possibilidade de desenvolver aptidões profissionais ou mesmo para o seu próprio enriquecimento profissional, e lhe ofertando possibilidades culturais regionais direcionadas a sociedade que ele faz parte.

Outro problema encontrado para gestores de instituição do ensino público é o alto índice de violência nas escolas como demonstra gráfico a seguir.


(Fonte: DATA POPULAR, 2014)

Ainda segundo o texto publicado no site;

“Ausência de professores, muito tempo ocioso não aproveitado para fins pedagógicos, número insuficiente de profissionais de apoio pedagógico, preconceito e desinteresse dos alunos foram outros problemas apontados pelos entrevistados.

Os professores argumentam que as faltas são justificadas pelo excesso de trabalho, o que também compromete a preparação das aulas e a correção de provas e trabalhos. Ao todo, 40% dos docentes complementam sua renda trabalhando em outras redes de ensino e metade deles leciona em mais de uma escola, segundo a pesquisa”.

Fonte:http://www.umes.org.br/index.php/noticias/525-para-70-osestudantes-escola-estadual-de-sp-e-regular-ou-ruim

Os números são completamente desfavoráveis aos gestores, más podem-se implantar projetos que visem diminuir os impactos causados por esta realidade nacional.

Em relação à progressão continuada, 94% dos pais são contra, o gráfico nos demonstra a insatisfação por parte de pais entrevistados que não aprovam esta forma de promoção aos filhos na escola;


(FONTE: DATA POPULAR, 2014)

Em relação aos alunos, dos 700 alunos entrevistados cerca de 75% são contra e a favor 25%, segundo a pesquisa, grande maioria é contra a Progressão Continuada conforme ilustra o gráfico a baixo;


(FONTE: DATA POPULAR, 2014)

Já entre os professores, a opinião em relação a esta medida é da maioria se apresentou contra por terem ciência da existência de alunos que não absorveram as matérias como o necessário.

Dos 700 professores entrevistados, segundo a publicação, 63% deles são contra, e 27% são a favor.


(FONTE: DATA POPULAR, 2014)

Pode-se fazer a seguinte leitura das informações contidas nas pesquisas solicitadas pelo sindicato da Categoria Profissional dos Professores de Escolas Públicas de São Paulo, percebe-se que não há um entendimento percebível nas necessidades dos tomadores dos serviços ofertados e a oferta dos serviços, causando um enorme ruído e proporcionando uma insatisfação crescente, tornando negativa a relação entre escola, alunos, profissionais e a comunidade.

9.2 Pesquisa de campo na Escola E. E. Arnaldo Laurindo Professor

Esta pesquisa tem por objetivo identificar o grau de percepção aos serviços, instalações, condições do exercício do aprendizado que lhes são apresentados são de fato satisfatórios, ou se há a necessidade de se buscar a melhora, para que se atinja o objetivo que é a entrega da satisfação aos tomadores destes serviços.

Segundo as respostas apresentadas ao questionário apresentado na instituição de ensino público, E.E Arnaldo Laurindo, as crianças com a faixa etária 10 aos 14 anos dos anos 5º anos, e 5ª Séries e alunos de 14 aos 17 anos de 6ª Séries as 8ª Séries.

Para a maioria das crianças questionadas, não há uma forma de se fazer uma equiparação, por conta de que em sua maioria permanece na instituição desde o seu primeiro ano escolar.

Já para outros alunos que são egressos de escolas diferentes, estas conseguem encontrar os pontos positivos e outros negativos.

Também foram entrevistados alguns adolescentes que cursaram o ensino primário na instituição e se transferiram, em breve conversa informal a aluna declarou que encontrou problemas, não só na questão de adaptação ás formas e ferramentas pedagógicas também como a aceitação integração social e o convívio nos intervalos na escola.

Como apresentado e discutido neste trabalho, a escola passa a ser uma nova sociedade na qual o aluno passa a fazer parte, em seu processo de adaptação que traz diversos desconfortos, que pode ocasionar até a evasão escolar quando não percebido as dificuldades apresentadas a ele.

Segundo ainda o adolescente suas dificuldades vão alem da questão de se enturmarem, ela conta a respeito da forma que é o convívio que as agressões ocorrem sem motivo aparente, e por conta desta violência ela pensa em desistir de continuar seus estudos.

Os números de estudantes entrevistados, entre 10 e 17 anos da 4ª série a 8ª Série entre os dias 01 de março de 20014 ao dia 05 de abril de 2014 foram de 100 alunos nos dois períodos, no ensino primário.

Das 100 crianças e adolescentes entrevistados, 92% acham a escola importante para seu futuro, 6% não acha importante e outros 2% não souberam responder.


(FONTE: PESQUISA DE CAMPO, 2014)

Na segunda questão sobre a beleza do prédio da escola, dos 100 alunos entrevistados, 10% acham bonita a instalação da escola interna, 85% reclamam da área externa que não possui área de lazer e nem de para a prática de educação física oferecendo ainda a falta de segurança e 5% reclamaram exclusivamente da estrutura externa.


(FONTE: PESQUISA DE CAMPO, 2014)

10. DISCUSSÃO

Dentro da analogia que permiti uma discussão em torno dos números apresentados, observa-se que, o número de pessoas insatisfeitas com os serviços prestados por escolas públicas é crescente a cada dia.

Ao estudar e observar as pesquisas tanto na instituição de ensino em que o estudo foi realizado, quanto na pesquisa realizada pelo o Instituto Data Popular de pesquisas, percebe-se que o público alvo em questão espera que dentro das possibilidades dos gestores e das pessoas que entregam os serviços que estes estejam dentro do mínimo esperado.

Ao vivenciar a pesquisa dentro de sua rotina diária na instituição de ensino pública observou-se a carência de projetos em que despertassem novas possibilidades para a prática do exercício do saber, que promovessem o interesse pelo novo, envolvendo todos os atores do processo da troca de conhecimentos e informação.

Outro ponto que para pais e alunos ainda se faz dúvida, é a questão do desinteresse dos alunos em relação ao ir para escola se faz por não acreditarem na necessidade do aprendizado, já em contrapartida, os professores acreditam que esta desmotivação ocorre por ausência dos pais na relação com a escola.

O fato é que segundo a diretora, em suas respostas aos questionários apresentado na pesquisa, se faz por diversos motivos, dentre eles a vida moderna, onde o trabalho e a luta pela sobrevivência, que cada vez mais acarretam no afastamento do convívio, aluno, família escola deixa-se lacunas na educação e na projeção de futuro para os jovens e adolescentes que frequentam a escola.

11. CONCLUSÃO

Os trabalhos realizados dentro da instituição de ensino fundamental e médio na escola pesquisada é realmente interessante, seguem ao que o sistema de ensino apresenta como o calendário pedagógico e ainda agregam algumas interdisciplinar a mais para compor o ano letivo.

Entre tantas necessidades desenvolvidas a cada dia, a exigência de nova possibilidade e o uso de ferramentas que venham a somar ao existente tornou-se uma forma quase obrigatória nas instituições que de alguma forma querem se destacar das demais.

Assim, deste modo, mesmo não tenha a principio uma concorrência, a escola pública necessita de estar adequada a realidade do meio onde esta inserida. Muito fala-se a respeito do direcionamento ao aluno, a sua cultura local e seus conceitos, más percebe-se a carência de projetos voltados a forma dele se relacionar ao mundo, comunidade e família, respeitando seus conceitos e suas culturas.

Ao longo do curso, das pesquisas e das experiências vividas no âmbito escolar, fez observarem-se diversas lacunas dentro da oferta, do entendimento e do reconhecimento para com o tomador dos serviços na educação pública.

Projetos culturais e de lazer já fazem parte do currículo escolar na instituição, entretanto, neste ano em que vivenciei minha pesquisa, na sua maioria foram promovidos passeios de lazer, tais como Hop Hare, Sítio Galo Azul onde a maioria desprovida de recursos financeiros ficou impossibilitada de participarem, promovendo assim, segregação e discriminação.

Outro ponto negativo destas promoções, foi observado também prejuízo na questão aprendizado e motivação, pois alunos que não participaram ao passeio, ou faltaram e se por outro motivo compareceram, estes não tiveram aproveitamento do dia em relação à matéria, pois os mesmos não poderiam dar continuidade sem os demais.

Pode-se dizer que os esforços são crescentes para a entrega de um serviço de qualidade na escola pública, entretanto, devesse observar os lucros e objetivos dentro de cada ação, pensar a médio e longo prazo, para que de fato o tomador dos serviços da educação receba de fato o que veio buscar, o conhecimento.

Entende-se que, para que de fato a escola pública venha se destacar na qualidade dos serviços prestados, deverá passar por uma possível reformulação no conceito de projetos pedagógicos, pressupondo-se que tenha um profissional na área de estratégias, que por meio de um mapeamento das condições, e dos efeitos que cada projeto possa ter a respeito do tomador dos serviços entregues assim bem como se faz em instituições de ensino particulares.

Todos os projetos direcionados aos tomadores do serviço de educação particular têm por objetivo, fidelizar acrescendo os números de novos alunos. Já nas instituições de ensino públicas, a demanda independe da qualidade dos serviços prestados, cabendo ai os gestores optarem por projetos ou serviços diferenciados para se ter qualidade ou não.

Por fim, muitos são os entreves encontrados por conta da burocracia na tomada de decisões inerentes as escolas públicas, más gestores tem sua autonomia para projetos realizados dentro e fora das instituições, podendo ser tomadas junto ao corpo de docentes, e associação de pais e mestres, que por sua vez auxiliam na administração dos recursos da escola.

Observa-se que cabe aqui uma proposta para criação de um novo posto de trabalho na área da educação pública, um gestor de estratégias e projetos voltados para a instituição e o bairro a qual esta inserida. Que possa responder para as necessidades observadas por meio desta pesquisa.

12. MODELO DE PESQUISA





 







13. REFERÊNCIAS

CHURCHILL, G. A. & PETER,  Marketing: Criando Valor Para o Cliente.  São Paulo 2000: Editora Saraiva.

LAS CASAS, ALEXANDRE LUZZI. Marketing de Varejo. 4. Ed. São Paulo: Atlas, 2006.

PHELLIP KOTLER, Administração de Marketing 3ª Edição, São Paulo 1993 Ed Atlas.

HECKERT 2004; (p. 176).

Kotler e Armstrong (1999; P.31)

SAUL FAINGAUS BEKIN, Endo Marketing Como Praticá-lo Com Sucesso São Paulo 2004.

CHURCHILL, G.A; PETER, J.P. Marketing: Criando valor para os clientes. 2ª Ed. São Paulo:Saraiva 2005.

ALBRECHT, K. BRADFORD, L. J. Serviço com qualidade: a vantagem competitiva. São Paulo. Makrom Books, 1992.

SIMÕES COLOMBO Et. All. Marketing Educacional Em Ação: Estratégias e Ferramentas. 2005. Versão eletrônica 2008

ANDRÉ CONTE SPINALLE Apresentação da Filosofia (Martins Fontes editora)

3º tiragem 2011 “Livro da escola”

O QUE REVELA O ESPAÇO ESCOLAR — Um livro para diretores de escola.

2013 Comunidades Educativas CEDAC e Editora Moderna

DESMOND MORRIS, O macaco nu extraído do livro Edição integral Título do original: "The naked ape" Copyright 1967 by Desmond Morris

PETER M. SENGE, O novo trabalho do líder: construindo organizações que aprendem. In STARKEY, Ken. Como as Organizações Aprendem. São Paulo: Futura, 1997.

STARKEY, KEN. Como as Organizações Aprendem. São Paulo: Futura, 1997.

MARIA LUCIA SERAFIM ET.ALL, Tecnologias Digitais na Educação CAMPINA GRANDE – PB: EDUEPB 2011

LUIZ CLAUDIO ZENONE, Marketing Relacionamento, Tecnologias, Processos e Pessoas SÃO PAULO: ATLAS, 2010.

ELIANE KARSAKLIAN, Comportamento do Consumidor 2ª edição SÃO PAULO: ATLAS, 2011.

Periféricos:

Artigos Científicos Internet

Análise de nível de satisfação do cliente

http://siaibib01.univali.br/pdf/Mariana%20Feltz%20Decker.pdf

Pesquisado em 27 de Março ás 04hs 30 minutos

http://g1.globo.com/educacao/noticia/2013/10/numero-de-matriculas-no-ensino-superior-cresce-81-em-dez-anos.html

Acessado dia 5 de Novembro ás 8hs.

http://www.umes.org.br/index.php/noticias/525-para-70-dos-estudantes-escola-estadual-de-sp-e-regular-ou-ruim

Acessado 10 de abril de 2014 ás 9hs 15minutos

http://www.augustolaranja.com.br/sala_medio08.htm

Acessado em 17 de abril de 2014 ás 8hs


Publicado por: Marco Antonio Gonçalves

DEIXE SEU COMENTÁRIO
PUBLICIDADE
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Monografias Brasil Escola